A hora certa para ser piloto

By: Author Raul MarinhoPosted on
353Views0

Não é novidade para ninguém que a aviação está bombando, e que os pilotos estão em falta. As companhias aéreas nunca transportaram tanta gente, os bem-de-vida nunca compraram tantas aeronaves e, para completar, a descoberta do petróleo no pré-sal significa que a demanda por pilotos de helicóptero deverá dobrar nos próximos anos – e isso sem contar com os eventos da Copa e das Olimpíadas, que não vou nem citar por serem efêmeros. Isso significa que esta é a hora certa para ser piloto, certo? Bem… Até pode ser, mas não é tão simples assim.

O problema é que a aviação é cíclica (e até bipolar, eu diria), e alterna momentos de extrema euforia com profunda depressão. Há menos de uma década, Varig, Vasp e Transbrasil faliram quase ao mesmo tempo, e centenas de pilotos tiveram que emigrar para subsistir. Hoje o cenário é positivo, mas quem garante que daqui a outros dez anos não estejamos novamente mergulhados no caos? Por isso, se você pretende tornar-se piloto só porque a aviação está vivendo um bom momento, desista. Daqui a dez anos, quando a aviação enfrentar uma nova crise, você vai fazer o quê? Um curso de Biologia Molecular para aproveitar a “onda do DNA”? Não é por aí…

Por outro lado, se seu sonho sempre foi ser piloto, mas tinha medo de não conseguir se colocar no mercado, a hora é agora. Uma das grandes dificuldades na aviação é conseguir entrar no mercado de trabalho, e o fato é que as companhias aéreas vem reduzindo os requisitos de experiência substancialmente. Há meros dois anos, somente pilotos com mil ou mil e quinhentas horas de vôo tinham alguma oportunidade. Hoje, tem gente com pouco mais de trezentas horas entrando em linha aérea, e pode ser que em breve as companhias já estejam pegando recém-saídos dos aeroclubes. O complicado hoje é conseguir terminar a instrução, já que as escolas estão superlotadas, os instrutores desapareceram do mercado, e a ANAC cada dia dificulta mais a vida de quem quer se tornar piloto. Mas para quem tiver paciência e força de vontade, além de vocação para a aviação, nunca houve momento tão favorável nos últimos anos.

Deixe uma resposta