Cessninha X Cherokee

By: Author Raul MarinhoPosted on
1182Views5

Qual o melhor avião treinador básico, o Cessna C-150/152 (“Cessninha”) ou o Piper Cherokee? Além das opções de aeronaves com trem de pouso convencional (Boero e Paulistinha, principalmente), estes são os aviões treinadores básicos (MNTE+VFR) mais populares nos aeroclubes e escolas Brasil a fora – ousaria dizer até que são os aviões treinadores mais populares do mundo. Por isso, acho que vale a pena uma análise sobre qual seria o melhor. Como voei o meu PP com o Cherokee, e a maior parte do PC com o Cessninha, acho que posso dar uma opinião balizada sobre este assunto.

O que se costuma chamar de Cessninha são dois modelos de aviões produzidos pela Cessna: o C-150, e o seu sucessor, C-152. Ambos são quase idênticos, sendo que a principal diferença é que o mais antigo tem 100hp, e o mais moderno 108-110hp. Fora isso, há alguns centímetros a mais nas dimensões do C-152, e uma posição de flap a mais no C-150 (40 graus), mas a impressão de quem os pilota é praticamente a mesma. Há um excelente post sobre a saga dos Cessninha no blog Cultura Aeronáutica, além das referências clássicas do Wikipedia sobre o C-150 e C-152. Descontinuado em 1986, a Cessna vem produzindo um modelo maior desde então, o C-172, e a empresa recentemente lançou o C-162, sucessor direto do C-152. Já o Cherokee é um avião que possui muitos nomes diferentes (Arrow, Archer, ou Tupi/Corisco/Carioca no Brasil, quando fabricado sob licença pela Embraer), daí ser mais bem conhecido pela sua designação PA-28 (usa-se P28A/R/T no preenchimento dos planos de vôo no Brasil). Porém, na versão  de 150hp e trem de pouso fixo, o mais encontrado nas escolas e aeroclubes é o Cherokee “tradicional”, P28A (P28R é usado nos modelos com trem de pouso retrátil, e P28T no modelo turbinado).

O Cessninha e o Cherokee, embora de projetos completamente diferentes – o Cessninha tem asa alta, é muito leve e pouco potente, enquanto o Cherokee tem asa baixa, é mais pesado e potente –, ambas aeronaves possuem comportamento muito semelhante. As velocidades de rotação, subida e estol são praticamente as mesmas, e as reações aos comandos são muito semelhantes, à exceção do fato de o Cherokee “flutuar” um pouco sobre a pista no pouso, por causa do efeito solo que a asa baixa proporciona.

As principais diferenças são as seguintes:

-Seleção de tanques: No Cherokee, é preciso selecionar um tanque, na asa esquerda ou direita, e ir trocando o tanque de tempos em tempos para manter as asas equilibradas; enquanto que o Cessninha utiliza a gasolina de ambos os tanques automaticamente. Pode parecer uma bobagem, mas é uma coisa a menos para se preocupar no vôo. Cessninha 1 X 0 Cherokee.

-Bomba elétrica: No Cherokee, é preciso ligar a bomba elétrica de combustível em momentos críticos (decolagem, pouso, troca de tanques), e desligá-la após; enquanto que no Cessninha, com tanques na asa alta, não precisa disso porque a gasolina chega ao motor por gravidade. Outra bobagenzinha que atrapalha. Cessninha 2 X 0 Cherokee.

-Flap: No Cessninha, é elétrico, manejado por uma alavanquinha no painel; e no Cherokee é mecânico, controlado por uma alavanca grande no assoalho, parecida com a alavanca de freio de estacionamento do Fusca. O flap do Cessninha é mais cômodo, mas fica inoperante em caso de pane elétrica. Empate: Cessninha 3 X 1 Cherokee.

-Acesso/Conforto: O Cessninha tem portas dos dois lados, enquanto que o Cherokee só tem porta do lado direito, o que faz com que o aluno entre primeiro e saia depois, sem contar que é preciso subir na asa. Além disso, o Cessninha tem janelas basculantes, e o Cherokee só uma janelinha ridícula, o que faz com que se passe muito calor no acionamento e no táxi. A asa alta também diminui o calor no Cessninha, que tem dutos de ventilação bem melhores. Quanto à ergonomia… Bem, você vai apertado nos dois aviões. Cessninha 4 x 1 Cherokee.

-Preço da hora de voo/Autonomia: Como o Cherokee gasta mais combustível, por causa de seu motor maior, o preço da hora de voo dele tende a ser mais alto, e sua autonomia menor, o que prejudica grandes navegações. Cessninha 5 X 1 Cherokee.

-Robustez/Capacidade: o Cherokee tem uma construção mais forte e um motor maior, o que o faz uma aeronave mais robusta, especialmente em operações em pistas de terra e grama. Além disso, o Cherokee pode levar mais carga e até quatro passageiros (o que, entretanto, não é relevante na instrução). Cessninha 5 X 2 Cherokee. Placar final.

Embora o Cherokee tenha perdido na comparação direta, eu acho que é interessante ter experiência nesse avião. Os aviões da linha Piper são muito populares no Brasil, e é muito provável que um piloto precise pilotar um Tupi ou mesmo um Seneca (que é uma espécie de Cherokee com dois motores) em algum momento. Mesma coisa para quem só voa Piper: em algum momento, o piloto vai ter um C-206/210 ou mesmo um Caravan na mão, e é bom ter experiência com a linha Cessna, igualmente popular. Mas seria bom que, se possível, se deixasse para pilotar os aviões da linha Piper no inverno, pois no verão o piloto passa muito calor com essa linha de aeronaves.

5 comments

  1. Jose de F. Santana
    3 anos ago

    Ta ai uma grande ideia para a Piper , projetar uma aeronave sanando todos esses defeitos mencionados na reportagem . ( Na Comparação ) Mas isso não vai afetar as duas Fabricantes de aeronave deste porte. Tanto a Cessna , como a Piper tem seus prós e contra , porem são duas Marcas de aeronaves com grande Publico . O importante é que com o passar dos tempos , vai se descobrindo uma melhora em cada produto . Isso é bom , porque , o produto vai ficando cada vez mais viável .

  2. Ferrari
    5 anos ago

    Quer aprender a voar na melhor escola de aviação civil de SP, procure a Bravo e voe no melhor Tupi de SP

Deixe uma resposta