ASP X EJ

By: Author Raul MarinhoPosted on
956Views32

Este post é de interesse especial para quem mora em São Paulo (capital) e pretende iniciar a instrução aeronáutica em avião, do PP até o PC – eventualmente, para quem já está em instrução. Ele se baseia na minha própria experiência de instrução, entre abril de 2009 e fevereiro de 2011, portanto pode ser que a situação esteja diferente se você o estiver lendo muito tempo depois deste período. Finalmente, informo que não sou sócio, funcionário, investidor, prestador de serviços, ou tenha qualquer outra relação com qualquer uma das instituições citadas que não a de ex-aluno. Dito isso, vamos ao post:

ASP ou EJ: qual o melhor lugar para aprender a voar?

Estrutura legal e física:

O Aeroclube de São Paulo (ASP) é uma das instituições de ensino aeronáutico mais tradicionais do país, completando 80 anos de funcionamento em 2011. Como todo aeroclube, o ASP é uma espécie de ONG, ou seja: nem é uma empresa privada, com fins lucrativos, nem é uma entidade governamental; ele é uma associação ou um clube, como o nome sugere – da mesma forma que o Esporte Clube Pinheiros ou o Corinthians Paulista. Por isso, o ASP é administrado por uma diretoria eleita pelos associados, e atualmente o presidente é o comandante Fadi Younes, o que não impede de haver também funcionários contratados. Situado no Campo de Marte, zona Norte de São Paulo, o ASP possui dois hangares, um prédio de três andares com salas de aula para o ensino teórico, uma sala de operações para atender à parte prática, um prédio administrativo, alojamento para alunos, estacionamento, e um grande bar e restaurante, o Bar Brahma, além de uma loja e um pequeno museu.

Já a EJ Escola de Aeronáutica é uma empresa privada, de propriedade de dois ex-comandantes da aviação comercial, Edmir e Josué (daí o nome da escola). Originária de Itápolis, onde ainda existe uma base da escola em funcionamento, é a base de Jundiaí que concorre diretamente com o ASP e atende aos paulistanos, daí estarmos analisando especificamente esta unidade da EJ. Ela ocupa três hangares do Aeroporto Cmte Rolim Amaro, em Jundiaí, que além de abrigar os aviões, também possuem instalações para aulas teóricas, administração, briefing, simuladores, área comercial, e áreas de descanso, uma delas com máquina de café e uma vending machine, onde é possível adquirir refrigerantes, chocolates e salgadinhos. O padrão construtivo é moderno e de boa qualidade, a todas as instalações são cirurgicamente limpas. A sala de briefings é totalmente informatizada, com computadores com telas de LCD em todas as posições, e até a escala de vôos é exibida em uma grande tela de LCD no primeiro hangar. Há, ainda uma recepção, com sofás e TV de LCD.

Conclusão: Por ser uma empresa privada, a EJ é mais ágil em termos administrativos, enquanto no ASP o aluno tem a impressão de que ninguém (ou todo mundo) manda. Em termos físicos, a EJ é muito mais moderna, bonita e funcional, mas fica em Jundiaí. No ASP, há um bar e restaurante bem equipados, e ele fica localizado no centro de São Paulo, no 5º aeroporto mais movimentado do país, mas parece que você entrou no túnel do tempo, e voltou aos anos 1970. Empate: ASP 1 x 1 EJ.

Frota:

A espinha dorsal (aeronaves para instrução primária – VFR) do ASP são os Cherokee, adquiridos em 1973, cuja manutenção está boa (em termos de segurança), mas judiados. Na EJ, o equivalente são os Cessna C-152, em média 10 anos mais novos e mais bem conservados. Para a instrução IFR, ambos possuem aviões do tipo Tupi de idade e estado de conservação semelhantes, mas a EJ também possui dois Cessna C-172 com painel Garmin G-1000 novos, e um Cirrus SR22 (painel Avidyne) – enquanto isso, o ASP possui um Diamond DA20 novíssimo. O ASP tem dois AeroBoero, mas nenhuma aeronave multimotora, enquanto a EJ tem um Seneca-II, além de aeronaves agrícolas e com trem de pouso convencional em Itápoilis, que podem ser deslocadas para Jundiaí caso necessário. Mas o que desequilibra mesmo é a quantidade: a EJ tem uma frota muito maior (mais de 40 aeronaves, contra cerca de 15 no ASP), e uma relação aluno/avião muitíssimo mais favorável, o que faz ser significativamente mais fácil marcar vôos na EJ.

Conclusão: Em termos de qualitativos, a EJ é um pouco melhor, mas quantitativamente, a escola ganha de lavada. O aluno consegue terminar seu treinamento muito mais rápido na EJ, graças à elevada disponibilidade de aeronaves. Ponto para a escola: ASP 1 X 2 EJ.

Instrutores:

Na EJ, como na maioria dos aeroclubes e escolas Brasil a fora, todos os instrutores são jovens pilotos recém formados que estão “fazendo hora” para conseguir entrar numa companhia aérea. Já no ASP, embora também haja este tipo de instrutor, existe uma parcela considerável de pilotos veteranos, com milhares de horas de vôo. Isso faz diferença.

Conclusão: Ter o privilégio de receber instrução de pilotos veteranos, mesmo que seja somente algumas horas, não tem preço. Neste ponto, o ASP é imbatível. Ponto para o aeroclube: ASP 2 X 2 EJ.

Administração:

Tudo no ASP é feito como na década de 1970. A marcação de vôos é feita via telefone, a avaliação de vôos é feita à mão, os alunos possuem pastas suspensas guardadas num arquivo metálico, e se você tiver alguma queixa, basta escrever no livro de reclamações. Já na EJ, tudo é feito via web, da marcação de vôos ao debriefing, o que faz com que todas as informações sobre a instrução estejam disponíveis para o aluno 100% do tempo, onde ele estiver. Especificamente sobre o sistema de marcação de vôos, o sistema da EJ é ultra-prático.

Conclusão: O sistema da EJ é imbatível, e um dos principais diferenciais da escola. Faz diferença para o aluno. Ponto para a escola: ASP 2 X 3 EJ.

Preço:

O ASP não está entre os aeroclubes mais baratos do país, mas o preço da hora de vôo do Cherokee – R$300 – não sobe há anos, e embora seja muito difícil marcar vôos, o Boero a R$200/h é bem razoável. Já na EJ, a inflação é galopante: eu comecei pagando R$330/h pelo C-152, depois foi para R$350, e na última vez que eu vi estava em R$375. O vôo IFR dos dois está caro, mas a EJ (R$550, até onde eu sei) consegue ser mais salgada ainda que o ASP (R$463), embora na EJ seja possível voar no C-172 com painel G-1000 pelo mesmo preço. Já o valor do Seneca da EJ – R$1.200 – é extorisvo (o ASP não possui aeronave MLTE).

Conclusão: O preço excessivo é o pior defeito da EJ, apesar de também ser a única que parcela as compras em até 10 vezes no cartão. Mas, ainda assim, o ASP é bem melhor. Ponto para o aeroclube: ASP 3 X EJ 3.

 Simuladores:

No ASP, os simuladores são os velhos Frasca dos anos 1970, que se estivessem homologados (pelo menos até o início de 2011, não estavam) seriam do tipo BATD – 25h de simulador abatem 10h de vôo real. Já na EJ, são modernos simuladores X-Plane com projeção de cenários, e painel G-1000 ou Seneca-V, homologados como AATD – 25h de simulador abatem 20h de vôo real. Em termos de hardware, não tem comparação: a EJ está anos-luz à frente do ASP. Em compensação, os instrutores da EJ são os mesmos da instrução prática (jovens recém-formados), enquanto que no ASP a instrução é dada, na maior parte das vezes, por controladores de vôo e pilotos aposentados, com décadas de experiência.

Conclusão: A despeito da expertise dos instrutores do ASP, a diferença de equipamento fala mais alto, sem contar que o programa de instrução da EJ para simuladores é mais bem estruturado. Ponto para a escola: ASP 3 X 4 EJ.

Curso teórico:


Sem deméritos para a EJ, o curso teórico do ASP é um dos melhores do Brasil. Principalmente por causa de três profissionais: Titus (Navegação), Marcelino (Teoria de Voo) e Banci (Meteorologia), os maiores cobras em suas respectivas áreas. Tanto no PP quanto no PC, as provas da banca da ANAC foram bem mais fáceis que as provas do ASP, e se você conseguir terminar um curso no aeroclube, sua aprovação é quase certa. No curso de PC do ASP, o aluno sai praticamente pronto para passar na prova de PLA também. A única vantagem da EJ é o fato de que seus cursos são em formato integral, e o aluno consegue terminá-los na metade do tempo do ASP.

Conclusão: Não tem comparação, o ASP é muito melhor. Ponto para o aeroclube, que empata o jogo: ASP 4 X 4 EJ, placar final.

Algumas considerações adicionais:

– Para o PC prático no ASP, é preciso ficar sócio do aeroclube, o que implica numa jóia de aproximadamente R$1mil, e uma mensalidade de cerca de R$100.

– Para quem pretende trabalhar na aviação geral, é muito recomendável voar no ASP, nem que seja algumas horas (pelo menos umas 20h) para se habituar com as operações no Campo de Marte.

– Para chegar na EJ sem veículo próprio é muito complicado. O ônibus para na rodoviária, longe do aeroporto, e não há opções alternativas de transporte.

– Para quem quer ser instrutor, é recomendável voar e tirar as carteiras na escola que se pretende trabalhar.

Qual é melhor, afinal?

Para desempatar, e definir qual é a melhor escolha para você, a única forma é ponderar o que lhe é mais relevante. Se o determinante for o preço, ou se você não quiser/puder se deslocar até Jundiaí, vá para o ASP; mas se você tem pressa para terminar o prático, ou precisa fazer simulador homologado AATD, vá para a EJ. Na verdade, eu acho que o melhor seria aproveitar o que cada escola tem de melhor, que foi o que eu fiz:

– Faça os cursos teóricos no ASP;

–  Faça o curso de 30h de simulador na EJ, e depois, se for o caso, faça mais algumas horas no ASP;

– Voe o PP no ASP, pois assim você se acostuma com o Campo de Marte e não precisa ir até Jundiaí para fazer vôos de 1h;

– Voe o PC na EJ, o que vai adiantar a sua formação (os vôos do PC são, em geral, mais longos), e você terá a opção de voar MLTE, se quiser.

É isso. Bons vôos!

32 comments

  1. Alexandre
    4 anos ago

    Eu voo na EJ maior e melhor escola de aviação civil do pais,já voei em aeroclube antes.Eu levei minha esposa no aeroclube que eu voava e depois levei ela na EJ jundiaí. A frase dela:” Você estava num barraco e agora está em uma manssão.”a frase que ela usou, simplismente, mostra a situação e a diferença em estrutura, tecnologia, manutenção e logística de uma escola de alto nível EJ, contra aeroclubes com caciques fazendo de conta que são donos.A EJ tem duas bases, com 74 aeronaves de diversos tipos, cesna 152,172 com G100,vários senecas (entorno de 8),corisco, cirrus,baron, cesna citicion(jato).Todos os meses são batidos recordes de horas de voo.Sem contar as vantagens, já menssionadas, como meu currículo atualizado pela escola no site da EJ.Qualquer documento que o aluno precisa na anac, a escola providência.A escola faz tudo por você, você só precisa voar e ser o melhor do pais, porque com certeza você estará na maior e melhor escola da américa látina, que é no mínimo 10 vezes maior que a segunda maior do Brasil

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Vou mandar o seu comentário para o Josué. Quem sabe ele te dá um desconto?

      • Anselmo Pereira Jr
        4 anos ago

        Corrija os erros de português antes…

  2. Tiago Bium
    4 anos ago

    Pessoal, alguém tem algo a dizer sobre o aeroclube de Jundiaí? Começo o PP agora em janeiro no ACSP, porém, pretendo voar no ACJD, alguém teria algo a dizer sobre ele? Abraço.

  3. Bruno Tadeu do Carmo Pinto
    5 anos ago

    Sou Bruno Tadeu e pretendo realizar o curso teorico e pratico no ASP aonde não só pelo preço mas por tres fatores que acho fundamentais.
    1 Acolhimento: O ASP em todas as vezes que passei por lá tanto para fazer vôos panoramicos tanto para esclarecimento de duvidas, para fotografar ou simplesmente para entrar em um avião fui muito bem tratado.
    2 Localização e preço. Bem moro na zona leste e para chegar em Santana não gasto menos de 45 minutos de trem e Metrô e claro o valor das aulas praticas corrigindo 347 reais no Cherokee e 249 no boero e se eu ralar um pouco ainda pego no tupi que sai por 475 VFR a sim e lembrando que nem sempre o problema é dinheiro as vezes não se treina por que São Pedro não colabora.
    3 Nome e oportunidades. É mais convincente colocar no curricum que se formou no aeroclube de São Paulo com 80 anos de mercado e claro pretendo me especializar nas aeronaves da linha PA28 e daí é um pulo para os senecas, e digo mais depois de brevetado pretendo me associar ao ASP e pegar as aeronaves a preços reduzidos para fazer hora e tambem me tornar instrutor por lá.
    Abraços do futuro comandante de tupis e senecas Tadeu afinal de contas ser humilde não faz mal a ninguem!!!

  4. MARIA APARECIDA BARBOSA
    5 anos ago

    ONDE ESTÁ A TABELA DE VALORES DE AERONAVES E HORAS DE VOO?

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Entre em contato com as instituições para obter essas informações.

  5. Joao Barbosa
    5 anos ago

    Olá.
    Sou piloto da FAB.
    Fiz uma videoaula sobre o do Garmin G1000 instalado nas aeronaves Grand Caravan C208B da Cessna.
    Segue abaixo o link do youtube.
    Fico feliz se for útil.
    Um forte abraço a todos os que um dias alçarão os ares!

  6. ROBERTO ROCHA
    5 anos ago

    Boa tarde,

    Raul estive lendo a revista aeromagazine de Dezembro e, em uma entrevista, estiveram analisando que vai sobrar pilotos tanto PA como PH, até cometaram que um aluno aos 40 anos venderia até a casa para fazer o que sempre sonhava, ficamos então com o de praxe: quem estiver preparado para o mercado as oportunidades aparecerão? De qualquer forma, explicou que é um alto investimento, mas me perguntei: sim toda carreira tem concorrência, o importante é está preparado realmente. Falou ainda que quem estiver no exterior a experiência junto do inglês, ficará mais fácil, pois as escolas daqui desejam muito ainda, mas acho que ainda tem muitas que têm bom conceitos. Comente. Feliz 2012.

      • ROBERTO ROCHA
        5 anos ago

        Estás comentando com justificativa e excelência, mas tem uma escola na Argentina, desde 1940, a teoria acompanha a prática, provas durante o curso, de PPA ou de PCA, estrutura muito boa, treinamento no cessna 152, alojamento para estrangeiros, achei promissora, mas o que acha para convalidar as licenças aqui, seria problema com a ANAC? Ou fazer a formação de piloto no Aeroclube de SP e EJ seria na sua opinião mais interessante? No aguardo.
        Fortlaleza-CE

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          Eu não conheço escolas na Argentina. Se a convalidação de licenças do FAA/EUA já é complicada, imagino que com a Argentina seja muito pior… Mas isso é suposição, não tenho dados concretos sobre isso.
          Eu conheço o ASP e a EJ, e posso recomenda-los. Existem outros bons aeroclubes no pais, pirem eu não tenho condições de avaliza-los…

  7. ROBERTO ROCHA
    5 anos ago

    Olá, mais uma vez, sobre o aeroclube de Bragança Paulista tem alguma opinião? Sei que na EJ em relação a idade seria mais rápido o treinamento, mas fui bem tratado tb em BP, aguardo.

  8. ROBERTO ROCHA
    5 anos ago

    Tenho 41 anos e, farei a prova em janeiro, caso não seja aprovado, seria melhor entrar num intensivo da EJ, ou ainda tem opções agora na FLYASA, Cuiabá, e Golden Wings, em caldas Novas. O que me diz de fazer a parte prática de PP no aeroclube de Bragança Paulista, Aeroclube de SP, Aeroclube de Juiz de Fora-MG? Sei que na EJ é mais salgado, mas se trata de uma excelente escola, mas para o mercado faz diferença, ou o importante é estar PCA/IFR e nível ICAO inglês 4? No aguardo.
    Fortaleza-CE

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Roberto,

      Para o mercado, não faz muita diferença onde vc voou. A vantagem da EJ, principalmente para quem não é mais nenhum adolescente, como nós, é a disponibilidade de escala, o que acelera bastante a formação -principalmente na base de Itapolis.

      • ROBERTO ROCHA
        5 anos ago

        Obrigado pelas informações, mas ouvi um comentário de um presidente de escola que como estudo como autodidata para fazer a prova teórica de PPA, pode ser que com a implantação do novo RBAC-61, não ter feito em escola homologada eu não possa vir a fazer o PCA em virtude disso, mas que tinha que correr até passar na prova antes de julho, checar e começar o PCA teórico parã não correr risco. O que me diz então do intensivo, até para ganhar tempo da EJ? Estarei a fazer a prova em março, caso não me aprove,
        acho que precisava ganhar tempo, até mesmo pela idade. Aguardo.

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          Na verdade, os rumores sao de que o RBAC-61 será publicado já em março… Se isso acontecer antes de vc estar aprovado na banca, acho uma boa idéia o curso intensivo da EJ, sim.

          • ROBERTO ROCHA
            5 anos ago

            Obrigado mais uma vez, mas será que posso fazer a prova como autodidata e caso venha a ser aprovado, o RBAC-61 saindo em março, ainda teria restrições? Ou seria melhor ingessar logo numa
            escola homologada e não arriscar, cmte? De qualquer forma, ainda teria que fazer a prática e estaria
            arriscando ficar sempre como piloto privado, não podendo ser mais PCA. Aguardo.

            • Raul Marinho
              5 anos ago

              Roberto, a gente não sabe quando e se o RBAC-61 vai entrar em vigor, nem qual será a sua redação final. Então, aja como se isso não existisse.

              Enviado via iPad

              • ROBERTO ROCHA
                5 anos ago

                Obrigado, acredito que se eu passar de primeira, acho que se o novo RBAC-61 obrigar a ter cursado em escola homologada, pode ser que considere eu já estar cursando a prática de PPA. Tenho que fazer logo essa prova sim, mas se for reprovado, será que desconsideram eu me matriculando na escola homologada teórica para PPA?

  9. Jacinto
    5 anos ago

    é depois dessa cheguei numa conclusão!!! por algumas merrecas a mais; vou para EJ!!!!!! =))

    • Rul
      6 anos ago

      Conclusao se tiver um pouco mais de grana EJ, se for pobre igual eu ASP.
      Mas eu to gostando sim do aeroclube so parece que eles me odeiam e que eles me prestam um favor e não um serviço!

      • Anderson
        5 anos ago

        leve em consideração que na EJ você é tratado com muito respeito, lembrando que além de aluno você é cliente… Qualquer conduta incompatível de funcionários é punível… Já no ASP fui tratado como alguém que está implorando por um favor, como um incômodo aos INVAS e funcionários que aparentemente gostam de trabalhar quando lhes convém, e quando não é de sua vontade, não se incomodam nem um pouco em te ignorar. EJ além de suas 50+ aeronaves tem um ingrediente muitíssimo importante, o profissionalismo… Outro ponto é que na EJ se voa 10x mais…. pra mim o ASP só é superior (e muito) no teórico

Deixe uma resposta