Financiamento da instrução aeronáutica

By: Author Raul MarinhoPosted on
1778Views38

Atenção!!! Artigo somente ilustrativo.

O texto deste artigo está desatualizado devido a alterações no regulamento sobre concessões de licenças e habilitações da ANAC (RBAC-61). Não o utilize como fonte de informações para planejar sua formação aeronáutica. As informações corretas encontram-se na publicação “Como tirar brevê e quanto isso vai custar”, acessível neste endereço: http://paraserpiloto.com/e-book-como-tirar-breve-e-quanto-isso-vai-custar/

 

Apesar da falta de pilotos e do risco de vivermos um apagão aéreo por causa disto – especialmente em alguns setores da aviação, como no dos helicópteros das plataformas de petróleo –, não existe no Brasil um programa governamental estruturado para financiar a instrução aeronáutica. Basicamente, o negócio é o seguinte: “Quer se tornar piloto? Então se vire para conseguir R$70mil. E boa sorte”. Na verdade, em 2009/10, até existiu um programa de concessão de bolsas por parte da ANAC (vou escrever um post sobre isso em breve), mas foi um programa tão mal concebido e implementado, além de modesto em termos de número de bolsas concedidas, que não se pode dizer que existe, de fato, algum incentivo para a formação aeronáutica. Sem contar que o programa foi descontinuado em 2011, e até agora não se tem notícia se vai voltar. Então, na prática, quem quer se tornar piloto precisa lutar sozinho.

Tampouco existe no mercado privado algum tipo de financiamento específico para a instrução aeronáutica, com duas mirradas exceções. O Aeroclube de Campinas oferece um pacote com 15h de Twin Comanche, 5h de Corisco/IFR, e 25h de simulador em 4 vezes sem juros no cheque pré-datado para financiar a parte MLTE+IFR da instrução, e a EJ parcela compras acima de R$8mil em até 10 vezes no cartão de crédito, e isso é o máximo que conheço em termos de financiamento aeronáutico (se alguém conhecer alguma outra alternativa, por favor, descreva-a nos comentários).

Para quem precisa de recursos de terceiros para pagar a formação aeronáutica, restam somente as opções não específicas de financiamento (tomar o dinheiro emprestado pura e simplesmente), mas isso tem um outro problema: não se usa todo o dinheiro de uma vez, e o tomador acabará com parte do dinheiro parado durante algum tempo, pagando juros desnecessariamente. Para entender isso melhor, veja um exemplo de aplicação de recursos em instrução aeronáutica:

Vamos supor que eu tome emprestado hoje R$70mil para a minha formação aeronáutica, do zero até o cheque de PC+MLTE+IFR. Eu vou gastar esse dinheiro de maneira desigual ao longo de cerca de 2 anos, alternando períodos de grandes desembolsos com outros de poucas despesas, e até meses em que não gastaria nada, mais ou menos assim (os valores foram extraídos do post “Quanto custa tirar brevê”):

Meses 1 a 4: Neste período, eu faria somente o curso de PP-Teórico, ao custo de R$2mil, ou R$500/mês.

Meses 5 a 10: Aprovado na banca de PP, começaria a voar o PP-Prático, gastando R$14mil no decorrer de 6 meses, sendo que, no último mês, eu gastaria R$4mil para os vôos de navegação e as taxas de cheque, e nos demais meses eu gastaria R$2mil/mês, em média.

Meses 11 e 12: Nestes 2 meses após cheque de PP, eu estaria aguardando a ANAC aprovar meu processo e liberar meu brevê. Antes disso, eu não posso nem voar as horas do meu PC, nem iniciar o curso teórico. Ou seja: nesse período, o custo é zero.

Meses 13 a 16: Nestes 4 meses iniciais do PC, eu acumularia o curso teórico (R$2mil) com 30h de vôo visual diurno (30h x R$300/h = R$9mil), totalizando R$11mil, ou R$2.750/mês.

Meses 17 a 20: Neste período, eu faria 35h de vôo visual diurno (35h x R$300/h = R$11mil), as horas visuais noturnas (6,5h x R$450 = R$3mil), e o simulador (R$3mil), totalizando R$17mil, ou R$4.250/mês.

Meses 21 a 24: Até agora, eu já gastei R$16mil no PP e R$28mil no PC, totalizando R$44mil. Logo, para R$70mil faltam ainda R$26mil para gastar em 4 meses, o que dá uma média de R$6,5mil/mês.

Só por curiosidade, veja como ficariam os gastos mês a mês e o saldo cumulado dos gastos deste exemplo, ao longo de 24 meses:

Mês de instrução

Despesa do mês (R$)

Saldo acumulado (R$)

1

500

500

2

500

1.000

3

500

1.500

4

500

2.000

5

2.000

4.000

6

2.000

6.000

7

2.000

8.000

8

2.000

10.000

9

2.000

12.000

10

4.000

16.000

11

0

16.000

12

0

16.000

13

2.750

18.750

14

2.750

21.500

15

2.750

24.250

16

2.750

27.000

17

4.250

31.250

18

4.250

35.500

19

4.250

39.750

20

4.250

44.000

21

6.500

50.500

22

6.500

57.000

23

6.500

63.500

24

6.500

70.000

Percebe-se que há uma forte concentração de despesas na parte final da instrução, quando são efetuados os vôos IFR e MLTE (e eu até fui “bonzinho”, pois desconsiderei a concentração dos vôos MLTE no final, além do cheque de PC-IFR-MLTE, que ocorre no último mês). Desta forma, quem tomasse um empréstimo de R$70mil no início da instrução ficaria pagando juros sobre um capital que não seria necessário naquele momento – veja que, na tabela acima, o saldo chega à metade do valor tomado (R$35,5mil) somente no 18º mês! Isto mostra que o financiamento à instrução aeronáutica seja algo complicado de ser atendido com instrumentos financeiros genéricos. Outro problema são os juros, altíssimos nos financiamentos sem garantia, além do prazo que um financiamento desses requer, muito superior ao normalmente oferecido no mercado genérico.

“Ok, mas como fazer se eu não tenho o dinheiro para pagar minhas horas de vôo? Eu já sei que não posso contar com o governo, nem com produtos específicos dos bancos privados, e se eu for tomar o dinheiro emprestado vai ser uma tragédia. O que fazer, então? Desistir?”

Bem… Se você é brasileiro e não desiste nunca, saiba que com um pouco de criatividade dá para montar um esquema financeiro que pode viabilizar sua instrução aeronáutica. Só que serão necessárias duas condições: 1)Alguma capacidade de desembolso mensal desde o início. Pode ser R$2mil/mês, R$1,5mil, e até R$1mil/mês, com alguma boa vontade, e é claro que quanto maior a disponibilidade, mais fácil viabilizar o esquema de financiamento; e 2)Capacidade para tomar dinheiro emprestado via modalidades de crédito de prazo mais longo e juros menos caros, principalmente o crédito consignado (com desconto em folha para funcionários públicos) e o refinanciamento automotivo (é como se você comprasse o carro de você mesmo). Satisfeitas estas condições, vamos pensar no caso de um sujeito que consegue dispor de R$1,5mil/mês e tem a possibilidade de tomar dinheiro emprestado por até 48 meses pagando 2% de juros ao mês, se necessário. Vamos manter o plano de instrução de 24 meses do nosso exemplo anterior, para que não seja preciso construir uma nova tabela de desembolsos. Neste caso, a coisa ficaria mais ou menos da seguinte forma:

Nos primeiros meses do PP, sobraria algum dinheiro, quando o gasto estaria limitado ao curso teórico, e seria possível acumular algum caixa. Quando os vôos se iniciassem, os gastos seriam superiores à disponibilidade mensal de recursos, e o caixa acumulado serviria para complementar a demanda mensal de recursos. De qualquer maneira, ao final de 12 meses, os gastos (R$16mil) seriam inferiores aos recursos disponíveis (R$1,5mil x 12meses = R$18mil), e seria possível iniciar o PC com um pequeno caixa de R$2mil. Até agora, está fácil, mas no PC a coisa vai se complicar bastante.

O truque agora é fazer com que não se tome dinheiro que vai ficar parado na conta (ou, pelo menos, minimizar este efeito) ao mesmo tempo em que se tenha recursos para bancar a demanda mensal. Vimos na nossa tabela que os 4 primeiros meses do PC demandarão R$2.750/mês, ou R$11mil no total. Por outro lado, investindo R$1,5mil/mês pelos mesmos 4 meses, mais os R$2mil iniciais, seriam obtidos R$8mil – ou seja: ao final deste período, estaríamos com um déficit de R$3mil (cobertos pelo cheque especial, por exemplo), e é neste momento em que começaria a demanda mais pesada por recursos (R$4.250/mês, e depois R$6,5mil/mês). Agora é a hora ideal para entrar o financiamento. Falta pagar R$43mil, e carrega-se um déficit de R$3mil, logo o valor do empréstimo deverá ser de R$46mil. Fazendo as contas para esse montante, por 48 meses, e 2%a.m. de juros, chegamos à quantia de R$1.499,68, ou seja: é possível terminar a instrução dentro do prazo pagando os mesmos R$1,5mil que se pagava desde o início. O fluxo de caixa seria esticado em 48 meses a partir do 17º mês da instrução (ou seja: a instrução ocorreria em 24 meses, mas os pagamentos se estenderiam por 64 meses), e o custo nominal chegaria a R$96mil (seriam, então, R$26mil de juros).

Este foi um exemplo ilustrativo de como poderia ser usado um financiamento genérico para a instrução aeronáutica com um pouco de jogo de cintura no fluxo de caixa, alguma disponibilidade mensal de recursos, e acesso a linhas de crédito mais favoráveis. É lógico que, na prática, as coisas seriam feitas diferentes, talvez esticando um pouco o período de instrução, eventualmente comprometendo mais recursos mensais, deixando o MLTE para depois, e modificando o esquema em muitos outros pontos. Mas o que quis demonstrar no exemplo acima é que é possível montar um esquema de financiamento à instrução, mesmo que imperfeito.

38 comments

  1. Gustavo
    4 anos ago

    Ola pessoal ! Gostaria de ter uma resposta de quem fez até o comercial o total que foi gasto, digo, nao suposicoes e estimado, queria um valor real. Sabemos que em muitas vezes se deve voar um pouco mais que o planejado a fim de atingir um bom ponto com as manobras e outros, alguem que finalizou todo o curso tem essas anotacoes em vista do total com taxas e outros ? Obrigado

  2. Danilo
    5 anos ago

    Boa noite galera, no meu casou eu acabei de ser aprovado em um concurso, foi o meio que achei estudar para tornar-me funcionário público para depois financiar meu curso… boa sorte a todos!!!

  3. Joe
    5 anos ago

    Quem faz a Faculdade de Ciências aeronáuticas já sai pronto para voar?
    Ou ainda tem que passar por outras coisas?!?

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Depende da faculdade. Há as que exigem que o aluno tenha licença de PC para se formar, mas há cursos que permitem que o aluno se forme sem nunca ter entrado num avião. Nenhuma, entretanto, oferece a instrução prática internamente.

  4. guto
    5 anos ago

    estou fazendo um esquema para conseguir continuar na aviação.virei camioneiro para ganhar um pouco mais e conseguir fazer minhas horas.falar em dificuldades…todos tem as suas e eu tenho sorte pois fui super bem na teoria do PP, e fico de cara pois meus colegas, todos tem mais dinheiro que eu.e até agora que eu saiba só eu passei.faço esse comentario para chegar naquele ponto do dinheiro.c perde muita qualidade na aviação por falta de incentivo.não é facil,me sobra uns 2 mil/mes, tenho 28 anos e um filho,meu custo mensal já é alto. vou demorar cerca de uns 5 anos pra me formar,c tivésse uma linha de credito seria bem mais rapida minha formação e de tantos outros que estão na mesma luta, deixo uma idéia!quem sabe c fizessemos tipo uma campanha para junta asiinaturas digitais…pode parecer meio sem futuro mas sei de um caso que esta dando resultado..temos tantos meios de divulgar éssa idéia, principalmente as redes socias.eu não tenho como tomar a frente, pois saiu na segunda de casa e volto na sexta.

    • Deivid
      5 anos ago

      guto to no mesmo sonho que vc me passa seus contatos e emails

    • Fernando Monteiro
      4 anos ago

      GUTO estou no mesmo sonho que você , sou de Carazinho – RS e estou batalhando em outro emprego para juntar dinheiro para começar as horas de vôo . Trabalho como representante comercial e só estou em cada nos sábados e domingos, parecido com você . Poderia me passar seu email para trocarmos contatos. Segue o meu fernandovendendobem@hotmail.com abraço

  5. Eudes Malemene
    5 anos ago

    Muito Obrigado!! A matéria me ajudou muito pois estou no fim do ensino médio e já matutando o que sera necessário para algum dia, quem sabe, chegar no cockpit de um Boeing, Airbus, etc. Acredito que vai ser possível, mesmo que com esforço, pagar os cursos e mesmo se não for eu sou daqueles que vai da um jeito :). Eu gostava de aviação antes mesmo de me dar por gente e eu vo fazer o possível e o impossível para ao menos chegar a me manter nesse meio mesmo sem pilotar. Essa história de sorte e azar eu procuro não pensar nisso. Sorte não é algo a ser levado em conta e sim o esforço. Vou fazer minha parte estudar e tentar minimizar os gastos. Se houver uma crise, se não houver, se eu puder pagar ou não enfim… se eu fosse ficar pensando nesses se’s nem tentaria dar o meu primeiro passo na aviação pois há riscos :/ mas esse é meu sonho então vou correr atras e tentar sempre manter a esperança de que no final vai dar tudo certo.

  6. Rocha
    5 anos ago

    Excelente Blog Raul parabéns pelo trabalho !!!

    Tenho uma dúvida, creio que essa tabela acima refere-se a asa fixa, quanto você calcularia nesse mesmo esquema para asa rotativa.

    Um grande abraço

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Rocha, esses valores estão desatualizados, tanto financeiramente, quanto regulamentarmente (eram referentes aos requisitos do RBHA-61, que foi substituído pelo RBAC-61 em junho passado). No meu livro sobre formação aeronáutica, que deve ser lançado no início do ano que vem, eu vou mostrar todos os cálculos atualizados, para asa fixa e rotativa. Por isso, nesse momento eu não tenho como te atender no que vc me pede, lamento.
      Abs,

      Raul

  7. Rambo
    5 anos ago

    primeiramente, independente dos estudos; não se tona piloto, mas se nasce piloto
    esses comentarios quanto ao problema financeiro , na minha opinião sao de pessoas pensando em retorno $$$
    e uma pessoa que ama a aviação tem no sangue a necessidade de voar; vai fazendo o que tiver pela frente pra ser piloto
    muitos só fazem 15 hs em aeroclube no curso de pp, e completam o restante na aeronave de alguem com um piloto assinando as horas, com Inva, e assim por diante, até voando de graça como co piloto e pagando hotel do proprio bolso ate virar comando

    tem que ser dificil mesmo, se não ia ter pilotos em numero como formigas, fui “badeco” em aviação agricola mais que 6 safras, no sol quente de 40 graus vestido com epi e cheirando veneno e correndo risco abastecendo sempre com o avião com motor ligado,pois ou obedecia ou caia fora

    ai aparece comentarios de pobres que querem se tornar pilotos sem esforço algum, sem sacrificio algum
    tem que ser dificil mesmo, e acho pouco.

    aviação é pra quem tem ela no sangue, e não pra pessoas que só visam dinheiro.

    por isso é que hj há profissionais em varias areas cometendo erros e tirando vidas , pois ingressam na profissão sem paixão, apenas pelo dinheiro.

    um recado: “se querem moleza, vao fazer uma faculdade financiada pelo Fies ou algo parecido”

    o pior não é o rico arrogante, pois pra ser arrogante ele tem dineiro, o pior é o pobre que quer ser piloto sem ralar… que quer ficar na sombra, trabalhar no ar condicionado, não quer levantar madrugada, e não quer fazer nada braçal e sabe que é pobre e quer ser piloto…. isso é o fim do mundo

    não há nada de mais em ser pobre e querer ser piloto, mas há em ser pobre e orgulhoso.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Não concordo com tudo o que vc falou, mas é uma opinião respeitável. (E, em essência, correta).

    • Cristiano Pereira
      5 anos ago

      Mt bem Rambo, concordo com vc em boa parte da sua logica. Eu sou APAIXONADO pela aviação, tenho simuladores, aos finais de semana vou para aeroclubes ficar deslumbrando os outros terem instruções, etc… Sou mais um que nao tem possibilidades financeiras de pagar um curso de PP, quanto mais PC. Mas a minha força de vontade me obriga a entrar em blogs exelentes como este aqui e pesquisar alguma forma de ingressar no meio da aviação.
      Se algum dia conseguir pelo menos concluir o PP, esse dia será uns dos melhores da minha vida!!! Melhor seria se eu tiver a oportunidade que vc teve, ser piloto agricola, coisa que nem todos conseguem, acho q vc teve um previlegio, não vejo como “ralar” ou “dificuldades”, dificuldade seria se vc tivesse q pagar d seu proprio bolso as horas necessarias para ingressar no PC!! Que existem pilotos visando apenas valores, isso concordo sim que é uma grande verdade, certo?! Mas nao vamos por ai, pois existem pessoas como EU que visam valores sim, mas valores para a formação. Como ficaria eu se pagasse todo esse valor para PP e dps nao conseguir prosseguir? Dividas? Desespero? A nao ser que apareça um “biscate” de piloto agricola… Seria EXELENTE!!!!!!! aproveitando, se souber algo do tipo, poxa camarada, honre os pilotos como eu e como vc, APAIXONADOS pela aviaçao, e poste aqui!! Seria uma honra pilotar na “roça”!!!
      Grande abraço a vc Rambo e parabens pelo comentario.
      Um abraço maior ainda para o grande Raul Marinho, pois esse post foi e é mt útil, pelo menos para mim! Obrigado Raul, continue assim, parabens!!!!
      Att.
      Cristiano Pereira

      • Edson Mitsuya
        5 anos ago

        Oi Cristiano…..lí seus comentários e hoje já é possível em nossa faculdade (só aqui na ITE – Bauru/SP) incluir até 180 horas de voo no FIES. Caso tenha outras dúvidas entre em contato conosco http://www.ite.edu.br (14) 2107-5057

    • Paula
      5 anos ago

      Muito bom comentário!
      Concordo.

    • Luis Ferreira
      5 anos ago

      amigão concordo com oque você disse mais tem muitos filhinhos de papai que fazem o curso de pp e pc e começam a trabalham em órgãos do governo oque é uma mera desvantagem pra quem cursou um ensino publico mas também descordo de muitos que entra na profissão apenas pra dizer que é um piloto de helicóptero pra se engrandecer em cima dos outro assim como já ouvi falar de quem tem muito dinheiro e ser quer consegue passa na banca da anac pois esta muito dificílimo ainda mais agora a partir do dia 22 de julho que passou a valer a nova lei que você não mais poderá fazer ate 16 horas antes só com os exames em maos agora é necessário primeiro o curso de pp apos aprovaçao na banca da anac e se passa em 2 faz tudo de novo se passar em 3 só faz oq reprovou pois são 5 matérias e você foi modesto demais nos valores pois já se chegam a 100 mil reais ou mais devido aos mais altos padrões de cursos exigidos pra se começar a trabalha em campinas sai em torno de 800 reais a hora de voo e dependendo do que a empresa exigir você tem que fazer no minimo 150 horas de voo porque com 110 ele não contratam você tem que se tornar instrutor pra começar a ganhar hora e muitas vezes trabalha ate de graça ate cumpri um numero de horas agradável as empresas minimas de aviação
      iniciei meu curso de pp recente se souber onde tem aulas de helicóptero mais em conta que 800 reais a hora e puder me comunicar porque aqui só tem a helimaxi e é muito caro as aulas grato atenção

      • Alisson
        5 anos ago

        Quero muito fazer o PPA, mas ainda nao tenho condições, pois estou terminando a faculdade, quem sabe ano que vem. Andei pesquisando os cursos e valores da regiao onde moro, oeste do Parana, as horas de vôo mais baratas para aviao sai apartir de R$ 290,00 em Toledo – PR, já para asas rotativa o lugar mais proximo foi em Francisco Beltrao – PR, as horas de vôo sai por R$ 680,00.

    • mario
      5 anos ago

      concordo plenamente com seu comentario rambo, pois assim como POUCOS estou disposto a fazer de tudo para conquistar meus abjetivos na aviação, dormiria na rua se fosse preciso! até porque sei de minhas dificuldades, pago aluguel, ajudo com as despesas em casa e moro sozinho com minha mãe..
      mas isso não é barreira,
      -Dificil….? com certesa! -Impossivel…? Talvez! Desistir…? NUMCAA!!
      tambem procuro um financiamento para realizar meu sonho, mas isso nao significa que eu queira alguma molesa!
      quero apenas que meu sonho seja realizado a tempo… pois prefiro me lamentar por nao ter conseguido do que, por nao ter tentado conseguir!

  8. Lucas
    6 anos ago

    Desistam de tentar ser pilotos, porque só quem tem dinheiro para pagar o curso vai se dar bem…
    Depois de acabar o curso você nem vai ter garantias de arranjar um Emprego na área de aviação.
    Vá estudar para um concurso público e tente se estabilizar na vida, quando você tiver uns 28-30 anos estabilizado e com condições ai sim você tentar ser piloto porque de contrário você só vai ficar devendo e falido.
    Empresa nenhuma contrata pessoas com apenas 150 horas de voo, no mínimo tem que ser umas 500 horas e tem que saber falar pelo menos uns 2 idiomas.

    OBS: Tente ser comissário de bordo que será bem melhor investido o dinheiro

    • Paula
      5 anos ago

      Hahaha achei muito engraçado seu comentário na parte sobre tentar ser piloto com 28-30 anos. Quem trabalha com aviação sabe que é muito mais difícil uma pessoa com essa idade ingressar como piloto numa linha aérea. As empresas hoje em dia dão muito mais preferência para 21-24 anos. Outra coisa: a azul contrata alunos recém formados com apenas as 150 horas obrigatórias. E… não é preciso falar 2 idiomas, apenas é preciso ter ICAO 4, e é por isso que muitos problemas hoje em dia acontecem por causa do desentendimento na fonia.

  9. Thalyson Ramos
    6 anos ago

    Boas Cmte td bem?
    venho rapidamente neste email para pedir uma breve esplicaçao sobre seu post no canal piloto de algum tempo atras sobre a falta de dinheiro para bancar o cursso e as horas, pois bem voce citou a opçao de se tornar comissario para juntar dinheiro e falou (se entendi bem) sobre ser comissario e fazer um cursso (cujo me esqueci o nome) a noite, gostaria de saber se isso e possivel uma vez que assim como os Pilotos os comissarios tambem tem uma escala “carregada”
    desde ja agradeço
    Desculpe-me pela falta de pontuaçao (teclado estragado :( .rs)
    Boa noite

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      O nome do curso é “curso de comissário de voo” mesmo, não tem mistério. QTo ao problema da escala, não entendi sua dúvida.

  10. Roberto Costa Junior
    6 anos ago

    Raul, voce disse algo bem interessante aqui nos comentarios: “A melhor opção para quem tem recursos limitados seria vc fazer o seu PC mono-visual e checar com 140h (que foi o que eu fiz, por sinal), e daí para a frente batalhar um esquema como o “primeiro emprego” da EJ, onde eles te pagam o INVA e, em troca, vc se compromete a trabalhar pelo menos um ano para eles.”

    Pensando neste esquema, minha duvida é a seguinte: Se eu tiro o PC aqui em Minas, eu tenho chance de obter esse “acordo” e trabalhar como instrutor na EJ?
    Agradeço desde jah e lhe dou os parabens pelo blog, jah tirei muitas duvidas aqui!!!

  11. Luciano Cavalcante
    6 anos ago

    Muito boa essa sua colocação “auto-explicativa” Raul… Estou na luta sozinho para concluir o meu PP, tentando fazer Horas de Voo e tá difícil… As vezes me desanima pensar em continuar e galgar meu sonho de ser PC em breve…. Se já tá dificil agora e só são 40 horas imagina o PC que tem que ser no mínimo 150 horas para tirar o brevê? sem falar que a hora de PC é 04 vezes mais cara (no mínimo) que a de PP aqui na minha região… Realmente faltam linhas de crédito no mercado que possa atender pessoas comuns como eu que aspiram ser pilotos um dia… Infelizmente no Brasil só é possível se tornar piloto se o aspirante tiver um bom “padrinho” que possa bancar este alto investimento sem retorno garantido para o investidor… Bem colocado esse seu post. Me mantenha informado amigo. Abraço, Luciano.

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Luciano,

      Infelizmente, a realidade é isso mesmo: a formação aeronáutica é cara e não existem incentivos, bolsas, financiamentos subsidiados, nada disso. A melhor opção para quem tem recursos limitados seria vc fazer o seu PC mono-visual e checar com 140h (que foi o que eu fiz, por sinal), e daí para a frente batalhar um esquema como o “primeiro emprego” da EJ, onde eles te pagam o INVA e, em troca, vc se compromete a trabalhar pelo menos um ano para eles. Mas, mesmo assim, vc teria que dispor de pelo menos uns R$25mil, após o cheque de PP.
      Na notícia de que o Santander iria financiar as horas de voo para quem está cursando Ciências Aeronáuticas na PUC-RS, saiu uma nota dizendo que o banco iria financiar as horas de voo também para quem não é da PUC, com juros de 3%a.m. e prazo de 60 meses. Se vc achar interessante, investigue isso no Santander.

    • Edson Mitsuya
      5 anos ago

      Oi Luciano……hoje é possível voce fazer o curso de Bacharel em Ciências Aeronáuticas na ITE em Bauru/SP e utilizar o FIES para até 180 horas de voo. (14) 2107-5032

  12. bruno dante sampaio
    6 anos ago

    muito excelente!
    Grato!

  13. Rio patricks jnr
    6 anos ago

    Olá,
    Meu Saudações em nome do senhor Eu sou o Sr. Rio patricks jnr. (CEO)
    Rio companhia de empréstimo patricks. Estamos governo aprovado e certificado de empréstimo
    credor Nossa empresa faz empréstimos que variam de oferecer empréstimos pessoais para industrial
    às pessoas interessadas ou empresas que estão buscando ajuda financeira em um
    as taxas de juro negociáveis ​​como Oportunidade de 3% para limpar o seu departamento, iniciar ou
    impulsionar o seu negócio com um empréstimo da nossa empresa empréstimo é dada em
    Libras (R $), dólar ($) e euro (€) Portanto, aplicar para um empréstimo agora pessoas interessadas
    deve entrar em contato conosco através do email: riopatricksloanpalace@gmail.com

  14. EDER REIS
    6 anos ago

    fantástico cara! muito obrigado pelas dicas!

  15. Richard
    6 anos ago

    Toca Raul!

Deixe uma resposta