PC-IFR MLTE ICAO-4+ PLAt JetTr CA 1500h

By: Author Raul MarinhoPosted on
786Views25

Para entrar numa companhia aérea, o currículo do título deste post é o ideal. Não que você precise ter, obrigatoriamente, todos os itens – algumas empresas pedem um conjunto deles, outras pedem outros conjuntos, e determinados itens não são obrigatórios (são “diferenciais” ou “desejáveis”) -, mas quanto mais itens você tiver no seu currículo, mais opções de emprego você vai ter. Neste post, vamos explorar esse currículo em forma de METAR, muito comum no meio aeronáutico.

Para entender como funciona o currículo aeronáutico, vamos destrinchar esse código: PCIFR MLTE ICAO-4+ PLAt JetTr CA 1500h

1)PC-IFR

Nenhuma empresa vai dispensar este item. Todo candidato a emprego de piloto numa companhia aérea tem que ter a licença de PC e a habilitação de voo por instrumentos (IFR) válida. Isso não é negociável, normalmente. O máximo que pode acontecer é eles contratarem alguém com o IFR vencido, mas a companhia vai pegar no pé do piloto para ele revalidar sua habilitação de IFR o quanto antes.

2)MLTE

A habilitação para voar aeronaves multimotoras terrestres é requisito básico para a maioria das companhias, muito embora não seja necessário ter MLTE para pilotar aeronaves da aviação comercial. Um Boeing (qualquer um), um Airbus (todos), um Embraer (dos que estão em produção atualmente, 100%), um ATR, um Let-410…, são todas aeronaves quer requerem habilitação de TIPO, não de classe. Mesmo assim, as companhias costumam exigir o MLTE porque elas querem saber se o candidato possui o conhecimento mínimo para voar aviões com mais de um motor, mais sofisticados, apenas isso. Por isso, uma habilitação de TIPO de aeronave multimotora (ex. King Air) também vale, e muitas consideram válida a experiência em aeronaves TIPO monomotora (ex. Pilatus), e até experiência em aeronaves classe MNTE mais sofisticadas, como o Caravan, pode ser suficiente. Mas, de qualquer maneira, é altamente recomendável que se tenha o MLTe para se candidatar a uma vaga na aviação comercial.

3)ICAo-4+

Algumas companhias exigem certificação ICAO na carteira para a contratação, outras realizam seus próprios testes (e se o candidato tiver um inglês compatível com o ICAO-4+, tudo bem), e existe ainda o caso da TAM, que aceita contratar pilotos com “potencial para ICAO-4”, ou seja, ICAO-3. Mas o fato é que: I)Sempre vai pegar muitíssimo bem ter a certificação ICAO, e se for 6 ou 5, melhor ainda; e II)Cada vez mais, o inglês será exigência obrigatória para entrar numa companhia aérea. Eu diria que as chances de contratação para quem tem ICAO-4+ aumentam em 50%, no mínimo.

4)PLAt

Ter sido aprovado na banca on-line de PLA é uma exigência de algumas companhias, não a maioria. Outras contratam sem o CCT de PLA, mas dão um prazo para o sujeito apresentar a aprovação, senão ele não pode ir para o simulador. E tem as que simplesmente não pedem nada em relalção a nisso – até que chega a hora da promoção para comando, aí é num Deus-nos-acuda. Mas, de qualquer maneira, obter o CCT de PLA não é difícil, é barato, e sempre vai pegar bem. Então… Por que não fazer essa prova logo de uma vez?

5)JetTr

Atualmente, somente a Azul pede o Jet Trainer como requisito obrigatório para os candidatos – e, mesmo assim, só se o piloto não possuir experiência em linha aérea regular ou táxi aéreo. No mais, o Jet é dispensável, mesmo que sempre pegue bem. De qualquer maneira, o preço do curso caiu bastante, e pelo valor cobrado atualmente (na EJ, R$3mil em 6X), eu acho que vale a pena.

6)CA

Ter o curso superior em Ciências Aeronáuticas (CA) não é requisito obrigatório para nenhuma companhia atualmente. No máximo, pode reduzir os requisitos de experiência (horas de voo), o que também é o caso de quem tem qualquer outro curso de nível superior (pode ser até de Biblioteconomia). Sim, vai pegar bem ter CA no currículo, pode ser um “diferencial”, mas convenhamos… Estudar 3 anos e pagar um dinheirão em mensalidades só para ter um “diferencial” não me parece um ótimo negócio. Ah, e mais um detalhe: existem empresas (na verdade, que eu saiba, só a Avianca fez isso durante um período) que solicitam “curso superior em exatas”. O interessante é que um amigo meu engenheiro me disse que recusaram o diploma dele porque consideram que Engenharia não é curso de “exatas”, mas “tecnológico”. Vai entender…

7)1500h

A experiência é o item mais variável dentre os requisitos das companhias aéreas. Eu coloquei 1500 horas de voo porque este é o maior requisito que eu vi nos últimos tempos (foi da TAM, para candidatos sem nível superior, mas já faz tempo – hoje em dia está em 1200h), mas a maioria requer por volta de 500h, sendo que a Azul requer somente os mínimos para seus candidatos (mas é a mais exigente nos outros requisitos). Muitas companhias reduzem à metade os requisitos de horas de voo para quem tem nível superior (em CA ou não), e em termos de horas totais, tanto faz se você as voou todas de Paulistinha no mato ou de Cirrus na TMA-SP.

25 comments

  1. arruda
    2 anos ago

    Obrigado Raul Marinho. Ótimos conselhos.

  2. Gabriel Gueiros
    4 anos ago

    ” Estudar 3 anos e pagar um dinheirão em mensalidades só para ter um “diferencial” não me parece um ótimo negocio. ”

    Cara me perdoe mas o que você falou foi uma grande merda. “Diferencial”? Meu amigo, você terá um diploma de ENSINO SUPERIOR, que vai lhe abrir muuuuuuitas portas, como PODER FAZER concurso público, lecionar, e ter não um simples diferencial, mas um graaaaande diferencial em relação aos outros para ser admitido em qualquer área da aviação, seja controlador de voo, piloto, e tudo mais que for permitido. Tive um seminário com grandes nomes da aviação como Ozires Silva (apenas fundador e ex presidente da Embraer, ex presidente da Varig, ex presidente da petrobras, ex ministro do Estado e infraestrutura), cmte Castro e cmte Fernando (ambos com muita experiência e com um vasto currículo na TAM). O que eles disseram? “As empresas aéreas não querem mais pilotos. Elas querem administradores, que não saibam só apenas pilotar (horas de voo), mas o mais importante: saber gerir uma aeronave (curso de C.A.), e todo o processo complexo que a envolve (operações de terra, comissários, manutenção, meteorologia, pessoal do check in etc)”. Eles disseram que no avião nós estamos trabalhando numa empresa, já que há todo um processo para gerir por trás do avião (o que acabei de escrever). E para chegar nesse nível, lógico que é necessário ter horas de voo, mas o que vai diferenciar mesmo é o curso superior de Ciências Aeronáuticas. E o próprio Ozires disse: logo mais o curso superior será uma obrigação, pois no futuro o mercado estará exigente quanto a qualificação (lembrando que Ozires é um cara pioneiro e visionário, não me parece um ótimo negócio desmerecer tais palavras de um dos caras mais importantes na aviação brasileira depois de Santos Dummont). Acho que os que não tem o curso superior não devem ficar de “recalque”, isso mesmo, no português alto e claro, e sim se preocupar em fazer tal curso superior antes que seja tarde.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Merda mesmo é a sua interpretação de texto, meu caro… Vc pega uma frase, colocada em um contexto específico, e distorce tudo o que eu escrevi neste blog sobre o assunto por quase três anos. Eu sou o primeiro a incentivar a educação em nível superior para pilotos! Mas desde que o curso seja feito em uma boa instituição, com o intuito de aprender, de evoluir intelectualmente. Porque, se for somente para ter um certificado que poderá contar pontos num processo seletivo, é melhor investir o tempo e o dinheiro em outra coisa: num curso na Flight Safety, numa certificação de TIPO, num curso do CENIPA, num inglês que permita um ICAO-5 ou 6, etc. Foi nesse sentido que eu escrevi que ”estudar 3 anos e pagar um dinheirão em mensalidades só para ter um ‘diferencial’ não me parece um ótimo negocio”.

      • fredfvm
        4 anos ago

        Não esquecendo de que o Ozires Silva teve todas essas posições não por competência própria, mas por estar muito ligado ao antigo regime de governo, o militar, e foi “indicado por QI”. Tenho um primo em 2º grau que ha vários anos vive na aba da política nacional, aliado ao mais alto poder no Brasil, mas puramente por causa do QI.

    • João Marcos
      4 anos ago

      Gabriel, com todo respeito mas esse curso de C. A. da PUC de Goiânia e lixo são a mesma coisa. Um curso com professores fracos e mal preparados, que a anos fazem promessa que terão simulador de voo, e com mensalidades que beiram 1.000 reais!! Anos atrás tive a opção de fazer o curso em outra universidade mas fui na conversa do coordenador intitulado Cmte e me formei aí, foi o maior arrependimento da minha vida. Hoje formado com todas as carteiras vejo que C. A. tem um peso, porem inferior ao ICAO, a Jet training e horas de voo, essa conversa fiada do Cmte Fernando não é de hoje, acho meio obvio ele dizer para uma turma de C.A. que o curso é importante para as companhias, isso se chama propaganda ” Ah me esqueci que ele era professor do cuso anos atrás né mesmo?” rs.. Então não vá na conversa de todos, quando você formar a realidade será outra. Sobre o Ozires acredito que quando ele se refere a algum curso superior ser importante é algum de qualidade não o da PUC-GO, afinal ele é formado pela AFA com pós no ITA. O curso só é diferencial para prestar concursos, apenas isso, Boa sorte aí na faculdade e cuidado para não se iludir ainda mais em seminários! rs

      • Marcelo
        4 anos ago

        Esse Gabriel Gueiros só falou merda! O piloto pra conseguir gerir um avião (empresa) não precisa ser formado em Ciências Aeronáuticas, precisa é ter experiência em linha aérea, ter voado bastante, conhecer o sistema, a empresa, aprender os macetes da aviação, ser dedicado, ter padronização e principalmente ter HUMILDADE pra saber que é preciso aprender sempre. Você acha que quando formar no seu cursinho de ciências aeronáuticas vai conseguir mesmo comandar um airbus, boeing ? com umas 30 pessoas no solo sob supervisão? Esse curso não dá experiência de voo, só dá base teórica, e nos simuladores de voo não ensinam a lidar com comissários,mecânicos, rampa, com a empresa em sí, não te passo o “tato” que vc deve ter. Já voei com diversos copilotos com curso superior e outros sem, em nada se difere a qualidade deles, até digo que alguns ases das ciências aeronáuticas não conseguiram fazer procedimento no simulador da empresa e tomaram pau, então vejo que isso é relativo a cada piloto. Ah, sou formado em Ciências Aeronáuticas só pra ficar claro.

    • Raphael Resende
      3 anos ago

      Bom Gabriel,
      Praticamente eu nunca comentos os post, pois sinceramente não me vejo a melhor pessoa para comentar certas coisas. Primeiramente, meu nome é Raphael Resende, nesse momento estou terminando o meu PC, e estou no sexto semestre do curso de Ciências Aeronáuticas da PUC/RS.
      Ao me interessar pela aviação, eu tinha 25 anos, quase terminando outra faculdade, vim ao Rio Grande do Sul e tomei ciência do curso por um ex- Variguiano, ou como queira ex-comandante da Varig, e me interessei pelo o que eu vi. Eu acho fundamental que o piloto tenha um nível superior, primeiramente em benefício pessoal e no caso da carreira, com você mesmo havia citado o fato de o cara ter um leque maior, até mesmo se por ventura se perca o CMA, se tem para onde correr. Há exatos três meses estava conversando com um Cmtde da TAM que já foi comando da transbrasil e da Varig, e o mesmo me disse que ele não vê a faculdade uma coisa tão fundamental para o ingresso em uma CIA , segundo o mesmo é fundamental para aqueles que desejam ter alguma outra função dentro na empresa. Mas eu acho que acima de tudo aquele que quer ingressar na aviação e se dá bem tem que ter respeito pelas demais pessoas, colegas de cabine e de solo ( CRM). A maneira que você chegou expondo sua opinião com o Raul, foi de um tremenda falta de educação, se você tivesse tido o trabalho de ler mais post relacionado ao assunto, verá que ele sempre se posicionou favorável ao piloto que queira fazer uma faculdade.

  3. Ylton Guarnieri
    4 anos ago

    Parabéns pelo Blog, assuntos e dicas bem interessantes!!
    Abraços

  4. Roberto Gabriel
    4 anos ago

    Quero apenas agradecer as palavras, dicas e a este blog. Tenho 42 anos, apenas 210 horas em aeroclubes, pc ifr inva e acabei de passar na banca de pla. Falta-me muito… horas, jet tr , multi , icao 4, curso superior, QI….enfim, pouca chance. Mas apesar de procurar uma oportunidade há
    uns treze anos, ainda tenho esperança, e este blog pode fazer a diferença, pois a esperança e fé não podem acabar.

  5. Henrique Luiz Mayer Nunes
    4 anos ago

    Boa Marinho! Mais uma vez um post bastante explicativo para aqueles que buscam um lugar na aviação comercial. Abraço!

  6. Ana Felipe
    5 anos ago

    Adorei ter encontrado este blog. As dicas são valiosissimas e super verdadeiras. Acredito que a idade pesa sim, como alguns colegas comentaram, mas que é muito pessoal, pois nada que o preenchimento dos demais requisitos não superem a idade. Sempre dentro da realidade, tem muita gente se formando em CA na PUC-RS, que tem todos os requisitos acima e juventude. Infelizmente no Brasil, ter mais de 40 anos ainda gera preconceito nos RHs. Acrescento ainda o peso, muitas vezes, definitivo das indicações. Quem tem QI, tem mais facilidade de encontrar trabalho, em qq área. Acredito, acima de tudo, que o pensamento e a atitude positiva de quem escolheu uma profissão por amor, não apenas pela promessa de uma boa remuneração, a auto estima e a confiança em si mesmo, além é claro da humildade, sempre vão fazer a diferença. Abs e parabéns pelo blog! Sucesso pra todos nós, futuros colegas! Ana – estudante PC

  7. Cmte. Galdino
    6 anos ago

    Bom,
    Dei uma olhada no teu currículo, e ate bom, mas sinceramente tem muita teoria.
    Vc deveria ter no mínimo uma 1000 horas pra tentar concorrer a uma vaga em companhias aéreas

    E em resposta mais adequada aos colegas sonhadores acima, acho um risco muito alto, tentar começar do zero após os 43 ou mais…pois essa historia que esta faltando piloto e lorota…falta sim, gente qualificada e com os requisitos mínimos como foram descritos acima.
    Pois com certeza quem esta na aviação executiva hoje com suas 800 horas pra mais começam a ser escolhidos nas companhias, mas precisa algo mais, icao, e outros…
    Bom o que quero dizer e que estou a 2 anos na aviação e tenho 700 horas, com muita dificuldade, mudanças de cidades e outros perrenhos, sei que chego lá. Mas o fato e que tive que abrir mão de muitas coisas, como família. Se vcs estiveram preparados para se mudarem de seus lares, suas famílias, seus filhos e esposas, tudo bem.
    Pois conquistar 1200 horas não e fácil…
    Mas se conseguem abrir mão de certas coisas desejo sorte e sucesso!!!
    Mas com uma dose de realidade. Não pensem que estando com o pc/mult/Ifr vcs estão contratados, cade a experiência??? Enfim…
    Desculpem a sinceridade banhada de um pouco de realidade, mas a vida e um risco!

    Apenas estou querendo dizer que após alguns anos voando na executiva ou na particular e que estarão preparados para uma companhia aérea.

    .

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Do alto das suas 700h conquistadas em 2 anos de aviação, o sr se dá o direito de incluir o tratamento de “Comandante” na sua assinatura!? Ora, “Cmte. Galdino”, vá cuidar da sua vida, que do meu currículo e do meu blog cuido eu.
      Existem duas formas de se destacar na multidão. A melhor é cuidar do próprio crescimento; e a outra, tentar diminuir os demais. Recomendo ao sr tentar a 1a opção.

      • Rafael
        6 anos ago

        Cmte. Galdino, não te conheço, mas pelo pouco que demonstrou, talvez a sua dificuldade em se arrumar na aviação, seja pela sua arrogância. Para sua informação tenho pouco mais de 400 horas e estou empregado em uma companhia aérea, a saber a Trip. Para constar também, não tenho ICAO, nem outro diferencial que estão falando, mas tenho humildade, interesse e vontade de aprender. Fica um “toque”, de um futuro colega de trabalho, abaixe a bola, que alias, não esta tão alta da forma que você pensa. Sucesso na caminhada irmão.

      • Ana Felipe
        4 anos ago

        Oi Marinho
        Também não sei se este rapaz Cmte Galdino está de todo errado.
        Acredito sim que a posição dele reflita um dos lados da realidade na nossa profissão.
        O que muda é que, como outro colega escreveu que entrou na Trip com poucas horas e sem ICAO, é que este colega vive outro lado da profissão. Talvez tenha estado no lugar certo na hora certa, enfim, conheças “a pessoa certa”…
        Afinal, quantos médicos, advogados e outros profissionais jamais obtêm o que almejam em suas carreiras?
        E sempre ouvimos dizer que faltam médicos no Brasil, por exemplo.
        Quanto a idade, pesa sim… A maioria dos contratados nas empresas são pessoas JOVENS.
        Ainda assim, acredito que quem tem potencial, sempre garante seu lugar ao sol.

        Boa sorte pra nós!!!!

  8. Fred Mesquita
    6 anos ago

    Adicionando como resposta a esse tópico mas também como complementação à experiência exigida para uma companhia aérea, pessoas com idade acima dos 40 anos que desejam uma vaga na aviação comercial hoje se torna muito mais difícil uma vaga. Por experiência própria, tenho hoje 43 anos de idade, quase 3.000 horas de voo PC/Multi/IFR checado e experiências de voos em várias regiões do Brasil. Faço parte da minoria excluída para a seleção numa companhia aérea pois para quem está com idade acima dos 40 anos, além das exigência acima, o candidato também deve ter o PLA checado e habilitação em aeronaves turbohélices e/ou jatos, o que não é o meu caso. Tenho alguns amigos com mais de 40 que já estão em treinamento na comercial, outros já voando, todos contratados recentemente mas que já possuiam, além da minha experiência cima citada, as carteiras de Jato e curso superior de qualquer coisa. Também estou encontrando muitas dificuldades em voar na aviação executiva ou particular pois por motivos pessoais, precisei passar um bom tempo afastado da aviação (uns 5 anos) e desde que voltei, ha uns 3 anos, não tenho encontrado nenhuma facilidade para voar regularmente para rever toda a minha experiência de voo. Conclusão: até para quem tem experiência a coisa está difícil. Estou em busca de maiores qualificações mas nessa idade tudo fica muito mais difícil. Não estou sendo pessimista, mas apenas sendo realista.

  9. Carlos Eduardo M. Damasceno
    6 anos ago

    Olá Raul, gostaria de comentar o tópico de Ciências Aeronáuticas, acredito que apesar de não ser obrigatório e pegar bem, caso um imprevisto aconteça na sua vida, você consegue atuar em outras áreas da Aviação, então se você não puder mais pilotar, você pode assumir um cargo administrativo, por exemplo, em uma empresa de Aviação.

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Carlos,

      Eu concordo com vc, mas nesse caso, seria ainda melhor fazer um curso não-específico, como Administração, Direito ou Engenharia, vc não acha? Uma vez que vc quer se resguardar do risco de uma crise na aviação, fazer CA não vai mitigar esse risco.

  10. José Carlos
    6 anos ago

    Olá, Raul! Eu gostaria de saber se você tem idéia ou dados do aumento de procura pelo curso de piloto entre os maiores de 40 anos, nesse momento promissor da aviação nacional, tendo em vista que muitos de nós abandonamos esse sonho por vários motivos e hoje eu vejo muitos retornando aos aeroclubes em busca da realização de seus sonhos o que eu acho maravilhoso. Um abraço.

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Jose Carlos,

      Nao possuo dados estatísticos para te passar, mas o fato e que tenho visto muita gente de cabelo branco (ou sem) nos aeroclubes….

      • Alessandro
        6 anos ago

        Estou nessa também!!

      • EDER REIS
        6 anos ago

        olá Raul, é uma satisfação muito grande participar pela primeira vez do teu blog! tenho certeza de que tem ajudado não só a mim, mas a muitos aspirantes a planejar com muito mais seriedade os estudos e a tão sonhada carreira de piloto!

        continuando o papo sobre a idade, acabei de completar 29 anos, tenho tido essa preocupação: se não der nenhum imprevisto no ccf, começo agora em janeiro as horas pra PP.. se eu não me atrasar para me formar em pc, me formando digamos em uns 2 anos, o que vc acha das minhas chances na linha aerea

        pretendo nesses 2 anos ter fechado pc – ifr multi – icao

        obrigado pelas dicas,
        grande abraço

        • Raul Marinho
          6 anos ago

          Em principio, muito boas. Mas vamos ver como a coisa está em 2014/15…

        • Fred Mesquita
          6 anos ago

          Mês passado eu renovei meu CCF (agora é CMA) no HARF e junto comigo tinha um comandante de Jato com 68 anos renovando e deu tudo bem com ele. Se for por idade, aí está um bom exemplo. Boa sorte aos quarentões como eu, kkkkkk…..

Deixe uma resposta