Matéria do iG sobre aviação

By: Author Raul MarinhoPosted on
361Views4

Vejam essa matéria do iG. Comento em seguida.

.

.

Aéreas temem escassez de pilotos para novos aviões

Apenas planos de expansão de frota de Gol, TAM e Azul contemplam 107 novas aeronaves até 2014, que demandarão cerca de mil pilotos

Marina Gazzoni, iG São Paulo | 13/05/2010 05:30

[Link para a notícia no site do iG] http://economia.ig.com.br/empresas/comercioservicos/aereas-temem-escassez-de-pilotos-para-novos-avioes/n1237617836350.html

O descompasso entre o ritmo de crescimento do mercado brasileiro de aviação e a velocidade de formação de pilotos preocupa as companhias aéreas e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O temor é que faltem profissionais para pilotar as novas aeronaves que reforçarão a frota das empresas nos próximos anos. O setor aéreo ensaia uma reação, com incentivos a treinamentos, mas esbarra em um número reduzido de interessados.

Apenas os planos de expansão de TAM, Gol e Azul contemplam pelo menos mais 107 aeronaves em operação até 2014. Hoje, a frota das três companhias aéreas soma 305 unidades. Cada aeronave nova requer a contratação de seis a dez pilotos, segundo o diretor técnico do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), Ronaldo Jenkins. De acordo com as estimativas, serão necessários cerca de mil pilotos para operar apenas as novas aeronaves das três companhias aéreas nos próximos cinco anos. “A necessidade é muito maior. As empresas também precisam repor os profissionais que se aposentam ou deixam o emprego por outros motivos”, afirma Jenkins.

O número de licenças emitidas para pilotos é pequeno se comparado à demanda por transporte aéreo, que cresceu 35% nas rotas domésticas no primeiro trimestre de 2010, de acordo com a Anac. Em todo o ano passado, apenas 258 licenças para pilotos de linhas aéreas foram concedidas. “Hoje não há carência de mão de obra, mas, com esse crescimento no setor, temos que nos preocupar com o médio prazo”, afirma Jenkins.

O custo elevado para a formação e o pagamento de salários menos atrativos nesta década diminui o interesse dos jovens pela profissão de piloto, afirma Graziela Baggio, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, entidade que representa pilotos e comissários de bordo. O investimento em cursos teóricos e práticos para a formação de pilotos varia de R$ 100 mil a 150 mil, segundo estimativas de especialistas, mas o salário inicial é de R$ 3 mil a R$ 5 mil. Para pilotos mais experientes, remuneração chega a R$ 20 mil.

“Ninguém mais fica rico como piloto”, afirma Enio Dexheimer, professor do curso de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS e ex-comandante da Varig. Os salários da categoria encolheram com o excesso de oferta de mão de obra provocado pela falência de grandes empresas nos últimos 20 anos, como Vasp, Varig e Transbrasil. E os custos de formação aumentaram. “Na década de 60, um salário mínimo comprava mais de dez horas de voo nos aeroclubes. Hoje, compra no máximo duas”, diz Dexheimer.

Por falta de empregos ou para receber melhores salários, muitos pilotos foram para o exterior trabalhar nas companhias internacionais. A estimativa de especialistas consultados pelo iG é que cerca de 500 pilotos brasileiros voam em empresas estrangeiras. O contrário não pode acontecer. Mesmo com as aéreas internacionais em crise, o Brasil não pode aproveitar estes profissionais, porque a legislação do setor proíbe a contratação de estrangeiros, com raras exceções.

Voltei

Bem… A matéria tem pontos positivos, como a afirmação do Cmte Jenkins, do SNA, sobre a falácia do “apagão de pilotos”, a estimativa mais realista dos salários iniciais na aviação, etc. Mas tem cada barbaridade que pelamordedeus, hein! Vamos a elas:

  • A ANAC está preocupada com “o descompasso entre o ritmo de crescimento do mercado brasileiro de aviação e a velocidade de formação de pilotos”!!!??? Deve ser por isso que eles estão levando 6 meses para analisar um cheque, né? Sem pilotos habilitados, não tem avião voando, e assim eles combatem o crescimento excessivo da aviação. Só pode…
  • “Número reduzido de interessados” em seguir a carreira de piloto? E os cursos de PP e PC nos aeroclubes, que estão lotados, significam o quê? O pessoal tá lá só para paquerar as alunas do curso de comissária? (Se bem que eu conheci muita gente que estava lá só para isso mesmo…).
  • R$100-150mil para formação aeronáutica também não, né? Deixa por R$70-80mil, que eu passo sem recibo…

4 comments

  1. Jose Rocha
    6 anos ago

    Não sei onde isso vai parar. Eles conhecem a realidade. É um jogo de interesses para manipular a mídia e formar a opnião dos nossos amados políticos que sempre estão atentos à tudo que esta acontecendo no Brasil (lembram que o CQC fez uma pesquisa perguntando no senado o que significava ENEM? Dentre algumas pérolas saiu até que seria um plano de reforma agrária se não me engano). Com isso o mercado vai estar cheio de estrangeiros e nós que estamos investindo nosso rico dinheirinho em formação vamos ficar a ver navios, literalmente.

  2. Andy
    6 anos ago

    Concordo com tudo que o Fred Mesquita escreveu! Até os últimos dias de funcionamento dos Seracs agente no máximo esperava 5 dias úteis para a revalidação de qualquer CHT. Hoje são 50 dias úteis com sorte e ainda faltam pilotos nas Cias. Acho também que faltam associações ou sindicatos mais fortes para representar nossa categoria nos órgãos políticos……
    Que venham os estrangeiros mesmo.

    • Fred Mesquita
      6 anos ago

      E tenho quase a mais absoluta certeza de que os estrangeiros terão tratamento VIP por parte da ANAC e nós continuaremos na mesmice…

      O que hoje vivemos na ANAC, e nos mais diversos setores do governo é um descaso total e falta de responsabilidade, algo bem parecido com um regime de governo autoritário.

  3. Fred Mesquita
    6 anos ago

    Lembro muito bem quando houve uma época em que as empresas aéreas começaram a criar um movimento nacional através de rádio e TV para que fosse criada uma agência de controle da aviação civil brasileira feita por civis e não mais por militares da FAB. Foi exatamente como está sendo hoje com essa onda de boatos de que está faltando pilotos. A grande massa da população brasileira pegou carona e pediu ao Congresso Nacional para a mudanças urgentes no DAC para um novo órgão feito por civis. A idéia era que a aviação civil iria ser muito mais ágil e rápida em suas ações. Eles conseguiram: foi criada a ANAC. Hoje temos o que temos e ninguém fala nada publicamente. Agora voltou a boataria novamente e só poderemos esperar coisas ruins…
    Que venham os pilotos estrangeiros.

Deixe uma resposta