Sobre o “silêncio dos bons [aviadores]”

By: Author Raul MarinhoPosted on
233Views10

Atribui-se a Martin Luther King uma frase de valor inquestionável: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”. É exata! É sob o silêncio cúmplice dos decentes que alguns dos maiores crimes acabam sendo perpetrados. Um texto do pastor Niemöller, que cometeu o equívoco de ser simpatizante do nazismo no começo do movimento — e veio a se tornar seu adversário radical, tanto que foi parar num campo de concentração —, expressa esse mesmo valor. É muito citado, mas, com certa freqüência, atribui-se a autoria a Maiakovski ou a Brecht.

“Um dia, vieram e levaram meu vizinho, que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho, que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei. No terceiro dia, vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram. Já não havia mais ninguém para reclamar.”

.

.

O texto acima vem de um post do blog do Reinaldo Azevedo, e trata de um outro assunto. Mas eu acho que tem muito a ver com a aviação. Por quê?

Desde que eu comecei a escrever sobre o “apagão de pilotos” aqui no blog, comecei a receber mensagens me alertando sobre o perigo desse tipo de atitude. Segundo esses avisos, eu estaria me expondo excessivamente, pois existiria uma “lista negra” das companhias aéreas, e essa minha atitude subversiva (!?) iria me prejudicar no futuro. Por isso, eu deveria ficar quietinho, e deixasse que os estrangeiros chegassem, o MPL chegasse,o aumento da jornada de trabalho chegasse, enfim… Que eu ficasse na minha, pois reclamar seria pior. Agora, um amigo, editor de outro blog de aviação, e que também tem criticado estes mesmos assuntos, me diz que também tem recebido os mesmos avisos. Será que a gente deve parar com isso?

Como parece óbvio, eu não vou me calar. Primeiro, porque não é da minha personalidade (feliz ou infelizmente). Já me dei muito mal por isso, mas quando me sinto intimidado, eu tendo a ficar mais agressivo, e começo a defender meus pontos de vista com mais veemência ainda. Deve ser por causa dos meus genes espanhóis… Segundo, porque eu acho que essa lista não existe. Duvido que o sr. Grant, da TAM, esteja preocupado comigo. Será que, agora, ele está lá no seu escritório com um caderninho aberto, anotando o meu nome? Não me dou tanta importância assim… Terceiro, porque mesmo que costurem o meu nome na boca do sapo da aviação comercial, ainda me resta toda a aviação geral, que para mim já está mais do que bom. E, se querem saber, acho que minha postura poderá me ajudar mais do que atrapalhar neste segmento da aviação. E quarto, por incrível que pareça, eu estou agindo a favor das companhias aéreas, não contra! Meu blog tem estimulado muita gente a entrar para aviação, que é a favor delas. Minha posição contrária à entrada de tripulantes estrangeiros é a favor delas no longo prazo, como já deixei claro aqui. Ser contra o PL-434 é a favor da segurança aérea, logo é a favor das companhias. Em resumo, eu estou aqui defendendo as companhias aéreas delas mesmas! Se quiserem me punir por isso, lamento: é inócuo. Eu não tenho emprego na aviação comercial, logo não estou perdendo nada.

10 comments

  1. Jose Rocha
    5 anos ago

    Eu concordo em quase tudo, exceto que os estrangeiros voltarão às suas nações mãe depois de estabilizados no Brasil, que é o preocupante. Todo brasileiro (forma de dizer) quer ir embora assim como todo estrangeiro quer ficar aqui. Não sei se alguém concorda mas é como vejo no momento.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Pela proposta de alteração do CBA, o tripulante estrangeiro poderá ficar no máximo 5 anos no pais.

      • Jose Rocha
        5 anos ago

        Isso não pode ser extendido? Isso me preocupa muito e me faz pensar a longo prazo… O que será da turma que, como eu, vai começar ou está começando agora?

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          Pela proposta, não. E quanto ao futuro… De acordo com as profecias Maias, nada adianta mesmo… ;-)

  2. Patricia
    5 anos ago

    Também não acredito que seu nome esteja em alguma lista negra…talvez, no máximo, vc se torne um nome conhecido para quem está no ramo…uma espécie de fama “boca a boca”. Espero que essa sua fama no ramo se dê pelos bons motivos, de estar a favor das companhias e de todos envolvidos! Sua atitude é uma atitude nobre…quisera houvesse desabafos como esses em todos segmentos da sociedade.

  3. Fred Mesquita
    5 anos ago

    Não duvido da existência dessa lista negra ou algo parecido já que também há outro item muito conhecido por todos nós, mas proibido pelo Ministério do Trabalho, que é o de não convidar candidatos a uma vaga na empresa que tenham o nome sujo no SPC/SERASA.

    Faço minha as palavras do Raul Marinho quando ele fala, “Eu estou aqui defendendo as companhias aéreas delas mesmas! Se quiserem me punir por isso, lamento: é inócuo. Não tenho emprego na aviação comercial, logo não estou perdendo nada.”

  4. Thiago Henrique
    5 anos ago

    Se está errado, tem mesmo é que ser apontado. Pelo bem de todos, não só de pilotos, como todo mundo envolvido nesta área, direta ou indiretamente. E se a aviação comercial não quiser “esses pilotos” que apontam os erros, como você disse ainda resta a aviação geral. Eu apoio totalmente esta causa. E não devemos nos calar por pressão dos “maiores”. O medo deles na verdade, é que a massa entenda o que realmente é verdade, e deixe de acreditar no que é dito no Jornal Nacional.

Deixe uma resposta