Um bom debate – e uma boa pergunta

By: Author Raul MarinhoPosted on
301Views3

Ocorreu ontem, na GloboNews, um painel sobre segurança aérea, com a participação do Cmte. Adalberto “Na Verdade” Bogsan, Vice-Presidente Técnico da Gol; do Ten.Brig. Ramon Borges Cardoso, Diretor-Geral do DECEA; e do Cmte. Rodrigo Duarte, Presidente da ABRAPHE – o apresentador foi o William Waack, ele mesmo piloto de avião. A primeira parte do debate está aqui, e a segunda, aqui. Assista e volte para ler meus comentários.

Embora o debate gire em torno da segurança aérea, da infra-estrutura aeroportuária, etc., note que, na primeira parte do debate, o representante da Gol entra no assunto da formação aeronáutica, dizendo que “o problema não está no treinamento oferecido pelas empresas aéreas, mas o que ocorre nas escolas de aviação”.

Ora, sr. Bogsan, se o sr. reconhece isso, e acha que esse problema influi na segurança da operação de sua empresa, eu pergunto: O que a Gol está fazendo pela formação aeronáutica do Brasil? Por que é fácil reclamar; quero ver resolver o problema.

3 comments

  1. Fred Mesquita
    6 anos ago

    A meu ver o debate foi correspondido e os entrevistados, cada um em sua área de atuação, responderam satisfatoriamente o assunto abordado. Só ao representante dos pilotos de helicópteros que deixou um pouco a desejar por que passou uma falsa idéia de que helicóptero pode pousar em qualquer lugar, e na prática sabemos que não é assim. Outro fato é que nota-se bem que cada um defende seus ideais individualizando-se num canto da parede, mas que no fundo da coisa, todos devem ser unidos. Também há a nítida impressão de que todos sabem qual é o verdadeiro problema da questão – GOVERNO FEDERAL – mas que todos nem ousam em falar algo a respeito. Quanto ao Sr. Bogsan está correto em sua afirmação e a ele ou à empresa GOL, em nada tem ha ver com a formação aeronáutica brasileira. A responsabilidade do nível da formação aeronáutica no Brasil é do Governo Brasileiro – ANAC – e não das empresas aéreas. Na época do DAC havia diversas maneiras de auxílio à aviação tais como, subsídios aos alunos na horas de voo, redução dos impostos à gasolina das escolas de aviação, reaparelhamento dos aeroclubes, bonificações e redução de várias taxas aeroportuárias, importação de equipamentos, simuladores, etc, etc… e naquela época não se falava de falta de apoio ao ensino básico e avançado doado aos aeroclubes brasileiros, pois as verbas vinham da FAB diretamente do governo federal, mas hoje já não acontece o mesmo, a torneira está fechada por parte da ANAC e Governo Federal, os principais e únicos responsáveis pelo baixo nível e escasses de mão de obra qualificada.

  2. Lieberti
    6 anos ago

    Agora e fácil reclamar porque não viram isso logo, pois deixar os aeroclubes na miséria como deixaram é fácil, e agora querem que de uma hora pra outra todos atinjam um nível de excelência, nada cresce assim do nada, e empresas e a ANAC fazendo pouco caso dificulta ainda mais, sinceramente não sei o que esse povo pensa, se não fosse o tal “apagão de pilotos” que tanto falam e a maior divulgação na mídia sobre aviação mais e mais aeroclubes continuariam fechado as portas, como muitos já fecharam o que sobrou ta super lotado.

Deixe uma resposta