Acidentes em alta, análise em baixa

By: Author Raul MarinhoPosted on
262Views3

O portal UOL publica hoje uma matéria entitulada “Número de acidentes aéreos no país cresce 41% em 2011 e bate recorde da década“, sobre o número absurdo de acidentes aeronáuticos do ano passado.  Dado o que ocorreu nos primeiros meses deste ano, acho que 2012 inclusive vai haver novo recorde… Bem, que a segurança aérea no Brasil está passando por um mau momento, não há dúvida. Isso é péssimo, lógico! Mas uma das possíveis causas apontada pelo “especialista” entrevistado pelo UOL, Guido César Carim Júnior – coordenador do Departamento de Treinamento de Voo da Faculdade de Ciências Aeronáuticas da PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul – foi completamente infeliz. Veja este trecho da reportagem:

De acordo com Carim Júnior, hoje, em vez de realizar um voo de verificação com um funcionário da Anac, um aluno que quer sua licença de piloto comercial realiza o voo com um avaliador da própria escola ou aeroclube. “Como saber se realmente ele está apto?”

Bem… Então, caro “especialista”, diga quantos acidentes ocorreram com pilotos recentemente checados, avaliados por checadores de aeroclube, neste universo de acidentes de 2011? Ou a maioria dos acidentes ocorreu com pilotos antigos, da época dos checadores militares do DAC? Então, eu poderia dizer, com base nos fatos, que os checadores militares é que são o vilão da segurança aérea, mas isso também não procede. Nem o atual método de avaliação, com checadores “terceirizados” dos aeroclubes, nem a sistemática antiga, dos checadores militares do DAC, explicam os acidentes de 2011. Não sou especialista no assunto, mas a causa não está aí.

O problema é que essa opinião irresponsável pode acabar por estimular a ANAC a voltar ao sistema antigo, o que iria novamente atravancar o processo de formação aeronáutica no Brasil. Daí minha crítica ao infeliz depoimento do “especialista”.

3 comments

  1. Rogerio
    5 anos ago

    A minha critica diz respeito a toda a imprenssa, que diz simplesmente que os acidentes aereos aumentaram em mais de 40%. Nós que estamos sempre por dentro dos acontecimentos aeronauticos, quando vimos alguma noticia de algum acidente, sabemos ter uma ideia do possa ter acontecido, vendo ao tipo de aeronave, idade do piloto, se era “macaco velho” ou não, enfim, temos uma noção do que possa ter acontecido. Mas quando paramos em frente a uma banca de jornal e vemos os leigos dizerem “ta vendo, é por isso que eu não ando mais de avião”, dá vontade de explicar tudo pra pessoa, ja que a imprensa diz o que quer e não o que tem de ser dito, para as pessoas entenderem o que são estes 40% de aumento.

  2. Guilherme Guimarães
    5 anos ago

    Conheço muito pouco a respeito…
    Mas ao que parece, esse depoimento é só um álibi pra preparar terreno e voltar ao sistema antigo de aprovação.

  3. Fred Mesquita
    5 anos ago

    Tudo que acontece de ruim na aviação de hoje em dia eles culpam quem está começando mas esquecem os principal culpado de tudo isso, o Governo Federal e a ANAC.

Deixe uma resposta