ASPxEJ +INVA + Diamond…

By: Author Raul MarinhoPosted on
650Views12

Recebi uns e-mails de um leitor, o Guilherme Rodrigues Guimarães, com uma série de dúvidas, que achei melhor responder por meio de um post exclusivo, já que são questionamentos que podem ser de muito interesse para os demais. Então, vamos lá.

Primeiro, ele me escreve o seguinte:

(…)

Estou em dúvida entre a EJ e o ASP. O ASP é mais próximo de casa, mais barato e ao que me pareceu está com uma ótima padronização de ensino nas aulas práticas.

A EJ, dispensa comentários em estrutura e padronização. Mas o preço deles é bem elevado.

Agora vai a dúvida principal…

Terei que fazer o INVA para virar instrutor e acumular horas, já recebendo. Existe alguma influência no avião que você faz o PP para o que você irá fazer o INVA, ou seja, se fizer o PP inteiro no Cherokee, o PC no Cherokee (a parte possível), o INVA eu terei que fazer o Cherokee ou posso trocar de avião ?

Pergunto isso pois já penso em relação à demanda de alunos por determinado avião, o que garantirá uma quantidade boa de horas voadas como instrutor.

E além disso, eles tem como opção (inclusive para o PP) um avião que chama Dimond, já ouviu falar ? Ele é utilizado para IFR pois tem o G1000, mas o preço é só 20 reais a mais por hora do que o Cherokee.

Cherokee 344 e o Dimond 364.

(…)

Depois, ele complementa com o seguinte:

(…)

A única coisa que decidi é que será em uma das duas [ASP ou EJ]. Acredito que você deva abordar esse assunto lá, mas é mesmo verdade o mito de que no ASP você demora mais para checar porque sempre perde tempo taxiando ou o tempo a mais é irrelevante e vale a pena pelo contato com rádio desde o início ?

Confesso que não procurei se você fala algo do Diamond DA20 no blog, mas acredito que sim!

(…)

Bem, vamos lá, Guilherme:

Em primeiro lugar, eu não me restringiria ao ASP e à EJ na sua pesquisa. No entorno de São Paulo, existem pelo menos mais duas opções bem interessantes a considerar: os Aeroclubes de Jundiaí-AJ e de Bragança-AB. Estas duas instituições são igualmente sérias, e vale a pena você considerá-las como alternativas para o curso prático.

De qualquer maneira, eu não voei em nenhum dos dois, por isso não tenho condições de lhe dar uma opinião mais balizada sobre o AJ e o AB. Não é o caso do ASP e da EJ, pois eu voei e fiz simulador nos dois, fiz os cursos teóricos no ASP, o Jet Training na EJ, enfim: conheço as duas instituições muito bem. Por isso, eu recomendo que você leia este post aqui, onde eu comparo as duas instiruições ponto a ponto, o que acredito poderá lhe ajudar bastante na sua decisão.

Quanto ao INVA, a questão é muito mais complicada… Vamos ver se eu consigo resumi-la:

-Para ser instrutor, é fundamental que você tenha experiência em avião com trem de pouso convencional (ex.: AeroBoero, Paulistinha), pois a maioria dos aeroclubes possui este tipo de aeronave no acervo. Todavia, com as regras atuais, nada impede que você voe quase tudo no Cherokee e somente faça uma adaptação no Boero, por exemplo.

-O RBHA-61 está na iminência de ser substituído pelo RBAC-61, e neste novo regulamento, deverá haver muitas mudanças sobre a habilitação de INVA. Uma delas, é a exigência de determinada experiência em determinado modelo de avião para poder dar instrução. Por exemplo: quem voa C-152 dá instrução em C-152, Cherokee em Cherokee, etc. Com isso, quando você se especializa num modelo de avião, você já vai se direcionar para um determinado aeroclube.

-Outra coisa que você precisa saber sobre o novo RBAC-61, é que há a perspectiva de que os INVAs tenham que ter um mínimo de 200h em comando para poder checar. Como normalmente se termina o PC com umas 80-90h em comando, isso significa que você terá que voar mais umas 120h em comando para poder dar instrução, tornando-se INVA lá pelas 300h de experiência. Veja mais sobre isso aqui.

-Em épocas “normais”, o mais comum é que os aeroclubes contratem os INVAs formados na casa: quem voou no ASP vai dar instrução no ASP, quem voou no AB dará instrução no AB, e assim por diante. Hoje em dia, essa regrinha está meio fora de moda, pois há uma falta aguda de instrutores no mercado, e as escolas/aeroclubes pegam o que tiver, independente da origem. PORÉM, o ASP continua bem seletivo, e se você quiser ser INVA lá, é muito recomendável que você voe todo o seu PP, PC e INVA lá mesmo.

Sobre o Diamond do ASP, é o seguinte. Que eu saiba, só o ASP tem o modelo, por isso nunca havia falado sobre ele aqui. Eu nunca voei neste avião, mas me parece que ele não está homologado para IFR ainda. E, com certeza, não é G1000.  Vale a pena voar nele? Bem, eu se fosse você faria umas horas no modelo, acho interessante diversificar.

Finalmente, sobre demorar muito para checar no ASP, é o seguinte. Quem realiza instrução em aeroporto movimentado e em centro urbano, como o Campo de Marte, realmente “perde” muito tempo no táxi e no deslocamento até a área de treinamento. Com isso, realmente demora mais tempo para checar o PP, mas no fim das contas, checa-se o PC no mesmo prazo, pois acaba “sobrando” horas no final. E, voando em Marte, você fica muito mais proficiente em voar em locais complexos e congestionados, então acho que vale a pena.

12 comments

  1. Augusto Gentile
    5 anos ago

    Senhores, aqui em Porto Alegre existem dois Diamond´s, o DA20 e o DA42NG. O 42NG é G1000, homologado instrução multi ifr e o DA20 é G500, homologado ifr mono.

  2. Sander Ruscigno
    6 anos ago

    Olha, não posso falar do Diamond do ASP, mas o Diamond que eu conheço, ainda que não tenha voado nele, é sim G1000.

    Abraço!

  3. Guilherme Guimarães
    6 anos ago

    Raul, muito obrigado pelo esclarecimento das dúvidas.

    O post http://paraserpiloto.wordpress.com/2011/05/12/asp-x-ej/ já ajudou muito!!

    Sobre o RBAC-61, muito bem colocado! Eu não tinha nem idéia de que isso estava para acontece.
    E já que pela data que irei começar a parte prática e o tempo que a ANAC já vem ensaiando colocá-lo em vigor, é bom eu já colocar isso nos planos. Provavelmente irei fazer meu INVA sob as novas condições.

    Apenas para constar aqui no post (já comentamos disso), o DA-20 do Aeroclube de São Paulo está homologado para INFR sob capota – Informação que peguei hoje com o pessoal da operação de vôo do ASP.

    Abs e obrigado!

    • Alessandro Zimmer
      6 anos ago

      Amigos, só para constar.. Já voei no Katana com motor IO-240 (DA-20 C1) quando fiz meu PP no Canada. Foi sem sombra de dúvida o melhor avião que já pilotei (não que conheça muitos), mas entre os C150, C152, C172, PA28/140 e 180, e alguns ultraleves que eu comandei (solo) este avião dá de 10 a 0. É completamente estável, muito rápido, flutua bastante (precisa se acostumar com isso), quase não estola, sai fácil de parafuso, tem uma visão de quase 360 graus inigualável, é totalmente elétrico (instrumentos, flaps, todos os trims, etc.) e tem sim glass cockpit da Garmin. Se pudesse compraria um para mim. Agora que sei que tem este trainer no Brasil vou procurar fazer mais horas nele com certeza! Abraço, Alessandro.

      • Edi carlos
        5 anos ago

        Boa noite Alessandro, você comentou que fez seu curso no Canada, eu estou aprocura de uma escola no estados unidos para terminar meu pc, mas tenho medo se ser um tiro no escuro, eu não conheço neguma escolar que alguem ja teria formado, se possivel me pasa o site dessa escola em que o Sr. se formou, um grande abraço E muto obrigado.

  4. André Marchezim
    6 anos ago

    Raul, sabe dizer alguma coisa sobre o aeroclube de Campinas ??

  5. Fred Mesquita
    6 anos ago

    Excelente post Raul. Muito bem explicado e totalmente direcionado a quem pretende se tornar um bom profissional. Vou dar só uma apimentada. Boa parte dos aeroclube da Região Nordestina há falta de instrutores. Por aqui, os aeroclubes estão se modernizando em estrutura técnica e em muitos deles já há como o instrutor morar internamente. Uma grande vantagem que temos é o tempo sempre aberto e baixo tráfego aéreo, o que faz com que o aproveitamento seja muito maior, não querendo desmerecer o ASP pois quem faz o curso neste aeroclube está preparado para voar em qualquer lugar de alto fluxo de aviões.

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Eu, se tivesse 20+ anos, iria voar aí com certeza! Aliás, com 23 eu fui morar em Fortaleza! Mas o cara tem emprego em S.Paulo, família aqui, aí a coisa começa a complicar…

    • Bom saber, Fred. Seu eu for mesmo tirar o INVA irei considerar essa possível oportunidade. :)

    • Calegari
      6 anos ago

      Caro Fred,

      Sabe me dizer se essa demanda por instrutores ai na Região Nordestina também se aplica a INVH´s.

      Att,

Deixe uma resposta