Atenção MPT: o problema é outro!

By: Author Raul MarinhoPosted on
297Views5

Informa o jornal Valor Econômico de hoje que “o procurador do Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal, Fábio Leal Cardoso, questiona a legalidade do programa de licença não remunerada para tripulantes da Gol Linhas Aéreas. Em entrevista ao Valor, Cardoso afirmou que pretende enviar uma representação à procuradora-chefe Ana Cláudia Rodrigues Bandeira Monteiro, até hoje, para que a questão seja analisada”. De acordo com a reportagem, cuja íntegra só está acessível a assinantes, a ilegalidade identificada pelo procurador foi a licença não remunerada, que não seria aplicável a este caso. Sim, é óbvio que esse papinho de “licença não remunerada” só existe para postergar (eventualmente, evitar) o pagamento das verbas rescisórias, mas isto é o menor dos problemas. O que o procurador precisa entender é que isso não passa de uma manobra para reduzir salários de tripulantes.

Dr. Cardoso, se o senhor se informar mais a fundo sobre as notícias da aviação, vai ver que algumas empresas estão em crescimento, enquanto outras estão se retraindo, num mercado que cresce em termos globais. Uma das que estão se retraindo é a Gol, que não está apresentando resultados financeiros satisfatórios, e que por isso está demitindo ou “licenciando” tripulantes. Bem, até aí nada de anormal, a economia é assim mesmo, uma montanha russa. Ocorre que, dentre as empresas que estão em crescimento no momento, inaugurando novas rotas, adquirindo novas aeronaves, etc, está uma que se chama Webjet – que se situa no segmento chamado de “low cost” no mercado. E para poder ser “low cost”, esta empresa pratica políticas salariais mais enxutas, ou seja: um tripulante da Webjet ganha menos, em média, que um tripulante da Gol. E o mais interessante disto tudo é que a Gol e a Webjet pertencem ao mesmo proprietário, olha só que coisa interessante!

Então, vejamos. Gol e Webjet são de um mesmo dono – logo, não são duas empresas distintas, mas duas marcas, dois logotipos distintos somente (aliás, existe até um terceiro logotipo, o da Varig, mas isso não vem ao caso agora). A Gol, que paga mais, está encolhendo e demitindo; enquanto que a Webjet, que paga menos, está crescendo e contratando; e isso tudo num mercado que está em crescimento. Será que, com essas informações, nós podemos concluir que o grupo Gol+Webjet está fazendo um movimento para reduzir os salários dos tripulantes? Ou seria maldade de nossa parte pensar que os acionistas do grupo Gol+Webjet estariam tentando burlar a legislação trabalhista com essa história toda?

Isso não significa, necessariamente, que o Cmte. Fulano, que ganha hoje R$X/mês na Gol, seja demitido para ser contratado no dia seguinte na Webjet por R$(X-Y)/mês. A administração do grupo Gol+Webjet não seria tão tola a ponto de deixar a manobra óbvia desta forma… O que vai acontecer é que, no decorrer do tempo, a Gol vai perdendo funcionários, e a Webjet ganhando – às vezes, as mesmas pessoas, às vezes, não –, de modo que, ao final de um determinado período, o que nós veremos é que a média salarial dos tripulantes do grupo Gol+Webjet fora sensivelmente reduzida. Não é preciso ser gênio para prever isso…

Por isso, sr. Procurador, sugiro que o sr. foque o ponto central do problema: trata-se de uma manobra para reduzir salários de tripulantes que está em andamento. O fato de haver um programa de licenciamento (também obviamente ilegal, aliás) é o que menos importa. Por que o sr. não propõe ao grupo Gol+Webjet um acordo de equiparação salarial dos tripulantes das duas empresas do grupo? Será que eles aceitam?

– x –

PS: Acabei de publicar este post, e encontro a seguinte notícia no site Business Travel:

A partir do próximo dia 25 de março, a Webjet começa a oferecer dez novos voos, aumentando também o número de voos ligando o Rio de Janeiro ao Sul do país. Do dia 25 em diante, a Webjet oferecerá novas viagens entre Ribeirão Preto e São Paulo/GRU, Brasília e Goiânia, Fortaleza e Recife, além de São Paulo/GRU e Natal. Já a Cidade Maravilhosa ficará mais perto de Porto Alegre e Florianópolis com novos voos diários e diretos. As operações estão sendo feitas com as novas aeronaves Boeing 737-800, que continuam chegando. Eles já estão sendo utilizados entre o Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Salvador, oferecendo aos passageiros um serviço cada vez mais eficiente.

CQD

-x-

Atualização de 24/03

Srs procuradores do MPT, se havia alguma dúvida sobre o verdadeiro problema da Gol, peço a gentileza de ler isto: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1066600-em-crise-financeira-gol-abre-programa-de-demissao-voluntaria.shtml

5 comments

  1. Fred Mesquita
    5 anos ago

    Eles estão conseguindo fazer o que pretendiam desde quando anunciaram o “apagão de pilotos”. Estão literalmente apagando qualquer chance de melhores condições de trabalho aos pilotos. Chegará uma época que será melhor virar motorista de caminhão. mais rentável.

  2. Gustavo
    5 anos ago

    Pelo visto a compra da Verdinha pela Laranja já começa a mostrar os pontos negativos, principalmente para funcionários da Gol e logo a todos que sonham um dia entrar na aviaçao, essas compras de companhias menores pelas maiores eu numca achei isso um bom negocio, até mesmo para o setor, só é bom para os novos empresários.

  3. “Como Queremos Demonstrar” foi boa hehehe

Deixe uma resposta