Jack, o investidor desapaixonado

By: Author Raul MarinhoPosted on
323Views3

Recebi um e-mail (com o texto copiado abaixo) de um leitor que chamarei aqui de Jid-“Jack, o investidor desapaixonado”, porque sua abordagem sobre a aviação não é focada na “paixão por voar”, e sim econômica. Os Jid’s costumam despertar a ira nos comentários do blog, pois muita gente os vê como oportunistas, ou pior, como “profanadores do altar de Santos Dumont” ou algo assim. Eu não os vejo desta forma, sinceramente.

Primeiro, porque não acho que a “paixão por voar” seja, por si só, um bom motivo para alguém se tornar piloto – haja vista meus comentários aqui. Na verdade, a “paixão por voar” pode até atrapalhar a carreira de piloto, uma vez que o apaixonado pode fazer qualquer coisa pelo seu objeto de desejo (no caso, voar), inclusive se prostituir no mercado de trabalho, prejudicando toda a categoria. Segundo, porque os Jid’s são, na realidade, desinformados quanto às questões econômicas da profissão de piloto. Se analisarem economicamente a questão quanto ao valor do “investimento” versus a “rentabilidade”, mais os “riscos associados” (de não conseguir emprego, de perder o CMA, etc.), eles irão perceber rapidamente que ser piloto é uma grande roubada em termos econômicos.

Mas vamos responder ao e-mail, que a gente fala mais sobre o assunto.

Diz o leitor:

Sempre desejei ser piloto, porém, acredito que em razão da minha idade (38), o mercado está um pouco afunilado.

Mas, a minha principal dúvida é: quanto gasterei para os cursos PP e PC, em média.

E para ser franco, vejo o setor aéreo nacional como um segmento muito volátil… e tenho receio de investir uma grana e não ter o retorno posteriormente.

Mas, digamos que eu consiga concluir o curso (pp e pc)  em + – 1 ano e meio; estaria contando com + – 150 hs de voo. Honestamente, pelo o que vc tem conhecimento vc acha que conseguiria emprego em alguma cia de taxi aéreo?

Bem… O mercado não está “afunilado” para você, aos 38 anos, não. Formando-se aos 40, como é sua expectativa, você estará apto a disputar qualquer vaga em qualquer emprego de piloto. A única exceção seria a TAM, que é mais restritiva quanto aos quarentões, mas a tendência é que mesmo ela afrouxe seus critérios. Na verdade, para a aviação executiva, sua idade é até positiva, como canso de falar aqui. Então, quanto à idade, fique tranquilo, isto não será problema para você.

Aliás, falando em assunto já abordado neste blog, o custo da formação aeronáutica é outra coisa que já cansei de explicar aqui. Se você quiser uma ideia aproximada, leia isso ; e se quiser fazer um orçamento “na pinta”, baixe essa planilha.

Sobre o setor aeronáutico ser muito volátil, você não poderia estar mais certo. E seu receio tem todo o fundamento. Não caia nesse papinho de “apagão de pilotos” que você se estrepa!

E, para finalizar, é o seguinte: honestamente, eu acho que você consegue um emprego num táxi aéreo após formado, sim – eventualmente, até uma colocação na comercial, dependendo dos humores da aviação no momento. Pode demorar um pouco, talvez você tenha que ralar por aí um tempo, dando instrução, voando de graça, etc, mas dá sim. A questão é outra: “vale a pena”?

Eu já te falei como fazer para saber o custo da formação; agora veja o valor aproximado dos ganhos de um piloto neste post aqui, e tire você mesmo suas conclusões, baseado no que você ganha hoje, no seu emprego atual. Verifique se haverá incremento de renda, e se houver, de quanto ele será. Eu não sei quanto você ganha hoje, mas se sua renda atual for suficiente para você juntar o dinheiro para pagar sua formação de piloto, acho difícil que essa conta feche – ou seja: em termos estritamente econômicos, não deve valer a pena investir o montante requerido para a formação aeronáutica para obter, em retorno, o eventual incremento de renda que a profissão de piloto poderá lhe proporcionar.

Agora, vejamos o peso que tem sua afirmação inicial – “sempre desejei ser piloto”. Quanto vale para você realizar esse desejo? Isso só você poderá responder…

3 comments

  1. Tá difícil
    4 anos ago

    A qualquer preço? Voaria por um prato de comida?

  2. Fred Mesquita
    6 anos ago

    O custo real para ser um piloto pode aumentar muito quando se vê, mais à frente, aqueles que sempre falam ser “apaixonados pela aviação” pois é esse que mais atrapalha quem quer batalhar um emprego na aviação. Como o post mesmo fala: “…a paixão por voar pode até atrapalhar a carreira de piloto, uma vez que o apaixonado pode fazer qualquer coisa pelo seu objeto de desejo (no caso, voar), inclusive se prostituir no mercado de trabalho, prejudicando toda a categoria – essa hoje em dia é o maior câncer na aviação – pessoas que entram no mercado sem respeitar quem já está nela.

  3. Eduardo Ruscalleda
    6 anos ago

    Para mim hoje ser piloto vale tudo! No começo tive preocupações salariais, de aptidão, capacidade e tudo o mais… Mas agora digo apenas que quero estar no ar, a qualquer preço!

Deixe uma resposta