“Como ser tornar um comandante” – Avião Revue

By: Author Raul MarinhoPosted on
1221Views16

Existe uma revista brasileira sobre aviação com o curioso nome de “Avião Revue” (um nome que não significa nada nem língua alguma), mas essa questão do nome é o de menos. O complicado mesmo são as matérias lá publicadas, em especial nesta última edição, que trouxe uma reportagem especial chamada “Como se tornar um comandante” (ok, comandante é cargo, não licença, mas vamos deixar isso prá lá).

Logo no primeiro parágrafo, como não poderia deixar de ser, a reportagem já afirma que “o mercado vivencia a falta de pilotos”, muito embora eles façam algumas ressalvas sobre os altos e baixos da aviação, etc e tal. Bem, mas não é isso o que quero comentar sobre reportagem aqui. Na verdade, a minha intenção é apontar os erros objetivos que a revista cometeu, e criticar a absoluta superficialidade da reportagem. Vamos começar com os erros:

1)Ao contrário do que a revista afirma, não é necessário ter 18 anos para iniciar a parte prática da instrução de PP. O aluno pode começar com 17 anos e, de acordo com o Manual do Curso de PP, solar somente após completar os 18 anos. Se a instrução for efetuada fora de curso homologado, o aluno poderia, inclusive, realizar toda a instrução com 17 anos, e somente checar com 18.

2)O curso prático de PP, se realizado em escola homologada, deve ter no mínimo 35 horas, e não 40 horas como a revista afirma.

3)O curso prático de PC não exige 110 horas. Na verdade, ele exige que o aluno tenha um total de 150 horas (menos as reduções eventualmente aplicáveis); então, a quantidade de horas do PC vai depender de quantas horas o aluno tinha ao terminar o PP e da modalidade a ser checada (com ou sem IFR e MLTE).

4)As 10 horas IFR do curso de PC somente seriam necessárias para quem fosse checar a carteira na modalidade visual, o que não é o mais comum. A reportagem não explica que, para checar PC/IFR são necessárias 40 horas de voo IFR (ou 30h, ou 20h, dependendo do simulador utilizado).

5)Não é verdade que “muitas empresas aéreas exigem o curso de Jet Training” (eles poderiam ter omitido a palavra “curso”, pois o “training” já dá esse sentido – é uma duplicidade análoga ao “sistema de entrega delivery”); na verdade, somenta a Azul exige o Jet atualmente.

6)Em vários trechos, a matéria fala sobre “aviação geral ou executiva”, quando na verdade a aviação executiva faz parte da aviação geral.

7)A certificação em inglês ICAO não é imprescindível para ingressar na aviação comercial (embora ajude muito); o fato que nem a TAM exige isso.

Mas o que mata mesmo a reportagem é a superficialidade. Fosse esta uma matéria publicada numa revista generalista (ex. Veja, IstoÉ, etc.), até poderia passar, mas nunca numa revista especializada. Não se fala nada sobre exame médico, por exemplo, nem sobre simulador. Seria necessário explicar melhor como obter a habilitação IFR, assim como a importância da faculdade, e muito mais.

Resumindo: na próxima vez, consulte este blog para não passar vergonha, Dona Avião Revue!

16 comments

  1. Jardel Leal
    2 anos ago

    Presados, sou novato na editora, mas sou da aviação a alguns 10 anos, minha vida é aviação experimental, então não ligo muito para os artigos para PP ou PC, escrevo a sessão de Experimental dentro d Avião & Piloto.. Também não sabia o que era Revue, mas segundo a direção, vem do francês “Review” e tem vários significados como entretenimento, avaliação, revisão, desenhos, esboços e no dicionário britânico, simplesmente REVISTA, ou seja, Avião Revue é igual Avião em Revista, ou Revista de Aviação… Sobre os artigos, estamos mudando todo o editorial e coisa novas vem por ai… Abraços e bons voos ao comandantes..

  2. Ygor Montenegro
    6 anos ago

    Caro Raul,

    Só tenho uma pequena dúvida(Não estou dizendo que o sr. está errado), mas se eu não me engano a revista se baseou no RBHA 61(Principalmente nos seus questionamentos 1 e 2), subpartes C e B. Caso não tenha, disponibilizo o link: http://www2.anac.gov.br/biblioteca/rbha/rbha61.pdf

    Repito, não estou dizendo que o sr. está errado, só estou tentando repassar o que eu li.

    Abraços!

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Negativo. Leia o RBHA-61 com atenção, que vc vai ver que o que afirmei está coerente com o texto do regulamento. Reafirmo que a reportagem da revista está errada.

      • Ygor Montenegro
        6 anos ago

        Perfeitamente,
        Diz que pode começar o curso com menos de 18, mediante a autorização do responsável. E checar apenas com 18. Me equivoquei, peço desculpas!

        Abraços!

  3. Tapa de luva merecido rsrs

  4. Ronaldo Braga
    6 anos ago

    Eu entendi bem, ou a TAM não exige o ICAO? Então que dizer que se a pessoa não tiver o ICAO mas tiver aqueles 1200+ pts ela será contratada?

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Na verdade, se o candidato satisfizer aos 1200pts sem ICAO, ele vai ter que passar por uma avaliação interna, e só poderá ser contratado se avaliado como equivalente ao ICAO-3 ou mais.

      Enviado via iPad

  5. Rodrigo Cardoso Ramos
    6 anos ago

    Só me faltava falar que teria que ser feita a banca do extinto DAC. hahahaha
    É uma vergonha depender de revistas que se dizem especializadas no setor,sendo que a especialização e comprovada apenas em ludibriar as pessoas com falsas informações que não de tão difícil acesso.
    Ler o RBHA 61( Requisitos para concessão de licenças para pilotos e instrutores de vôo ) e RBAC 67 ( Requisitos para Concessão CMA) para um leigo seria muito mais em conta do que ficar expondo a um imagem que por sinal não tem mais nada pra preservar.

  6. Rodrigo Souza
    6 anos ago

    Comprei essa revista hoje por coincidência, por uma lado achei que apesar da superficialidade de alguns temas abrange vários assuntos ligados a este meio, o que para quem está começando é bom. Por outro lado não pode conter informações erradas principalmente quanto ao inicio da carreira.

    O que me espantou foi o excesso de erros na escrita. Diversas palavras estão em espanhol e outras escritas erradas.

  7. Fred Mesquita
    6 anos ago

    É espantoso a falta de conhecimentos dos autores que fazem essa revista. Simplesmente são os curiosos que chutam a matéria sem ao menos terem a responsabilidade da verdade. Bom, pelo menos nessa edição ensina como ser um comandante mas não explica de quê, se é de navio, de um quartel ou de um avião… ruim mesmo essa revistosaura.
    Marinho, só um adendo ao 3º ítem que fala do curso prático de PC. Na verdade são 150 horas mínimas se for totalmente feito em aeroclube ou 200 horas mínimas se for voado em avião particular (curso de PP em aeroclube + as horas de um monomotor particular totalizando as 200 horas). Poucas pessoas sabem disso e temo que muitos desistam pensando só poder ser feito o curso em aeroclube, o que não é verdade, mas aeroclube nenhum fala isso.

  8. Humberto Rodrigues
    6 anos ago

    Falta de profissionalismo! Já não chega a Aeromagazine que nunca entrega a revista no período prometido aos assinantes que têm de ficar pedindo “pelo amor de Deus” todo mês para receber a revista que lhe é de direito por ter pago antecipadamente contratando o serviço de “Assinatura Anual”, as alternativas que teríamos estão aquém em termos de conteúdo. Ruim demais. O nível de cultura no Brasil caiu em todos os setores desse país. Na aviação não seria diferente, afinal, se o Presidente da República se vangloriava de não saber ler nem precisar ter estudado, vamos esperar o que do resto?

    • Vanderlei
      6 anos ago

      Presidente da República se vangloriava de não saber ler nem precisar ter estudado
      Pô…não fala mal do cara não, o bicho era foda…matou a pau os sabidões e diplomados na eleiçao kkk,

      • Raul Marinho
        6 anos ago

        Bem… Não quero transformar este blog num lugar para discussões políticas, razão pela qual aviso que comentários deste tipo serão delegados doravante. Mas não custa lembrar que o Lula perdeu 2 eleições no 1o turno para o “sabichão e diplomado” FHC. Reconheço que “o bicho é Foda”, talvez uma das maiores inteligências políticas que passou pelo Brasil até hoje. Já quanto à ética, deixa muito a desejar, vide o mensalão. E o mal que o Lula fez ao Brasil, via estimulo à ignorância e o desdém que ele tem da educação, foi uma das piores coisas que aconteceram ao pais em todos os tempos. O PIB crescer um pouco mais ou um pouco menos, isso desaparece em pouco tempo. Mas retroceder na ética e na educação, é o que vai nos condenar ao 3o mundo para sempre.

        • Leonardo
          4 anos ago

          Acho que inteligência política é um tanto forçado se tratando de Lula. Eu diria que ele tá mais pra oportunista paciente do que pra inteligência. Opinião!

  9. Guilherme Guimarães
    6 anos ago

    Boa Raul!
    É vergonhoso uma resvista que se diz especializada em um determinado assunto não conseguir informar o BÁSICO do BÁSICO para seus leitores.
    Cada uma que aparece….

    abraços

Deixe uma resposta