FAQ da e-CIV

By: Author Raul MarinhoPosted on
510Views7

No site do cmte Sérgio Koch (o “Asas do Conhecimento“), eu achei um FAQ bem completo sobre a e-CIV (CIV digital), originário do site da ABRAPHE-Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero, que vale a pena replicar aqui (segue abaixo).

A propósito, no site do cmte Koch também existe um guia completo sobre como ocorrem os principais tipos de cheque na aviação – o que, considerando que o autor é, ele próprio, checador da ANAC, faz do guia um documento indispensável para quem está em via de checar.

FAQ da e-CIV

Dúvida: Devo lançar toda a minha CIV de papel nesse sistema?

Resposta: Nesse primeiro momento não. Porém, incentivamos esse procedimento para que no futuro possam ser realizadas avaliações de experiências de forma mais ágil. Está previsto também que brevemente as empresas de Táxi-Aéreo e Linhas Aéreas só poderão contratar pilotos que contenham toda sua experiência inserida no sistema.

Dúvida: Como utilizar esse sistema para comprovar minha experiência recente para cheque e recheque?

Resposta: Ao realizar seu Login, efetue o lançamento da experiência recente exigida nas normas aeronáuticas. Isso já será suficiente para o pedido do serviço requerido.

Dúvida: Se eu lançar voos recentes, como ficarão os voos passados?

Resposta: O sistema se organiza automaticamente, portanto, a ordem como os voos são lançados não é importante. Não há problemas em se lançar voos de forma aleatória e fora de data.

Dúvida: Efetuei um lançamento errado, posso corrigir?

Resposta: Já há formas de se corrigir ou excluir linhas incorretas. Porém, as mesmas jamais poderão ser utilizadas para processos de cheque e re-cheque sob pena de cancelamento do mesmo e aplicação das medidas penais cabíveis.

Dúvida: No lançamento das horas na CIV eletronica , os voos lançados como navegação e instrumento estão programados para somatória sendo assim, apenas é possível lançar ou navegação ou IFR. Por que?

Resposta: O sistema considera navegação apenas como “navegação visual”. Voos IFR são considerados como navegação por si só.

Dúvida: Preciso declarar na CIV digital todas as horas que possuo na CIV em papel?

Resposta: Não neste momento. Você pode declarar todas as horas que possui, porém precisará declarar apenas as horas pertinentes a licença que solicita. Por exemplo: para solicitar licença de piloto privado, é preciso ter declarado no mínimo 35 horas segundo o RBHA 61.

Dúvida: Para pedir um recheque ou uma inclusão de habilitação, tenho que declarar na CIV digital todas as horas da CIV em papel?

Resposta: Não, apenas aquelas de “experiência recente” (vôos realizados nos últimos 120 dias) ou as que foram realizadas durante a instrução.

Dúvida: Posso registrar vôos feitos em aeronave de matrícula estrangeira?

Resposta: Não é possível porque o Brasil não regula horas feitas em aeronaves de outros países. A convalidação é possível, contudo depende de iniciativa da autoridade estrangeira. Para isso, no momento do envio do seu processo, envie em anexo a declaração da autoridade estrangeira.

Dúvida: Posso registrar horas como co-piloto (duplo comando) para aeronaves homologadas para um só piloto (tais como helicópteros mono, BH06, H350)?

Resposta: Não, apenas o piloto em comando pode contar essas horas para fins de registro. Caso tenha sido um voo de instrução, o aluno deve registrar como “piloto em instrução” e o instrutor como “instrutor”.

Dúvida: Como eu lanço “duplo comando”?

Resposta: Não é possível fazer este tipo de lançamento. Caso tenha sido um voo de instrução, lance suas horas como “piloto em instrução” ou como “instrutor”.

Dúvida: Como eu faço a transformação de decimal para minutos? Devo seguir a tabela?

Resposta: Cada décimo de hora anotado na CIV equivale a 6 minutos. Portanto, 0,1 são 6 minutos, 0,2 são 12 minutos e assim por diante.

Dúvida: Posso parar de lançar minhas horas na CIV em papel?

Resposta: Não, o documento oficial para registro de voo é a CIV, as declarações online são constantemente auditadas e em caso de adversidades o piloto pode ser intimado a apresentar a CIV, diário de bordo e documento contendo as assinaturas dos proprietários das aeronaves.

Dúvida: O lançamento está retornando a mensagem “soma de horas incorreta”. O que devo fazer?

Resposta: Perceba que, no campo “navegação”, deve ser lançada apenas a navegação visual, portanto o tempo de navegação mais o tempo de IFR ou o tempo de navegação mais o tempo de “sob capota” não pode ser maior que o tempo total do voo.

Dúvida: Não consigo lançar IFR e SOB CAPOTA num mesmo vôo. Qual o problema?

Resposta: IFR e SOB CAPOTA são realizados em aeronaves diferentes, aeronaves homologadas para vôos IFR não voam sob capota e vice versa.

Dúvida: Por que não consigo efetuar o lançamento de navegação em vôos IFR?

Resposta: O Campo navegação conta como visual apenas, os vôos instrumento real e sob capota deve ser registrado separadamente.

Dúvida: Como lançar vôos em duplo comando considerando que a aeronave voada é single-pilot?

Resposta: Não lance. Apesar de o senhor poder voar, se estiver habilitado, ocupando a posição do co-piloto essas horas não contam para fins de licença e habilitação.

Dúvida: Como lançar vôos que contém ambas as regras IFR e VFR?

Resposta: Lance o tempo VFR em “navegação” e IFR em “instrumento real”.

Dúvida: Como lançar o treinamento IFR com arremetidas e novos procedimentos num mesmo aeroporto? Exemplo: Treinamento IFR em SBSJ com 03 aproximações IFR e arremetida nos mínimos.

Resposta: Não é preciso lançar, se quiser especifique isso no campo “observações”.

Dúvida: Como lançar vôos em que a decolagem e o pouso são em condições VFR e também para aeródromos exclusivamente VFR (como por exemplo entre helipontos) e a fase de cruzeiro é IFR?

Resposta: Lance o tempo de IFR em instrumento real e o tempo de VFR em navegação.

Dúvida: Para pilotos que somente voaram em Táxi Aéreo, ou seja, não possuem lançamentos em CIV, como deverão efetuar os lançamentos?

Resposta: Horas de 135 ou 121 devem ser apresentadas através de declaração da empresa, com firma reconhecida.

Dúvida: Não é possível lançar na CIV Digital zero pousos. Acontece que diferentemente do avião o mecânico de manutenção aeronáutica não pode acionar o Helicóptero, somente um piloto habilitado naquele equipamento e com a validade de sua CHT e CMA em dia pode acionar. Como lançar uma lavagem de compressor ,por exemplo ,já que não se efetua pousos nesses acionamentos porém entendo que a aeronave já está “em vôo” pois já possuem forças aerodinâmicas para se sustentar embora esteja em solo?

Resposta: Não lança, a CIV é feita para lançamentos de vôos realizados. A lavagem do compressor não é considerado como um voo para fins de licença e habilitação.

Dúvida: Caso a intenção de vôo seja sobrevôo no aeródromo de destino ou por motivos adversos não consegui pousar tendo que retroceder ao aeródromo de partida ou proceder para o aeródromo de alternativa , como devo lançar?

Resposta: Lance a perna de ida com 1 pouso e especifique sobrevôo no campo observações , na perna de volta lance normalmente , caso pouso na alternativa especifique no campo observações porém lance o tempo que foi voado.

Dúvida: Devo lançar piloto em comando quando desejo licença de co-piloto ou vice versa? Em caso de lançamento de horas para revalidação com validade vencida, esta difere de revalidação com validade em dia para lançamento?

Resposta: Deve lançar a função que exerceu. Se sua CHT estava vencida lance em instrução.

Dúvida: Possuo a licença de MMA e estou cadastrado no SACI com código ANAC Estou fazendo o curso de PP. Ao tentar lançar as horas de vôo na CIV digital me deparei com o seguinte problema, o sistema não permite o meu acesso à CIV digital e exibi a mensagem: “Atenção! Você não foi identificado como um aeronauta por nossos sistemas. Para acessar esta funcionalidade você deve estar cadastrado como Aeronauta. Entre em contato com a ANAC para atualizar seu cadastro.”como devo proceder?

Resposta: envie um e-mail para gpel@anac.gov.br relatando o seu caso e solicitando acesso para aeronauta.

Dúvida: Preciso checar meu PLH ou PLA e já possuo os requisitos para isso. Inclusive em taxi aéreo onde possuo declaração de horas voadas e já sou checado IFRH. Com todos esses requisitos ainda precisarei preencher as últimas 1000/1500 horas voadas na CIV digital? As carteiras que já possuo não demonstram a experiência que possuo?

Resposta: Todas as horas de 91 só são aceitas via CIV digital. Se possuir horas de TPX (taxi aéreo) e não precisa de todas as horas 91 dele basta comprovar em declaração da empresa as horas que possui .Por exemplo, tem 1000 horas de co-piloto em táxi aéreo (contam 500 horas totais portanto) ele só precisaria lançar mais 500 em CIV digital provenientes da 91.

7 comments

  1. Caro Raul,
    Estava navegando pelo blog e eis que me deparo com mais um provável problema, ou talvez não.
    O fato é que como disse tempos atrás estou retomando a aviação, estou em vias de rechecar o PP e partir para o PC, já tenho 215 horas.
    E é ai, que lendo os procedimentos de cheque encontrei os seguintes dizeres:
    Como lançar vôos em duplo comando considerando que a aeronave voada é single-pilot?
    Resposta: Não lance. Apesar de o senhor poder voar, se estiver habilitado, ocupando a posição do co-piloto essas horas não contam para fins de licença e habilitação.
    Dúvida: Posso registrar horas como co-piloto (duplo comando) para aeronaves homologadas para um só piloto (tais como helicópteros mono, BH06, H350)?
    Resposta: Não, apenas o piloto em comando pode contar essas horas para fins de registro. Caso tenha sido um voo de instrução, o aluno deve registrar como “piloto em instrução” e o instrutor como “instrutor”.
    Dúvida: Como eu lanço “duplo comando”?
    Resposta: Não é possível fazer este tipo de lançamento. Caso tenha sido um voo de instrução, lance suas horas como “piloto em instrução” ou como “instrutor”.

    Fato é que dentre as minhas horas tenho horas em duplo comando em um C182, acontece que todas as minhas horas são do ano 2001, lançadas na CIV e devidamente registradas pelo antigo DAC. Ou seja, na época do registro dessas horas, não existia tais exigências. Agora fica a dúvida, será que irão criar caso na hora de contar com elas, como requisito para eu checar o PC? Mais essa para digerir.
    Abrs

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      No Brasil, não existe a figura do “safety”, então realmente só dá para lançar os voos como 2o piloto em ACFTs SP como “duplo comando de instrução”, e o comandante tem que ser INVA ou PLA. Mas vc voou numa época em que as regras eram diferentes (assim suponho), então acho que existe uma chance de vc “ressuscitar” essas horas de 2001. Mande um e-mail para o GPEL com copia de sua CIV, e explique o causo. Vejamos o que eles respondem… Na pior das hipóteses, vc pode tentar fazer valer os seus direitos pela via judicial.

      Enviado via iPad

  2. Fred Mesquita
    6 anos ago

    Muito conturbada esse processo da “CIV-Digital” pois tenho horas antigas de táxi aéreo no qual essas empresas não existem mais. Também, horas antigas em aviões particulares no qual também não existe mais o avião nem os relatórios de voo. A ANAC lança uma medida achando que a aviação no Brasil passou a existir somente nos últimos 5 anos. No meu caso desisti totalmente de tentar (sem sucesso) de ter o acesso ao sistema da CIV-Digital pois depois de diversos erros internos no sistema, não consigo mais me recadastrar no sistema nem de acessar o que nunca consegui acessar. Bom, como sou piloto desde o século passado, acho que devo então começar tudo novamente; fazer o teórico e prático do PP, PC, etc… para que eu possa aparecer como um profissional na relação da ANAC. kkkkk… uma vergonha isso!!!!

    • Recomendo pra vc um “velho” ditado da sabedoria popular: Desencana! hehehe

      A ANARC só quer vem a nós… essa e-CIV só ajuda a vida do cara que vai analisar o processo. Com a e-CIV preenchida ele não precisa ficar decifrando itens escritos a mão na CIV de papel.

      Sem contar que a e-CIV faz o somatório e validação dessa soma de horas. No caso da convencional, o agente precisa validar os dados escritos a mão somando e passando a régua pra ver se o que está escrito está batendo.

      Vejo essa e-CIV como um meio de se achar indiscrepâncias de forma mais fácil. Uma especie de “cair na malha fina” da receita federal.

      Acredito que uma vez você tendo preenchido a e-CIV, existem rotinas automaticas no sistema da ANAC que vão cruzar as informações digitadas com o tipo de habilitação sendo solicitada. Havendo discrepância, vc “cai na malha fina”.

      Assim a ANARC poderia continuar validando processos por amostragem, porém, agora pegando aqueles que fizeram “caca” preenchendo sua CIV.

  3. Extremamente útil. O que eu vejo de gente falando asneira sobre essa CIV eletrônica não tá escrito.

    A campeã é a pérola: “CIV de papel já era. Agora é tudo online”.

    Vi diretor de curso teórico quase chorando porque havia comprado 1000 CIVs, dizendo que agora teria que morrer com esse estoque na mão, pois, “agora é tudo online”.

    • Raul Marinho
      6 anos ago

      Se o cara é DIRETOR de aeroclube e acha isso, é bom chorar mesmo (não só ele, mas os alunos desse aeroclube, principalmente).

Deixe uma resposta