…E se eu não for aprovado para o “Programa ASA”?

By: Author Raul MarinhoPosted on
407Views5

Cair no bueiro foi sorte ou azar para a moça da ilustração? E ser aprovado no “Programa ASA”, é sorte ou azar? Tem certeza disso?

De acordo com informações da Elancers, a consultoria de RH que recebeu as inscrições para o “Programa ASA” (programa de formação de pilotos da Azul, em parceria com a EJ e o Santander), quase 700 pessoas se inscreveram no programa nas primeiras 48h, antes que as inscrições fossem prematuramente encerradas. Contando com as pessoas que não conseguiram se inscrever em tempo hábil, deve ter passado de mil o número de interessados no programa. E, como só havia 20 vagas disponíveis, há 98% de chances de que uma pessoa interessada em participar do programa não seja aprovada. Para estas pessoas, eu escrevi este post, explicando o que você deve fazer neste caso.

O “Programa ASA” era baseado em três pontos: a qualidade de instrução da EJ, o financiamento do Santander, e a “garantia de emprego” da Azul – numa escala do menos para o mais importante, de acordo com a enquete que eu fiz aqui. O primeiro item não é exclusividade do programa: qualquer pessoa pode se matricular na EJ, ou em qualquer outro aeroclube/escola de boa reputação do Brasil ou do exterior, e obter uma instrução de qualidade também. Os outros dois itens é que realmente são importantes, mas há como encontrar equivalência para eles no mercado, muito embora sejam exclusivos na maneira como foram apresentados. Vejamos como:

Financiamento da instrução aeronáutica

Num dos primeiros posts deste blog, há exatamente um ano, eu já falava sobre as opções de financiamento para a instrução aeronáutica. Naquela época, assim como hoje, não há uma opção de crédito específico para o financiamento da instrução aeronáutica (à exceção, evidentemente, dos financiamentos do Santander para os programas Azul-EJ e Azul-PUC/RS). Mas existem inúmeras opções de crédito no mercado que podem ser adaptadas para o financiamento da instrução aeronáutica, e era isso o que eu mostrava naquele post, ainda atual. Na verdade, é possível até obter taxas de juros mais baixas que as oferecidas nas linhas específicas do Santander, principalmente se você conseguir tomar um financiamento na modalidade de “crédito consignado”.

Mas o melhor mesmo seria você conseguir se formar sem precisar recorrer a empréstimos – ou, no máximo, financiar uma parcela reduzida do montante investido na sua formação. E isso eu não me canso de falar aqui, em inúmeros posts e estudos de caso, é só explorar o blog. Imagine que você se forme numa época de crise, e não encontre emprego como piloto. Aí, para que você tenha como pagar o financiamento, é muito provável que você tenha que trabalhar fora da aviação, o que vai te distanciar do seu objetivo. Ou, pior ainda, aceitar empregos na aviação clandestina, o que significará correr riscos. Então, quanto menos financiamento você tomar, melhor – mesmo que seja o empréstimo específico do Santander.

A “garantia de emprego” da Azul

Sempre que eu escrevo “garantia de emprego” para me referir a uma das características do “Programa ASA”, eu uso aspas – e isso não é por acaso. Na verdade, não exista garantia alguma de que o participante do programa seja contratado no final, seja porque você não tenha siso selecionado na avaliação final, seja porque não interessa para a empresa contratá-lo naquele momento (lembre-se que a Gol, que agora demite pilotos em massa, estava contratando há até poucos meses). Além disso, é sabido no mercado que a Azul é a companhia aérea que paga os salários mais baixos da aviação. Assim, esteja você dentro do programa ou não, sempre vai ser interessante você possuir uma boa rede de relacionamentos, que poderá lhe servir de QI para encontrar um bom emprego como piloto. Se eu dise num outro post que o “Programa ASA” é o antídoto para o QI, o inverso também é verdadeiro: o QI é o antídoto para o “Programa ASA”.

Ocorre que o QI não é, como muita gente pensa, um presente dos deuses, ou resultado de puxasaquismo. É possível para qualquer um obter QI, e existem vários artigos meus aqui falando sobre isso. Existe, inclusive, um post em que eu concentro referências para artigos meus sobre este assunto. Leia-os e coloque as recomendações deles em prática, que você estará com seu “emprego garantido” mesmo não participando do programa.

Encerrando

Não existe um único caminho para o sucesso, e a gente nunca sabe se o que acontece nas nossas vidas será bom ou ruim no longo prazo. Leiam essa historinha, que eu escrevi no meu outro blog (“Toca Raul!!!“) há bastante tempo para entender o que eu quero dizer com isso. Ser aprovado para o “Programa ASA” é mesmo sorte? Ter sido rejeitado no programa é mesmo “azar”? Quem sabe?

5 comments

  1. Fabiano Primo
    5 anos ago

    Sou da opiniao que tem males q vem para bem!!!!

  2. Bruno Leite
    5 anos ago

    Certa vez fui rejeitado no processo seletivo para uma empresa da minha área de atuação (softwares)… fiquei super chateado e além de frustrado eu fiquei com um sentimento de incompetência que foi horrível. O mundo deu lá as suas voltas e hoje eu presto consultoria para essa empresa… resumindo: eu estou ensinando-os a trabalhar.

    No caso de Cia aéreas é um cenário completamente diferente, mas se você for bom no que faz você pode dar a volta por cima um dia. Na Gol temos um comandante que um dia foi um garoto com um sonho e hoje é uma das principais figuras da empresa… vide post: http://futurospilotos.wordpress.com/tag/cezar-pulschen

    Como disse o Raul: “Azar? Quem sabe?”

Deixe uma resposta