“Programa ASA” – Última etapa do processo seletivo

By: Author Raul MarinhoPosted on
292Views0

Aconteceu na semana passada (4, 5 e 6 de junho), na UniAzul (Centro de Treinamento da Azul Linhas Aéreas em Barueri-SP), a última etapa do processo seletivo para os interessados em ingressar no programa de formação de pilotos da Azul, em parceria com a EJ Escola de Aeronáutica e o Banco Santander (“Programa ASA”). Conforme antecipamos aqui, nesta etapa aconteceram dinâmicas de grupo e entrevistas com o RH da companhia, além de uma palestra com novas informações sobre o programa. Participaram do evento 34 candidatos, divididos em grupos de 10 ou 12 em cada um dos dias desta etapa, que passaram o dia todo na UniAzul. A seguir, detalhes das atividades ocorridas nesta etapa:

Dinâmicas de grupo

Houve várias atividades, algumas individuais, outras em grupo. No total, foram quatro dinâmicas de grupo diferentes, que consumiram toda a manhã. Pelo que fiquei sabendo, não houve nada muito diferente das dinâmicas de grupo de outros processos seletivos, aplicados em outras companhias aéreas ou em empresas de fora da aviação. Possivelmente, os recrutadores utilizaram essas dinâmicas para checar a consistência dos testes psicotécnicos previamente aplicados – portanto, fica a dica: não tente manipular os testes ou as dinâmicas, que os recrutadores certamente vão detectar a tentativa de fraude em algum momento.

Entrevistas

Uma das entrevistas foi em inglês, com o objetivo de detectar a fluência verbal do candidato. A outra, conduzida em português, foi a temida “entrevista com o RH” (no caso, o mesmo RH que selecionará os formados no programa para ingressar na companhia, daqui a cerca de 10 meses), em que todos os detalhes da biografia do candidato são questionados, os detalhes do currículo são perguntados, etc. (quem já passou por uma experiência dessas sabe o que ela significa). O interessante desta entrevista é que, uma vez aprovada, é bem provável que a pessoa também o seja na próxima entrevista que a pessoa for participar na Azul , quando já estiver formada. Ou seja: se a pessoa conseguir se formar, e suas habilidades técnicas de piloto forem aceitáveis, é quase certo que ela será admitida na empresa como copiloto (é a tal “garantia de emprego” que comentamos aqui anteriormente).

Novas informações sobre o programa

  • Os candidatos com parte da formação aeronáutica iniciada ou concluída terão, sim, oportunidade de ingressar no programa (este era um ponto em discussão há até pouco tempo) – entretanto, somente quem começar o curso do zero vai pegar a tabela de preços reduzida da EJ para o “Programa ASA” (os outros pagarão o preço de tabela normal). Mas, independente de haver ou não alguma etapa da formação concluída, todo mundo deve começar as aulas na EJ em 10/07 – e, quem for terminando a formação completa (PC-IFR/MLTE, Jet Training, ICAO e PLA teórico) primeiro, já vai sendo chamado para as entrevistas de emprego na Azul.
  • Esta primeira turma do “Programa ASA”, originalmente estabelecida como tendo 20 participantes, poderá ser aumentada para até 25 integrantes, ou reduzidas para menos de 20, caso não haja aprovados em número suficiente.
  • Não haverá “cadastro reserva” no programa, o que significa que se algum candidato selecionado não consiga ser aprovado no exame médico para obtenção de CMA, ou desista na última hora, por exemplo, não será chamada outra pessoa para a vaga.

Deixe uma resposta