[RBAC-61] Novidade importante para PCHs: a necessidade de treinamento IFRH

By: Author Raul MarinhoPosted on
811Views40

Será este o novo ambiente da instrução dos PCHs do Brasil?

O leitor Rodrigo Mantovani alertou para uma mudança importante no novo RBAC-61 referente à licença de PCH-Piloto Comercial de Helicópteros: a necessidade de treinamento IFR-Voo por Instrumentos também para a asa rotativa (já era obrigatória para a asa fixa), mesmo para a obtenção da licença sem a habilitação IFR. Esta mudança significará uma profunda modificação no treinamento dos PCHs, já que as escolas de formação de pilotos de helicópteros não estão equipadas adequadamente para oferecer o treinamento IFRH-Voo por Instrumentos em Helicóptero. É disto que trataremos neste post.

Como era no antigo RBHA-61 e o impasse do IFRH

Para obter a licença de PCA-Piloto Comercial de Avião, já era necessário ter treinamento IFRA-Voo por Instrumentos em Avião (10h, sendo que 5h poderiam ser obtidas em simulador) pelo regulamento antigo, mesmo para quem quisesse checar a carteira na modalidade PCA-VFR (somente em voo visual). Mas os PCHs não precisavam de nenhum minuto de treinamento IFRH até 21/06/12, para checar a carteira PCH-VFR – na verdade, a habilitação IFRH, se fosse o caso, era sempre obtida posteriormente.

De fato, a maioria dos helicópteros que voa na aviação executiva do Brasil não é homologada IFRH, então nem faria muito sentido exigir treinamento IFRH dos PCHs. Atualmente, só os equipamentos biturbinas são passíveis de obter a homologação IFRH, e estes são raros e de custo de aquisição e operação muito elevados. Com isso, na prática, fica caríssimo obter a habilitação IFRH, uma vez que, além do treinamento IFRH nesses equipamentos ser proibitivo, seria necessário também que o piloto interessado em tal habilitação fosse habilitado para voar no TIPO (o que implica em treinamento teórico e mais horas de voo ainda), o que encareceria ainda mais o treinamento. Pelo que me consta, uma escola do Rio de Janeiro possuiria um helicóptero modelo Robinson-22 equipado com a instrumentação para o voo IFRH (seria uma espécie de “IFRH sob capota”), que poderia ser utilizado no treinamento, mas mesmo assim a hora de voo nesse equipamento ainda é bem mais cara que nos R-22 VFRs, e não seria permitido checar o IFRH no R-22 “IFR sob capota”, então o problema persistiria de qualquer jeito.

Só que esta situação acabava estourando na operação off-shore. Como é obrigatória a habilitação IFRH para voar nesse segmento da aviação brasileira, as empresas que contratam PCHs têm extrema dificuldade em encontrar profissionais habilitados IFRH para preencher suas vagas. Para resolver o problema, esses operadores estão exigindo somente conhecimentos teóricos de IFR e experiência em simulador IFR de avião (ou habilitação IFRA), e dando elas mesmas o treinamento IFRH propriamente dito. Mas é uma situação longe do ideal, não há dúvida.

Como ficou o treinamento IFRH no RBAC-61

Uma das inovações do novo regulamento foi a inclusão do treinamento IFRH para a concessão da licença de PCH, que será requisito obrigatório dentro de um ano (após 22/06/13), vide este trecho do novo regulamento:

61.101 Requisitos de experiência para a concessão da licença de piloto comercial

(a) O candidato a uma licença de piloto comercial deve possuir, como mínimo, a seguinte experiência de voo na categoria de aeronave solicitada:

(…)

(2) categoria helicóptero:

(…)

(C) a partir de 1 (um) ano após a data de publicação deste Regulamento, 10 (dez) horas
de instrução de voo por instrumentos, das quais no máximo 5 (cinco) horas podem ser substituídas por instrução realizada em FSTD aprovado pela ANAC;

Além disso, há uma outra referência no regulamento sobre o IFRH, a saber:

61.99 Requisitos de instrução de voo para a concessão da licença de piloto comercial

(…)

(2) categoria helicóptero:

(…)

(x) voo de navegação por referências visuais, navegação estimada e, quando disponível,
com auxílio de rádio navegação, incluindo um voo de pelo menos 1 (uma) hora;

A redação não é das melhores, mas dá para entender que será necessário realizar um voo de pelo menos uma hora utilizando instrumentos (o “quando disponível” é que ficou realmente estranho).

Bem, mas uma coisa é inequívoca: a partir de 22/06/13, somente os pilotos que tiverem realizado treinamento IFRH terão seus cheques de PCH aprovados. E agora? Como ficará a situação dos novos PCHs, se é necessário ter IFRH, mas o treinamento simplesmente não é oferecido?

O que deve acontecer na instrução dos futuros PCHs

Eu acho que a mudança no regulamento vai trazer mudanças no mercado e na própria regulamentação. Eu acredito que a ANAC vai flexibilizar o voo IFRH, sendo mais compreensiva quanto ao treinamento “sob capota”, da mesma maneira como é feito no avião. Se qualquer Tupizinho com um ADF/NDB véio é considerado apto a realizar treinamento IFRA, não vejo por que exigir um Agusta para treinar IFRH. E também acho que, com a publicação do RBAC-61, muitas escolas já estão considerando comprar R-22/IFR ou adaptar os existentes com painéis que contemplem nos instrumentos básicos do IFRH. É uma questão de criar demanda para estimular oferta…

De qualquer jeito, o custo da formação de um PCH vai subir, isso é fato. Se a ANAC vai oferecer bolsas para PCHs ou subsidiar de alguma forma o treinamento, esta é uma possibilidade. Veremos onde essa história vai parar.

 

 

40 comments

  1. Heitor
    1 ano ago

    Olá Raul, gostaria de saber uma informacao, por gentileza.
    Formei o pph e fiz o curso de pch e as horas, sendo que faltam as horas de ifr para poder checar o pch.
    Sobre as horas de ifr, elas podem ser feitas só em escolas homologadas ou tambem podem ser feitas em aeronaves particulares homologadas ifr ? Desde já , agradeço.

    • Raul Marinho
      1 ano ago

      Podem ser feitas em aeronaves TPP – desde que, além de o helicóptero ser certificado IFR (real ou sob capota), o instrutor também esteja regularmente habilitado para lhe dar a instrução IFRH. O problema é que, neste caso, vc teria que checar o PCH com 150h.

  2. Seba Amaral
    3 anos ago

    Olá! Convalidei minha licença de PPH/FAA em janeiro de 2013 e iniciei o curso de PCH em janeiro de 2014. Preciso voar 100 horas no Brasil para checar PCH, ou somente 65? Lembrando que já tenho 85 horas voadas com a carteira de PPH/FAA que convalidei. A ANAC não deixa nada claro em relação a isso e eu gostaria de saber. Pois se já tenho a carteira de PPH convalidada, para curso de PCH são exigidas 65 horas.

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Olha… Simplesmente não dá para responder a esta pergunta. Porque a ANAC não cumpre o regulamento que ela mesma impõe! Em teoria seria muito simples: bastaria vc convalidar suas horas voadas nos EUA no contexto de treinamento, consulrizando seu loghbook, que elas seriam válidas para o seu PCH. Ocorre que a ANAC coloca uma série de restrições a este procedimento, e para uns dá 35h na convalidação, para outros o número de horas realmente voadas, e para a maioria… Zero!
      Então, o que eu recomendo é o seguinte: voe o seu PCH cumprindo o Manual de Curso na íntegra (o que vai dar as 65h), e peça o cheque. Se a ANAC indeferir alegando que vc não tem as 100h, entre com recurso. É o que dá para fazer…

      • Seba Amaral
        3 anos ago

        É o que realmente terei que fazer. Pois mal mandei o processo e já indeferiram. Saberia me auxiliar no que diz respeito a entrar com recurso? Sou leigo nesse assunto.

        • Raul Marinho
          3 anos ago

          Escreva um texto contando sua história, diga porque entende que seu cheque deveria ser aprovado, e mande para recursos.pel@anac.gov.br. Se vc tiver algum advogado ou despachante para lhe auxiliar, tanto melhor.

  3. siqueira
    4 anos ago

    Caro Raul, sou PPH e tenho o pch teórico e fiz o check tipo da nova aeronave que estou voando. A minha pergunta é a seguinte, eu posso lançar as horas em comando voando com um pch que não é invh?

  4. Saul
    4 anos ago

    Olá Raul, gostaria de saber se tendo a licença de PCA e não tendo as 200 horas em comando se posso checar o pch com 60 horas ou só com as 100 horas mesmo.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Pelo regulamento, pode checar com 60h, sim. Veja o item 61.101-2:

      (ii) o solicitante de licença para a categoria helicóptero pode ter reduzido o requisito de experiência nas seguintes condições:
      (A) se for titular de uma licença de piloto comercial de avião ou aeronave de sustentação por potência, pode incluir metade das horas realizadas como piloto em comando de avião ou aeronave de sustentação por potência até um limite total de 40 (quarenta) horas, ficando dispensado o cumprimento do requisito relativo às horas de voo de navegação;

  5. Godoy
    4 anos ago

    Sou Piloto Comercial Avião e já possuo a Habilitação IFR, qual seria a quantidade mínima de horas para cheque PPH e PCH e se é possivel ”convalidar” o IFR, abraços e desde já agradeço pela dúvida.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      De acordo com o regulamento, é o seguinte:

      Para PPH:
      (ii) o solicitante de licença para a categoria helicóptero pode ter reduzido o requisito de
      experiência nas seguintes condições:
      (A) se for titular de uma licença de piloto de avião ou aeronave de sustentação por
      potência, com experiência superior a 200 (duzentas) horas de voo como piloto em comando em
      qualquer categoria, ou na soma das duas categorias, o total de horas em helicóptero pode ser
      reduzido para 25 (vinte e cinco) horas; e
      (B) se for titular de uma licença de piloto de avião o requisito referente a 5 (cinco) horas
      em voo de navegação pode ser dispensado;

      Para PCH:
      (ii) o solicitante de licença para a categoria helicóptero pode ter reduzido o requisito de
      experiência nas seguintes condições:
      (A) se for titular de uma licença de piloto comercial de avião ou aeronave de
      sustentação por potência, pode incluir metade das horas realizadas como piloto em comando de
      avião ou aeronave de sustentação por potência até um limite total de 40 (quarenta) horas, ficando
      dispensado o cumprimento do requisito relativo às horas de voo de navegação;

      Não dá para “convalidar” o IFR do avião para o helicóptero.

  6. Flavio Junior
    4 anos ago

    Raul ,bom dia! tenho uma duvida, um aluno que ja se encontra em formação do PCH, ou seja, ela ja checou o PPH e esta fazendo as horas de PCH tambem vai se enquadrar nesse novo regulamento ou ele esta valido para aqueles que ainda irão começar?

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      O regulamento já está em vigor, embora a necessidade das horas de instrução IFRH só será requerida após 22/06/2013. E o que vale é a data da entrada do processo na ANAC.

      • Fred
        4 anos ago

        mas essa entrada no processo é referente ao inicio do curso homologado teorico?.. eu sou PPH, e ja terminei o curso teorico de PCH, porem não comecei as horas e nem fiz a banca de pch. Vou fazer somente depois do dia 22 de junho. eu entro na legislação atual ou na nova na questão das horas?

        • Raul Marinho
          4 anos ago

          Na nova. O que vale é a entrada do processo na ANAC após o cheque.

  7. Felipe
    5 anos ago

    Olá Raul,

    Gostaria de saber se você ou algum dos seus leitores, saberiam informar se posso checar meu PPH aqui no Brasil e fazer IFR-H nos EUA antes de checar meu PCH aqui no Brasil novamente? qual seria os requisitos? e o nível de inglês?

    Muito Obrigado pelo apoio de sempre.

    Felipe

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Sim. Em relação aos requisitos específicos, sugiro entrar em contato com uma escola americana para se informar quanto a isso. Sugiro dar uma olhada aqui: http://voeoregon.com/

      • Felipe
        5 anos ago

        Entrei em contato e realmente a FAA está pedindo o ICAO-4 para convalidar a licença. porém para iniciar do zero continua a mesma coisa. Agora a dúvida é a seguinte se termino o PPH aqui, faço o ICAO e viajo para fazer somente o IFR lá, ou se teria a possibilidade de aproveitar as horas já voadas aqui terminar o PPH lá juntamente com o IFR. caso possa me ajudar ficaria muito grato. Abraços

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          As duas possibilidades são viáveis. Eu, no seu lugar, iria para os EUA e, além de voar o PCH e o IFRH lá, também me qualificaria como CFI(H) – que é o nosso INVH -, e retornaria ao Brasil somente após acumular um mínimo de 500h dando instrução nos EUA. Aí, meu caro, com o IFRH e 500h+, vc estará numa situação muito mais confortável no mercado. O pessoal com 100h-150h e INVH (sem IFRH) está comendo capim no Campo de Marte atualmente.

          • Felipe
            5 anos ago

            Se tivesse essa possibilidade com certeza faria isso(curso completo), porém só teria 2 meses para fazer no máximo o IFR lá, porque não posso largar meu ganha pão daqui, frente a dificuldade que existe em se entrar no mercado depois. acredito que sem o IFR-H serei mais um a comer capim por aqui..

            • Raul Marinho
              5 anos ago

              Com IFRH, sia situação melhora. Mas sem as 500h mínimas,vc continua em situação frágil.

              • Felipe
                5 anos ago

                Mas esse é o caminho, não existe outro, isso somado a persistência e um bom trabalho durante toda a formação. Agora voltando ao problema do IFR é que para convalidação tem que fazer 6 horas de adaptação mais o cheque aqui no Brasil e até onde sei não estamos com acesso a acft homologada para check. saberia algo a esse respeito? como convalidar a licença IFRH?

                • Raul Marinho
                  5 anos ago

                  Olha, Felipe, nesse exato momento, a situação do IFRH está num impasse, como vc percebeu, mas eu acredito que tudo deverá se resolver ainda no primeiro semestre de 2013. De qualquer maneira, na prática tanto faz vc convalidar ou não sua habilitação IFRH previamente no Brasil. Se vc estivesse hoje com uma habilitação IFRH americana, e se fosse o caso de ser contratado por um operador que tivesse um helicóptero homologado IFRH, vc simplesmente faria a adaptação e o cheque na aeronave do seu novo patrão convalidando seu IFRH sem custo – logo, não haveria a necessidade de convalidar o IFRH previamente, percebe?

                  • Felipe
                    5 anos ago

                    Entendi, então pelo que percebi não preciso convalidar previamente meu IFR, para aí sim fazer a adaptação no tipo para o qual irei voar? isso será automático mesmo tendo somente o IFRH americano. correto? Porque para PP e PC a convalidação é obrigatória. Desculpe a ignorância mas como não vi muito claramente isso no RBAC e por IFR também se tratar de uma habilitação pensei que teria essa obrigatoriedade.

                    • Raul Marinho
                      5 anos ago

                      É o seguinte: vc pode obter uma habilitação de um TIPO, mas só poder voá-lo VFR. E depois, qdo vc convalidar o IFRH, vc poderá voá-lo também IFR. São habilitações distintas.

  8. Robinson Rosa
    5 anos ago

    Raul, você sabe me dizer em qual RBHA/RBAC está escrito que um cheque de IFRH só pode ser feiro em helicoptero biturbina?

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Não está em RBAC algum que eu saiba, e para te falar a verdade, eu acho que estou enganado quanto ao fato do cheque ter que ser, necessariamente, em bi-turbina. Isso me foi informado por um PLAH certa vez, mas ele é piloto de plataforma, e deve ter se enganado. As informações mais confiáveis são de que o helicóptero teria que ser dotado de A/P, mas ele poderia ser monoturbina, e eventualmente até um R-44 já seria viável. Eu vou checar essa informação, e depois posto o resultado aqui, ok?

  9. Lucas
    5 anos ago

    Raul, meus parabens pelos posts! Tem sido de extrema importancia para alguem como eu que esta ainda pensando que caminhos tracar para conseguir minha PCH. Sou formado em uma faculdade nos EUA, mas voltei tem 1 ano e no momento trabalho aqui no Brasil (financiarei parte do curso com este trabalho). Estava pensando se poderia tirar minha PPH, e logo depois ir tirar minha IFR-H nos EUA, voltando novamente para fazer o PCH aqui no Brasil ? Dessa forma, ja teria o IFR-H checado antes mesmo de comecar o PCH, me “livrando” desta nova regra e ao mesmo tempo colocando um ponto positivo no meu curriculo. O que acha disso?

  10. daniel
    5 anos ago

    Se fosse para fazer pph, pch poderia fazer toda parte pratica e teorica no Brasil, e depois fazer o IFRH nos EUA?

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Se for para fazer as horas IFRH do curso de PCH (que será exigico daqui a um ano), somente, a resposta é não. Mas se, depois de obtida a licença de PCH, vc quiser ir para os EUA obter a habilitação IFRH, aí tudo bem. Deu para entender a diferença?

      • daniel
        5 anos ago

        é isto que tentei falar, gostaria de saber se algumas coisas podem me impedir de passar no exame médico para piloto de helicóptero, tenho uma cárie profunda em um dente, mais que fiz obturação, tenho rinite alérgica, obrigado.

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          Em princípio, nenhum desses problemas te impediriam de obter o CMA, mas eu não sou médico, nem te examinei. Portanto, o melhor a fazer é tentar obter o CMA antes de qualquer coisa.

  11. Raul Marinho
    5 anos ago

    Reproduzo aqui o comentário do Cmte Mauro Silva, um experiente piloto de helicóptero, redigido sobre este post em um grupo de discussão::

    Se o Piloto PCH, com o novo requisito de 10 horas IFR (sendo 5 em FSTD, e 5 sob capota ou viseira) entrar em condições IMC, vai Morrer do mesmo jeito.

    Não enxergo que tal exigência esteja visando a Segurança, acho que pelo contrário, vai dar mais margem para a “Pelada” do tipo ( antes eu fazia Caca sem treinamento algum, agora Faço Caca Treinada).

    Um Mono entrando em IMC sem P.A. acoplado, DESORIENTA MESMO!

    Fiz muito treinamento em Esquilo na região de São José dos Campos para me Adaptar ao Voo IMC e te garanto que 10 horas são insuficientes para encher o Peito e falar que está pronto para qualquer coisa.

    Existe a Fisiologia humana e cada pessoa tem uma resposta ao Voo IMC.

    Mas a grande maioria desorienta e cristaliza em Comando.

    O Treino é Sério e muito Importante para JOGAR assim com tanto descaso.

    Deve ter algo por trás disso, tipo dificultar a hora BIC por exemplo, mas dizer que isso vai ajudar, não vai mesmo.

    PCH é muito diferente de PC.

    O Helicóptero não é Dócil como o Avião e o Piloto do Helis voa 500 Pés o tempo todo Visual.

    O PC já Nasce Voando Nível de Voo e sempre passa por um pouco de nebulosidade ou algumas nuvens e Voa uma Máquina estável.

    Quer que um PCH fique bom no IFR, ponha el

    e para Voar Avião!

  12. JJ
    5 anos ago

    Boa tarde amigo. Gostaria de parabenizá-lo pela bonita foto do painel do AW139. Atualmente atuo no OffShore e vejo que essa alteração vai impactar forte nas escolas e na formação de futuros profissionais.
    Hoje para o piloto conseguir emprego ele precisa de um número mínimo de horas de voo como exigência das grandes empresas de Taxi Aéreo. O caminho natural era até então, concluir 100 horas de voo checando o PC e após isso, mais 10 horas para o INVH e assim conseguir a CHT de instrutor e poder começar a acumular horas de voo dando aula. O processo todo custava em torno de R$ 85 mil já contando com os cursos teóricos e os voos de Check, provas e etc.

    No meu ver, o novo regulamento exigirá um total de 200 Horas em comando para tornar-se instrutor, ou seja, o dobro do que era cobrado. Com isso, o investimento seria elevado para acima dos R$ 170 mil, apenas para ter as 200 horas em comando, mas temos que lembrar que as 100 primeiras horas do PC antigamente com a CIV em caderneta eram lançadas 85 delas como Piloto em Comando e com a CIV eletrônica, as horas são lançadas obrigatoriamente como Piloto em Instrução o que segundo a própria ANAC comenta, a soma total seria de aproximadamente 300 horas ( 100 como aluno e 200 como Piloto em Comando).

    Mesmo que seja levado em consideração apenas as 200 horas em Comando, isso inviabiliza o investimento, pois sabemos que os instrutores de voo do Brasil recebem em sua maioria uma ajuda de custo para trabalhar, ou seja, teriam que investir esse valor para só depois conseguirem a CHT de instrutor e começar a luta para acumular horas de voo e um dia entrar em alguma empresa para obter um salário de verdade.

    Na minha opinião, o impacto no INVH é muito maior e vai extinguir instrutores de voo de Helicóptero no futuro.

    Abraços.

  13. Righetti
    5 anos ago

    Quanto a escolas que têm equipamento para dar instrução IFRH, indico a EFAI que já tem um Schweizer 300 equipado para dar treinamento IFRH. Certamente não é possível checar nele, mas a escola já adquiriu um Agusta Bi-motor que estará chegando em breve.

    Quanto a dúvida levantada no último parágrafo, creio que não há necessidade de um agusta para treinar IFRH, mas para voar IFRH é de extrema necessidade que o helícóptero tenha dois motores, pois sem potência um monomotor não te dá oportunidade de escolher o local para pouso quando não visual, pois desce muito rápido. Com um bi-motor o piloto tem possibilidade de buscar um local para pousar.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Obrigado pelas informações e considerações, Righetti!
      Acrescentaram muita coisa importante, valeu!

  14. Caio Pompêo de Camargo
    5 anos ago

    Olá Raul, importante e bem-vinda essa alteração no meu entender. Isso de certo não irá capacitar por completo mas pelo menos introduzir o vôo por instrumentos na formação do piloto de helicóptero. Devido a versatilidade do helicóptero este tipo de equipamento está mais propenso a se colocar em IMC, e muitos acidentes desta categoria se devem ao famoso vôo “visumento” já abordado nesse blog. Cabe agora às instituições de ensino fazerem valer e se preocuparem realmente em capacitar os atuais manicacas e futuros comandantes deste mercado. Abraço, Caio Pompêo.

Deixe uma resposta