Artigo OBRIGATÓRIO para INVAs e INVHs

By: Author Raul MarinhoPosted on
300Views4

Se você é ou quer ser um instrutor de voo, leia o artigo do link abaixo (“So, you want to be a flight instructor?“), escrito por um tal de Doug Stewart. Este é um texto que deveria ser obrigatório nos cursos de INVA/INVH, e que eu tornaria de leitura compulsória para os INVAs/INVHs do meu(minha) aeroclube/escola se eu fosse dirigente de um(a). Ele fala das qualidades que um instrutor de voo deve ter para exercer a profissão, os benefícios e percalços da carreira, e principalmente da importância e da responsabilidade e integridade requeridas para ensinar alguém a voar. Quem sabe no futuro, com a maior profissionalização da carreira de instrutor de voo que se espera que ocorra no Brasil, a gente chegue mais perto do descrito neste artigo…

So you want to be a flight instructor

4 comments

  1. Molinetando Silva
    5 anos ago

    O dia que a ANAC levar o curso de INVA a serio como os americanos fazem ha decadas, nao teriamos mortes semanalmente. pra vc ser inva nos EUA vc vai passar por um cheque com uma prova oral de no minimo 5 horas podendo chegar ate 12 hrs. detalhe: o checador é do FAA, nao é checador amiguinho da escola que passa a mao na cabeca e passa todo mundo. Se fosse usar o padrao de la, a aviacao aqui parava…

  2. Aaron Móes
    5 anos ago

    Concordo, eu mesmo já tive exímios instrutores, que vou levar o aprendizado e dicas pelo resto da vida, assim como já tive péssimos INVA’s, os famosos “voa aí e tudo certo”, que não dão a mínima importancia ao aluno e a qualidade da instrução, ainda demonstrando o sentimento de que estão prestando um grande favor ao “manicaca” sentado logo a frente.

  3. Tomara, Raul. Pq o que tenho visto por ai é muito INVA querendo, literamente, só fazer hora. E o prejudicado na história é o aluno, que paga uma fortuna pra não receber nenhum treinamento técnico na sua formação prática. Ou seja, aprendendo na tentativa e erro mesmo. Muitos instrutores só se se atêm a ficar “intervindo de leve” no manche sem dar muitas explicações. E quando explica, explica superficialmente, sem discutir com base técnica as manobras.

    Foram poucos os instrutores “de ofício” que vi por enquanto. Concidência ou não, todos eles com idade pra ser meu pai e com o entusiasmo de um recém checado como INVA. Instrutores com “I” maiusculo.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      É exatamente isso… Os novos estão lá só para fazer hora, e os velhos, muitas vezes por não ter competência para arrumar coisa melhor. É o pior dos mundos! Fora os entusiasmados que vc cita, a instrução está “no córgo”, como se diz na minha terra…

Deixe uma resposta