“P-Factor” & outras informações importantes sobre decolagens

By: Author Raul MarinhoPosted on
471Views3

Todo mundo sabe que os pousos e as decolagens são as etapas mais perigosas do voo, em que ocorrem a maioria dos acidentes aeronáuticos – especialmente os pousos, que são os grandes vilões da segurança de voo. Ocorre que as decolagens, embora muito mais fáceis de serem executadas, e de responderem por bem menos acidentes do que os pousos, também são muito mais letais: é muito mais fácil alguém morrer num acidente durante a decolagem do que num acidente que ocorra durante o procedimento de aterrissagem.

Justamente por ser muito mais simples de ser executada, os pilotos negligenciam os conhecimentos técnicos relacionados à decolagem – ou, visto por outro lado, não lhes são ensinadas as teorias de voo que atuam numa decolagem da forma como deveria. E também praticamente só se fala do “Efeito Torque” no treinamento prático; eu nunca vi um INVA ir além disso no quesito decolagem. Mas, na realidade, o mais importante é o “P-Factor” (que significa algo como “Fator Hélice“), um ilustre desconhecido para 99% dos pilotos.

O “P-Factor está relacionado á incidência do vento relativo sobre as pás da hélice, e é muitas vezes confundido com o “Efeito Torque“, quando na realidade possui outra natureza. Vale a pena assistir ao vídeo do link abaixo, que também explica um terceiro fator importante relacionado às hélices, o “Prop Wash“. O vídeo é narrado em inglês, mas como há uma apresentação auxiliar e o narrador (o Doug Daniel, nosso velho conhecido aqui no blog) tem uma excelente pronúncia, não é preciso mais que um ICAO-3 para poder entendê-lo. Vale a pena gastar 12m:45s do seu tempo vendo este vídeo com bastante atenção.

P-factor_and_Torque_II_player.html

3 comments

  1. Fred Mesquita
    5 anos ago

    É daí que surge o chamado “Motor Crítico”, que também muita gente desconhece.

    • Exato. E já teve gente me excomungando quando expliquei o que era motor critico.

      Queriam me matar, pq pra pessoa em questão, motor critico era aquele que, caso parasse, a aeronave nao conseguiria mais baixar o trem, perdia a hidraulica, eletrica etc etc etc …. hehe

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Sim, mas o P-Factor propriamente dito é típico dos monomotores com hélice frontal, tipo Cherokee, Cessna-152/172/182/206/210/etc, Mooney, e por aí vai (praticamente todos os MNTE). O problema do motor critico é um desdobramento do P-Factor para bimotores.

Deixe uma resposta