Enquete rápida: uso de viseiras e proteções no treinamento IFR “sob capota”

By: Author Raul MarinhoPosted on
404Views10

Para quem nunca viu, esta é uma viseira para treinamento IFR “sob capota”

Pessoal, é o seguinte:

Escrevendo o meu livro sobre formação aeronáutica, me surgiu uma dúvida que gostaria de esclarecer com vocês. No meu treinamento IFR, eu nunca usei – ou mesmo vi disponível para ser usada – a tal viseira (“hood“) para obrigar o piloto a olhar somente para o painel nos voos “sob capota” (vide imagem acima). Em uma pequena parcela deles, o instrutor utilizou as proteções contra sol do avião para bloquear a visão do meu lado do para-brisas da aeronave, mas na maioria deles, nem isso foi usado: o treinamento “sob capota” prescindiu de qualquer tipo de artifício para bloquear a visão. Isso foi o que aconteceu no meu caso, mas não sei como isso se dá de maneira geral, Brasil a fora. Por isso, essa enquete rápida, para quem já realizou o treinamento IFR “sob capota”. Por favor, respondam abaixo se vocês usaram a viseira, a proteção contra sol, ou nada.

Muito obrigado!

10 comments

  1. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Pois é… No Brasil não se pode voar IFR real no treinamento, e pelo visto quase ninguém usa o “hood”, ou então faz a lambança de tapar o para-brisas num voo que tem que ser VFR pro instrutor. Há muitas diferenças realmene na formação IFR do Brasil e dos EUA, por exemplo (já que a FAA é sempre uma referência relevante). Nos EUA, qualquer voo fora da nuvem é considerado VFR. Vc pode estar operando por regras de instrumentos, navegando sem ver o chão, mas uma vez fora da nuvem, é “see and avoid”. Por essas e outras vc pode decolar de um aeroporto VFR, subir pelos buracos na camada, voar 2h sem ver o chão, descer por outros buracos e pousar, estando VFR o tempo todo. IFR lá só existe dois tipos: simulado e actual. O simulado é “under the hood”, e lá a gente só não usava muito de vez em quando, se o instrutor fosse querido e estivesse de noite sobre um lugar escuro (que é quase full IFR hahaha). Fora isso, a gente usava sim o tempo todo, inclusive nos checks. Mas mesmo o hood, com todas as suas vantagens (eu usava o fogus, um óculos embaçado em cima e que só deixa vc ver nitidamente o painel), ainda não é nem de perto a mesma coisa que actual IFR. Voar guardado de verdade, sem ver nada que não seja nuvem, é desafiador. Muita gente experiente e muito mais ainda inexperiente já morreu assim. E enquanto lá nos EUA a gente torcia pro tempo ficar IMC, aqui não se pode voar actual IFR em instrução. Moral da história, a primeira vez que o cara entra na nuvem, e se bobear, a primeira vez que ele faz um ILS de verdade, é sem instrutor do lado pra salvar. Dá no que dá. Nós temos aqui quase a metade do número de acidentes em aviação geral dos EUA apesar de termos uma aviação geral 11 vezes menor…

  2. Raoul,
    tem algum resultado dessa pesquisa? Fiquei curioso em saber se quem forma IFR no Brasil realmente aprende a preparar o corpo para as reações a condições IMC por exemplo.

    Por aqui (Chile) a coisa é similar ao que acontece nos EUA.

  3. Renato Guardiola
    5 anos ago

    No aeroclube onde passei era usado apenas o tapa-sol. Bem no comecinho da instrução, nas primeiras horas apenas, o instrutor abriu mão de usar a “capota” para eu me habituar com os instrumentos, e evitar a desorientação desnecessária. Mas depois que estava confortável, a capota era sempre disposta antes de começar a descida. Na decolagem/subida não era usada.

    Nota: fiz 43 horas IFR no avião. Não fiz simulador.

  4. Penso que seja uma questão cultural e de querer economizar. Essas viseiras e o oculos nao sao novidade. Já poderiam estar sendo usados a muito tempo.

    Eu nunca vi isso aqui no Brasil. “Male má” as capotas/protetor de parabrisas.

  5. Paulo Jr
    5 anos ago

    Normal nos EUA. Muito bom, ignorancia de quem fala isso e um tapa visao de cavalos. Funciona mto bem e pratico.

  6. Fred Mesquita
    5 anos ago

    Será que em algum momento, na aviação brasileira, algum simples mortal já viu alguém usando este tapa-visão de cavalos ????…. Coisinha mais ridícula do mundo, típica de quem tem dinheiro para gastar com besteiras ao invés de usar a proteção de pára-brisas. É o típico besteiros que inventaram para a aviação.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Pois é… Neste momento, já há 2 votos para a viseira na enquete. Eu mesmo nunca vi este objeto em algum aeroclube/escola brasileiro, mas parece que existe sim. E, se quer saber, acho que deveria ser usado realmente, pois é muito mais prático que a proteção de pára-brisas, além de dar mais segurança ao voo, pois permite que o instrutor tenha 100% de visão – e lembre-se que o voo ocorre VFR.

      • andkin8
        5 anos ago

        É isso mesmo Raul. O protetor de para-brisas envolvia o para brisas todo incluindo a visão do instrutor e como o vôo era visual acharam melhor a viseira assim, o instrutor tem como ficar ligado no o que ocorre dentro e fora da cabine.

  7. Gabriel Rossi
    5 anos ago

    Pois é Raul, no Brasil não se usa nada disso, mas um amigo engenheiro aeronáutico que fez toda instrução nos EUA me deu um par de óculos como esse de presente: http://www.sportys.com/source/images/jQzoom/9406.jpg
    Ainda assim acho que não vai ser muito útil por aqui, pois nunca vi alguém no Brasil usar qualquer tipo de viseira para instrução de voo por instrumentos.

Deixe uma resposta