O funcionário da ANAC preso pela PF seria o futuro presidente da agência!

By: Author Raul MarinhoPosted on
414Views6

Essa foi de doer! O tal do Rubens Carlos Vieira, o funcionário da ANAC preso pela Polícia Federal na última sexta-feira, seria o provável futuro presidente da agência em 2013! Vejam a nota abaixo, da coluna do Reinaldo Azevedo, que tem este e muitos outros absurdos sobre o caso:

 

A carreira meteórica de Rubens Vieira na era Lula

Por Ana Clara Costa, na VEJA.com:
Quando foi nomeado corregedor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em 2006, Rubens Carlos Vieira tinha 30 anos, um diploma de bacharel em Direito pela UniFMU, em São Paulo, nenhuma especialização e jamais havia trabalhado com regulação no setor aéreo. Poucos anos antes, o bacharel, inclusive, teve de ir a Rondônia para conseguir tirar seu exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) — e não São Paulo, que era a cidade onde morava e havia estudado.

Apesar da tímida formação acadêmica, sua carreira no setor público começou cedo. Um dos primeiros concursos para o qual foi aprovado foi o de Procurador da Fazenda Nacional, em 2003, aos 27 anos — mesmo ano em que Lula assumiu a Presidência da República — e que sua madrinha, Rosemary Noronha, presa na tarde desta sexta-feira na Operação Porto Seguro da Polícia Federal, assumiu cargo de assessora presidencial em viagens internacionais. Até então, Vieira trabalhava como diretor jurídico do Sindicato de Trabalhadores das Empresas de Gás Canalizado (Sindigasista).

De lá para cá, o ‘afilhado’ de Lula colecionou aprovações em concursos públicos (Promotor do Ministério Público de Rondônia, Advogado da União, Procurador do Banco Central, Procurador do Município de Santo André, entre outros), mas, em teoria, não assumiu nenhum dos cargos. Saiu do Ministério da Fazenda em 2006, ano da reeleição do ex-presidente, para assumir o cargo de corregedor da Anac. Somente depois que entrou na agência, deciciu iniciar um mestrado em regulação aeroportuária na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Sua gestão como corregedor foi marcada por poucos pareceres. Um dos mais célebres, ainda em 2006, foi a autorização de viagem do então diretor da agência, Josef Barat, a um evento privado da TAM para investidores em Nova York, o TAM Day, com as despesas inteiramente custeadas pela empresa aérea. Vieira considerou a viagem de Barat imprescindível naquele momento. Mas pontuou que, nas próximas vezes, as despesas seriam pagas pela Anac, e não por uma companhia aérea. O assunto criou alvoroço e foi parar no Conselho de Ética justamente no período do caos aéreo brasileiro. A partir de 2007, Barat e todos os demais diretores da Agência foram exonerados — menos o corregedor.

Em 2010, a então ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, enviou uma carta ao Senado indicando o nome de Vieira para a diretoria de Infraestrutura da Anac. Com ele, outros dois diretores indicados pelo governo foram nomeados: Carlos Pellegrino e Ricardo Maia Bezerra. Desde então, o único projeto capitaneado por Vieira na agência foi o leilão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte — cujas obras ainda estão em fase inicial, mesmo que a previsão de entrega seja para antes da Copa do Mundo de 2014.

A prisão de Vieira neste sábado surpreendeu diretores e técnicos da Anac. Alguns acreditam em indícios de que uma nova “faxina” esteja a caminho – começando pelas agências reguladoras. Como apadrinhado de Lula, Vieira era cotado para assumir o cargo de Diretor-Presidente da Anac a partir de maio de 2013, quando terminar o mandato do atual diretor, Marcelo Guaranys (este, apadrinhado de Antonio Palocci). Com a saída de Vieira, Dilma deverá indicar para o cargo um nome técnico de sua confiança que possa assumir a agência após a saída de Guaranys.

6 comments

  1. Dedeco
    5 anos ago

    Raul, Ou não entendi ou realmente vc está valorizando demais uma coisa que nem aconteceu, afinal ele não virou diretor da ANAC. Bom li a carta e não achei nada meteórica. Cara, gosto muito do seu site, mas o jornalista da Veja é podre… acho que tem fontes mais confiáveis…

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Bem, primeiro vamos ao “jornalista da Veja”, o Reinaldo Azevedo: podre ou não (e eu não acho que seja), não foi ele quem escreveu a nota, ele apenas a reproduziu, assim como eu. Depois, a “coisa” não aconteceu realmente, uma vez que o mandato do Marcelo dos Guaranys (indicado pelo Palocci!!!) termina em maio de 2013, e a matéria fala que “Vieira era cotado para assumir o cargo de Diretor-Presidente da Anac”. Foi por isso, aliás, que eu coloquei a… “coisa” no futuro do pretérito no título deste post, portanto não vejo porque vc se espantou com o fato não ter acontecido. Finalmente, eu estou valorizando mesmo é o fato de um sujeito indicado pela Erenice Guerra (!!!) estar no 2o escalão da ANAC, traficando influências e aceitando presentinhos de cia aérea, quando sabemos que a principal queixa dos servidores concursados da agência é justamente esse tipo de funcionário na ANAC.

      • Dedeco
        5 anos ago

        Raul, então é conforme eu entendi mesmo.

        Bom, primeiro peço desculpas pelo termo “podre”, pode parecer um pouco forte, mas enfim é que fiquei um pouco descontente com o tipo de notícia que a Veja insiste em circular (sim, eu sei que é uma reprodução).

        Mas enfim explico porque:

        Bom, acho que o bom jornalismo se faz com fatos, dados e acontecimentos reais. Boatos, especulações, coisas que nem aconteceram (sim, eu vi o futuro de pretérito), deve ser cuidadosamente analisados, e apenas com provas, indícios, documentos, ai sim, talvez mereça alguma atenção.

        Dito isto, dizer que: um boato que ele seria o futuro presidente da ANAC se o Lula ainda tivesse no poder, depois do atual aposentasse, enfim… seja como for, é criticar por antecipação.

        A reportagem ou carta ou coluna da jornalista em questão não merece a devida atenção, isto na minha humilde opinião.

        Além disso, dizer palavras como meteórica, absurdo, e dando a entender que isto é uma coisa importante, é querer ter a oportunidade de criticar 2 vezes, uma antes de acontecer, e outra se acontecer. Ou ainda pior, se deixar de acontecer, e dizer que só por vazou antes na impressa ou por pressão da sociedade.

        E voltando a vaca fria, a única coisa que não havia entendido, é se realmente vc estava achando de “doer” a notícia, e pelo visto sim.

        Bom… recomendo a Carta Capital.. ótima revista, séria e lendo os mesmos assuntos nota se baseia em fatos e dados.

  2. Resquício da era Lula (o camarada em questão foi indicação do molusco – http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/irmaos-que-integravam-quadrilha-foram-inficados-por-lula).

    Esses caras agem igual naquelas promoções onde se dá um certo tempo pra você pegar tudo o que conseguir dentro do supermercado. O que você conseguir pegar nesse espaço de tempo é seu.

    No caso desse pessoal, o tempo pra fazer “a limpa” acaba quando a PF descobre o esquema. Tem investigação, indiciação, julgamento, condenação, e pára por ai. Só que fica por isso mesmo. Ninguém vai preso e nem precisa devolver a grana… é só curtir o “prêmio” e investir a grana e não precisar trabalhar nunca mais.

    Mas… acho que podemos, de certa forma, comemorar esse dedetização da PF. Pelo menos penso que vão pensar duas vezes antes de nomear o novo presidente da ANAC.

  3. Teixeira
    5 anos ago

    ANAC (Agora Não Adianta Chorar).

  4. Vindo desse governo, tudo pode acontecer!

Deixe uma resposta