Ainda o caso dos INVAs que ganham R$15/h: a resposta do Ivens, do Aeroclube de Araraquara

By: Author Raul MarinhoPosted on
1113Views61

Algumas semanas atrás, eu iniciei uma discussão sobre uma vaga de instrutor com este post, que depois foi complementado por este aqui. Naquelas oportunidades, eu e um punhado de leitores fizemos nossas considerações sobre o assunto, que acabou morrendo em alguns dias. Até que ontem, o “responsável pela Instrução do Aeroclube de Araraquara” (é assim que ele se apresenta), Ivens Meyer, enviou um texto com suas considerações sobre o tema, o que acabou reacendendo a discussão – e que achei um fato extremamente produtivo, uma vez que o assunto discutido é um dos mais importantes da formação aeronáutica brasileira. Agradeço imensamente ao Ivens pela sua colaboração, muito embora discorde de boa parte do que ele afirmou em seu comentário, que segue abaixo. Vou aproveitar o próprio texto do Ivens (em vermelho) para realizar minhas considerações (em azul); e ele desde já fica convidado para a réplica, assim como os demais leitores estejam à vontade para acrescentar seus comentários.

Olá Pessoal

Me permitam como responsável pela Instrução do Aeroclube de Araraquara registar a posição da Escola, que de antemão respeita a comunidade, entende a posição de todos e não está aqui para gerar conflito.

Olá Ivens. Esteja à vontade, a casa é sua. Eu também não quero gerar conflito, e sim discutir algumas questões que julgo de extrema importância para a formação aeronáutica brasileira e o mercado de trabalho de pilotos (recém-formados, principalmente).

A intenção da escola não é fazer ruir o piso salarial de nenhuma categoria profissional, pelo contrário, respeitamos e incentivamos a elevação da mão de obra Brasileira.

Acredito no que você escreveu sobre não ser intenção da escola “fazer ruir o piso salarial” dos INVAs – mesmo porque os instrutores não possuem piso no Brasil (e esta é uma de minhas críticas no texto do post em que você comentou). Agora… “Respeitar e incentivar a elevação da mão-de-obra brasileira” pagando R$15/h (e de maneira autônoma) para seus instrutores, me parece uma incongruência. Eu não reconheço nem “respeito”, muito menos “incentivo” em remunerar um Piloto Comercial com habilitação de Instrutor de Voo desta maneira, sinto muito.

A escola que cobra em sua hora de instrução digamos por exemplo 320,00, pode também a exemplo remunerar seu profissional pagando “x”/Hr, outra Instituição que comercializa o seu produto a um valor menor não terá a mesma capacidade e terá de adequar a sua oferta de pagamento à sua receita, portanto não está havendo um desrespeito à categoria, pois é feita a oferta a quem tiver dela interesse, e não há obrigação de ninguém em aceitá-la, todo o processo é bem esclarecido ao Interessado muito antes deste manifestar qualquer interesse em realizar a entrevista, portanto a nossa conduta prcura ser bem clara e correta.

Se entendi direito, o Aeroclube de Araraquara tem uma estratégia “low cost, low fare” radical, e por isso não pode remunerar seus INVAs de maneira mais digna, então este não seria um caso de desrespeito. Além do mais, o instrutor já saberia de antemão que é assim, então não haveria nenhum problema com isso. Bem… O fato é que os instrutores só estão indo trabalhar no Aeroclube de Araraquara porque não têm opção melhor, devido à outra alternativa ser simplesmente não voar. O que, no fim das contas, significa que o aeroclube está se aproveitando de uma condição favorável do mercado (para ele, lógico) para poder executar sua estratégia comercial, e o instrutor que se vire com o salário irrisório. E isso é “respeitar o INVA”, afinal de contas “ele já sabia das condições desde o início”…

Você me desculpe, Ivens, mas aqui a minha discordância é total. Eu não acho que aproveitar-se de uma situação econômica que está ocorrendo no mercado para viabilizar uma estratégia comercial, impondo salários aviltantes a uma categoria profissional, seja um exemplo de “respeito”. O fato de você não estar enganando seu funcionário não significa que você o esteja respeitando. Por exemplo: se eu abro uma confecção no Bom Retiro, e pago meio salário mínimo para um boliviano ilegal trabalhar 14h/dia para mim, eu o estarei respeitando só porque eu honro com o meio salário mínimo no fim do mês? É claro que não! Eu estou me aproveitando do fato deste boliviano ser ilegal e não poder recorrer às autoridades para lhe impor um salário aviltante (“ah, mas ele pode recusar, se quiser”, eu poderia, cinicamente, afirmar) – o que é, no fundo, a mesma estratégia que o ACA está adotando.

A Escola tem como objetivo procurar oferecer um treinamento seguro e de qualidade a um custo mais acessivel e com isto oferecer melhores possibilidades a pessoas desprovidas de grandes receitas para que alguns destes possam realizar seus sonhos dentro desta área da aviação civil.

Como é que o ACA garante a qualidade da instrução contratando os instrutores com menor experiência do mercado? Ora, se a ideia é pagar o menor salário possível, é de se esperar que somente os menos experientes sejam atraídos pela oferta, não?

Nós não podemos estar sendo culpados de uma maneira tão expressiva por trabalhar com um valor de hora mais acessivel, até porque em nosso quadro de instrutores temos em média 10 posições diárias e não acreditamos que o universo desta categoria seja tão diminuto que 10 profissionais se propondo a colaborar com a nossa associação possam fazer ruir toda a categoria de instrutores em nosso Pais.

De fato, como disse no meu texto original do post em que você comentou, eu não quis “fulanizar” a discussão. O problema não se restringe ao ACA, infelizmente.

O formato de trabalho em nossa escola se resume a um período de 06 horas de jornada com 04 horas “garantidas” de voo, de segunda a sexta-feira, portanto 80 horas que geram uma receita de R$1200,00 por um trabalho de meio período, esta remuneração para um Profissional iniciante é considerada razoável em nossa Cidade.

Quer dizer que no ACA não existe voo cancelado por meteorologia desfavorável, avião quebrado, aluno faltando, nada disso? E em 6h de trabalho, o instrutor voa 4h!? E o briefing/debriefing e a inspeção, faz “a jato”? Como é que a instrução é de qualidade, se não dá tempo para o instrutor fazer um briefing/debriefing corretamente?   

Como o nosso Profissional trabalha apenas meio expediente, fica o mesmo liberado para, se de seu interesse, procurar no outro meio expediente aplicá-lo em seu beneficio, como inclusive sugeriu um dos colegas desta comunidade, no empenho de agregar mais valor a sua formação.

Fico até comovido com isso…

O nosso Instrutor é tão capacitado como qualquer outro, é injusto sugerir que o profissional seja avaliado apenas pelo quanto ganha, pois assim estaríamos condenando aqueles que como os voluntários se prestam a oferecer parte de seu tempo para ajudar ao próximo.

Existe uma diferença gigantesca entre o trabalho voluntário e a má remuneração. Não me consta que os instrutores do ACA estejam trabalhando por amor à instituição ou à aviação, eles estão simplesmente fazendo hora para conseguir um emprego melhor (como você deixa claro mais à frente, por sinal). Pode ser que haja ótimos INVAs no ACA ganhando R$15/h porque não encontraram nada melhor, devido às questões conjunturais que eu comentei. Mas, na primeira oportunidade, os melhores sairão, e os piores demorarão mais a sair, justamente porque lhes serão mais raras as boas oportunidades… E se isso não influencia na qualidade de instrução, eu não sei o que poderia influenciar.

Ainda o nosso Profissional da Instrução fica conosco por um tempo curto, a titulo de um estágio onde irá desenvolver ainda mais as habilidades já adquiridas, para na sequência de sua carreira buscar a colocação final no mercado de trabalho , dando lugar a outro colega com o mesmo objetivo.

Bem, então você assume que o seu INVA é um estagiário? E como é que uma instrução realizada por estagiários pode ser de boa qualidade?

Durante a sua permanência conosco colaboramos com a manutenção de suas habilitações técnicas e possiveis formações adicionais sem qualquer custo ao mesmo, portanto há entre as partes uma sinergia que ameniza eventuais disparidades de receita.

Você poderia explicar melhor o que isso significa? Isso quer dizer que um INVA sem MLTE pode fazer hora de multimotor de graça no ACA, é isso?

Sendo só agradeço a oportunidade e as portas desta modesta Escola estarão sempre abertas a quem tiver o desejo em conheçer o nosso trabalho mais de perto.

Feliz Natal e um prospero ano novo a todos.

Ivens Meyer

Feliz Natal igualmente!

Raul Marinho

 

61 comments

  1. Francisco Nascimento
    2 anos ago

    Olá , estou começando o PP e buscando sempre novas informações. Lendo todos os comentários percebo que o problema está vindo de cima … A aviação em todos os setores esta desvalorizada na atual conjuntura …. Me parece que o antigo DAC , como integrante da estrutura administrativa do Ministério da Aeronáutica .. fiscalizava , orientava melhor os aeroclubes bem como a aviação civil . Hoje com a “despartenidade” do Ministério da Aeronáutica , estamos colhendo os frutos de uma mudança de responsabilidades por parte politica do país visando o capital e menos apreço ao profissional . Espero que uma recuperação do setor seja possível , porém para isso seja necessário: honestidade , vontade politica, valorização , investimentos , dedicação a projetos de atualização visando o sucesso do setor .
    A aviação merece mais consideração.

    att:

    Francisco Nascimento

  2. alexandre
    4 anos ago

    esperança e a fé em DEUS sempre, porque no homem nao da de confiar, e essa questao sempre tera gente a favor e gente contra ,eu fico neutro nessa situaçao

  3. Erick
    4 anos ago

    O que eu preciso observar em um aeroclube ou em uma determinada escola de aviação para saber se são de qualidade ?

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Converse com quem voa e voou lá, visite a escola/aeroclube pessoalmente, acompanhe discussões nos fóruns de aviação na internet, e cheque a situação da escola junto à ANAC. Basicamente, é isso.

      • Erick
        4 anos ago

        Como eu verifico a situação do aeroclube? É no site ?. É que eu sou novato nisso, estou entrando agora. rsrs

      • Erick
        4 anos ago

        É difícil arrumar emprego em uma empresa de táxi-aéreo no Rio de Janeiro mesmo recém formado como piloto de avião ?

        • Raul Marinho
          4 anos ago

          Jovem, está muito difícil arrumar qualquer emprego em qualquer lugar como piloto atualmente…

    • Pedro
      2 anos ago

      amigo corre de aeroclube, esquece isso, tira essa palavra do seu vocabulário… PROCURA ESCOLA DE AVIAÇÃO ou vá fazer seu curso no Canadá.
      Eu comprei 123h em um aeroclube preço bom saca na época, mas qualidade zero, mano APRENDER a voar precisa de alguém que saiba te ensinar, hoje estou pagando o preço da desinformação.

      • Raul Marinho
        2 anos ago

        Existem aeroclubes e aeroclubes, escolas e escolas.

  4. Erick
    4 anos ago

    Gostaria de saber como está a qualidade no ensino dos aeroclubes do Rio de Janeiro, se alguém tem alguma coisa para reclamar ou à indicar, estou pesquisando. Obrigado

  5. Miguel
    5 anos ago

    A coisa ficou feia naquele aeroclube. Estão vendendo os aviões. Acho que o preço já está sendo pago.

    • Vergonha
      5 anos ago

      Não seria bom pra ninguém ver um Aeroclube as ruínas, mas tem certas pessoas que se julgam semi deuses, e acabam por entrar pelos canos. Certo momento ouvi que aluno de PP não precisava estar pousando por conta própria, que PP não sai preparado para voar. E os INVAS que fazem o possível para ensinar seus alunos as vezes pagam o pato.
      Posso afirmar, INVAS que não seguindo regras para poder apenas ensinar o aluno a pousar, sendo ameaçado de ir para rua. Isso não é uma VERGONHA?
      Para o espanto dos senhores, INVAS que foram mandados embora por mal planejamento do Sr semi deus, a mais de 1 mês, não recebeu seu “pão” ainda.

  6. Marcelo
    5 anos ago

    Fugindo um pouco do assunto gostaria de saber porque o Aeroclube de Araraquara não se faz VOO SOLO..você voa ate tua ultima hora com um INVA ao teu lado, mas não sozinho. Seria medo da instrução não ter sido suficientemente boa para isso ou outro motivo? Imagine um sujeito que tenha a intenção de obter apenas o PP, como seria a situação de um futuro piloto com o Breve na mão e nunca ter feito voo solo… o INVA também fica proibido de deixar o aluno piloto a fazer a inspeção externa sem a presença do mesmo, ou seja só quando o INVA estiver ao lado da aeronave o aluno pode fazer a inspeção. Os INVAs também voam com muita pressão pois qualquer descuido esta demitido,

    • Vergonha
      5 anos ago

      Olha a questão de Voo solo em Araraquara não está como na maioria dos lugares na mão dos INVAS, pois quando se consegue liberar algum aluno a direção finge q nada chegou a eles, como se ouvia, feche os olhos. Não misture a instrução com o poder de não poder instruir.

    • Vergonha
      5 anos ago

      A questão da inspeção são ordens do Sr. Ivens e chefe de instrução.

  7. Vergonha
    5 anos ago

    Infelizmente não há respeito, como citado acima, vc se sujeita a ganhar 15/h ou fica em casa assistindo tv. Se aproveitando desta situação várias instituições oferecem suas horas de Voo, em troca de “comida”..
    A questão em Araraquara, eu vivi de perto, e conhecendo alguns instrutores que já passaram por lá, digo: a instrução apesar do salário é boa, porque o instrutor quer fazer o máximo, dentro do que se é permitido, para ensinar o aluno.. Mas nem tudo é alegria, pois alguns dependem daquele mísero salário pago para se manter.. Quando se aceita voar pelo acordado, não se espera que fique sem receber quase 1 mês, ouvindo que tem uma fila para entrar, e sendo cobrado pela uma boa instrução.. Sendo que nem podemos passar uma notificação de Voo, e navegar quase q totalmente por cima de estradas, e no máximo 2h de tempo total.. Sem contar que não há headsets(fones).. Quando questionado, digamos que a desculpa é o preço pago pel hora, que pague mais e voe como quiser.. Manutenção? Normal passar mais de 20h? Sou iniciante neste mundo da Aviaçao, mas algo esta errado..

  8. Miguel
    5 anos ago

    Entrem na página do Facebook desse “aeroclube” e vejam a enormidade de alunos ou pretendentes à ex-alunos tentando vender as suas horas que já haviam sido compradas. Tem aluno que está lá faz quase 1 ano e não conseguiu acabar o PC. Parece que nem vendendo horas à 180 reais tem gente querendo ir pra lá, pois já sabem das dificuldades e problemas. E outros querendo sair à qualquer custo. Daí vemos um contraste com escolas mais renomadas “XPTO” que cobram mais caro porém entregam um serviço de primeira, estrutura, respeito e preocupação com alunos e formação no prazo. Como diz o velho ditado: “o barato sai caro…. mas muuuuito caro”.

  9. Miguel
    5 anos ago

    Acessei o site desse “Aeroclube” e pude perceber que eles estão migrando aquela entidade para a sua empresa jurídica (Fenix). Será que essa manobra seria para apagar a péssima imagem daquele lugar? Como ficariam os aeroboeros que pertencem à união e somente aeroclubes podem operar? Será que irão continuar mordendo dos dois lados, ou seja, os boeros vão pra própria oficina o Ivens e ele mandando a conta pra Anac pagar? Todo mundo sabe que aquele cara faz “milagre” lá. E os coitados os Invas vão continuar a receber 15 paus a hora? Tem coisa muita errada por lá!!

  10. Kaue
    5 anos ago

    Infelizmente, é isso que esta acontecendo com os nossos profissionais, passei pelo aeroclube de araraquara, e venho dizer, a pior experiencia da minha vida…. Lembrando sempre. O BARATO SAI CARO.
    Sou instrutor de voo no paraná, e sinceramente, tenho pena de quem trabalha no aca, talvez nao pelo valor ganho, mas sim pela ignorancia, irresponsabilidade, e didatica alguma de seus diretores se é que voces me entendem quem…
    Inva tem que ser valorizado, profissional, e claro bem remunerado, afinal, voar 80 horas por ex de boero, tgl. Pra quem voa sabe que isso nao é brincadeira e cansa muito..
    Sem mais o que dizer.

  11. Gabriel Albamo
    5 anos ago

    Sou piloto de avião e inva também, tenho amigos que estão dando instrução no AEROARA e alem de ganhar essa porcaria de salario, eles estão sem receber a quase dois meses!

  12. Paulo Roberto
    5 anos ago

    engraçado galera tem tantas coisas errada neste país quando
    aparece alguém para se dedicar a aviação aonde nem o próprio país
    da a devida atenção a galera mete o pau educação se aprende em casa
    conhecimento se busca temos que rever nossos conceitos. Paulo
    Roberto.

  13. Lucas
    5 anos ago

    Aeroclube de araraquara nao tem defeito, apenas invas que
    recém se formaram fazendo a sua parte.

  14. Augusto Gentile
    5 anos ago

    Pessoal, na MINHA opinião, a coisa é mais simples do que tem se discutido…
    Existem dois tipos de pilotos:
    Os que tem condições de ficar parado (família segura as pontas);
    E os que tão com os filhos em casa olhando pras panelas;
    Em síntese, EU ACHO que não se deve execrar ofertas… basta aceitá-las ou não.
    EU tenho condições de ficar em casa esperando que o mercado melhore, mas não posso exigir que um inva desesperado, vendo suas carteiras vencerem, parado na vida tenha a mesma atitude que alguns de nós. Seria como dizer “desista do seu sonho, para que a classe seja valorizada”.
    Eu acho que deveríamos é achar uma solução para o problema do que ficar nesse “chove não molha”. Porque não reunimos aí uns 5 ou 6 invas e criamos um sindicato? Aí, podemos ter uma posição legal, decretar piso mínimo da categoria, direitos e deveres… enfim, ter mais poder de negociação?
    Se ficarmos nessa, podem ter certeza que a coisa não vai mudar… e daqui a pouco, vai ter gente se oferecendo pra voar de graça, só pra ter experiência recente…

    • Rubens
      5 anos ago

      Infelizmente acho que voce tem toda razão é a lei de
      mercado, na falta TODO profissional é requisitado e valorizado,
      porém quando SOBRA mão-de-obra o quadro se inverte. Na minha
      humilde opinião, o buraco é mais embaixo, o que esta errado é o
      fato de, na maioria dos casos, o primeiro emprego do recém-PC ser
      INVA para fazer horas. A instrução deveria ser dada por quem tem
      experiência e não por quem precisa acumular experiência. Instrução
      nos moldes atuais é bico, é emprego temporário, é estágio, enfim é
      tudo que não deveria ser. O INVA está desvalorizado, não tem
      sindicato porque a maioria dos INVAS sentem-se estagiários não se
      enxergam como uma categoria profissional. Vendo-se como estagiários
      aceitam ajuda de custos como estagiários. Eu acho, de novo na minha
      humilde opinião, um piloto com 200horas de vôo deveria estagiar do
      lado direito de um PLA não de um Piloto-aluno. Na maneira como está
      misturando estagiários com VERDADEIROS INVAS todos saem
      perdendo

  15. Romário-11
    5 anos ago

    O modelo poderia ser melhor se o aerclube ou escola cobrasse um valor fixo p o aluno,mas q excluísse a remuneração do instrutor,deixando-o livre pra cobrar do aluno.
    Dessa forma,dependendo de alguns fatores tipo localização geográfica (SP naturalmente mais caro e por aí vai), experiência do inva (se o cara pode agregar mais qualidade a instrução), tipo da instrução (vfr,ifr,mlte,glass,etc), um inva poderia colocar a sua própria precificasao. E num segundo momentos,os invas de uma área X poderiam estabelecer seu próprio piso,sendo q aqueles q cobrarem menos correm um alto risco moral de serem queimados. Não sei se concordam,mas tem alguns lugares q essa estratégia funcona…

  16. carlos barros
    5 anos ago

    Meu filho em 20 dias checou PP na Ej; e tem mais, lá voar solo é normal. Manutenção das aeronaves impecável, excelentes INVAS. Acompanhei tudo de perto.

  17. jordialisson
    5 anos ago

    Interessante o argumento do ivens de que 1200 por meio turno e um bom salário, mas realmente 15/h é bucha, eu sou super novato na aviação, e percebo que nossos aeroclubes são desorganizados, acredito que o que falta é organização. Fiz um panoramico em uma aeronave de matricula *r-*** e no site do aeroclube estava voe na nossa aeronave *t-*** parece bobagem, mas é um exemplo de desorganização.

  18. Cmd solo
    5 anos ago

    Voei no ACA e bruto é pouco pra ele. rs

  19. Humberto Rodrigues
    5 anos ago

    Então 35, 15, 50, etc… O vôo de instrução é um vôo de maior risco? Sim! Se o INVA se acidentar com o aluno e ter de ficar afastado da instrução, quem o manterá? O Aeroclube? O INSS? Ele mesmo? A família? Ninguém nunca pensa nisso.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Pois é, vc esta tocando num ponto importante, que é a forma de contratação dos INVAs na maioria dos aeroclubes. Do jeito que a coisa está, é totalmente irregular, e nem cobertura do INSS esses profissionais têm!

  20. Rogério Aviador
    5 anos ago

    Essa foi boa Raul. Aeroclubes “Low cost, Law fare”. O slogan seria “você voando no fio da navalha” ou “fazendo roleta russa nos ares”.

    Brincadeiras a parte pessoal, acho que este é um caso que teve a “má sorte” de parar aqui no PSP. Mas será que pelo Brasil só existe o ACA fazendo isso com os instrutores?

    • Pedro Elton
      5 anos ago

      Infelizmente não, tem lugares piores…
      Tem um Aeroclube no Rio Grande do Sul onde para ser instrutor vc precisa trabalhar antes como “prato de boia” por um tempo.

      O lugar tem uma fila de instrutores para trabalhar lá, a hora é cara d+, um Aeroboero chega a mais de 350 reais a hora, e os instrutores não são tão bem pagos como na QNE em Maricá onde um inva ganha R$35/h no C152 e R$70/h no Seneca ou aqui em Fortaleza onde pagam R$40/h, uma vez perguntem a um dos pratos de boia que me disse que o valor é R$20,00 a hora dos menores e algo a mais pro Seneca e Arrow.

      Vc precisa checar todas as carteiras lá, e se quiser ser instrutor precisa trabalhar limpando hangar, lavando avião, varrendo o lugar, dirigindo para o aeroclube, fazendo os pagamentos e serviços bancários, capinando com aparador de grama ou inchada, etc… Uns começam desde o PP, mas a maioria já checado PC MULT IFR se presta a isso tudo pra ter uma vaga como inva.

      Após o tempo necessário que varia de acordo com a fila de espera e as vagas que vão surgindo, quando chega a sua vez vc passa por uma entrevista que pode terminar com, “NÃO, VC NÃO PODE SER UM DE NOSSOS INSTRUTORES.”

      Aconteceu com um grande amigo meu que trabalhava de sol a sol e quando chegou a vez dele, não foi admitido.

      Aeroclube de Eldorado do Sul. Lugar extremamente organizado, e super indico a quem quer fazer curso teórico lá, já que alem de alojamento de graça tb dão 3 ou 4 excelentes refeições por dia. Mas tem esse grande defeito para quem quer ser instrutor lá e voar Paulistinha, Aeroboero, Cherokee, Tupi, Arrow(Só os mais antigos voam) e Seneca(Só os mais antigos voam).

      • Rogério Aviador
        5 anos ago

        Qur triste cara. Isso ta mais pra escravidão moderna ou um “processo seletivo” muito maluco. Mas é como o Raul disse, nunca 100% dos INVAS iriam fazer um protesto de cruzar os braços e não fazer mais voos enquanto não melhorarem as condições para eles, sempre haverá um ou outro que vai pensar “eu é que não vou ficar parado” e é ai que o dono ou presidente do aeroclube se aproveita da situação. Acho que já passou da hora de ter uma regulamentação pra essa classe, com piso salarial e tudo mais. Só que ai já entra outro problema. Se estabelecido um piso salarial X, alguns aeroclubes “low cost, low fare” concerteza irão deixar de existir, pois teriam que aumentar a hora de voo e certamente alguns alunos não aguentariam pagar. Que bagunça.

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          Pois é, mas eu acuo que dá para pagar os INVAs dignamente, e ainda assim ser low cost. Se subir a hora de voo de R$150 para R$180, inviabiliza o negócio? Eu acho que não.

          • FABIAN SOUSA
            5 anos ago

            É extremamente incompreensível e inadmissível que este
            cidadão se apresente na mídia como chefe dos instrutores do
            Aeroclube de Araraquara; Será se este cidadão nunca foi empregado?
            nunca precisou pagar as contas dele? nunca precisou sustentar a
            familia dele? Este senhor deveria colocar o cérebro pra funcionar e
            oferecer o preço médio de mercado, e elevar a hora de 150 para 180
            ou 200; nessas condições tenho certeza que os invas trabalhariam
            satisfeitos e os alunos pagariam os 200 reais/hora sem reclamar.
            outra coisa : os invas novatos não possuem poderes para realizarem
            pousos e decolagens!!!! se o próprio aeroclube forma estes invas e
            não confiam neles??? que formação é essa? Sr. Ivens?

  21. Cmte Sales
    5 anos ago

    Tenho acompanhado a formação do filho de colega de profissão neste aeroclube em questão e quando conversamos ele mencionou que realmente a qualidade da instrução é boa, as aeronaves são de propriedade da escola Fenix que estão atualmente arrendadas para o aeroclube. Aeronave do aeroclube são apenas dois Aero Boeiro. As inspeções são realizadas em um hangar escola sediada em araraquara mesmo. Só que ele reclamou e desistiu de voar lá pois que voa-se muito pouco. A promessa de pelomenos 2 hroas por dia e se voa apenas 2 horas por semana quando dá. Uma fato que me endaga é de como o ACA pode vender horas de 172 visuais por 200 reais e IFR por 400? Sendo o gasto o mesmo, mudando apenas a regra de voo.. isso muda também no salário dos instrutores? o instrutor é diferenciado pois tem IFR? E as manutenções são feitas a onde? Eu já acompanhei alguns aeroclubes na minha carreira e pude perceber que não existe milagre na aviação, tudo tem custo elevado. Magica ainda não é possivel…. Deve ser por isso que estão a procura de instrutores fora da instituição, pois os que se formam por lá nem devem ficar.

    • Pedro Elton
      5 anos ago

      Eu voei em Araraquara e posso te tirar umas duvidas.

      A qualidade da instrução é boa e ao mesmo tempo ruin. Vc aprende o necessário com qualidade, mas o instrutor mete a mão de mais no seu voo e como o aluno não sola e ainda assim sai com uma carteira de piloto.

      Quanto as aeronaves eu acho que são impecáveis, nunca vi nenhum problema sério com elas e o avião que eu voei, apesar de ser 1966 mas era mto mais novo que os 1980 que voei posteriormente em outro local, o custo é mto barato porque o Ivens é o marido da presidente, é instrutor, checador, mecânico e inspetor de manutenção e com isso ele elimina um monte de gasto com outros profissionais.

      No meu tempo eu voava 3h por semana, porque os voos acontecem de segunda a sexta, E AS MANUTENÇÕES TAMBÉM, ou seja nos 20 dias uteis que um mês tem, cada avião só voa uns 14 por que nos outros fica parado nas revisões de 50h, 100h, etc. Que apesar de bem feitas demoravam muito para liberar os aviões. Desmarcavam meus voos para que outras pessoas mais próximas de checar pudessem ir embora, mas sempre tinham pessoas próximas de checar e sempre tinha gente chegando.

      Quanto a se eu recomendo ou não o Aeroclube de Araraquara eu digo que recomendo sim pra quem é da região e não tem nenhuma pressa em se formar PP ou PC, lá é muito, mas muito mais barato que qualquer coisa que já vi, e apesar da demora, dá pra voar, mas não recomendo de maneira nenhuma pra quem vem de longe e tem data pra voltar. É realmente um lugar pra quem não tem nenhuma forma de conseguir 40 ou 50mil pra checar um PC MULT IFR em outro lugar, mas com uns 30mil ou menos lá dá pra checar tudo isso. Vai levar muitos meses, e o custo de manutenção desse tempo todo pode pesar no bolso e se diluido em nas horas pode elevar o preço pra uns R$260 a hora, mas uma hora termina.

      Eu não penso em voltar pra lá, e não indico pra nenhum amigo meu que não seja da região…

      • Leonardo Engracia
        5 anos ago

        Olá, Pedro. Concordo com muito do que vc disse! Estou fazendo o prático de PP no Aeroclube de Araraquara e estou na minha quarta hora!

        Nas duas semanas que estou lá, já percebi que este negócio de voar 2 horas por dia (que é garantido por contrato) não vai rolar! O que percebi, pela média, é que se voa por volta de 3 a 4 horas por semana!

        Como você bem disse, definitivamente não é recomendado que pessoas que venham de longe e/ou que tenham pressa em terminar façam o aeroara, pois lá são muitos alunos para voar, e a escala não parece comportar voos todos os dias, muito menos as duas horas diárias! Para quem vem de longe e precisa largar tudo para morar em Araraquara, é angustiante mesmo e compreendo quando vejo colegas reclamando da demora. Nem por isto deixamos de ver um grande número de alunos de outros estados voando por lá. Tem até um venezuelano!

        Agora, para aqueles que moram na região, como é o meu caso (moro em Ribeirão Preto), e pode se deslocar para Araraquara, ou voltar para suas cidades com mais facilidades, e que não tenham tanta pressa, aí eu recomendo veementemente o aeroara.

        O fato de não se voar todos os dias duas horas, particularmente, não me incomoda muito, porque eu acho que no conjunto da obra, o aeroclube de araraquara tem qualidades que fazem valer a pena o sacrifício.

        Um dos destaques é, sem dúvida, o excelente estado de conservação das aeronaves, no caso, os cessnas 172 (que eu voo) todos estão muito bem conservados, inclusive o cessna de 1966 (o PT-FMA) está bem melhor conservado do que muitos c 172 mais novos que eu conheci por aí (da mesma forma que você, Pedro, também tive oportunidade de voar outros dois c 172, mais novos em idade, mas bem mais velhos em conservação)!

        O ponto alto de lá é, como todos sabem, o preço. Acho que pelo preço acessível, o aeroara apresenta excelente custo benefício.

        Eu conheço um aluno, que fez algumas horas na mais conhecida escola de aviação do brasil mas que desistiu de lá, pois designaram um instrutor para ele que havia pego a carteira de inva uma semana antes de seus voos começarem! Poxa, se a pessoa pagou caro (muito caro, diga-se de passagem) para fazer num escola renomada e cara, o mínimo que se espera é que a instrução (e o instrutor) tenha um diferencial, e isto ele não encontrou lá! (nesta escola o diferencial maior é que se voa muito e checa em pouco tempo). Ou seja, nem na escola que seria a maior referencia e a que cobra mais caro se tem tudo perfeito, algo coisa sempre fica faltando.

        Falando em instrução, já tive contato com três instrutores lá e os três me impressionaram muito bem, são bastante profissionais, eficientes, didaticos, pacientes, enfim, “gente boa”, acredito que não devem nada para os instrutores de muitas escolas por aí.

        Assim, acho que pelo valor oferecido, o aeroara está de ótimo tamanho pelo que eles oferecem, até porque não me parece natural pagar o preço mais baixo do país para se exigir rapidez na checagem digna da escola mais cara. Minha percepção, pelo menos, é a de que eles fazem o que podem com o que tem nas mãos! Só acho que eles deveriam para de oferecer voar 2 horas por dia se não podem cumprir.

        A média de tempo que eu tenho ouvido dos alunos de lá é que se demora uns 50/60 dias para checar! Não sei, vou descobrir logo, aí eu conto para vocês.

        De qualquer forma, é aquela história, quem vai fazer aeroara tem que saber que paga barato e não tem perfumaria, mas o importante é que tem o que é necessário.

        Para mim, os requisitos mais importantes eles preenchem: segurança operacional (destaque para a manutenção dos aviões) e economia!!!

        O bacana do aeroara é o fato de que justamente eles tem preços acessiveis que permitem muita gente que não teria condições de pagar num aeroclube ou escola “normais” realizar o sonho de voar! Eu me incluo neste rol!

        Ainda tenho muito para voar lá, por isto vou ficando por aqui, já que sou novo lá, mas a medida que as coisas forem acontecendo, eu vou postando para vcs tirarem suas conclusões!

        Abraços e bons voos a todos!

        • Leandro
          5 anos ago

          Amigo, só acho que vc exagerou na puxada de saco. Boa parte
          eu concordo, porém dizer que o aviao que voei lá (FMA) esta ótimo
          dai vc forçou, pois a barriga do aviao vive “lavada” de óleo do
          motor que bebe mais óleo que avgas. Outra coisa é como os invas sao
          doutrinados pelo Ivens pra nao serem cordiais com os alunos, ou
          seja, ele proíbe intimidades até fora do Aeroclube sob pena de
          punição. Verdade ou mentira???? Tem outra, ouvi boatos que estes
          dias passados a Anac esteve lá e suspendeu as operações do
          Aeroclube, mas nao sei confirmar.

          • Leonardo Engracia
            5 anos ago

            Olá, Leandro.
            Discordo do termo “puxada de saco” usado por vc.

            Definitivamente, para início de conversa, eu nunca puxei o saco de ninguém na minha vida profissional ou na aviação, não vai ser agora que vou fazer isto!

            Segundo, eu não tenho absolutamente nenhum motivo para fazer isto! Não tenho qualquer relação com os diretores ou instrutores do aeroclube, não os conheço fora da vida do aeroclube, não tenho qualquer interesse pessoal, profissional ou qualquer quer seja em “puxar o saco” de ninguém.

            Se externar minha opinião foi interpretado como “puxada de saco”, lamento muito pela interpretação equivocada de sua parte à opinião que emiti. As pessoas tem opiniões e posição divergentes entre si, isto é normal. O que fiz foi expor a minha opinião baseado no que vejo lá no aeroara, pautado na minha pouca experiência de voo. Do pouco que sei e do pouco que vi, entendo que FMA está em ótimo estado, ainda mais quando tomo como paradigma os outros cessnas que tive a oportunidade de travar contato, como esclareci no meu texto.

            Eu não forcei quando disse que o FMA está em ótimo estado. Falei isto baseado no que vejo lá! Comigo não teve tempo ruim com ele, e não vi vazamento de óleo! tá certo que só voei duas vezes com ele, mas não tive nenhuma queixa! Pela idade do avião, acho que ele está em ótimo estado, principalmente quando comparamos com outros cessnas que tem por aí, e eu mesmo já vi o de um outro aeroclube que era uns quinze anos mais novo que FMA mas tava tudo remendado de qualquer jeito, péssimo aspecto!

            Compreendo que provavelmente quando vc voou lá o FMA poderia mesmo estar com vazamento, mas hoje, pelo menos do que eu vi, não tem mais.

            O que eu quero deixar bem claro é que eu não estou puxando saco de ninguém e concluir isto é um grande equívoco de sua parte, data venia. Eu apenas e tão somente quis contribuir com a discussão sadia acerca da polêmica colocando as minhas impressões, impressões estas de um aluno recém ingresso no aeroclube, por isto mesmo, estas impressões não estão livres de erro ou engano, até mesmo porque, com a experiência, com o passar do tempo e das horas de voo, a minha opinião pode mudar para melhor ou para pior, a medida que eu vou conhecendo com mais profundidade o aeroclube, até porque tenha a certeza de que se eu ver coisa errada no aeroclube, da mesma forma que falei bem deles, eu faria questão de falar também eventual ponto negativo encontrado, pois como disse, quero contribuir com a discussão, não bajular quem quer que seja! Por isto, falar que eu puxei o saco definitivamente não reflete a realidade das minhas palavras. Por favor, procure entender isto.

            Quanto a questão dos invas serem proibidos pela diretoria de ser cordiais, eu não posso opinar, pois não tenho conhecimento sobre este norma, se é que ela existe. Como já disse, sou novo lá, estou com sete horas de voo, sendo que voei com 4 instrutores diferentes, e não tive tempo de criar uma amizade com nenhum deles. É bem verdade que dos 4, 3 foram normais comigo, não foram cordiais mas não foram ríspidos nem nada! apenas ficaram na deles. Um deles, no entanto, foi superbacana comigo e já desenvolvi uma relação bacana com ele, mas não desenvolvi nenhuma intimidade fora do aeroclube com o inva em questão! vou prestar a atenção nisto e depois eu retorno para dar a minha impressão.

            Quanto a suspensão das operações, desde o dia 03 de dezembro, quando eu comecei o prático, não teve suspensão das atividades. Se ocorreu antes disto, eu nada soube e vou perguntar para os mais antigos, e quando tiver uma resposta, eu posto aqui!

            Grato!

  22. Ivens Meyer
    5 anos ago

    Sr Raul e participantes deste tema, como disse não temos a intenção de fomentar discussões respeitamos a posição de todos.
    Desejamos um Feliz Natal e um prospero Ano Novo com muito sucesso a todos em suas carreiras, que o ano de 2013 possa trazer muitas boas oportunidades de trabalho.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      A recíproca também é verdadeira, Ivens.
      A casa é sua para quando quiser voltar a tecer seus comentários.
      Um grande abraço,
      Raul

  23. roquini
    5 anos ago

    Raul,
    O problema também está na parte dos INVA’s, que, mesmo depois de gastar uma grana violenta e ter estudado MUITO, ralado bastante, se sujeitam a receber R$ 12,00/h.
    A “prostituíção” da carreira também é “nossa” culpa!

    • roquini
      5 anos ago

      R$ 15,00… que seja.

      • Raul Marinho
        5 anos ago

        Sim, mas o que o cara que já tem a carteira de INVA e está desempregado faz? Fica em casa vendo Sessão da Tarde até o mercado melhorar? Seria como sugerir para o boliviano ilegal do meu exemplo a não aceitar trabalhar por meio SM… E aí, fala pro cara voltar prá Bolívia prá morrer de fome?

  24. Adriano Saraiva
    5 anos ago

    Como você mesmo comentou Raul, infelizmente não é só um caso de ACA. Nossa cultura modelou esta triste realidade! Pelo menos agora com esta nova RBAC exigindo 200H em comando pra checar INVA, as coisas vão mudar. Quero ver acharem INVA no mercado pagando 15 pila. Sonho!

    • roquini
      5 anos ago

      Você realmente acha isso Adriano? Acha que, quem gastou aproximadamento R$ 100.000,00 para se formar INVA e HOJE aceita receber R$ 15,00/h, só pq terão que ter 200H em comando, não vão se sujeitar a receber os mesmos R$ 15,00?
      Eu acredito que esta mudança não ajudará neste ponto… nós que temos que nos dar mais valor e não nos prostituirmos…..

      • alexandre
        4 anos ago

        agora eu pergunto!quem ta falando isso ,so pode ser filho de papai,que tem dinheiro pra se manter, agora que nem eu que tenho que trabalhar pra manter meu curso e despesas ,tenho que aceitar sim
        se voce nasceu em berço de ouro ,parabens pra voce,mas eu nao nasci ,e batalho dia a dia pra me formar e graças a DEUS to na reta final e agradeço ao aeroclube de araraquara pela oportunidade e se puder e o sr IVENS permitir quero dar instruçao la

  25. Mano
    5 anos ago

    Eu não o conheço, mas amigos meus que voam lá dizem que o homem é Bruto!!!! rs

    • Vinicius Piassa
      5 anos ago

      Acredito que a discussão em pauta é “Casos dos INVAS que ganham R$ 15,00/hora” e não o tipo de pessoa que o Sr. Ivens Meyer é. Não banalizem um caso sério.

      Feliz Natal!

      • Mano
        5 anos ago

        Bom, por tudo que já ouví de ruim deste sujeito, eu pensaria mil vezes em trabalhar lá, então o patrão faz parte do caso sim!!! Não seja amargurado, foi em tom de brincadeira, Menos sensacionalismo, ok?

  26. Roquini
    5 anos ago

    Ansioso (e muito) pela tréplica do Sr. Ivens Meyer

    • Jonas
      5 anos ago

      Infelizmente a aviaçao esta mais prostituida que a informatica.
      Na minha cidade em Blumenau-SC tem Pilotos que voam seneca e Cirrus por 2500 reais por mes, isso é uma vergonha,se vc pede aumento, eles contratam outro, pq se eu nao quero voar por 2500 reais tem 15 na fila que querem…..
      A raça de aviadores precisa se unir e começar cobrar o justo….

Deixe uma resposta