Sala AIS do Campo de Marte estaria sendo desativada

By: Author Raul MarinhoPosted on
717Views13

Na tarde de hoje, recebi três e-mails de fontes diferentes, dizendo que a sala AIS do Campo de Marte estaria sendo desativada, com o atendimento passando a ser exclusivamente via internet (AIS-web) e telefone, pela sala AIS de Congonhas – mais ou menos como aconteceu com o atendimento presencial na ANAC, que deixou de ser “ao vivo e à cores” para ser via internet e 0800 alguns anos atrás.  Ainda não possuo uma confirmação desta informação, e é esta a razão deste post estar no futuro do pretérito – mas, ao que parece, é isto mesmo o que vai ocorrer. A data para esta mudança entrar em vigor seria 19/01/2013 (se o mundo não acabar no Apocalipse Maia de 21/12/2012, obviamente). A seguir, reproduzo o texto do e-mail que está circulando na rede sobre este assunto:

Acabei de ser informado que a SALA DE TRÁFEGO (SBMT) será DESATIVADA, contando apenas com apoio meteorológico. Não mais serão aceitos Planos de voo pessoalmente ou por telefone, tais planos deverão ser feitos diretamente para a AIS (SBSP). Nunca vi em minha carreira de Piloto nenhum aeroporto controlado sem uma sala AIS.

Parece uma coisa simples, mas o que representa para as operações em SBMT?

1 – Quando da implantação dos SLOTS temporários em SBMT a impossibilidade de se fazer planos ou notificações utilizando SLOTS de oportunidade, a não ser que nos dirijamos pessoalmente para a SALA AIS DE CONGONHAS (SBSP).

2 – A sobrecarga de ligações para SBSP, que absorverá todos os planos e notificações de SBMT.

3 – A clara intensão de desestimular a utilização do Campo de Marte e de Congonhas para as operações aéreas da aviação executiva, através da dificuldade operacional. Será  impossível os operadores de Congonhas absorverem todos os planos e notificações de SBMT e SBSP simultaneamente.

 

13 comments

  1. Não se desativa um aeroporto, sem que o terreno seja preparado antes! Mensalão à vista!

  2. Gustavo
    5 anos ago

    Estao mesmo querendo acabar com a aviaçao geral e executiva, que vergonha esse Brasil, quando os governantes vao entender que para o pais crescer vao precisar de uma aviaçao descente.

  3. Fred Mesquita
    5 anos ago

    O povo brasileiro queria e desejava a aviação sendo administrada por civis, em vez de militares. Essa é a questão. Na falta de pessoal, a ANAC resolve tudo na base da internet sem se precaver dos possíveis erros operacionais, que inclusive não é aceito por parte dos operadores aéreos, mas os erros deles somos obrigados a aceitar.

    • amgarten
      5 anos ago

      Fred, neste caso especificamente a Anac não tem culpa e/ou ingerência. Sejamos justos. De qualquer forma esta medida, caso confirmada, é terrível sob todos os aspectos.

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      As salas AIS são de responsabilidade do DECEA, que por sinal é um órgão militar. E o DECEA tem jogado contra a aviação geral tanto quanto a ANAC… A propósito, os hospitais militares têm prestado um péssimo serviço para nós, e são militares. Não acho que o problema da ANAC seja o fato de ela ser civil, o problema é a excessiva interferência política, como o Cássio falou.

      • Júlio Petruchio
        5 anos ago

        O problema de se ter militares “mandando” no Espaço Aéreo (Brasil, o único país do mundo onde se adota esse modelo, salvo países ditatoriais e comunistas) e em outras áreas que por conceito não tem nada haver com eles é esse: acharem que essas áreas e Espaço Aéreo são quintal do quartel de onde eles estão e resolverem tudo na base da “canetada” sem ouvir as partes envolvidas (será que eles conhecem o termo “Audiência Pública”?), como se essas fizessem parte da hierarquia militar abaixo deles. Gostaria de saber em qual ou quais informações verdadeiras e científicas eles se basearam para tomar essa atitude no mínimo “equivocada” (para não adjetivá-la de outra coisa) de extinguir a Sala AIS-MT.

        • Raul Marinho
          5 anos ago

          Provavelmente, na “informação científica” de que a Sala AIS de Marte custa R$Xmil/ano, e que eles precisam cortar custos… A idéia é a seguinte: alguém lá do DECEA deve ter pensado mais ou menos assim: “Se os civis estão c@g@ndo para nós, e nos deixam sem caças para voar, vamos c@g@r para os civis, e deixá-los sem recursos também”. Entre cortar custos na aquisição de materiais para os quartéis, e cortar uma Sala AIS “de riquinho” (como é visto o público da aviação geral), onde vc acha que eles irão mexer?

          Agora… Quero ver a APPA, o que vai fazer quanto a isso. Mandar outra cartinha mostrando a chateação dos “riquinhos” (apoiada pelos praticantes de asa delta, de paraquedismo, etc) prá titia Gleisi? Como sugeriu o meu amigo Beto Arcaro, eles poderiam aproveitar o momento e mandar uma cartinha para o Papai Noel. Acho que tem mais chances de surtir algum efeito, mesmo porque eles têm se comportado direitinho.

          • Júlio Petruchio
            5 anos ago

            E a ABAG? Associação Brasileira da AVIAÇÃO GERAL?!?!?! Representa apenas os interesses de quem quer “fazer feira”???

            • Raul Marinho
              5 anos ago

              Pois é… Se eles não assinaram a tal da cartinha da APPA, é bem possível que o interesse da ABAG esteja realmente restrito à LABACE.

  4. Humberto Rodrigues
    5 anos ago

    Estão fazendo como as prefeituras loteadoras de aeroportos fazem:

    Os Inviabilizam operacionalmente para depois matá-lo… 

    Com a palavra, nossas associações representantes!

    • Bustani
      5 anos ago

      Palavra das associações representantes:

      • Gustavo C.
        5 anos ago

        Já ouvi falar (no ACSP) que a sala AIS é sub-utilizada, inclusive pela dificuldade de acesso (é proibido ir por dentro dos pátios, tem que se dar a volta por fora do aeroporto). Mesmo assim achei a notícia bem estranha.

Deixe uma resposta