Bolsa do ProUni no curso de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS

By: Author Raul MarinhoPosted on
762Views10

Segue abaixo um texto que acabei de receber, de um bolsista do ProUni que está cursando a PUC-RS. Trata-se do assunto que começamos a discutir neste post, e depois evoluímos para este aqui. Comento na sequência.

Boa tarde Raul Marinho
Meu nome é Fulano de Tal, tenho 20 anos e sou aluno da Faculdade de Ciências Aeronáuticas da PUCRS e Bolsista do Programa Universidade para Todos (PROUNI).
Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo excelente blog que você possui e pela excelência das informações que são prestadas. Estou lhe enviando este e-mail para comentar e colocar a minha situação com relação à matéria publicada pelo Jornal Zero Hora de Porto Alegre, que foi abordada e comentada em seu blog, e que trata do problema vivenciado pelo meu colega Volney.
Desde o início do ensino médio eu já sábia o que queria fazer após conclui-lo; Ingressar na faculdade de Ciências Aeronáuticas da PUCRS e atingir o meu maior objetivo que era de me formar piloto em uma das melhores instituições do país. Sabia dos gastos inerentes a tal escolha, sabia também da existência da bolsa do Prouni e que ela não contemplava as horas práticas de voo. Da mesma maneira que o meu colega está reivindicando agora, pensei em fazer, porém quando eu ingressei no curso já havia obtido através da ANAC uma bolsa para custear parte da formação de Piloto Privado, pensei que seria possível fazer o mesmo com o curso de Piloto Comercial. Infelizmente tal bolsa não foi colocada novamente à disposição. Por isso tive que correr atrás e conseguir dar um jeito para custear o curso prático de PC MLTE IFR, requisito para a conclusão do curso de CA.
A pergunta que você deve estar se fazendo é que jeito foi esse?
Bem, inicialmente quero deixar claro que ao contrário do que você mencionou no blog, eu não estou pedindo esmolas e muito menos fraudei o programa. Meus pais são separados, minha mãe é aposentada e trabalha como costureira e meu pai, que não vive conosco, trabalha como mecânico e é aposentado. Fazem parte do meu grupo familiar minha mãe, meu irmão e eu,atualmente vivo em Porto Alegre, onde estou cursando CA, temos uma renda familiar por mês um pouco maior que a do pai do meu colega. Recebemos também uma ajuda de custo do meu pai.
Todos nós sabemos o valor que um curso completo de PC MLTE IFR tem, e obviamente alguém que se encaixa nos requisitos do PROUNI (um salário mínimo e meio por membro da família) não teria condições de arcar com tais despesas. Contudo, no meu caso estou tendo ajuda de parentes que vendo o meu esforço em conseguir atingir meu objetivo, prontamente se disponibilizaram a ajudar. Se não fosse essa ajuda, estaria na mesma situação do Volney. Você pode estar se perguntando, mas eles não teriam condições de lhe ajudar a pagar o curso completo, acadêmico e horas práticas de voo? Primeiramente, se eu sou considerado apto a receber bolsa do Prouni, acredito que devo fazer uso desse direito. Não existe nenhuma obrigação dos meus parentes em ajudar a custear isso, seria abuso de minha parte e um certo desleixo deixar de usufruir este benefício e pedir ajuda a eles. Segundo, é um direito meu, sempre estudei em escola pública e convenhamos, sabemos a qualidade deste tipo de ensino em nosso país e o quanto um aluno precisa se esforçar para realmente aprender algo e ter condições de se candidatar a qualquer bolsa em uma universidade de ponta em nosso país. Terceiro, penso que todo o esforço dos meus pais, que me incentivaram a estudar e nunca desistir dos meus sonhos independentemente das dificuldades, não pode ser em vão.
Antes de ingressar no curso de Ciências Aeronáuticas e me candidatar à vaga, pesquisei, corri atrás e sabia exatamente quais seriam os custos, sabia que era necessário um número de horas de voo para ingressar, sabia dos custos inerentes a CIV, CCF (CMA), valores de hora de voo e tantos outros, fui no aeroclube e conversei com pilotos e instrutores de voo. Desde então fui me preparando, tendo certeza que se fosse necessário arcar com estes custos, daria um jeito e encontraria uma saída. Tanto eu e minha família estamos abrindo mão de muitas coisas para que isso seja possível. Quando entrei sabia exatamente onde estava me inserindo, em nenhum momento fui pego de surpresa. Acredito que é preciso se informar antes de assumir qualquer empreendimento.
Também achei e continuo achando algo fora de nexo, ofertar uma bolsa sendo que o aluno não terá condições de concluir o curso. Espero que o Governo Federal, MEC e ANAC tomem alguma providência para que futuros alunos consigam ingressar e concluir o curso sem depender de auxilios externos. Também espero que estes futuros alunos, realmente aproveitem a chance que será concedida e façam jus a oportunidade e ao investimento que estão recebendo e não desistam na primeira dificuldade que encontrarem.
Outro ponto que eu queria deixar claro aqui é a visão um tanto quanto destorcida que muitas pessoas têm, de fora do curso de ciências aeronáuticas, com relação aos alunos que lá estudam. Talvez existam pessoas com um poder aquisitivo elevado e que estejam tendo facilidade em arcar com os custos do curso, não sei. Mas uma coisa tenho certeza,na minha turma grande parte dos alunos está financiado os custos acadêmicos, e correndo atrás para conseguir arcar com os custos da horas de voo, seja pedindo emprestado para amigos e parentes como eu estou fazendo, financiando parte do valor ou vendendo bens adquiridos pelos país. Antigamente o curso era acessível apenas a alta sociedade, hoje acredito que já está muito mais acessível, seja através de financiamento (FIES ou CREDPUC) ou bolsa do Prouni, apesar das horas de voo não estarem incluídas.
Finalizando gostaria de dizer que independente das dificuldades, temos que correr atrás dos nossos objetivos e jamais desistir. Também sou de origem humilde, meus pais são aposentados e continuam trabalhando para que seja possível arcar com os custos de vida em Porto Alegre, que também não é fácil, pois não moro em cobertura ou apartamento de luxo. Bem, espero que meu colega continue lutando e não desista, pois essa é só uma das dificuldades que essa belíssima profissão nos impõem.
Muito obrigado, um feliz e próspero ano novo a você.

Comento

Eu acho louvável o esforço deste aluno, assim como dou os parabéns aos leitores que relataram ter demorado 10, 12, 13 anos para se formar PC, trabalhando de garçom para juntar dinheiro para as horas de voo, etc. Só que isso não muda o fato de que deveria haver opções de bolsas e/ou financiamento aos estudantes de aviação – não só do governo, mas da própria comunidade aeronáutica. Volto a dizer que nenhuma outra profissão é assim, por que só a aviação requer que o sujeito se vire como garçom para pagar a formação, ou faça um esforço familiar coletivo, como no caso acima? Deem uma olhada neste post, e vejam como um aluno de aviação americano paga sua formação. Por que a gente não pode fazer o mesmo?

10 comments

  1. Arthur Carvalho
    4 anos ago

    Olá, pessoal. Segue abaixo um e-mail enviado por mim hoje ao Governo! Espero sinceramente que de alguma forma isso chegue aos “cabeças”. Precisamos mudar esta situação. Como o pai de Volney disse, “Não é possível que só gente rica pode se formar piloto nesse país”.

    ———————

    Olá a todos os representantes, secretários e possíveis funcionários públicos que possam estar lendo este e-mail!

    Meu nome é Arthur Carvalho, tenho 19 anos, sou estudante e bolsista do ProUni do curso de Engenharia Química em uma IES em Minas Gerais. Primeiramente gostaria de parabenizar o Governo federal pela iniciativa e manutenção do ProUni, que vem sendo um programa sustentador de muitos estudantes brasileiros que sonham em ingressar em um curso superior. Atualmente estou morando no Canadá através do Ciências sem Fronteira e quando dizemos aos nossos amigos que estamos aqui totalmente financiados pelo Governo os mesmos ficam extremamente espantados e dizem que somos muito sortudos em poder gozar deste benefício. Mas enfim, estou aqui hoje para discutir uma situação muito desagradável que vem ocorrendo com os alunos bolsistas do ProUni do curso de Ciências Aeronáuticas. Acredito que já seja do conhecimento do Governo que o curso de Ciências Aeronáuticas extende-se não somente à carga horária das universidades, mas também às horas práticas de voo que os alunos devem cumprir a fim de receber o bacharel de Ciências Aeronáuticas ao fim do curso. A maioria das universidades de Ciências Aeronáuticas hoje entendem que o curso prático de voos é um requisito básico da graduação e sendo assim o aluno só recebe o seu bacharel, a sua graduação, quando concluir o curso prático. Sendo assim, muitos alunos estão impedidos de formar porque não têm condições de pagar pelo curso prático. E aí vem a pergunta: Se o ProUni é um programa predominantemente voltado à classe inferior brasileira, qual o sentido de existir o ProUni para o curso de Ciências Aeronáuticas se o curso prático do mesmo não é ofertado pelo Governo? Qual o sentido de ofertar uma bolsa a um aluno de baixa renda se o mesmo não tem condições de pagar pelo curso prático? Tudo não faz sentido algum, se é que vocês me entendem. Desta forma, estes mesmos alunos que sonharam e ficaram extremamente felizes quando receberam a bolsa do ProUni para Ciências Aeronáuticas estão tendo seus sonhos cortados pela metade, pois não poderão obter o bacharel caso não concluam o curso prático. A bolsa do ProUnu perde totalmente o sentido de sua existência caso essa situação permaneça. Para quê ofertar uma bolsa no qual o aluno não pode concluir o curso? Se o aluno é bolsista do ProUni, de baixa renda, como é que este aluno pode levantar um montante de R$70.000,00, praticamente à vista, para pagar o curso prático? Eu espero realmente que vocês estejam acompanhando a minha linha de pensamento.

    Outro fator relevante é que temos lido nas redes sociais e jornais que o setor da aviação sofrerá grande escassez de pilotos e tripulantes num futuro próximo. Temos lido que as estatísticas dizem que o número de licenças de piloto emitidas pela ANAC vem caindo nos últimos anos. A demanda de formação de pilotos não está crescendo proporcionalmente ao crescimento do mercado aeronáutico brasileiro. Cogita-se até em “pescar” pilotos estrangeiros nos próximos anos. Será que não é aí que está o problema? É mesmo justo contratar pilotos estrangeiros sendo que muitos BRASILEIROS estão com seu curso impedido de ser concluido por inexistência de recursos?

    Se a oportunidade existe, se o ProUni existe, é de fato entendível que o aluno deve receber condições básicas do Governo de CONCLUIR seu curso e assim receber seu bacharel. E infelizmente isso não está ocorrendo no cenário atual. Eu como estudante peço encarecidamente que vocês leiam este e-mail, que se coloquem no lugar dos estudantes que estão tendo seus sonhos fuselados, e que se sintam parte de um estudante sonhador, BRASILEIRO, e que nada mais quer do que se formar e seguir nessa profissão brilhante chamada Aviação. Esperamos que o Governo tome uma decisão imediata, pois do jeito que está, a bolsa do ProUni para o curso de Ciências Aeronáuticas perde totalmente o sentido de sua existência. Não há nexo em tê-la disponível à classe média/baixa brasileira.

    Eu sou brasileiro, com MUITO ORGULHO, amo o meu país, e os meus olhos enchem de água quando eu lembro, sinto e percebo como é bom ser Brasil, ser brasileiro. Defendo-o como se fosse parte de mim. E de fato é! Eu sei o quão potente o meu país é e sei que esta situação pode ser mudada. Basta querer! Estou aqui hoje em nome dos meus amigos brasileiros que estão passando por este problema. Vocês podem perceber que a causa não é minha, pois sou estudante de Engenharia Química, mas estou representando uma causa do povo brasileiro, do nosso piloto brasileiro, do nosso Brasil.

    Mais uma vez agradeço pelo espaço e peço que você que tenha recebido este e-mail, por favor, faça-o chegar a quem realmente possa mudar esta situação. Por favor, não permita que esse e-mail seja apenas mais um e-mail recebido por um estudante brasileiro e que brevemente será posto na lixeira. Tenha certeza que dessa maneira você estará contribuindo imensamente para o sucesso e sonho dos nossos futuros pilotos brasileiros.

    Com os meus melhores cumprimentos,

    Arthur Barbosa de Carvalho

  2. Arthur Carvalho
    4 anos ago

    Pessoal, alguem pode me passar o e-mail de algum estudante de Ciencias Aeronauticas da PUC-RS? Estou querendo ingressar atraves do ProUni, mas nao tenho ideia de quanto seja a note de corte. Se algum de voces souberem, por favor tambem agradeco. Obrigado!

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Por que vc não entra em contato com a secretaria da faculdade? Não seria mais fácil e confiável?

      • Arthur
        4 anos ago

        Eles não fornecem essa informação, muito menos e-mail de alunos. Mas obrigado por me ajudar, de qualquer forma.

    • Isabela Fernandes
      11 meses ago

      Oi Arthur, descobri que a nota de corte para o curso de ciências aeronáuticas é de 731.00 pra baixo!
      Agora comentando sobre o post, assim como muitos aqui, eu tenho um grande sonho de me tornar piloto de avião, eu sei que é muito caro, eu não tenho esse dinheiro, mas a vontade ainda é grande! Todo mundo fala pra mim desistir, mas eu penso, como pode ser impossível realizar esse sonho, eu sei que alguns pilotos vieram da humildade, e hoje trabalham em ótimas companhias aéreas, por que nós não conseguiríamos!??
      Oque eu puder fazer pra mudar o sistema sobre esse curso, eu vou fazer!

  3. Edmundo Filho
    5 anos ago

    No meu caso tinha que trabalhar vendo pastel no trailler móvel (de segunda a sexta ate 09hrs da manhã até 23hrs da noite) da minha mãe por quase 3 e meio, e os domingos vendia pastel na feira livre começava de madrugada e ia ate 15hrs da tarde

    Foi uma época muito sacrificada, por não ter tempo para minha vida pessoal. Só que financeiramente consegui chegar ao meu objetivo.

    Infelizmente não tenho dinheiro para fazer a faculdade, o meu objetivo foi em ter o valor para PC-MULTI-IFR e intercambio. Faculdade talvez fique para o futuro : )

    Pois moro em uma cidade pequena, e todos me conhecem, e algumas pessoas me pergunta sobre o curso e sobre, sobre valores…e ficam surpreso e saber de valores de investimento na carreira.

    Sou de família humildade de financeiro, filho de UMA (mãe) pasteleira.

    Acredite em você, o seu sonho é seu, corra atrás sacrifique o que você puder.

    Sucesso Para Todos, Feliz Ano Novo.

    Parabéns pelo seu Blog, é algo formidavel poder ver aqui, pessoas que tem o mesmo propósito de vida de ser Piloto, digo q seu empenho de dedicar ao seu tempo de ler, escrever, editar as materias aqui postada é algo, incomensuragevel- dificil de descrever em palavras.

    Edmundo Filho

    • Rogério Aviador
      5 anos ago

      Realmente, desistir jamais. Pelo contrário, estas dificuldades só nos tornam masi fortes e otimistas.

  4. Na minha visão, não existe programas regulares pra custear formação de pilotos profissionais pelo simples fato de a aviação ter custos altos, lucros achatados, e prestar serviço somente à menor parcela da população, que é a classe média alta (usuários das cias aéreas) e os ricos (proprietários) . Pro governo, voto de rico não tem tido muita importância. Vimos isso nas três últimas eleições. Assim, nenhum nobre parlamentar se interessa pela “nossa causa”. Não em número suficiente pra romper a inércia que vivemos no que tange a incentivos e melhorias ao setor.

    Se a aviação prestasse um serviço à população de todas as classes, qualquer problema no setor seria motivo de protesto generalizado. Teríamos sindicatos mais fortes e atuantes. Enfim. O barulho seria bem mais alto. Talvez houvesse deputados que se interessassem pela causa e conseguisse algo pelo setor.

    De uma forma bem genérica, a única solução a longo prazo que vejo pra aviação é reduzir custos pra conseguir trazer bem mais gente pra se beneficiar do serviço aéreo. Seja na aviação geral (mais gente comprando avião), bem como as CIAs reduzindo custo de passagem. Mas reduzir mesmo. E isso a gente sabe que é bem complicado de se conseguir.

    • Gustavo
      2 anos ago

      Há tempos não tão distantes o brasil dispunha de uma companhia aérea do governo que era a famosa VASP, essa empresa dava de alguma maneira um jeito para todas as classes sociais voarem como passageiros e atendia a todos os funcionários públicos com certos descontos.
      porém assim como diversas empresas que levaram a falência no nosso país por corrupção, a vasp entrou nesse voo da falência, então realmente não existiria um modo do governo fazer esse financiamento de horas de voo, hoje existem dois, o primeiro é faculdade chama ITE de bauru, onde o aluno faz o curso de ciências aeronáuticas junto com 180 horas de voo para checarem o pp e o pc, o valor da mensalidade gira em torno de R$950,00 e existem a opção do FIES, além disso, existe a AFA academia da força áerea Brasileira onde pode-se estudar e chegar todas as carteiras e se tornar um aviador da FAB, porém, seu vestibular para o ingresso é em nivel medicina USP para termos uma base, mas além dessas opções existe a dolorosa opção de custear um valor muito alto para o curso, seja qualquer opção é necessário escolher e trilhar o caminho para se chegar até um cabine de um avião de grande porte, boa sorte para todos e não desistam seja qualquer que seja a opção.

Deixe uma resposta