“‘Branding’ na aviação executiva” – WTF???

By: Author Raul MarinhoPosted on
327Views4

Branding

O que você, piloto da aviação executiva, pode aprender com as estratégias da Nike, MacDonald’s e Apple?

Cada coisa que “esse povo gringo” inventa… A novidade agora é o “‘branding’ na aviação executiva”, uma ideia que eu li num artigo publicado no LinkedIn e que gostaria de comentar aqui porque faz sentido, especialmente para quem quiser crescer na aviação executiva. Veja a seguir o que isso significa, e como você pode se aproveitar desse conceito para ir mais longe na carreira.

Branding“, meus caros, é basicamente a gestão da marca, uma atividade de marketing empresarial. Por exemplo: o pessoal do marketing do Pão de Açúcar que se preocupa com a marca do supermercado faz o “branding” deles com a identidade visual (logotipo, cores das lojas, uniformes dos funcionários, etc), as iniciativas de “sustentabilidade” (programa de reciclagem de lixo, por exemplo), o patrocínio de eventos culturais e esportivos, etc., de modo que o consumidor tenha uma sensação positiva quanto à marca Pão de Açúcar. Parece frescura, né? Mas foi basicamente por isso que eles conseguiram vender o supermercado para a francesa Casino por um rio de dinheiro, já que o comprador poderia simplesmente construir novas lojas do zero gastando muito menos: é que a marca Pão de Açúcar vale muito mais que o supermercado em si. No fim das contas, essa “frescura” se traduziu em bilhões de dólares.

OK, mas o que isso tem a ver com a profissão de piloto? Não é só ir lá e fazer a aeronave decolar e pousar em segurança? Bem… Se você não for muito ambicioso, é só isso mesmo, mas se você quiser ir mais longe na carreira, talvez seja interessante adaptar alguns conceitos de “branding” para o departamento de operações de voo da empresa em que você trabalha (se houver um, é claro), ou para você, individualmente, se for o caso de um piloto “one man show”.

A seguir, eu vou reproduzir o trecho principal do artigo que me referi no início deste post – ele está em inglês, mas é de fácil compreensão e, hoje em dia, todo mundo consegue se virar com um tradutor online mesmo que não domine completamente a língua, né? O texto foi escrito, originalmente, para os comissários de voos corporativos (a autora tem um site voltado a essa categoria), mas pode ser facilmente adaptado para a categoria dos pilotos (basta substituir “corporate flight attendant” por “business aviation pilot”). Se você está ou pretende estar bem posicionado na aviação executiva, eu acho que é uma leitura que vale a pena.

Do our passengers/customers know that we understand how important they are to us? Is it shown to them in actions as our teams serve them along their travels? Our brands reside within the hearts and minds of our users/customers/passengers. It is the sum total of their experiences and perceptions, some of which we can influence, and some that we cannot. If you do not know or understand the role of the business aviation flight attendant or what the job actually entails………., how can you expect to do this work with no error on your first shot at a trip??

A brand is the source of a promise to customers. What better way to establish a brand—your brand— than with service? Your particular expertise and flare and accountability?

The brand takes time to build—just like trust. There are two very broad perspectives that are crucial to understand when assessing the use of Service as a company’s branding tool:

1. How does the staff/team view the brand/company?

2. How do the customers/passengers view the customer service of the company?

3. How do you reflect/model that?

The staff/team/flight department is going to be representing the brand. Are they onboard and aligned with creating an experience for each and every customer that will be consistent with excellent service? JC Penney once said, “It is the service that we are not obliged to give that people value most.”

By developing a business culture for yourself that adheres with the corporate personality of the company that you are flying for is what it is all about. And again, remember, your brand is the reputation that you create for yourself in this industry once the aircraft door is shut and you are doing what you love to do. Be a professional corporate flight attendant!

4 comments

  1. Acho que implementar o “branding” no que diz respeito a “perfumaria”, na Aviação “Corporate / VIP” (i.e. tapetinho vermelho, atendentes bonitinhas, layouts elegantes, aromatização da cabine, comes & bebes preferidos de cada passageiro ilustre e até os filmes e/ou dvd’s que cada um gosta de assistir a bordo etc etc) o pessoal até que manda bem. O que falta é “educar” adequadamente o usuário de aeronave executiva (seja avião ou helicóptero), em termos do que se pode ou não fazer, sem afetar a segurança e/ou ultrapassar os limites impostos pela lei vigente. A forçação de barra anda uma coisa por demais, e está mais na hora de dar-se um basta. Acho importantíssimo ser “business-oriented”, tanto em Aviação quanto em qualquer outro ramo da Economia. O que me desagrada é quando se confunde “atender bem o cliente” com “colocar em risco a vida da aeronave, do cliente e da tripulação” além do aceitável, e ainda por cima colocam o comandante no fogo cruzado, imbuídos de má índole. Aí perdem o amigo…

    • Raul Marinho
      5 anos ago

      Excelente comentário, Fábio! É isso mesmo: o branding tem seus riscos na aviação executiva.

  2. Roberto Lima
    5 anos ago

    Raul, bom dia!
    Não sei o que ocorre, mas na maioria das vezes seu site tem demorado para abrir. Não sei se é a hospedagem ou há muita carga de imagem… sei lá. Mas sugiro que faças um teste com as ferramentas do próprio Google que te dirão onde reside o problema. Se é que existe algum.
    Abraço

Deixe uma resposta