Por que noticiar arremetida se tem tanta coisa interessante acontecendo na aviação?

By: Author Raul MarinhoPosted on
291Views8

Já virou piada a falta de traquejo que grande parte dos repórteres tem quanto à aviação. Notícias como essa, reproduzida abaixo (publicada pelo G1 – Fonte: Aeroclipping do SNA), acontecem praticamente todo dia. Se algum jornalista estiver lendo este texto, atenção: noticiar uma arremetida de avião é como publicar que um repórter cometeu um erro de português e teve que amassar uma folha de papel sulfite e jogá-la no lixo. Já pensou a manchete: “Repórter escreve “exceção” sem o “x”, e é obrigado a jogar folha impressa no lixo – Greenpeace acha que os jornalistas têm que ler na tela antes de imprimir”? A propósito, falando em erro de português: não dá para admitir “calda” para se referir à cauda do avião, né? Um sujeito escrever assim no Facebook, ainda vá lá, mas um repórter escrever isso numa reportagem, não dá, né? Mas o ponto não é nem este, e sim o fato de que existe assunto para dar e vender sobre aviação – uma prova disso é o fato de existirem vários blogs de aviação (inclusive este) que nunca deixam de ter assunto. Mas, por motivos insondáveis, a preferência sobre o que não interessa sempre é maior… Fiquem agora com a não-reportagem do G1 (os grifos são meus):

Vento atrapalha pouso e cargueiro arremete no Aeroporto de Viracopos
Incidente com avião ocorreu em Campinas na tarde desta sexta-feira (22).
Empresa que recebeu mercadoria não informou qual carga era transportada.

Do G1 Campinas e Região

Um piloto de um avião cargueiro precisou arremeter durante procedimento de pouso no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), na tarde desta sexta-feira (22). De acordo com a concessionária que administra o aeroporto, o comandante do Boeing 767-315 da companhia aérea Mas Air Cargo informou à torre de controle que um vento de calda [de chocolate?] desestabilizou a aeronave, o que poderia prejudicar a aterrisagem (sic). Em seguida, ele fez a volta sobre o aeroporto e pousou sem problemas momentos depois. Ninguém se feriu. [Oooohhh!!!]

A Somar Meteorologia, que possui uma estação meteorológica no aeroporto, registrou velocidade máxima de rajadas de 30km/h às 18h desta sexta-feira, mas nenhum vento cortante que pudesse ter atingido a lateral da aeronave.[Já pensou, um vento de través de 15kt num Boeing-767!?] O procedimento de arremetida é comum e usado para garantir a segurança do pouso, segundo a concessionária. [A única parte correta da reportagem, mas o repórter não entendeu o que escreveu, senão teria se tocado que aquilo não era notícia…]

A Swissport, empresa que presta serviço de operações para a companhia, não informou qual mercadoria era a transportada pelo avião e a origem da carga porque as informações são sigilosas.[Além de não terem a menor importância para a matéria…] O G1 tentou contato com a Mas Air Cargo, mas nenhum representante da companhia foi encontrado até a publicação da reportagem para comentar o assunto.

8 comments

  1. Italo
    4 anos ago

    até meados de outubro vi mtos paulistinhas arremetendo em no Aeroporto dos Amarais em Campinas pq isso não virou notícia?? isso é preconceito!

  2. David Cunha Candiotto
    4 anos ago

    Ontem eu arremeti por causa de umas Capivara na pista, exijo minha reportagem no G1! kkkkkkkkkkkkkk
    Lamentável o nível jornalistico atual.

  3. Gustavo Franco
    4 anos ago

    Raul, nos estressamos tanto com certos assuntos da aviação, que esse artigo falando da reportagem poderia estrear uma nova categoria no PARA SER PILOTO: “Humor”. Porque só rindo mesmo dessas tantas pataquadas da imprensa.

  4. Ângelo Miranda
    4 anos ago

    É MINHA GENTE O “MOÇO” É RIDÍCULO.
    Raul, cadastre-o no seu site e faça-o receber
    um pouco de cultura aeronáutica e também o aconselhe a estudar um pouco de PORTUGUÊS.

  5. Aline
    4 anos ago

    Jakakkakak chega até a parecer piada! Rs

  6. betoarcaro
    4 anos ago

    O quê a gente pode dizer…
    Ridículo é pouco!
    Os caras estão achando diplomas de “Comunicação Social”(Vulgo: Jornalismo) no lixo.
    Um pouso, é uma arremetida “que não deu certo”.
    Ainda bem que arremeteu, né ?
    É a mesma coisa que noticiar: “Motorista de Ônibus pisa no freio para não atropelar pedestres que atravessavam na faixa”.
    Continuam noticiando o “Obvio ululante”!
    Onde está o Drama?
    Onde está o “Mundo Cão” que a imprensa tanto gosta?

  7. Palhaçada. Ignorância total. Despreparo. Se não entendem nada sobre o tema que vão cobrir (no caso, Aviação), que façam um pouco de trabalho de pesquisa antes de se meterem a escrever asneiras…

Deixe uma resposta