A impressionante narração de um CFIT

By: Author Raul MarinhoPosted on
321Views4

No vídeo abaixo, que obtive no excelente blog Arquivos Aeronáuticos, do nosso amigo Fred Mesquita, há uma boa explicação técnica sobre um CFIT – coisa que, por sinal, já tratamos aqui anteriormente. Mas, a partir dos 3:48, há algo muito mais interessante, que é a gravação da conversa da cabine, ocorrida em um CFIT real, acompanhada de ilustrações com o perfil da descida, os fixos utilizados, etc. Esse exemplo dá uma dimensão muito mais real à teoria, e vale a pena ser vista.

4 comments

  1. Flavio
    4 anos ago

    Caro Marchuk,
    Muito bem escrito o seu comentário.
    Infelizmente a redução de custos não ocorre só aí no Brasil não.
    Aqui na Asia, a política de Seg.Voo também é para cumprir tabela apenas.
    Uma pena.

  2. Marchuk
    4 anos ago

    Olá colegas!

    Um fator muito importante e que as vezes é díficil de entender por leigos ou pilotos que ainda não voam numa linha aérea ou executiva de longo curso é que o desgaste físico e mental ( Fadiga ) é muitas vezes grande responsável por lentidão ao reagir. VIDE – As escalas e as condições dos hotéis de descanso dos tripulantes brasileiros por exemplo,que vão de mal a pior.
    A vida é um constante aprendizado,devemos sempre alertar aos colegas de vôo da nossa condição de fadiga,Fazer um briefing de aproximação bem minuscioso numa situação dessas e quando fazemos aproximações de não precisão é de suma importância o acompanhamento de altitude e distância pelo PNF.
    Nos dias de Hoje este acidente seria mais difícil de acontecer ( Foi em fev 89 )Na época não existia TAWS (Terrain Awareness Warning System ),um importante aliado pra melhorar o nosso Situation Awareness.
    Estudar acidentes e incidentes,deveria fazer parte de uma política de segurança em todas as empresas.Divulgando todos acidentes que acontecem intra cia e tb com outros operadores para fins didáticos.Só vi algo parecido voando em cias fora do Brasil.Infelizmente o que vejo em todas as cias que trabalhei e na qual atualmente trabalho é que só realizamos cursos por pura obrigação e para se alinhar as normas da ANAC. Nada é feito em prol da segurança propriamente dita,a não ser monitoramento pelo FOQA e eventuais boletins mal criados e muitas vezes de tom ameaçador.
    Nossa regulamentação precisa mudar pra melhor.(ja existe um projeto de lei muito bom que devemos estar atentos e apoiar )
    É um absurdo constatar que em pleno 2013 muitas empresas pagam seus pilotos por kilometragem.Um abusurdo tiro na culatra no quesito segurança.

    Agora são 0304.cheguei tem 15 minutos no hotel. Escrevi pra chamar o sono(mE DESCULPEM POR EVENTUAIS ERROS). Daqui há cerca de 11 horas estaremos sentados no cockpit para outra jornada. Hora de Dormir!

    Um Abraço a todos! Parabéns Raul pelo Blog!

  3. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Impressionante, totalmente impressionante. Dói ouvir aquele alarme do GPWS e eles não arremeterem na hora.

  4. Gustavo
    4 anos ago

    O grande perigo começa quando o cara acha que é safo….

Deixe uma resposta