O futuro da aviação será glorioso! Já o presente…

By: Author Raul MarinhoPosted on
376Views8

Recentemente, eu publiquei o post “E o futuro da aviação? É tão fantástico quanto diz a ABEAR?” fazendo referência a duas reportagens, da Folha e do Estado de Minas, ambas repercutindo declarações da ABEAR, dizendo que o futuro da aviação será glorioso. Poxa, que legal! Não vejo a hora de chegar 2020! O problema é que, se não sobrevivermos ao presente, não haverá futuro… E, de acordo com as duas reportagens abaixo reproduzidas (da Folha e o UOL, fonte: Aeroclipping do SNA), o presente é que se revela o grande desafio.

A matéria da Folha:

Aviação doméstica encolhe 4% em fevereiro
DE SÃO PAULO

Com uma oferta menor de assentos por parte da TAM e da Gol, a demanda do setor aéreo encolheu 4% em fevereiro. Em janeiro, o setor já havia encolhido 0,8%.

“Devemos ter crescimento próximo de zero neste ano”, diz o consultor André Castellini, da Bain & Co.

A oferta de assentos vem encolhendo há seis meses, como parte da política da TAM e da Gol de tentar elevar a ocupação dos aviões para garantir mais rentabilidade.

Na contramão das líderes, Avianca e Azul ganharam mercado, com mais oferta de assentos e aumento de demanda.

A Azul cresceu 10,6% em fevereiro e, somada à Trip, já tem 16,8% do mercado. A Avianca cresceu 33% e chegou a 6,9% de participação.

Apesar de reduzir a oferta em 12%, a TAM cresceu 2,5% e encerrou fevereiro com 41,6% de participação. Já a Gol perdeu mercado, ficando com 34% -a oferta caiu 5,8% e demanda, 4,8%.

Ontem à noite, em comunicado ao mercado, a Gol divulgou que espera uma redução na oferta entre 8% e 10% no primeiro semestre.

A companhia estima fechar o ano com queda de 7% na oferta.

Já a oferta de assentos no mercado internacional teve aumento de 14,2% em fereiro em relação ao mesmo mês do ano passado.

A reportagem do UOL:

Prejuízo da Gol dobra em 2012 e chega a R$ 1,51 bilhão29
Do UOL, em São Paulo
Atualizada 26/03/201308h52

Leonardo Wen/Folhapress

A empresa aérea Gol teve prejuízo de R$ 1,51 bilhão em 2012, alta de 101,3% em relação ao resultado do ano anterior (quando perdeu R$ 751,5 milhões).

O resultado, segundo a empresa, reflete o momento “desafiador” pelo qual passam as empresas aéreas, principalmente com a alta no preço do combustível.

A desvalorização de 17% do real em relação ao dólar, além do baixo crescimento da economia brasileira em 2012, também foram apontados como responsáveis pelo prejuízo da empresa.

No 4º trimestre, a Gol teve um prejuízo líquido de R$ 447,1 milhões, ante lucro líquido de R$ 54,3 milhões um ano antes.

A Gol também informou que, com o objetivo de elevar a receita por passageiro (rask) em pelo menos 10% e retomar as margens operacionais, reduzirá a capacidade doméstica em entre 8% e 10% no primeiro semestre de 2013 e em cerca de 7% no ano fechado, ante os níveis de 2012.

Webjet
A companhia aérea afirmou ter contabilizado no balanço do quarto trimestre custos adicionais de R$ 197 milhões referentes ao fim das operações da Webjet e a provisões para perda com ativos.

Em novembro, a empresa anunciou o encerramento das atividades da WebJet, comprada pela Gol em 2011, com a demissão dos 850 funcionários.

(Com Reuters)

8 comments

  1. Rogério Aviador
    5 anos ago

    Estou vendo a hora de pagarmos para ir sentado em uma poltrona.

  2. Gol poderá estender para 2014 a redução de oferta de assentos no mercado doméstico, deflagrada no início de 2012

    © 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

    Leia mais em:

    http://www.valor.com.br/empresas/3062308/o-maior-prejuizo-das-companhias-abertas?utm_source=newsletter_manha&utm_medium=27032013&utm_term=o+maior+prejuizo+das+companhias+abertas&utm_campaign=informativo&NewsNid=3061594#ixzz2OjulKL6K

  3. alestockler
    5 anos ago

    Para mim, o cenário está bem definido. A Gol não vai aguentar por muito tempo os prejuízos. Já começou a reduzir suas operações. O próximo passo será procurar ajuda governamental e, como não conseguirá nada, a empresa será adquirida por alguma companhia internacional (melhor dos cenários) ou terá suas operações encerradas, tornando-se mais um grande passivo trabalhista e patrimonial… Esperamos que esse último cenário nunca ocorra…

  4. Gustavo
    5 anos ago

    Oh, e agora quem poderá nos ajudar????? Essa nem o Chapolim resolve…

  5. Gustavo
    5 anos ago

    Eu nem sei pra que lado correr…..Aeroclubes não precisam de INVAS, Táxi Aéreos não precisam nem de Co-Pilotos, a executiva é a maior “Pano Pretagem” que existe e o cara acha ruim até se você chega perto do avião, por medo de perder a teta…

    • Tem comandante por ai que “rosna” quando novato chega perto do avião “dele” kkkk

      • Gustavo
        5 anos ago

        KKKKKKKKKKK é o que mais eu vejo por aí….chega a ser cômico!!!! Eu quando ficar velho quero ser lembrado como um cara que sempre ajudou, ensinou etc….quero mostrar que não se deve ser assim, e que ainda existem pessoas boas nesse mundo.

Deixe uma resposta