“‘A Azul não comprará a TAP’, diz Neeleman”

By: Author Raul MarinhoPosted on
257Views6

Dando sequência ao post “Neeleman pode se associar ao BNDES em oferta pela TAP” – Ou: Está nascendo uma nova VARIG?“, vejam a reportagem abaixo, do Estadão (fonte: Aeroclipping do SNA), que vai em sentido oposto:

‘A Azul não comprará a TAP’, diz Neeleman
DOW JONES E MARINA GAZZONI

A Azul não está interessada na compra da portuguesa TAP, disse ontem o empresário David Neeleman, presidente e fundador da Azul. “A Azul não vai comprar a TAP”, ressaltou, em entrevista à agência Dow Jones.

As especulações de que a Azul possa comprar a companhia aérea portuguesa ganharam força após o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel, afirmar que o governo pode ajudar a Azul se ela desejar adquirir a TAP. A ajuda viria com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Pimentel acompanhou a presidente Dilma Rousseff em uma visita oficial a Portugal no início desta semana.

Neeleman confirmou, no entanto, que conversou como governo brasileiro sobre ajudar a TAP. “Dissemos que poderíamos ajudar a TAP com conexões, por exemplo”, disse, mas reiterou que a Azul está focada em sua oferta pública inicial de ações, prevista para este ano.

No mês passado, a Azul afirmou que, um ano depois de se juntar à concorrente Trip e assim se firmar como a terceira maior companhia de aviação do País, vai abrir o capital na bolsa e espera captar cerca de R$ 1 bilhão com a operação.

O governo português precisa vender a TAP até o fim do ano, sob as exigências do seu programa de resgate financeiro, mas o momento é difícil. A maioria das companhias aéreas europeias amarga prejuízos em suas operações domésticas.

O Brasil é o principal destino internacional da TAP e a companhia é líder na rota entre o País e a Europa, o que explicaria o interesse do governo na compra da companhia pela Azul.

Política. Desde que decidiu privatizar a TAP,em2011, o governo português reforçou os contatos com empresas e autoridades do governo brasileiro para pedir a participação de empresas ou investidores nacionais no processo de privatização.

Todas as grandes companhias aéreas brasileiras – Gol, TAM, Azul e Avianca – foram convidadas pelos portugueses a fazer uma proposta pela TAP. Gol, TAM e Azul não se interessaram pelo negócio. Já a Avianca fez uma proposta pela companhia aérea estatal portuguesa no fim de 2012 por meio de sua controladora, o grupo Synergy.

Apesar de ser o único a chegar à fase final do processo de privatização, o grupo Synergy teve sua proposta recusada pelo governo português por falta de garantias de pagamento. Assim, a privatização voltou a estaca zero. Agora, Portugal faz um novo apelo ao Brasil para angariar interessados por suas estatais.O governo brasileiro ofereceu o apoio do BNDES para a proposta da Azul, mas, nem assim, o negócio foi considerado atrativo por Neeleman.

6 comments

  1. Carlos
    4 anos ago

    É óbvio que ele não irá assumir que comprará uma companhia com um passivo de 1,5 bilhões de euros na véspera da IPO da Azul na bolsa!!!!
    Alguém deve ter vazado a informação. Mas para o plano de negócios dele seria um salto enorme e ainda melhor para o mercado de pilotos !!!!!

  2. Enderson Rafael
    4 anos ago

    E do jeito que o PT opera, quem ia pagar seríamos nós… #oremos

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Quem vai pagar continuará sendo nós, meu caro… Isto é inexorável.

  3. Marcelo
    4 anos ago

    Notem que ele disse que a Azul não vai comprar a TAP, porém seria interessante ouvir a opinião dele sobre o BNDES comprar a TAP e por exemplo fazer uma operação em parceria com a Azul.

  4. Julio Petruchio
    4 anos ago

    Sábia decisão, Mr. Neeleman… Sábia decisão… “Comandante não é aquele que sai de uma ‘fria’, mas aquele que evita entrar em uma”…

Deixe uma resposta