Da essência de um acidente aeronáutico – 2ª parte

By: Author Raul MarinhoPosted on
247Views0

O que esta latinha tem a ver com acidentes aeronáuticos?

Quando você encontrar algum investigador de acidentes aeronáuticos dos SERIPAs, pergunte se ele carrega consigo uma latinha desse produto mostrado acima. Ele certamente terá uma no bolso. E sabem por quê? Para disfarçar o cheiro de carne em processo de putrefação, comum nos “crash sites”. Eu mostrei a imagem da latinha de Vick Vaporub para não ter de mostrar isso aqui, mas para quem tem curiosidade mórbida, fique à vontade para acessar o link acima.

Isso, pessoal, também faz parte da essência de um acidente aeronáutico (um outro ponto de vista sobre isso está aqui). Se você não se cuidar, alguém vai ter que abrir a latinha acima para pegar os pedaços do seu corpo (os que forem encontrados, é claro, pois boa parte poderá ter simplesmente sumido) sem vomitar. Ou, então, os pedaços dos corpos das pessoas que estavam sob sua responsabilidade – e, honestamente, eu não sei o que é pior.

Eu não estou falando isso para chocá-lo gratuitamente. A razão de existir deste post (e, em grande medida, deste blog como um todo) é sensibilizá-lo sobre a importância da melhoria da segurança de voo na nossa profissão – na minha opinião, o que de mais importante existe para a aviação. E como fazer isso? Um bom começo é participar dos eventos de segurança de voo que são oferecidos, e em breve ocorrerá um excelente: o I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar. Lá estará palestrando, por exemplo, o Maj. Renato, do SERIPA-IV, o melhor investigador de acidentes aeronáuticos que eu conheci, a quem vocês poderão confirmar se ele carrega ou não a tal latinha. Encontro vocês lá!

Deixe uma resposta