Volto a perguntar: está nascendo uma nova VARIG?

By: Author Raul MarinhoPosted on
442Views10

Em 10/06 passado, publiquei o post “’Neeleman pode se associar ao BNDES em oferta pela TAP’ – Ou: Está nascendo uma nova VARIG?“, com contraponto dois dias depois (“‘A Azul não comprará a TAP’, diz Neeleman”. Pois muito bem. Vejam agora o que diz as reportagens publicadas hoje na Folha – “Governo e dono da Azul querem comprar aéreas TAP e JetBlue” e “Executivo da Azul pretende criar ‘nova Varig‘”, e vejam vocês mesmos se a minha pergunta do post do dia 10/06 fazia ou não sentido:

Está nascendo uma nova VARIG?

PS: Agradeço ao leitor Rogério Aviador pelo envio do link das reportagens

10 comments

  1. Chumbrega
    4 anos ago

    Em tempo:

    Os colegas que trabalham na Azul já receberam um e-mail desdizendo esse boato publicado na Folha. Segue cópia da mensagem:

    “A respeito das recentes notícias sobre a possível compra da TAP e da Jetblue pela nossa companhia, gostaríamos de esclarecer a você que esta informação não procede. A Azul não está envolvida em nenhuma negociação referente à compra destas companhias.”

    Entretanto, o fato de a Azul “per se” não estar envolvida na compra, nada impede que Neeleman+BNDES estejam. E a mensagem da Azul não nega isso. Adicionalmente, em tempos de alta de dólar, uma das formas da empresa se blindar contra os efeitos da alta é justamente auferir receitas em dólar (vôos internacionais). Ainda não consegui entender o porquê desse receio todo do gringo em voar internacional, que seja com os E-JET mesmo…

  2. Jared Bueno Marroni
    4 anos ago

    Bom, pra manter a antiga Varig teria que o governo ter se interessado por isso alguns anos atrás, a Gol se interessou pela Webjet, e olha só o que aconteceu né… outra coisa, a Tam se interessou pela Pantanal, e ela está crescendo pra caramba também com a marca Pantanal… ou não?
    De qualquer modo, a vinda da Azul foi muito boa e está sendo muito boa sim. O que eu não fico satisfeito é a idéia do BNDES entrar junto, isso não seria legal. Mas se for com recursos próprios ou de investidores da iniciativa privada, por que não!!!

  3. Enderson Rafael
    4 anos ago

    É uma roubada dupla: pagaremos duas vezes. Uma através do dinheiro do BNDES e outra pelo fato de que estaremos exportando empregos como ‘nunca antes na história desse país’. Empresa que compra empresa cresce artificialmente, sem gerar empregos, sem aumentar frota. Se depois de se juntar à Trip a Azul passou um ano sem contratar, imagina se ela – ainda que indiretamente – comprar a Tap e a Jetblue! Mas só acredito vendo, afinal, pra quem tá querendo fazer IPO pra aumentar frota, comprar duas grandes empresas estrangeiras parece um tanto fora da realidade.

  4. Amigos, com todo o respeito: quando eu escuto/leio sobre essa arenga de empresários “entusiasmados” a novos “empreendimentos” de aquisições monstras de empresas aéreas (sempre com o Plano “B” de BNDES, nunca com os próprios recursos, é claaarooo!!!), só me vem uma expressão à mente: “Money Laundering” (i.e. lavagem de dinheiro, da grossa) e/ou roubalheira do dinheiro público, o qual provém dos nossos impostos. Até meus pastores alemães sabem que Aviação é um negócio que tem tudo para dar errado, e quando dá certo, a margem não passa de 4% e pouco. Bom Fim de Semana a todos, se é que isso ainda é possível, neste bendito país.

    • Julio Petruchio
      4 anos ago

      Disse tudo!! Ainda mais em se tratando do “Gobierno” que temos, não será apenas uma “conhecida empresa se carnes” que “lavará roupa suja todo dia”

  5. Henrique
    4 anos ago

    Para nós aviadores seria uma boa!

  6. Julio Petruchio
    4 anos ago

    Em vez de nascer uma nova Varig, Não era possível ter mantido a velha!?

  7. Leandro Foltram
    4 anos ago

    Raul, bom dia. Já viu esta notícia sobre a Embraer com a Avianca?
    http://www.assuntosmilitares.jor.br/2013/06/avianca-negocia-compra-de-jatos-da.html

Deixe uma resposta