“Jogos despejam clube de aviação”

By: Author Raul MarinhoPosted on
264Views4

É impressionante a hostilidade com que o poder público trata a aviação não-comercial neste país! Para o governo (nas três esferas), as aeronaves de pequeno porte são um estorvo, uma praga que deve ser eliminada como os ratos e as baratas – ou, se quiserem sobreviver, que paguem caro por isso, como mostrado neste outro post. Vejam a notícia abaixo, que saiu n’O Globo de hoje (fonte: Aeroclipping do SNA), mostrando como a prefeitura está lidando com o CEU-Clube Esportivo de Voo, despejando-o sumariamente, mesmo com a instituição tendo a concessão de uso da área até, ATENÇÃO!, 2097!!!

Jogos despejam clube de aviação
Instituição precisa sair em 10 dias, mas ainda não tem novo endereço
THAIS BRITTO
thais.britto@oglobo.com.br

No meio do caminho das Olimpíadas, há um clube de aviação. Localizado há mais de 30 anos na Avenida Embaixador Abelardo Bueno, em Jacarepaguá, o Clube Esportivo de Voo (CEU) está prestes a ser desalojado em função das obras do Parque Olímpico. O problema é que, segundo seus dirigentes, a prefeitura não vem cumprindo os termos do acordo firmado em 2011. Fundado em 1981 pelo jornalista Armando Nogueira, o clube reúne um grupo de entusiastas da aviação. No terreno da sede ficam cerca de 150 aeronaves.

— Em janeiro de 2011, a prefeitura fez uma parceria público-privada com o consórcio Rio Mais, das empresas Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken, para a construção do Parque Olímpico. Ofereceram essa área como moeda de troca para fazerem as obras de infraestrutura no local. Nossa saída ficou acertada, mas a prefeitura disse que receberíamos uma indenização e um novo local para instalar o clube — explica Ricardo Buzelin, diretor jurídico do CEU.

INDENIZAÇÃO PROMETIDA NÃO SAIU
No entanto, nenhuma das duas iniciativas saiu do papel, segundo Buzelin. Ele conta que a prefeitura chegou a acenar com uma solução, ainda em 2011: uma área em Guaratiba, oferecida pelo Exército. Mas, logo depois, descobriu-se que o local era uma reserva biológica. Há cerca de um mês, o CEU recebeu uma notificação de despejo: tinham até ontem, dia 30 de junho, para sair da área. E foi apenas no meio do mês de junho, segundo o diretor jurídico, que veio a indicação de um novo lugar para as instalações do clube, em Nova Iguaçu.

— O local não é o ideal porque não tem espaço suficiente. Poderíamos terraplanar e fazer espaço lá, mas precisamos de mais tempo. São 150 aeronaves, 85 funcionários, duas escolas, três oficinas… É impossível — define Buzelin.

O grupo se encontrou com o prefeito Eduardo Paes na última sexta-feira. O resultado: a prefeitura estendeu o prazo para saída em 10 dias.

— O prefeito de Nova Iguaçu acenou com a possibilidade de irmos para lá em caráter provisório. Mas precisaríamos de 6 a 8 meses para construir a estrutura provisória. É preciso arranjar uma outra solução. Nós temos um contrato de concessão de uso, assinado em 1998, válido por 99 anos. Quem está quebrando esse contrato é a prefeitura — critica o diretor, lembrando que não há qualquer notícia sobre a indenização, que seria de R$ 12 milhões. — Nada foi pago ainda, nenhuma parcela.

De acordo com a auditoria do Tribunal de Contas do Município, o cronograma de obras previa que o espaço de Jacarepaguá estivesse liberado desde dezembro do ano passado.

4 comments

  1. Eduardo Ruscalleda
    4 anos ago

    É um absurdo com as leis são deturpadas e usadas apenas quando conveniente!
    Na internet podemos ver vídeos muito bons do pessoal do CEU. É simplesmente ridículo a forma que o governo trata a aviação e os aviadores. Digo mais uma vez, sendo os maiores usuários desse sistema de transporte!

  2. Wagner Alves Jr.
    4 anos ago

    Lamentável o que os governantes estão fazendo com as escolas ligadas à aviação. Sempre fui um grande admirador do CEU e, inclusive, fiz o meu primeiro vôo de ultraleve lá. Da mesma forma, estava planejando ter as minhas aulas práticas de PPH em uma das escolas localizadas neste mesmo lugar. Uma pena.

  3. Humberto Rodrigues
    4 anos ago

    Se o Clube CEU pagar um valor maior de comissão ao Prefeito que as empreiteiras, ele consegue ficar lá.

  4. presidente@aeroclubedetaubate.com.br
    4 anos ago

    Caetano, assunto de interesse geral. Esta notícia já era esperada há tempos. Muita gente vai querer vir pra SBTA.

    Por favor, divulgar a todos associados e aeros vizinhos (os de sempre).

    AGUIAR FILHO – Chefe

Deixe uma resposta