O acidente com o B777 da Asiana

By: Author Raul MarinhoPosted on
331Views7

Durante as férias do blog, o assunto da aviação que mais bombou foi, sem sombra de dúvidas, o terrível acidente com o Boeing 777 da Asiana, ocorrido em San Francisco. Sem querer fazer um NTSB virtual aqui, o fato é que logo ficou claro que a rampa executada pela aeronave na aproximação para o pouso foi significativamente mais baixa que a ideal; e velocidade, bem menor que a recomendada – digamos que o piloto atendeu aos apelos das mães dos alunos de aeroclube quanto a evitar de voar alto e depressa. Bem, mas o objetivo deste post não é efetuar uma longa discussão sobre o acidente, pois no I Fórum do Contato Radar que ocorrerá no próximo dia 25/07, este acidente será exaustivamente comentado (e eu trarei para cá um resumo das discussões), e sim compartilhar com vocês o vídeo que segue abaixo, que achei extremamente didático para entender a questão da rampa. Assistam ao vídeo, que vocês vão entender onde quero chegar:

7 comments

  1. Rogério Aviador
    4 anos ago

    Ótimo vídeo. Me deu uma ideia bem mais clara em relação ao fato.

  2. Wagner
    4 anos ago

    Desculpa minha ignorancia, sou apenas entusiasta e não sou piloto, essa aproximação em aviões comerciais de grande porte não é feita pelo piloto automatico?
    E caso tenha sido o primeiro pouso do piloto com essa aeronave, não se faz um treinamento prévio e acompanhamento de perto com um instrutor da aeronave, para só então de comprovado habilidade do piloto poder voar sem o instrutor?

    Abraco

  3. Bruno
    4 anos ago

    Bem-vindo de volta Raul!
    Não creio que isso tenha pesado muito, mas o piloto estava fazendo o primeiro pouso com o 777.
    Minha modesta opinião é que esse acidente foi estranho pra caramba.
    Abraço!

  4. Thiago R.
    4 anos ago

    Raul,

    Bem vindo de volta.

    Uma sugestão p/ o site: Ao clicar no logo do PSP, assim como na imagem (www.PARASERPILOTO.com), o site poderia retornar a Home Page.

    Abrcs e keep going my friend!

  5. Felipp Frassetto
    4 anos ago

    Há pouco escutei num podcast que a velocidade estava 35 nós abaixo da recomendada e que há críticas, nos EUA mesmo, de que as informaçōes do CVR foram dadas a conhecer muito cedo.

    Abraços.

    • Sander Ruscigno
      4 anos ago

      Nem a NTSB está imune a isso!
      Pensa no desespero da Boeing para provar que seu avião super seguro, quase 20 anos de serviço sem acidentes, se espatifou por culpa de qualquer outra coisa, menos do avião… Imagino que foi isso que aconteceu!

      Quanto a culpa, já são outros quinhentos, mas o fato é que ninguém quer recebê-la…

Deixe uma resposta