Terror na banca da ANAC!

By: Author Raul MarinhoPosted on
526Views10

Ontem, recebi de um leitor um relato impressionante sobre o terror que ele viveu na sua banca de PCH, no escritório da ANAC em Curitiba-PR. Vejam só:

Raul, quero lhe passar o que houve na semana passada comigo, quando fui fazer a banca de PCH. Aproveitando a oportunidade, quero dizer que seu blog está cada dia melhor. Não comento, pois geralmente concordo com o que escreves, e quero agradecer pelo post de como tirar seu brevê, pois foi a partir dali que obtive as informações suficientes para por em ação meu sonho de ser piloto, muito obrigado! Então, aqui vai a minha historinha com a ANAC.

Pois bem, minha banca era às 13:30 do dia 15/07/13 (segunda-feira) em Curitiba, e cheguei às 11:30 para garantir o horário. No balcão, confirmaram minha inscrição, e fui para a revista, onde levei em minhas mãos somente computador de voo, transferidor aeronáutico, marca-texto, lápis, borracha e caneta. Entrei na sala com minha mochila (o que, sinceramente, acho errado, pois deveria, segundo o Compêndio de Pilotos, ficar os pertences fora da sala), mas tudo bem. Na minha mochila tinha tudo que levei para o alojamento do hangar em que fiquei no final de semana: roupas, livros, apostilas e eletrônicos, pois dali iria para a rodoviária, voltar para minha cidade que fica em outro estado.

Entramos na sala por volta das 13:20, e um dos fiscais passou todas as instruções para fazer a prova. Terminado isto, foi iniciada a prova por volta de 13:28 ou 13:29. Durante a semana, trabalho numa empresa, e tiro um soneca depois do almoço, para voltar a trabalhar às 13:30. Então, para conseguir acordar, deixo meu celular com o despertador de segunda a sexta nesse horário automaticamente, e nesse infeliz dia esqueci de desligar o despertador (o celular estava desligado). Então, eis que começou a tocar o bendito despertador dentro de minha mochila, que estava a uns 5 metros longe de mim. Quando me dei conta que era o meu celular, eu me levantei para pedir licença para desligar, e quando me virei estavam quase abrindo minha mochila. Dois fiscais me mandaram sair da sala de provas imediatamente, quase que me pegando pelo braço (o que achei engraçado pois pareciam policiais pegando ladrão em flagrante), e eu fiquei lá fora por cerca de 20 minutos, esperando por alguma resposta. Enquanto isso, fiquei sendo vigiado o tempo todo por um fiscal que não saia do meu lado. Depois desse tempo, veio o fiscal que passou a instrução antes da prova, me dizendo que minha prova tinha sido suspensa. Ele me trouxe o Compêndio para Pilotos, e me mostrou o parágrafo onde dizia o seguinte: “É terminantemente proibida a entrada de telefones celulares ou aparelhos de telemensagem. Caso o candidato seja flagrado de posse ou seja tocado qualquer tipo de alarme ou alerta de chamada, o candidato será retirado da sala e será aberto processo administrativo para aplicação de penalidade.” Mas também está escrito que é proibida a entrada de aparelhos, e o próprio fiscal que me tirou para fora me disse que deveria ter um armário com chave para que os candidatos colocassem seus pertences lá dentro. Então, estou errado? Estou, mas a Anac deveria cumprir com o seu próprio regulamento no que diz respeito a aparelhos, pois quando se vai fazer a prova em Curitiba, eles colocam tudo que você tem no bolso num saquinho, e deixam em cima da mesa dos fiscais. Ali já está o erro, pois não deveria nem entrar aparelhos na sala de provas. Bem, vou ter que responder agora ao processo administrativo e terei que aguardar para conseguir fazer a prova. Passo isso para vocês para ficarem atentos: Não levem nada consigo pra banca a não ser o material que irão fazer a prova pois a ANAC, mesmo estando em partes errada, a agência não quer nem papo com você que precisa dela.

10 comments

  1. Joao Batista C Dias
    3 anos ago

    Eles são rígidos mesmo. Mas as instruções são dadas de forma clara. É tomar todo cuidado!

  2. andre
    4 anos ago

    E sempre a mesma coisa sempre fiz concursos e desde que vi os nokias e motorolas da vida despertarem mesmo desligado, eu retiro a bateria, no caso de hoje em dia como tenho um velho iphone 3gs eu nem levo, para evotar isso , ai houve uma sequencia de erros …

  3. Felipp Frassetto
    4 anos ago

    Já diz o ditado, que esprime bem essa situação, comum em qualquer coisa no país:

    “Aos amigos, tudo. Aos inimigos, a lei”.

  4. Andrey
    4 anos ago

    A sugestão e remover as baterias dos aparelhos, assim você não corre este risco de ser traído por um alarme…

    • Jáber Lima
      4 anos ago

      Concordo Andrey.
      Mas muitos dos pilotos usam o iPhone e este não tem a possibilidade de remover a bateria… Fica a dica para o pessoal que ainda vai fazer a prova!!!
      Quando fiz a minha prova em Brasília, deixei tudo no hotel. Saí para a prova apenas com os documentos e materiais necessários para a realização da mesma, por puro medo de acontecer o que aconteceu com o colega que relatou a história acima…
      Grande abraço e bons voos à todos…

  5. Vinícius Casagrande
    4 anos ago

    Em São Paulo, a fiscal deixou bem claro que não podia entrar com nada. Eles têm, inclusive, uma pasta que funciona como um guarda-volume. E, além disso, avisou mais de um vez que se algum alarme tocasse o candidato teria sua prova suspensa imediatamente e que iria responder o processo administrativo.
    Pelo menos em São Paulo ninguém pode dizer que não foi avisado.

    • Fiz a banda de PP, PC e INVA no EAC-CT em Curitiba e todas as vezes fui instruído da mesma forma.
      Sempre fui muito bem atendido e tratado de forma impecável lá.

      Realmente não tem como reclamar.

      Na banca de PC inclusive não deixaram nem utilizar a minha própria calculadora, foi fornecida uma para cada candidato.
      Aparentemente algum “espertinho” deu um jeito de gravar algumas informações na calculadora e foi pego.

  6. Isso ocorreu com um amigo que foi fazer a banca do PC-A há uns 5 meses, a confusão foi igual, mas com ele não foi com um celular e um conselho que dou para nosso amigo que teve esse problema é para ir atrás, ficar no pé da ANAC, pois esse meu amigo conseguiu após 3 meses refazer a prova, mas com muito custo, ligando, indo pessoalmente quase todos os dias, pois se fosse esperar a boa vontade da ANAC, já ouvi dizer que esse processo administrativo beira uns 2 anos para sair, e esse meu amigo chegou a conclusão que se não fosse atrás iria demorar mesmo, pois o prazo máximo para se resolver tal problema é 60 dias, mas como todo mundo sabe sobre os prazos da ANAC…

  7. Igor Sales
    4 anos ago

    É, um erro não justifica o outro. Faça sua parte da melhor maneira possível e evite esse tipo de constrangimento/frustração.

    • andre
      4 anos ago

      Concordo Ctg ….

Deixe uma resposta