I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar – um resumo

By: Author Raul MarinhoPosted on
438Views2

Veja a seguir um resumo do que foi o I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar:

1º evento

Palestra: “Além dos Acidentes Aeronáuticos” – Cap. Silveira/SERIPA-IV

Como em todas as palestras do SERIPA-IV, esta também foi muito boa em vários aspectos: como sensibilizadora para que a comunidade aeronáutica se preocupe com segurança de voo, como fonte de informações sobre a investigação e prevenção de acidentes, e para realizar alguns estudos de casos de acidentes aeronáuticos. Porém, diferente de todas as palestras do SERIPA-IV que eu já vi (foram três), nesta houve debates acalorados ao seu final, que a fizeram muito mais interessante. Uma das pessoas da platéia era o  Cmte. Carlos Camacho (ex dirigente do SNA), que levantou uma série de questões sobre aspectos legais da investigação – confidencialidade, uso de informações em inquéritos judiciais, obrigatoriedade do piloto acidentado dar explicações, etc., que a enriqueceram substancialmente. Foi um bom prenúncio do que viria pela frente: um evento em que o público seria o grande protagonista.

2º  evento

Palestra: “Descomplicando o CRM, uma abordagem prática” – PLA Rafael dos Santos (Cmte. de B777 na KAL) e PLA/Psicólogo Carlos Batista (ex-Cmte. de B737/757/767 e atual consultor da Wapiya – Consultoria em Desenvolvimento Humano)

O Rafael e o Carlos fizeram um bate-papo informal (mas estruturado) sobre CRM-Corporate Resources Management e TEM-Treat and Errors Management, mostrando como essas metodologias funcionam em termos conceituais (foco do Carlos) e práticos (foco do Rafael). Foi uma palestra extremamente descontraída, que criou um clima muito participativo ao evento, que acentuou o protagonismo do público.

3º evento

Palestra: “Automatismo: Entenda, não dependa” – PLA Fábio Laranjeira (Cmte. de A320 na Avianca e fundador do Contato Radar)

Depois do recente acidente com o B777 da Asiana, em San Francisco, o tema da automação nunca esteve tão premente – haja vista os diversos posts que tenho publicado aqui. Então, a palestra do Fábio, muitíssimo bem preparada, veio numa hora muito propícia, e o interesse do público foi enorme. O Fábio trouxe uma série de conceitos técnicos muito interessantes sobre o assunto, e soube relacioná-los muito bem à realidade da aviação – já que ele hoje pilota um Airbus, aeronave famosa pelo elevado grau de automatismo, mas iniciou a carreira em linha aérea com o Boeing-727, um avião 100% manual.

Evento intermediário e Coffee Break

Apresentação dos drones da Kopter Brasil – Eduardo Cury Russo

Encerradas as palestras da 1ª etapa do Seminário, entrou no palco o Eduardo Cury para uma rápida explicação sobre os drones que sua empresa opera, o que incluiu uma demonstração de voo pairado de seu equipamento mais parrudo, com 8 rotores. Durante o intervalo, quem tivesse interesse maior sobre o assunto poderia ficar no palco assistindo aos vídeos promocionais sobre a operação dos drones, e conversando com o Eduardo sobre o assunto. Os demais confraternizaram num Coffee Break, que foi uma excelente oportunidade para networking.

Homenagem ao Mauro Silva

Na volta do Coffee Break, e antes do último evento do Seminário, houve uma homenagem pública ao Mauro Silva, piloto de avião e de helicópteros e palestrante sobre segurança de voo, que foi quem idealizou o evento. Na verdade, se não fosse pelo Mauro, ninguém estaria naquele auditório naquele momento, pois foi ele o verdadeiro catalisador do Seminário.

4º evento

Painel de Debates “O impacto da empregabilidade na segurança de voo” – Alexandre Abs (Diretor Comercial da CAE no Brasil), Rodrigo Duarte (Presidente da ABRAPHE – Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero), Dra. Ana Helena Puccetti (Psicóloga responsável pela investigação dos fatores contribuintes do aspecto psicológico dos acidentes aéreos do SERIPA IV de 2009 a 2012), João Carlos Medau (Cmte Airbus A320, Piloto-Chefe da Avianca), Marcelo Ceriotti (Presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas), Edson Luis Gaspar (Coordenador do Curso de Aviação Civil da Universidade Anhembi Morumbi e Comandante do Grupamento Águia), e eu como mediador.

Eu havia levado um roteiro e uma “cola” que garantia que o debate aconteceria mesmo que a platéia não tivesse o mínimo interesse em participar do evento, mas não foi o que aconteceu. Eu fiz somente uma pergunta para cada debatedor, com questões encadeadas logicamente em torno do problema clássico da segurança de voo na aviação geral, em que os profissionais mais preocupados com segurança acabam prejudicados no mercado (o problema do “patrão onipotente”), e abri para a platéia perguntar. O resultado não poderia ser mais positivo, e o debate fluiu com uma dinâmica muito boa, e se não fossem as limitações operacionais do auditório, que tinha que ser fechado a uma determinada hora, o painel poderia se prolongar até a madrugada, pois tanto o público como os debatedores estavam extremamente empolgados com o debate. De tudo o que foi debatido, entretanto, eu gostaria de destacar três tópicos que foram discutidos (e que serão mais bem explorados oportunamente), mas que já valem a pena ser citados:

  • Convenção coletiva para INVA/Hs: de acordo com o presidente do SNA, Cmte Marcelo Ceriotti, está em elaboração no sindicato a 1ª convenção coletiva para os instrutores de voo, o que será certamente um marco para a categoria, que até hoje não dispõe de uma CC própria.
  • Treinamento técnico para proprietários de aeronaves: o diretor da CAE, Cmte Alexandre Abs, disse que sua empresa já está comercializando programas de treinamento para proprietários de aeronaves – especialmente os compradores de jatos da linha EMB-Phenom -, o que certamente contribuirá positivamente para a diminuição do problema do “patrão onipotente” na aviação executiva.
  • Curso superior de Aviação Civil para asa rotativa: o presidente da ABRAPHE, Cmte. Rodrigo Duarte, em conjunto com o Prof. Edson Gaspar, da UAM, anunciaram a criação da 1ª turma de Aviação Civil voltada especificamente para os pilotos de helicóptero, num convênio entre a ABRAPHE e a UAM.

Muitos outros assuntos de interesse foram abordados nesse painel, e eu pretendo voltar a abordá-los nos próximos dias, especialmente depois que as perguntas recebidas por meio deste post forem respondidas pelos debatedores.

– x –

Em linhas gerais, foi isso o que aconteceu na tarde e noite de ontem, no auditório da UAM. No encerramento do evento, o público foi unânime em pedir para que ocorram novas edições do Fórum, e o Prof. Gaspar prontamente ofereceu as instalações do auditório de sua universidade para que elas ocorram.

 

 

2 comments

  1. mauropiloto1
    4 anos ago

    Caro Raul, sua Mediação foi Ímpar !

    Linkar uma pergunta para ser respondida por todos os Debatedores, foi algo inédito para mim e isso foi de Improviso conforme você falou, ou seja, só um Grande Profissional teria essa capacidade.

    Meus Parabéns pela desenvoltura com que realizou o trabalho e espero que outros Eventos desse porte aconteçam o mais breve possível.

    Grande abraço

    Mauro

  2. Rafael Santos
    4 anos ago

    Raul o painel de debates foi excelente , sua mediacao foi precisa e extremamente inteligente e isto tornou o debate com muito mais qualidade e conteudo..O Evento teve o sucesso que o tema merecia e ficou em todos a vontade de mais , isto torna nossa responsabilidade muito maior, com certeza e o inicio de um ciclo bastante interessante e produtivo, me coloco desde ja a disposicao do BLOG para responder a qualquer questionamento nos mesmos moldes dos participantes do painel, novamente meus parabens Raul, show de bola.

Deixe uma resposta