As notícias sobre as demissões da TAM na imprensa

By: Author Raul MarinhoPosted on
241Views15

Segue abaixo uma seleção das reportagens veiculadas na imprensa hoje sobre as demissões que estão ocorrendo na TAM (fonte: Aeroclipping do SNA):

 Estado de S.Paulo
Quarta-feira, 31 de julho de 2013
Após prejuízos e redução de oferta, TAM quer cortar até mil funcionários
Número de assentos ofertados pela TAM em junho de 2013 era 10,7% inferior a um ano antes – com menos aeronaves no ar, empresa quer diminuir quantidade de tripulantes em cerca de 10%; em 2012, prejuízo da aérea, que se uniu à Lan, foi de R$ 1,2 bilhão
Fernando Scheller

A companhia aérea TAM anunciou nesta terça-feira, 30, plano para cortar até mil funcionários. A decisão é reflexo direto dos sucessivos prejuízos e da redução da oferta de voos da empresa no País. A ideia é adequar o número de tripulantes (comissários, copilotos e pilotos) ao tamanho atual da companhia, que pertence à Latam – empresa que surgiu da fusão entre a brasileira TAM e a chilena Lan.

renato cerqueira/futura press

Funcionários da TAM protestam contra as demissões em Congonhas

A exemplo de outras aéreas, a TAM tem constantemente operado no vermelho – no ano passado, a empresa acumulou perda de R$ 1,2 bilhão. Para cortar custos, a companhia reduziu sua oferta de assentos e, consequentemente, de aeronaves voando. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a oferta da TAM, em junho, era 10,7% inferior à do mesmo mês de 2012. Logo, um menor número de funcionários seria suficiente para a operação atual.

As dificuldades do setor também afetam a Gol, que disputa a liderança do mercado brasileiro com a TAM. No ano passado, a empresa da família Constantino teve prejuízo ainda maior (de R$ 1,5 bilhão). Depois de comprar a Webjet e decidir eliminar a marca, a Gol demitiu 850 aeroviários no fim do ano passado. O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) conseguiu postergar temporariamente as dispensas na Justiça, mas elas acabaram sendo efetivadas no último mês de março.

O sindicato diz que fará “jogo duro” também com a TAM. “O nosso objetivo é que não ocorra nenhuma demissão”, diz o presidente do SNA, Marcelo Ceriotti. Uma nova reunião entre a TAM e o sindicato está marcada para esta quarta-feira, 31, às 8h30. Será neste encontro que a empresa vai revelar, exatamente, quantos tripulantes serão demitidos. Se o número chegar mesmo a mil, diz Ceriotti, o corte representará mais de 10% do total atual de funcionários da categoria.

A TAM, na realidade, vinha fazendo cortes em sua tripulação desde o início deste ano. De acordo com o sindicato, cerca de 290 funcionários já foram dispensados ao longo de 2013. A companhia justificava que a decisão estaria ligada ao desempenho desses profissionais, e não a uma estratégia de redução de quadros. No entanto, as vagas fechadas não teriam sido repostas.

Além de tentar reduzir o número de demissões, o sindicato também quer que a empresa ofereça condições especiais para os funcionários que quiserem deixar a companhia voluntariamente. “Assim, preservamos as pessoas que querem seguir na profissão”, diz Ceriotti. Ele conta que a maior parte dos 850 aeronautas demitidos pela Gol em março ainda estão desempregados. “É uma profissão especializada, e hoje a situação do setor é, em geral, ruim.”

Do lado das companhias, o quadro ruim do ano passado só fez piorar em 2013. Segundo o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, as empresas aéreas fizeram a lição de casa, cortando custos, o que se traduziu na menor oferta de voos e também em mudanças operacionais (a Gol, por exemplo, passou a vender lanches em vários de seus voos, em vez de oferecê-los como cortesia).

Efeito câmbio. No entanto, Sanovicz diz que as empresas passaram a ser castigadas por uma nova pressão de custos, relacionada à alta do dólar. Segundo ele, 60% dos custos da companhia aéreas sofrem influência do câmbio, incluindo o principal deles, o querosene de aviação. “No ano passado, tivemos resultados ruins e fizemos uma série de ajustes. Quando este ano começou, nos deparamos com o dólar. Se já estava difícil com o câmbio a R$ 2, a situação piorou muito com o dólar a R$ 2,20.”

Ao mesmo tempo, as previsões de expansão da economia também não se concretizaram. O ano começou com uma expectativa de alta de 4% para o Produto Interno Bruto (PIB) – hoje, as previsões variam de 2% a 2,5%. “O crescimento baixo nos afeta, pois o mercado corporativo representa dois terços do tráfego de passageiros”, diz Sanovicz. “Se há um menor número de eventos corporativos, a quantidade de passageiros cai”, diz. Segundo a Anac, a demanda por voos cresceu 2,8% no País entre janeiro e junho, na comparação com o mesmo período de 2012.

+ ampliar

● Expansão menor
“O crescimento baixo (previsto para a economia em 2013) nos afeta, pois o mercado corporativo representa dois terços do tráfego de passageiros.”
Eduardo Sanovicz
PRESIDENTE DA ABEAR

.

Folha de São Paulo
31/07/2013 – 05h38
Após reduzir oferta, TAM vai demitir até mil funcionários
Companhia afirma que cortes vão garantir ‘sustentabilidade’ ante a alta dos custos
DE SÃO PAULO

A TAM anunciou ontem que demitirá até mil empregados, com o intuito de ajustar o quadro de funcionários à operação da companhia, que foi reduzida.

Segundo a empresa, os cortes serão feitos na tripulação (pilotos, copilotos e comissários). A TAM afirma que, desde 2011, a oferta já foi reduzida em 12% e que, com as demissões, quer garantir a “sustentabilidade” da empresa ante o aumento de gastos com a alta do dólar e os combustíveis mais caros.

Em reunião com o Sindicato Nacional dos Aeronautas, a companhia aérea anunciou os cortes e se comprometeu com um plano para reduzir o impacto das demissões, de acordo com seu presidente, Marcelo Ceriotti.

O mais provável é que seja organizado um programa de demissão voluntária, segundo o sindicato.

Hoje, a TAM tem 29.500 funcionários.

Ceriotti acredita que quem for demitido não conseguirá outra colocação no mercado brasileiro, já que o setor aéreo do país se encontra em retração. “É uma mão de obra muito qualificada que não consegue encontrar emprego no mercado nacional.” Segundo ele, o sindicato está em contato com empresas estrangeiras para mediar processo seletivos em outros países.

PROTESTO

Ontem, cerca de 300 tripulantes, segundo o sindicato, protestaram contra as demissões e pediram mais medidas do governo para o setor.

Os manifestantes ocuparam o saguão do aeroporto de Congonhas (SP) durante a tarde. Segundo Ceriotti, a indústria de aviação brasileira é muito frágil e sofre os impactos diretos da desaceleração econômica.

Desde o ano passado, a Gol demitiu cerca de 950 funcionários da Webjet, empresa a qual adquiriu e que depois deixou de operar.

O setor aéreo brasileiro sofre com a desaceleração da demanda, depois de uma década de forte expansão. Devido aos gastos em moeda estrangeira, foi impactado pela recente alta no câmbio e pelo combustível mais caro.

.

O Globo
Quarta-feira 31.7.2013
TAM demite pilotos, copilotos e comissários
Companhia aérea diz que cortará ‘menos de mil funcionários’

michel filho/19-2-2010

Ajuste. 
Companhia aérea já havia demitido 290 tripulantes este ano

A TAM poderá demitir quase mil pilotos, copilotos e comissários nos próximos dias. As dispensas deverão começar no dia 1º de agosto. Atualmente, a empresa conta com cerca de 29.500 funcionários, dos quais aproximadamente nove mil são tripulantes. Segundo nota da companhia aérea, as demissões fazem parte de um “ajuste do quadro” para garantir a sustentabilidade do negócio da empresa, que sofre com a alta dos custos, principalmente os indexados ao dólar.

A TAM faz parte da Latam, companhia formada após a fusão com a chilena Lan.

A empresa já reduziu sua oferta de voos em 12% desde 2011, para enfrentar os prejuízos que tem vivido — no ano passado, as perdas somaram R$ 1,2 bilhão. Para os trabalhadores, as demissões indicam que novas rotas deverão ser cortadas em breve. Mas, em nota, a empresa afirmou que “nenhum dos voos programados será afetado”.

Além do corte anunciado, a empresa já havia demitido 290 tripulantes este ano. Ou seja, no total, as dispensas podem representar mais de 10% da tripulação, segundo os trabalhadores. A TAM não confirmou essa informação.

— No ano passado já tivemos mais de mil demissões da Gol/ Webjet, e grande parte destes trabalhadores altamente qualificados ainda não conseguiu se recolocar. O que estamos vendo é algo muito sério, pois o setor é complexo — afirmou Marcelo Ceriotti, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas.

SINDICATO TENTA NEGOCIAR PDV
Ceriotti se reuniu ontem com a companhia aérea para debater os cortes. Ele afirmou que ainda negocia com a TAM formas de minimizar os impactos das demissões, como a criação de um plano de demissão voluntária (PDV) e ampliação das indenizações.

As demissões em massa no mercado de aviação no ano passado provocaram um novo movimento de saída de pilotos rumo a companhias no exterior. De acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas, ao menos 500 profissionais deixaram o país. Com a crise no setor, as condições de trabalho oferecidas aos brasileiros são menos vantajosas do que as que foram oferecidas no passado a ex-pilotos da Varig.(Henrique Gomes Batista) 

15 comments

  1. Danilo
    4 anos ago

    Uma das profissões onde os autores são mais do que apaixonados, aviação, sou estudando de PP e é ruin ve-la assim, pois ficamos inseguros. hj sou funcionário público tive q estudar para poder pagar meus cursos e fico imaginando como será o futuro da aviação, é ruin vc pensar q talvez vai não vai continuar a fazer o q gosta, ama e sonha todo dia por que o mercado esta ruin, mas é confiar em Deus…

  2. A. Lins
    4 anos ago

    Boa tarde a todos.

    Entenderá quem é leitor dos artigos do Raul desde o início: “A profecia do Raul está se realizando…” (rs)

    Brincadeiras à parte, Raul, também não quero desanimar os iniciantes (eu, inclusive), mas acho que essa ideia de entrar logo na aviação comercial de um país pouco estável na área, como o nosso, antes de acumular um pouco de experiência e conhecimento fora desta mesma área, é ingenuidade demais (ou esperteza de menos).

    Sou aluna da famosa “XPTO” e, certa vez, chamaram-me a atenção (de maneira sutil, é claro) por conversar com um rapaz de 17 anos que estava no PP teórico. O rapaz estava aguardando o resultado da 2ª fase da Fuvest (vestibular de ingresso da USP) e de certa forma torcendo para não entrar, assim não teria o julgamento das pessoas ao redor para seguir na aviação.

    Concordo que devemos dar liberdade àqueles que sabem o que querem e estão decididos a fazê-lo, porém eu estava tentando explicar a ele que, entre os “sobes-e-desces” da aviação, ele teria todo o tempo e disposição do mundo para fazer o curso quando bem entendesse. Porém, conseguir a façanha de estudar a reprodução das formigas e ler toda obra de Machado de Assis para entrar num curso de Engenharia Aeronáutica era uma oportunidade quase única.

    Ou eu não consegui me expressar muito bem, ou ele já estava com a opinião formada mesmo. Não entrou na USP, mas passou em outras universidades públicas e, como eu não tive mais contato com ele, não sei se está fazendo apenas os voos ou se está cursando algo. Fato é que rolou um pequeno ‘boato’ que eu estava desincentivando os alunos (eu tinha virado “A Aliciadora de Menores”–rs), respirei fundo e não falei mais nesse assunto com ninguém até esquecerem.

    Quer saber mesmo? Toquei o exploda-se; afinal já tenho a minha formação profissional, sou muito feliz no que faço e cada hora de voo, pra mim, é um momento de aprendizado e de prazer indescritível! Estou investindo para que eu possa voar profissionalmente um dia, porém, se não conseguir, não quero viver uma ideia de sonho frustrado. Economizei dinheiro minha vida toda pra isso e quero aproveitar cada hora possível. Vejo os meus colegas se acabando, fazendo trocentas horas de voo por dia para terminar o curso rápido, mas… e depois? E se a aviação estiver no período de maré negra quando eles se formarem? Vão fazer o que com a carteira da ANAC (além de se abanar em locais públicos)?

    Não sou a dona da razão, mas procuro entender a mensagem que o Löhrs escreveu acima e tudo o que o Raul tem se esforçado pra mostrar.
    Tem que ter os pés no chão pra voar, galera, na verdade devemos ser realistas e estarmos preparados para qualquer coisa, em qualquer área.

    Um abraço a todos.

  3. Jose Luis
    4 anos ago

    Bom dia Raul,

    Sei que não fala direto sobre o assunto TAM mas acredito que pode ser até tema de um outro post, pois fala da aviação brasileira como um todo (http://br.noticias.yahoo.com/blogs/cartas-amazonia/quem-mata-avia%C3%A7%C3%A3o-brasileira-201036125.html) talvez seja possível encontrar o material da revista Piauí. No mais, continue com seu ótimo trabalho.

  4. Rodrigo
    4 anos ago

    Acho que para os candidatos a pp que tem realmente o sonho de ser piloto, tem grana pra gastar, não tem talento pra fazer outra coisa na vida, tempo para esperar a situação melhorar e muita paciência…sigam em frente.

  5. Löhrs
    4 anos ago

    Anos atrás um amigo meu oficial da FAB me disse: “Cara, estuda pra concurso, faz tua estabilidade e compra um kit nos USA pra voar fim de semana por prazer. Larga isso de Companhia Aérea..” Eu não ouvi, continuei gastando grana em cursos e livros de avião, não passei em concurso nenhum e mês passado ganhei de “presente” um belo dum pé na bunda depois de mais de anos de fidelidade canina ao antigo emprego. Curso na Flight Safety, ter ICAO, falar inglês, ter 2500 horas e ter faculdade de aviação não estão adiantando nada pra conseguir outro trabalho…Novatos pensem MUITO mas MUITO mesmo antes de suicidarem suas vidas financeiras atrás de um “SONHO” que pode virar P-E-S-A-D-E-L-O-……

    • Juliano
      4 anos ago

      Lohrs, e quanto ser piloto na aviacao executiva ou agricola, o cenario eh o mesmo ?

      • Julio Soares
        4 anos ago

        Na agrícola o cenario é um pouco melhor e na executiva, ta tão ruin quanto na linha. A não ser que você tenha um QI pica das galaxias e a sorte de estar no lugar certo e na hora certa.

        • Juliano
          4 anos ago

          Obrigado amigo

    • Felipp Frassetto
      4 anos ago

      Lendo seu comentário, me fez lembrar uma coisa: nenhuma empresa merece nosso “sangue”.
      Sim, merecem nosso suor. É preciso sim vestir e suar a camisa, se dedicar.
      Mas, quem é assalariado; seja diretor ou nível hierárquico mais baixo, sempre vai ser assim: um número, não importando a suposta dedicação.
      Claro que há exceções, pois sempre há e uma coisa não exclui a outra.
      Mesmo assim, quem vive de salário nunca pode se esquecer: não passamos de um número.

  6. Juliano
    4 anos ago

    Raul Marinho, preciso de sua ajuda, estou comecando o curso de PP, sempre foi um sonho meu, mas devido aos ultimos fatos negativos para os pilotos, estou com medo, voce poderia me dar uma opiniao? Voce acha que ainda vale a pena ser piloto hoje? Nao estou pensando em ficar rico, mas claro, quero no futuro recuperar meu investimento e ter uma vida digna. Outro fator, ja tenho 29 anos, idade interfere muito ? Abraco e desde ja meu muito obrigado.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Leia os comentários aos posts de ontem sobre as demissões da TAM, Juliano. Tem varias pessoas comentando esse assunto.
      Qto à idade, esta não é um problema para vc.

      • Juliano
        4 anos ago

        Obrigado Raul, pelo que entendi, hoje o negocio eh desanimador, porem ha uma expectativa de melhora para o futuro, espero que esse futuro seja logo apos o meu PC rsrs. Eh por ai mesmo? Parabens pelo blog, sou o novo fa daqui. Parabens!!

  7. wilson
    4 anos ago

    Essas horas que eu agradeço de nao ter aceitado os 4 convites que a TAM me fez em 2011/2012, mandaram até passagem! Alguns colegas chegaram a me chamar de sem noção!!! Tá ai a resposta!!!!

    • Eduardo
      4 anos ago

      Ahaaam!! rsrsrs

  8. Mario
    4 anos ago

    São nessas horas que eu tanto me arrependo de não ter feito uma faculdade e de ter vendido quase tudo pra pagar hora e mais horas de voo…

Deixe uma resposta