[Empregabilidade – Forum CR] Perguntas ao Cmte. Medau/Piloto Chefe-Avianca

By: Author Raul MarinhoPosted on
755Views1

Conforme combinado neste post – “Perguntas sobre empregabilidade & segurança de voo – ‘I Seminário de Segurança de Voo Contato Radar‘” -, eu enviei uma das perguntas (que chegou até mim via e-mail) para o Cmte. Medau, Piloto-Chefe da Avianca, e a seguir encontra-se a resposta publicada. Eu aproveitei e antecipei mais algumas dúvidas que os leitores certamente teriam sobre o mesmo tema, e incluí as respectivas respostas neste post também. Sem puxa-saquismo ou auto-elogio – e mandando a modéstia ás favas! -, eu acho que o texto resultante ficou uma das melhores orientações profissionais de todo o blog, confiram:

A pregunta original, recebida via e-mail:

Raul,
Boa Tarde.

Tive o prazer de cumprimenta-lo ontem no final do seminario e parabeniza-lo pelo veiculo que criou e mantem.

Um dos questionamentos que voce fez para o chefe de piloto da Avianca, ontem, foi ” O que a Avianca espera de um candidato ?? ”

Gostaria de refazer essa pergunta a ele , pois a resposta dada foi ” A Avianca espera boas pessoas? “, o que para um PC em formaçao como eu, é um tanto quanto vaga.

Gostaria de saber o que é bem visto e mal visto num curriculo de candidato a piloto na companhia ?!?

Como a companhia quer que eu chegue para a seleção ?!?

A resposta do Cmte. Medau:

oi Raul,

Me desculpe pela demora em responder a pergunta. Os últimos dias foram corridos por aqui.

Então, não é fácil responder essa pergunta do que procuramos. Apesar de eu ser responsável por todas as entrevistas de admissão de pilotos na Avianca, toda vez que alguém me pergunta o precisa para ser aprovado eu não sei ao certo a resposta. Não tem uma resposta exata mas creio que é algo assim:

O que nós procuramos são pessoas entusiasmadas com a aviação e o trabalho. Que estão lá porque gostam do que fazem, porque gostam do ambiente da empresa, do avião, dos voos. Aquele tipo de pessoa que enxerga as adversidades da operação de linha aérea (que são muitas) de uma forma positiva, de certa forma até bem humorada. Sabe aquelas pessoas que enxergam o copo meio cheio ao invés de meio vazio? Acho que é mais ou menos isso.

Somado a isso, uma boa formação técnica, preferencialmente com curso superior em aviação ou área de ciências exatas (engenharia é uma boa), inglês é indispensável, experiência de voo, etc. Considero importante também que o piloto não pule etapas. Por exemplo, não acho uma boa o cara sair da escola direto para co-piloto de linha aérea. A princípio, parece (e é) sorte mas, ao longo do tempo, algumas coisas que ele não viu e viveu vão fazer falta. O ideal é o piloto que sai da escola, vira instrutor, trabalha um tempo como instrutor (ele não sabe mas está aprendendo muito mais do que ensinando), depois voa algum avião de menor porte como comandante (isso é muito importante), tipo Seneca, Bonanza, Baron, etc. Daí em diante, creio que ele está “no ponto” de tornar-se co-piloto de linha aérea. Vai ter experiência e formação suficientes para ter um bom desempenho e visão crítica necessária para aprender, corrigir e até mesmo questionar um comandante quando necessário.

Acho que é isso.

abcs,

Medau

Minhas perguntas complementares:

Olá Medau, tudo bem?

Se aí está corrido, imagine como está a vida do Medau da TAM…

Mas muito obrigado pela sua resposta! Está excelente! Porém, já me antecipando ao que os leitores deverão perguntar, gostaria de saber quais as perspectivas de abertura de processos seletivos na Avianca para o 2º semestre. Há alguma previsão de contratação? E, em caso positivo, de quantos pilotos? Se vc puder fazer algum comentário sobre o que as demissões da TAM poderão impactar nos futuros processos seletivos, também seria ótimo (mas vou entender se vc preferir não comentar sobre isso agora).

Muito obrigado e um grande abraço,

Raul

As respostas complementares do Cmte. Medau:

Olá,

Nós não temos previsão de contratação para o segundo semestre, uma vez que, neste ano, basicamente estamos transferindo pilotos do Fokker 100 para o Airbus A320. Eventualmente, fazemos algumas poucas contratações para completar o quadro mas são poucas vagas e sem cronograma previsto por enquanto.

A saída de pilotos de uma outra empresa sempre impacta o mercado, pois deixa uma grande quantidade de pilotos experientes no mercado, buscando as mesmas vagas que os recém formados. Naturalmente, isso dificulta mais a vida dos novos pilotos, pois as empresas preferem sempre aqueles mais experientes. Isso já ocorreu recentemente com a Gol, depois a Webjet e agora surgiu o anúncio da TAM.

De uma forma geral, isso não altera nosso processo seletivo, a não ser pelo fato de termos mais pilotos disponíveis.

abcs,

Medau

One comment

  1. Rodrigo
    4 anos ago

    Ao meu ver e resumindo: O pessoal que está entrando agora na aviação esqueça por enquanto o sonho das companhias e se qualifique a longo prazo, pois vai ter uma enxurrada de pilotos qualificados a disposição do mercado. Para os que foram direto dos aeroclubes para as companhias, estão “nem lá nem cá”.

Deixe uma resposta