“Companhia aérea Ryanair demite piloto por criticar segurança”

By: Author Raul MarinhoPosted on
228Views4

Vejam a notícia abaixo, reproduzida de uma reportagem do G1 (fonte: Aeroclipping do SNA), e percebam a sucessão de equívocos. Inicialmente , o piloto errou ao denunciar o problema de segurança da companhia num programa de TV – há canais apropriados para isso: se fosse no Brasil, o CENIPA e o MPF, por exemplo. Mas o erro do piloto não é nada se comparado ao erro da companhia aérea! No lugar de demitir e processar o piloto e entrar na Justiça contra o canal de TV (!!!???), não teria sido mais sensato abafar o caso, dizer que medidas corretivas já estão sendo tomadas, e blá-blá-blá? Porque, agindo como agiu, a informação que ela passa ao público é que, além de insegura, a companhia pretende esconder os problemas da população! Lamentável!

 

Companhia aérea Ryanair demite piloto por criticar segurança
France Presse

DUBLIN, 15 Ago 2013 (AFP) – A companhia aérea irlandesa de baixo custo Ryanair anunciou nesta quinta-feira a demissão de um piloto que havia criticado a segurança da empresa em um programa de televisão.

‘A companhia colocou fim hoje (quinta-feira) ao contrato do senhor (John) Goss com efeito imediato e pediu que seus advogados iniciem um processo judicial contra o piloto’, indicou em um comunicado.

‘Não deixaremos que um funcionário da Ryanair difame a segurança da companhia na televisão’, disse um porta-voz da Ryanair.

O piloto John Goss participou de um programa de televisão transmitido na segunda-feira pela rede britânica Channel 4 (‘Ryanair: os segredos da cabine’), no qual vários pilotos da companhia denunciam os problemas de segurança provocados, entre outros, pela política de economia de combustível.

Segundo uma pesquisa da associação The Ryanair Pilot Group (RPG), a grande maioria de pilotos da Ryanair (88,8%) considera que a companhia não tem ‘uma cultura da segurança aberta e transparente’.

No total, 1.903 comandantes e co-pilotos, quase um terço dos efetivos totais, participaram da pesquisa, que, segundo a companhia, sofria de ‘falta de independência e confiabilidade’.

A Ryanair anunciou na terça-feira uma ação judicial contra o Channel 4.

4 comments

  1. Arnold
    4 anos ago

    Quem já assistiu alguma entrevista ou documentário do dono da Ryan Air Michael O’Leary (CEO), entenderá o porque disso

  2. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Quem procura, acha. Ao falar publicamente dessas coisas, você fere artigos de confidencialidade que assinou quando entrou na empresa. Mas a regra é válida pros dois lados: uma empresa que não é comprometida com segurança, mais cedo ou mais tarde cairá na boca do povo.

  3. Esse sujeito da Ryan Air é – no mínimo – estranho (dito pelo meu cunhado, que também é irlandês e foi colega dele, de escola). Quando eu voava na Hi Fly (Oman Air), operávamos em Londres. Cansei de escutar nego declarando minimum fuel. Mas não era a única “Low Cost” onde isso ocorria.

    • Bom dia Cmte.
      Apenas por curiosidade, pois eu vôo na Av. Geral e não tenho muito conhecimento as respeito do cotidiano das Linhas Aéreas, mas qual o critério para declarar “Minimun Fuel”?
      Parece ser uma situação entre “Operação Normal” e “Emergência”.
      E a partir daí há uma “prioridade” por parte do órgão ATC para a aeronave pousar?
      Obrigado

Deixe uma resposta