Parapente entrando em IMC

By: Author Raul MarinhoPosted on
440Views4

Está circulando na internet um vídeo sobre um “voo de instrução” com um parapente, em que “instrutor” e “aluno” entram inadvertidamente em IMC (as aspas são porque trata-se de um voo panorâmico de fato – ele só é formalmente “de instrução” porque os voos panorâmicos onerosos são proibidos). O vídeo (abaixo reproduzido) já é muito instrutivo por si só, pois ele mostra o desespero de estar numa situação em que não se sabe quando (nem se) vai acabar, etc. e tal. Mas mais interessante ainda são as declarações do “instrutor” registradas nesta matéria do G1 -“‘Eu não falhei’, diz instrutor que viveu momentos de pânico no parapente“:

O instrutor de voo livre que viveu momentos de pânico com um aluno no Rio de Janeiro, Luiz Gonzaga Pereira de Souza, de 57 anos, disse, nesta segunda-feira (26), que não falhou durante o procedimento. “Eu não falhei. Eu estava atento, não considero erro. Poderia acontecer com qualquer um. Eu fui surpreendido pelas condições meteorológicas. Eu virei um sanduíche”, falou. Ele foi parar no meio de uma nuvem com um aluno depois de saltar da Pedra Bonita, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Em uma entrevista concedida ao G1, em Belo Horizonte, Souza disse, que durante o voo que durou cerca de 13 minutos, chegou a rezar e pediu ao aluno que também fizesse uma oração. “Já tinha esgotado as condições como piloto. Como piloto fiquei esgotado de manobras. Ali era o Luiz Gonzaga ser humano. Eu apelei para Deus. Eu senti minha vida ao léu. Em 18 anos de voo nunca vivi essa situação”, disse o instrutor que viajou a Minas Gerais para visitar a família.

Então tá, né?, senhor “instrutor”… A meteorologia é assim mesmo, sempre surpreendendo os pilotos que realizaram um bom planejamento e se mantiveram com alto nível de consciência situacional durante o voo.

4 comments

  1. Paulo Alves
    4 anos ago

    Esta situação tão corriqueira nos céus desta cidade ( RJ ), com mortes ( inclusive filmadas ) não provoca NENHUMA atitude. Errado é quem COMPRA uma pacote de INSTRUÇÂO ( ? !!!!!! ). Que instrução ? Que aula ? Deveria ser proibido. E ponto. Quer voar, ótimo. Faça um curso. Tenha uma habiliktação. Ou então vá a um aeroclube e faça um vooo panorâmico com um profissional.
    Não entendo nada de vôo. Mas bom censo …

  2. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Há uma frase conhecida que diz “Ninguém é ateu em um avião em turbulência”. Eu, comissário de voo, piloto, estudioso de segurança de voo e ateu (não sei bem se nessa ordem), acho uma afronta. Nossa atividade é totalmente cartesiana, cheia de protocolos, procedimentos. Eu – e isso claro é uma opinião pessoal de quem reconhece estar nos 4% da humanidade que não acreditam em nada sobrenatural – acho fatalismos (“era o dia deles”) e crendices (sinal da cruz antes da decolagem é o mais comum) algo totalmente incompatível com nossa profissão. Afinal, se “no dia que tiver que cair, vai cair mesmo”, estamos todos de patetas aqui estudando e nos esforçando pra evitar uma tragédia, e eu me recuso a seguir tal linha de raciocínio – amo trabalhar, mas odeio trabalhar à toa. A frase “Todo acidente pode ser evitado” faz do CENIPA o orgão público mais laico do Brasil. Penso assim: que assumamos nossas responsabilidades, méritos e erros. Quando tudo dá certo, o mérito é nosso. Quando dá errado, a culpa também. Afinal, segundo o CBA, o piloto em comando pode delegar tudo, menos o que envolva segurança de voo.

  3. Gustavo Lauriano
    4 anos ago

    Esse senhor que se diz piloto e instrutor não passa de mais um irresponsável despreparado que temos no voo livre! É uma pena que não existe realmente um controle efetivo e penalidades para esse tipo de situação.

  4. asenci
    4 anos ago

    “Já tinha esgotado as condições como piloto”
    Não sou voovelista, mas pelo que deu para perceber no vídeo, tinham dois passageiros. Faltou o piloto…

Deixe uma resposta