Aeroclube/escola de aviação e empregabilidade

By: Author Raul MarinhoPosted on
480Views22

Recebi uma mensagem de um leitor ontem com uma pergunta recorrente, que acho que faz sentido responder em um post específico:

Gostaria de saber se a escola de aviação/aeroclube que for escolhido para realizar as horas de voo irá influenciar em uma futura contratação.

Por exemplo, o fato de estudar em uma escola como a XPTO poderia colocar o piloto em uma posição mais privilegiada em relação aos que estudaram em uma escola “não muito conhecida”?

Para um médico, ser formado pela USP traz vantagens em relação ao formado por uma faculdade particular de menor reputação; para um engenheiro, o diploma do ITA é praticamente uma garantia de emprego; e assim por diante. Assim, é de se supor que, para um piloto, ser formado por um aeroclube ou escola de aviação de boa reputação deverá fazer uma grande diferença na hora de procurar emprego, né? Pois é, mas não é isso o que se verifica na prática: no fim das contas, ninguém dá muita bola para qual aeroclube/escola de aviação que a pessoa cursou… É que iremos discutir neste post.

Na verdade, em termos de empregabilidade, voar num aeroclube de interior pode, muitas vezes, ser mais eficiente do que se formar numa escola de aviação como a XPTO, cheia dos “trique-triques”. Isso porque num aeroclube pequeno é muito mais fácil estabelecer relacionamentos produtivos na aviação, e como o QI tem importância fundamental na carreira de piloto… Leia estes posts – QI na aviação – Parte IQI na aviação – Parte II – para entender melhor essa questão do QI (voltaremos a este ponto mais adiante).

Na verdade, o que interessa mesmo para um currículo de piloto são três coisas: 1)Relacionamentos; 2)Horas de voo; e 3)Licenças e habilitações – e a ordem de importância desses fatores pode variar em função de vários diferentes motivos. Vejamos:

Se você possui a habilitação de TIPO para voar uma determinada aeronave que, por algum motivo, está em falta no mercado, isso pode ser mais importante do que o QI ou que as horas de voo. Por exemplo: você tem a carteira do avião/helicóptero X, que ninguém mais tem no mercado, e há três operadores com aeronaves paradas por falta de piloto habilitado. Num caso desses, mesmo sem QI, e mesmo sem muita experiência, você pode conseguir o emprego, pois o operador precisa desesperadamente dos seus serviços. Mas um aeroclube/escola de aviação, por melhor que ele seja, só vai te dar o básico em termos de licença+habilitação: no máximo PC-IFR/MLTE – que não é diferencial algum no mercado.

Já para entrar numa linha aérea, ter os mínimos em termos de horas de voo é o que mais importa. Em linhas gerais, os processos seletivos das companhias aéreas dão muita ênfase para a experiência (leia-se: horas de voo) dos candidatos, e o QI, embora importante, não é tão fundamental como é em outros segmentos da aviação. Ter a habilitação de TIPO do avião que a companhia utiliza poderia, sim, ajudar muito, mas para isso você já deve ter uma experiência anterior na aviação comercial – logo, está muito distante da formação básica, então nem faz sentido discutir isso. O que importa é que, independente do aeroclube/escola de aviação em que se voou, sempre se vai sair com o mínimo em termos de horas de voo (150h para avião ou 100h para helicóptero), e isso não será um diferencial na hora da contratação também.

E para a aviação geral, de uma maneira… geral (com o perdão da repetição da palavra), o QI é o que costuma imperar, e fim de papo. A não ser em casos excepcionais, como o do exemplo citado anteriormente (do piloto com uma habilitação de TIPO “exótica”), o que interessa mesmo são os relacionamentos que você tem. E aí, novamente, não vai fazer a menor diferença ter voado numa escola famosinha, ou num aeroclube de interior.

Então, meu caro, voe onde for mais conveniente para você – mais perto de casa, mais barato, com mais disponibilidade de escala, etc. – e, se possível, estabeleça bons relacionamentos durante a sua formação. E não se preocupe em se sacrificar (ou sacrificar seus pais) para voar na escola que tem jatinho. Sacou?

22 comments

  1. Bruno
    4 anos ago

    Pois é, Pois é, sou o exemplo disso investi todas minhas economias na XPTO e nāo me arrependo, tive boa experiência e creio que nāo seria igual em nenhum aeroclube de interior, porém de volta a realidade hoje perco vaga pra pilotos formados em interior que nunca ou quase pouco voaram em espaço aeréo controlado e que nem fonia sabem fazer, sem contar a falta de padronizaçāo e competência que nāo voaram nem solo durante sua formaçāo e infelizmente ter que ser comparado a eles… e ainda ver eles voando pois tem o QI… isso indigna muito!!!! Moral da historia, na aviaçāo GERAL, nāo adianta ser bom, tem que ter QI

    • Julio Petruchio
      4 anos ago

      “Carma concê tá só cumeçanu.”

  2. Julio Petruchio
    4 anos ago

    Excelente não!!! PERFEITO POST!!! É assim que a empregabilidade na Aviação, Comercial ou Geral. O que manda é o QI, “peixe”, “The Big White Shark”!
    Apenas reforçando uma parte do que foi escrito, o “emprego” como INVA é um ótimo início profissional para aqueles que começam a aviação sem ter um pai, parente ou amigo na aviação, pois para os que têm, geralmente buscam acumular experiência e horas de vôo com esses.
    Parabéns Raul, esse post esclarece e muito para aqueles que estão começando.

  3. Eduardo de Paula
    4 anos ago

    Boa noite Raul! Estou fazendo o PP e acompanho teu blog diariamente já faz algum tempo, já li de tudo aqui e tu me ajudou muito a escolher meu caminho na aviação. Se for possivel gostaria que tu tentasse me ajudar em mais uma coisa. Sei que não tem formula magica para conseguir o QI, mas queria algumas dicas a mais (alem dos textos que te referiu).

    Eu tenho o defeito de ser mais recatado e timido que as pessoas em geral. Procuro sempre não deixar que isso afete minha cordialidade e tenho o costume de cumprimentar as pessoas educadamente. Porém não consigo ir muito mais alem do que isso, no maximo um comentario sobre a meteorologia. Mesmo entre amigos não sou de falar muito.

    Estou cursando Ciencias Aeronauticas na PUC mas não pretendo ir pra linha aerea na verdade, prefiro a aviação geral e pequenos bimotores. Fico com receio depois de tudo que já li por ai, de não conseguir o emprego que quero pois vou ter a formação com todos “penduricalhos” eu acredito. Isso pode deixar um possivel contratante da av. geral desconfiado, parecendo que só quero ganhar horas pra subir pra linha aerea.

    Tens alguma recomendação/dica para que eu possa fazer com que essas duas coisas não me prejudiquem?

    Muito obrigado desde já, se preferir posso mandar por email a duvida!
    Parabéns pelo seu blog, voce faz um otimo trabalho!

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Vc já pensou em bater um papo com um psicólogo sobre isso? Acredito que a própria PUC tenha um serviço de psicologia gratuito, que vc pode utilizar. Eu, leigo no assunto, e que nem te conheço pessoalmente, teria muita dificuldade em te ajudar nisso…

      • asenci
        4 anos ago

        Tem muita gente que faz curso de teatro também… Dizem que ajuda muito a socializar e perder a timidez…

      • Eduardo de Paula
        4 anos ago

        Nunca pensei que isso pudesse ser necessário, mas talvez seja uma boa idéia, vou procurar o serviço lá na PUC. Obrigado pela resposta!

        • Raul Marinho
          4 anos ago

          Cara, não é só “louco” que procura a ajuda de um psicólogo. Se vc tem uma característica comportamental que não lhe agrada – no aso, o excesso de timidez -, não vejo por que não procurar ajuda. Não tenha preconceito quanto a isso.

          • Eduardo de Paula
            4 anos ago

            De forma alguma tenho preconceito, meu irmão faz acompanhamento psicologico e não é nenhum “louco”. Eu só nunca tinha pensado na hipótese de que poderia ser necessário pra mim também. Agradeço e aprecio sua vontade de ajudar! Muito obrigado, abraço!

            • Raul Marinho
              4 anos ago

              Ok, mas o comentário não foi especifico para vc… Tem muita gente que “pega carona” nas duvidas dos outros. ;-)

    • Rubens
      4 anos ago

      Estude muito , quando se domina um assunto fica facil engatar uma boa conversa e principalmente uma conversa de bom nivel.Eu prefiro as pessoas que falam pouco as que falam merda

      • Eduardo de Paula
        4 anos ago

        Tens razão Rubens, dominando o assunto é mais fácil se sentir seguro pra conversar. Agradeço seu conselho! Abraço

    • Eder Viveiros
      4 anos ago

      Meu querido,

      Apenas com o intuito de te ajudar, na aviaçao como o Raul mencionou infelizmente o mercado trabalha com base na inidicação e que de certa forma impossibilita que pessoas que não tenham conhecimento consigam empregos “melhores”.
      Bom, quanto a parte de ser tímido, posso aconselhar fazer terapia (psicólogo). Acredite, eu tambem sou muito tímido e isso ninguém sabe, mas depois de algumas seções com um bom terapeuta vc acaba percebendo que a timidez é algo que temos que lutar contra….qualquer coisa me manda um email que posso te recomendar uma ótima que mora perto do campo de Marte….acredite, funciona….!!! Sucesso !!!

      • Eduardo de Paula
        4 anos ago

        Muito obrigado pela ajuda Eder. Eu nunca pensei na hipótese de fazer terapia, apesar de atrapalhar em alguns momentos, acredito que não tenha prejudicado tanto. Entretanto, sei que poderia ser melhor do que isso. Muitas vezes não é fácil lidar com a timidez e poderia me relacionar melhor com as outras pessoas deixando isso de lado. Vou seguir o conselho de vocês e procurar esta ajuda. Abraço e sucesso em dobro!

  4. Dudu
    4 anos ago

    alfinetada no final do post ein Raul hahahaha

  5. João Franco
    4 anos ago

    Muito bom Raul, mandou bem…
    É isso ai mesmo, e em relação ao INVA o negocio é o cara fazer os cursos num lugar só e não ir para lá e para cá.
    Pra falar a verdade nem sabia dessa escola XPTO, devo estar muito por fora mesmo. Atuo com instrutor a 1 ano, e pronto como muitos profissionais. Porém o cenário agora é bem diferente, que até mesmo o comando que tiver as três coisas que o Raul disse sentirá dificuldades para o emprego…
    Mas é isso ai voe, onde te faça feliz, e onde não picote dinheiro. Porque se continuar do jeito que está o Brasil a saída será só guardar dinheiro para ir embora!! Antes que os políticos roubem até as pistas…
    Um abraço.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      XPTO, meu amigo, é um nome genérico… Poderia ser XYZ, ABC, KCTa4, etc.

    • asenci
      4 anos ago

      Essa XPTO já está manjada aqui no site… tem vários posts sobre ela… hehehe

      • Julio Petruchio
        4 anos ago

        Pois é… Não é tudo aquilo que parece… Conhece aquela expressão “ouro de tolo”?

        • asenci
          4 anos ago

          Não duvido da qualidade da escola e da instrução, mas que eles são bons em vender penduricalhos, são…
          De marketing também… Convencer o povo pagar 12h de MONO/IFR a mais do que o necessário não é para qualquer um…

          • Julio Petruchio
            4 anos ago

            É… A cada dia nasce um “homem da cobra” em algum lugar…

  6. asenci
    4 anos ago

    Raul, faltou abordar a questão do INVA, que é a melhor chance de quem está formado no momento (não que a chance seja boa, mas é a melhor).

    Nesse caso a escola onde você fez as horas obviamente é relevante. E quanto mais horas melhor… :)

Deixe uma resposta