Pesquisa aponta perda de interesse na carreira de piloto

By: Author Raul MarinhoPosted on
278Views15

Pois é… Depois os leitores dizem que meus posts são, como direi?, “inibidores da libido” da aviação, mas o que eu posso fazer? Esconder esse tipo de informação? Abaixo, matéria publicada anteontem na AINonline (recomendo que vocês acessem a matéria original para ler os comentários também).

Pilot Career Is Losing Its Appeal, Shows Survey

A new survey by the University of North Dakota Aviation Department suggests that young people are being turned off by the prospect of a career as an airline pilot. Just under one third of the 205 student respondents (32 percent) said they are now reconsidering their plans to become an airline pilot. A further 8 percent said that they have already abandoned this career path.

When asked what the industry would have to do to convince them to consider an airline career, 35 percent cited salary increases, 20 percent called for a more family-friendly lifestyle and 13 percent highlighted improved work schedules. The university’s Professor Kent Lovelace told the RAA Convention today that the industry needs to offer students more defined career paths if it wants to attract them. He also said that more will need to be done to reduce training costs and provide help with financial aid. At the same time, he feels carriers could do more to project a more positive image of the profession.

15 comments

  1. Rafael
    4 anos ago

    Nossa, tirando o Enderson, ninguém disse que mesmo diante todas as dificuldades não escolheria outra profissão.
    O negócio deve estar brabo mermo….

    Abraços

  2. José
    4 anos ago

    O que torna a carreira de piloto tão ingrata Rafael? É toda a parte burocrática da Anac que apenas dificulta a vida do piloto. Qualquer processo de licença é muito custoso.E o que mais me incomoda ,além da demora, é o valor exorbitante que é cobrado por um serviço péssimo.

    Para fazer o teste do ICAO – pague 450 reais por uma prova de 30 min , após espere 4 meses para sair o resultado e mais uns 2 meses para chegar a carteira na sua casa.

    Para incluir e revalidar habilitações não vou nem comentar.

    Depois que você faz o INVA e vai procurar emprego. Descobre a dura realidade : quase a totalidade dos Aeroclubes e escolas de aviação tratam o instrutor igual a lixo. Posso dizer, por experiência própria, pois já dei instrução em vários lugares do Brasil. Ninguém quer assinar a sua carteira. A maioria dos lugares possui um alojamento péssimo. O valor cobrado pela hora de voo chega a ser ridículo. Na crise de agora, tem instrutor que não ganha 1000 reais por mês. Meu primo,que não tem 2°grau completo, lava carro e ganha mais do que isso.

    Ademais, depois que você faz ICAO, JET Trainer, Pla teórico, um bom número de horas de voo, ainda fica desempregado.

    É isso que torna a carreia ingrata.

    A quantidade de piloto da Tam que tem família e tinha uma vida estabilizada no Brasil e que agora vai ter que procurar emprego no exterior ou mudar de profissão.Além disso, a forma como o governo conduz a aviação é deprimente. Só de perceber os tributos do combustível e a condição dos aeroportos do Brasil já dá para ter uma noção da administração.

    E se pudesse voltar no tempo, tinha mudado de profissão.

    Abraço.

  3. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Como você sempre diz, Raul, não é o tipo de emprego pra quem quer ficar rico. Mas num mundo onde quase todo mundo entra na segunda-feira rezando pela sexta, tampouco é o pior dos empregos. Enfim, conheço muita gente fora da linha aérea que está mais satisfeito do que quem está na linha, e eu mesmo, comissário já há 8 anos, por mais que não viva o 121 com o salário e o trabalho de um piloto, tenho escala idêntica. Portanto, não tenho o anseio de linha aérea que muitos têm. Se acontecer e for bom, melhor. Mas não é mais um “must do” pra mim. A pesquisa foi feita nos EUA sobre o mercado de lá, mas em certos aspectos, nosso mercado anda bem parecido com o americano – ainda que vivamos condições de trabalho e vida geralmente inferiores.

    Mas até que ponto uma pesquisa dessas, ou qualquer dado nesta direção consegue realmente dissuadir alguém? Além de sermos dados a ouvir o que nos convém, a força que move grande parte de nós é uma paixão maior do que “gostar” de determinado ramo profissional. E eu já experimentei o lado de lá da janela do escritório, onde o horizonte é um computador numa sala com temperatura controlada. E não é nada legal.

    No final, é como dizer aos diabéticos para deixarem de comer doces. E a minha diabetes, é do tipo I.

    • Rafael
      4 anos ago

      Grande Enderson,

      Na minha humilde opinião, nenhuma profissão te deixa rico. Só há duas formas de ficar rico (tirando as que não dependem do trabalho como ganhar na mega-sena, ganhar uma herança ou casar com um cônjuge rico): empreendendo em um negócio próprio ou subir na hierarquia de uma empresa. Vale ressaltar que em ambas as situações você terá que trabalhar muito e melhor do que os seus colegas/concorrentes e dar sorte, pois após todos os esforços a tal esperança de riqueza pode não chegar nunca ou até mesmo um infarto te derrubar no meio do caminho…

      Gostaria de entender o que torna a carreira de piloto tão ingrata. Quero ir além do discurso dinheiro e longe da família.

      Sinto um certo descontentamento entre os pilotos, mas não sinto ninguém querendo migrar para outra carreira. Se é ingrata, por que não mudam? Aos pilotos, por favor, não vejam como crítica. É apenas a dúvida de um super-ultra-mega leigo querendo entender os desafios a ser enfrentados…

      Um grande abraço.

      • Lucas
        4 anos ago

        Rafael, tenha as palavras do José como minhas, ele já sentiu na pele o que senti, tem pilotos que se sujeitam a ganhar menos que coletor de lixo ( sem desmerecer nimguem ) co pilotos de King Air ganhando 1000 reais e Cmte ganhando 3000, ou voando de graça, conheço muitos, a mulher trabalha para sutentanar a casa, porque o “Cmte” nao ganha pra voar, vai checar ou rechecar, veja o tempo que leva para vir o Checador, e o tempo para ser analisado seu processo, isso é viver na ilusao, e nao me fale que é porque o cara nao tem experiencia porque tem sim, esse papo já conheço, “voa de graça porque vc nao tem experiencia ainda”, por essas e outras que Nao recomendo a ninguem, estou abandonando, pra mim já deu, no Brasil nao dá futuro, a nao ser que vc nasceu em “berço de ouro” aí dá…. Desculpa pessoal foi meu desabafo, lutei muito… abs a todos.

  4. Lucas
    4 anos ago

    Boa noite a todos os amigos, sou Pc Mult Ifr Checado e aprovado no Pla, mais de 10 anos no Ar, e sinceramente NÃO recomendo a ninguém seguir esta ingrata profissão nem se for seu sonho e coisa e tal, sempre foi meu sonho, mas acabei descobrindo que sonhos nao enchem barriga e que a burocracia no Brasil faz voce desanimar de qualquer coisa com o passar do tempo, se fosse contar quantos pilotos parados e desempregados e muito bem qualificados e suas historias daria para escrever um livro nesses 10 anos, Abraços a Todos…

    • Rafael
      4 anos ago

      Caro Lucas,

      Obrigado pela contribuição. Seu post toca em pontos ineteressantes, Voce poderia nos ajudar a esclarecer melhor esses pontos?

      Você poderia fornecer os motivos pelo qual você considera a profissão ingrata?

      No seu post, você comenta sobre não encher barriga. O que você quis dizer com isso? Ficou muito tempo desempregado? Ou o salario mal pagava as contas? Acha que a profissão paga mal? Se sim, mal em relação ao que e outras profissões?

      Pode dar exemplos sobre a burocracia Brasil?

      Em relação ao pilotos qualificados e desempregados: qual a definição desempregado aplicado aqui (pilotos de linha aérea fazendo voos freelance se consideravam desempregados, por isso que pergunto qual a definição usada)? Quanto tempo esses seus conhecidos levaram para arranjar outro emprego? Qual a proporção de pilotos empregados vs desempregados que você conhece? (Tem mais pilotos empregados ou desempregados?)

      Um grande abraço,

      • Lucas
        4 anos ago

        Olá Rafael td bem, prefiro nao entrar em pontos específicos para nao criar polemicas, mas garanto pra vc, que se não nasceu em “berço de ouro” irá saber essas respostas em breves anos na aviação. Abs

  5. Rafael
    4 anos ago

    Nao sou o moderador do blog, mas como o Raul, confortavelmente, nos deixa fazer perguntas e sugestões, gostaria de saber dos pilotos que seguiram a aviacao como profissão, de tudo que sabem hoje e já passaram, se pudessem voltar no tempo, vocês aconselhariam o seu eu mais novo a seguir outra carreira? Se sim, quais seriam os motivos?

    Abraços

  6. Julio Petruchio
    4 anos ago

    É… Pessoal está acordando do “Alice no país das maravilhas” da aviação…

  7. Meu (2o.) comentario – em resposta a comentarios de certos “cyber aviators”, “automation-worshippers” & afins foi: “Fabio Goncalves ” Pilot-less acft? Good luck on that. Commercial carriers are not military drones. Not a minimally reasonable comparison. We shall be buried for a long time, when those pilot-less things show up, for a commercial purpose. It does not matter if “a new level of automation” will be achieved. Humans will still be humans, and humas are not perfect, nor are their creations. It does not matter how good an aircraft can be. Humidity, dust and human stupidity will still damage circuits and cause failures. Else before that happens (may God forbid!), too many drawbacks are likely to happen as a consequence of the “magenta children generations” being upgraded towards the left seat, for the sake of “rationalising costs”…matter of fact, it is already happening, here and then, specially in some asian countries. I instructed and checked on F100 and B737NG Level D Sims from march 2000 thr july 2006 (on some of the most expensive and sophisticated in the World; korean companies do not spare money on that, exactly because their companies grow a lot and they are unable to form pilots to cope with such growth; else their cadets used to come to us with bare 200 hrs TT, and we had to “transform” them into F100’s and/or B737NG F/O’s in 11 sessions + 1 PC; not exactly an easy task, specially with people educated under Confucianism). The “system” is already critical the way it is. Better think about cleaning the house first. “

    • Drausio
      4 anos ago

      Fábio,
      Poderia desenvolver um pouco mais a questão da influência cultural sobre a formação e comportamento dos pilotos, tanto na Ásia quanto aqui.
      Fiquei intrigado com o seu comentário “specially with people educated under Confucianism”.

  8. Meu (1o.)comentario no grupo de discussoes “Aviation Professionals” foi: “Fabio Goncalves • I am glad it is loosing its appeal. That is exactly what was expected. “One pays peanuts, one gets monkeys”, used to say one of my former A310-300 line instructors (a malaysian, btw). Now we are beginning to see also crashes caused by total lack of manual (!!!) control, because operators decided pilots are just a “necessary evil”, so let us (1) restrain pilots in as much as possible, (2) pay them less salaries and remove their benefits and – in the other hand – pay much more for the “impecable and fail-proof” technology (!!!) manufacturers offer us. Pilots – in their “corporate” suit & tie minds – are supposed to be just “systems managers” and “operation watchers” etc etc etc.; well great, tell that to the familes of those who perished on AF447 in the middle of the Atlantic. …the great public is getting exactly what it pays for, in most places. Here in Brazil they complain there is no comfort (one has to pay extra for emergency exit seats), no hot meal (they are charged apart, on most airlines), no pitch for tall people (same as 1st item) etc etc.; now, if a survey is conducted asking whether they would pay for all that in a 1st level airline, most say “no way, the low cost airlines are already too expensive” (no, fool, they are not; it is the absurd amount of taxes and the crazzy bunch of useless regulation that make the final price absurdly high). So stop whining!!! You can’t have it both ways. Myself – nowadays (and after 33.5 yrs working on the industry) – found out that I prefer travelling by bus between states, believe it if you wish. I travel during the night, S-L-E-E-P-I-N-G comfortably in almost 180 deg reclining seats with leg rests, and much cheaper. Bus Terminals in Brazil are much quieter and peaceful, many bus companies offer a snack during the trip and VIP rooms with free WiFi, coffee, biscuits and a tv to watch until boarding time. And they charge R$ 0.00 extra for all this. One pays for the ticket and that is it. No extra luggage charges either. So damn air travel. And when I have to go abroad, then I choose the best ones (or least worse), preferably the ones who operate Boeings and train and pay their pilots properly. “

Deixe uma resposta