E o “comandante malvadão da Azul” acabou se dando mal…

By: Author Raul MarinhoPosted on
298Views5

No dia 06/09, eu publiquei um post – “‘Insiders’ sobre as negociações de remuneração na Azul/TRIP” – fazendo referência a um áudio que estava circulando na web, onde um comandante da Azul estava fazendo pressão sobre um grupo de funcionários (a maioria, ao que parece, jovens comissárias) para que estes aceitassem a proposta de remuneração da empresa. O argumento era que ou aquela proposta seria aceita, ou a empresa iria à bancarrota. Pois muito bem. Com a participação do SNA, e a mediação do MTE e do MPT, a  proposta foi votada pelos tripulantes, e rejeitada, como revela este post do blog Senhores passageiros, do UOL: “Integração de aeronautas da Azul e da Trip é suspensa“. Ou seja: no final, toda a pressão do tal  “comandante malvadão da Azul” acabou se revelando inútil… Agora, vamos ver se a Azul não quebra por causa disso, né?

5 comments

  1. Azul insider
    4 anos ago

    Tenho uma opinião diferente. Acho que a disputa entre aeronautas e administração da companhia tem sido infantil demais. Parece que a companhia não avaliou os riscos relativos à alteração na forma de remuneração (erro primário que muita gente imputa ao diretor de RH, mas não sei se ele é o – único – culpado), e em contra partida os pilotos e comissários estão simplesmente “putinhos” e não querem dar o braço a torcer, ainda que fusões, compras e etc sejam algo muito natural na aviação comercial. Tem alguns poucos da Azul tratando mal quem vem da Trip, e a recíproca também é verdadeira, só porque voavam com uniformes diferentes. Esquecem de diferenciar concorrência de inimizade. Ao invés de aproveitar a oportunidade de colaborarem com uma empresa com grande potencial de ser uma das maiores de país, tem muita gente querendo fazer “doce”. Quero ver se a empresa precisar demitir, onde eles vão se recolocar. Tá todo mundo da empresa com medo só proque tem neguinho que reclama ganhar 100 reais a menos por mês.

    Em relação ao caso específico do comandante mau, que eu nem sei quem é, todo mundo já sabe que o cara fez cagada. Entretanto, vou repetir o que já falei aqui, e que muito pouca gente da empresa soube falar: e o fato do cara ter sido gravado por uma colega de trabalho, e essa colega ter espalhado o áudio pro mundo inteiro, literalmente? Disso ninguém fala?!? É esse tipo de pessoa que tá pedindo pra ser bem remunerada… Será que merecem?

    Não sei não pessoal, mas acho que vocês também estão um pouco tendenciosos nos comentários que aqui foram feitos.

    • robson
      4 anos ago

      Concordo com vc amigo, Só o título da matéria já faz as coisas ficarem tendenciosas, O fato é que ninguém viu realmente a intenção do Comandante em ajudar os colegas a preservarem seus empregos. essa briga vai muito mais além do muita gente imagina, gostaria que vc lesse meu comentário abaixo. Há vc tem razão em falar de um colega que gravou, eu acho puta de uma sacanagem para denegrir a imagem do companheiro. Acredito que o Comandante da Azul teve a melhor das intenções.

  2. robson
    4 anos ago

    O que o Comandante da Azul quer dizer é que a corda arrebenta pro lado mais fraco, e de certa forma ele está tentando ajudar seus companheiros não perderem o emprego se optarem pela empresa, pois o sindicato não faz muito pelos os aeronautas. Sabemos que as empresas aéreas fazem o que querem com os aeronautas e que ainda vão acabar contratando pilotos de fora do país só para pagar pouco,Os Poderes Executivo e Legislativo, regulam e fiscalizam as atividades de aviação civil e de infraestrutura aeronáutica e aeroportuária”, em tese ou teoria isso funciona muito bem, mas convenhamos que nem o poder Executivo e principalmente o Legislativo se importa realmente com a realidade do atuais acontecimento e sim em inventar novas leis como a 6.716 autorizando a contratação de tripulantes estrangeiros por até 5 anos, hoje isso é proibido pelo Código Brasileiro de Aeronáutica, que autoriza apenas o emprego de tripulantes estrangeiros em caráter provisório, na falta de brasileiros, ou de instrutores por até 6 meses. sendo que tem muitos pilotos desempregados aqui no Brasil, porém tem a questão de lutarmos por nossos direitos. Eu entendo o posicionamento do Comandante da Azul, mas isso não é motivo para sacrificar o direito de uma classe que realmente lutou para se profissionalizar em um país que pouco ou nada colaborou para sua formação. Claro que dentro dessa política há certo interesse de um grupo de poucas pessoas que poderão ser beneficiadas com esta lei que pode prejudicar uma classe inteira. Como dizem várias fontes de informações a respeito do assunto, “o Brasil tem condições de suprir a mão de obra, subsidiando a formação.” Outra que podemos citar também é que os gráficos da ANAC que em relação ao setor aéreo mostram claramente o desenvolvimento e crescimento da aviação no Brasil, mas que dentro dos parâmetros reais e atuais de economia do país são mergulhados em profundas e extensas burocracias que acabam por frear o real desenvolvimento da aviação brasileira. O Governo também tem uma grande parcela de culpa, pois as empresas de certa forma não querem perder seus lucros devido a baixa da economia e só quem acaba pagando são os trabalhadores neste caso nós os aeronautas.

  3. Rafael
    4 anos ago

    A reportagem fala de impasse. Não vejo impasse nenhum, pois as opções são simples:

    1) Equalizar os salários da tripulação da Azul com os da Trip; ou
    2) Mandar todo mundo da Trip embora e contratar novos tripulantes pela Azul.

    O presidente mandará executar a que for mais barata, pois com certeza ele já fez as contas lá atrás. O único motivo para a empresa ter tentado negociar é porque ele não deve ter gostado nada nada dos números. O único impasse é se ele não tiver dinheiro para nenhuma das opções… Que diga-se de passagem, caso não tenha o dinheiro, ele já deve ter feito as contas de quanto custaria pegar no mercado e não deve ter gostado nada nada.

  4. Via de regra, combater os excessivamente mediocres e pobres de espirito resulta inutil. Eles mesmos se aniquilam, por pura ignorancia.

Deixe uma resposta