Aluno e instrutor tomando uma carraspana do controlador

By: Author Raul MarinhoPosted on
486Views30

Excelente o vídeo que está circulando na internet, abaixo reproduzido, mostrando quando uma outra aeronave capta a carraspana que o controlador aplica ao aluno piloto, que não coteja corretamente as instruções, e ao instrutor, que tenta minimizar o erro dizendo se tratar de um aprendiz – “já que é aluno, tem que aprender certo!”. Esse controlador deveria receber uma medalha do DECEA!

.

Em tempo: sobre cotejamento, recomendo revisar a ICA-100-12, especialmente os seguintes itens:

15.3.7 O piloto em comando deverá repetir (cotejar) totalmente as autorizações ou instruções contidas nas seguintes mensagens emanadas dos órgãos ATC:

a) autorizações (para):

  • entrar na pista em uso;
  • pousar;
  • decolar;
  • cruzar a pista em uso;
  • regressar pela pista em uso;
  • condicionais; e
  • de níveis de vôo ou altitudes.

b) instruções de:

  • proas e velocidades;
  • ajuste do altímetro;
  • código SSR; e
  • pista em uso.

NOTA: Se um piloto repetir uma autorização ou instrução de maneira incorreta, o controlador transmitirá a palavra “negativo” seguida da versão correta.

e

15.17 – NOTA 2: As palavras CIENTE (em português) e ROGER (em inglês) não devem ser utilizadas quando for exigido ou se solicitar “COTEJAMENTO” ou em resposta direta.

30 comments

  1. Flavio Veiga
    4 anos ago

    Raul, acho chato voltar a Posts antigos… Mas vi hoje.
    Tem uns que nao aprendem no PP e nem algumas horinhas de voo depois…Ja na esquerda de um 737
    Acho que esse video tira qualquer culpa do coitado do aluno e do proprio Inva…

    Envio envergonhado pela atitude deste meu ex-colega…

    PS: Parabéns ao Fred Mesquita pelo “achado” e mais ainda pelo Arquivos Aeronauticos.

  2. Caio Pompêo
    4 anos ago

    Raul, boa tarde! Não encontrei lugar melhor para postar portanto segue para seu conhecimento. Um belo exemplo a não ser seguido: http://helicast.com.br/?events=responsabilidade&fb_comment_id=fbc_746652902018680_8312233_747009018649735#f18f8b23c

  3. Pedro
    4 anos ago

    No Aeroclube eu insisto em cotejar altímetro e, no regresso, pista em uso. Quase todo INVA me corrige e diz que “não é necessário, que tem que ser esperto em espaço aéreo congestionado”. Aí você faz a coisa certa e sai com má fama…

  4. Cadu
    4 anos ago

    Isso é valido pra muito controlador também!!!!!!!!

  5. Flavio Veiga
    4 anos ago

    Concordo que o instrutor nao esta certo…
    Mas uma coisa que eu nao gosto, mas vejo muito no Brasil, é controlador com alma de professorinha primária… Quantos audios (youtube, voo real, etc) de controladores dando liçao de moral e praticamente fazendo um escandalo na fonia (p/ nao dizer Soltando a franga…) eu ja ouvi.
    Em certas areas que ja voei, fora do Brasil, o que vi foi profissionalismo (ou tentativa de…) por ambas as partes. Qdo o piloto esta fora do padrao, o controlador repete 1 ou até mais vezes ate o cara se enquadrar e cotejar. Ou entao pedir Standard Phraseology please, com muita educacao.
    Estranho, mas, coisas do tipo “olha aqui Cmte do Papa Tango, quem controla aqui…”, “Confirme a velo do cara a minha frente!!!”, “Tu quer que eu reduza ou desca”, “To Full ILS” e “No solo controlado” (kkkkk) eu só costumo ouvir na terra de Dilma.
    Sim! Precisamos melhorar.. pilotos e controladores.

    • Beto Arcaro
      4 anos ago

      Sim, a falta de profissionalismo, principalmente sob “Stress”, (usavam essa desculpa durante o chamado “Caos Aéreo”).
      Eu mesmo fui vítima ! No dia seguinte, logo pela manhã, recebi uma ligação da TWR KP com um pedido de desculpas! Acho que tive sorte, mas, realmente não tive culpa! Na hora da bronca, o cara estava “possuído”!! No dia seguinte, conversamos numa boa!

    • Beto Arcaro
      4 anos ago

      Lá nos EUA, ouvi um termo “Slam Dunk”! Pesquisem pra entender!
      Isso não acontece só aqui!
      Estava pousando no Beech Field, em Wichita, numa pista paralela a Base Aérea de MacConnel, num Bonanza da Fábrica, quando o controlador falou : N 1111 ZZ, don’t be scared!! You got a B1 B at three o’clock , landing at about half a mile, parallel to you.
      Olhei, e lá estava o B1, igual a uma Cobra, na minha asa direita!

    • Enderson Rafael
      4 anos ago

      Eu ia comentar isso. Já vi barbaridade muito maior nos EUA do que um cotejamento incorreto – em especial no solo x-country do PP – ser contornada com muito mais educação e profissionalismo do que o caso em questão.

      • Raul Marinho
        4 anos ago

        De fato, o controlador foi bastante rude. Mas falta de profissionalismo mesmo foi a do INVA, que não corrigiu seu aluno, uma obrigação profissional dele.

        • Enderson Rafael
          4 anos ago

          Resumindo: um festival de amadorismo…

          • Flavio Veiga
            4 anos ago

            Eu nao sei quanto a voces…. Mas na instrucao inicial eu agradeci os inva(s) por pegarem leve…. Se ja começassem cobrando +/-100ft na Alt ou fraseologia ICA-100, eu acho que eu teria virado Tele-atendente da TIM (nada contra a classe)…
            Lembro que eu tinha 0,2h de voo em SDPW (sim, 12min tentando me achar e acionar o maldito motor) e o cara diz, avisa na 123.45 que vamos ingressar para a R35… E de varias!!! A melhor ideia que me passou pela cabeça foi “Bom Dia Pira!! Estamos taxiando….”.
            Graças a Deus um Santo (s Dumont) interviu e eu virei pro Inva e disse “e eu digo oque?”
            É para essas que serve o De-Briefing.. Algo mais eficiente e educado que esporro de controlador…

    • Chumbrega
      4 anos ago

      NO SOLO CONTROLADO É A MELHOR DELAS.

      De onde isso saiu, alguém sabe? Imagino que seja algo de helicóptero, mas alguém sabe “onde tá escrito”?
      Outro dia voei com um cara que se pôs a fazer a fonia em inglês. TODA as vezes que ele fazia a chamada inicial (na decolagem, transferência do setor, aproximação), o cara falava: Brasília center, TAM 3582, “POSITION”. E só, só a palavra “position”. De onde saiu isso eu não sei, mas tava me dando pet-peeves já!

      • Enderson Rafael
        4 anos ago

        Echo surface:-P

      • Calegari
        4 anos ago

        O termo ” no solo controlado” é usado em helicópteros para informar a Torre ou o controlador de solo que a acft já realizou o pouso no local pretendido e está no solo com segurança , pois em muitos AD os controladores não ficam visual com a acft nas vias de acesso.

        • Flavio Veiga
          4 anos ago

          Só nāo pega muito bem, um Airbus reportar isso para a Torre Congonhas num dia de sol e sem vento ………. ……….

        • Calegari
          4 anos ago

          ICA 100-12

          15.2.1 A fraseologia apresentada neste Capítulo não pretende ser completa. Quando for estritamente necessário, tanto os controladores de tráfego aéreo e operadores de estação aeronáutica como os pilotos poderão utilizar frases adicionais, devendo, no entanto, afastarem-se o mínimo possível da fraseologia.

          • Calegari
            4 anos ago

            É…em relação ao Airbus, não vejo o porque reportar tal fato……

            • Chumbrega
              4 anos ago

              É, eu imaginei mesmo que fosse fraseologia de helicóptero. Como não sou piloto de helicóptero, não comento. Mas ainda assim, e não é pra ironizar: tem algum lugar que manda o cara reportar que tá no solo controlado? Copter or not?

              • Beto Arcaro
                4 anos ago

                Na verdade tem!! Esse termo vem de aproximações PAR executadas por aeronaves militares, onde o Piloto ao passar pelos anéis da tela do radar, nas altitudes e direções dadas pelo controlador, não coteja, somente executa.
                Só quando avista e pousa é que reporta “no solo controlado”.
                Quanto aos helicópteros também reportarem isso, não sei..

          • flavioveiga
            4 anos ago

            Obrigado Calegari.

  6. fredfvm
    4 anos ago

    Tem que ver que, possivelmente, o INVA já tenha aprendido da forma errada e está repassando as informações ao aluno da forma que aprendeu… O nível de instrução nas escolas de aviação brasileira vai de mau a pior, sem data e hora para melhorar.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Pois é, com 99% de chances, foi isso o que aconteceu mesmo: o INVA sabia tanto sobre as regras de cotejamento quanto o aluno.

  7. Julio Petruchio
    4 anos ago

    É excesso de FSX!

  8. A banalização de absolutamente tudo deu nisso que tá aí. Nego acha que tá num videogame ou coisa parecida. Não se dão conta de que – se isso não for feito da maneira correta – mata gente às pencas, como aliás tem matado, ao longo dos últimos anos. Ainda lembro – em meu último emprego de linha aérea no exterior – a postura de certos “aviadores” dentro da cabine de comando. Não mantinham postura de vigilância constante, de sorte a estarem sempre prontos a assumir os controles, em caso de falha da automação (e o pior: eu quase tive que sair na porrada com um “instrutor” de rota da empresa, ao discutir isso; o mesmo ficou escandalizado, disse que eles estavam corretíssimos, já que aquilo – a “atitude vigilante” – não estava prevista pelo SOP; é óbvio que não estava, sua anta FdP…como é que um SOP vai descrever algo que todo o aviador deve ter correndo em suas veias junto com o sangue, chamado “AIRMANSHIP”???). Ao contrário, eram simplesmente meros “operadores de sistemas”. Pediam “A/P ON” 1 segundo após a retração do trem, se tanto, e a partir dalí nem o glareshield operavam, praticamente. Era tudo via FMC, autênticas “children of magenta”. Afora isso, muitas vezes não cotejavam esses ítens essenciais, conforme disposto pela ICAO/JAA/FAA etc., e tomavam bronca dos controladores, também. Muitos – ao concluírem o preenchimento do Livro – simplesmente abriam um jornal (sim, eu falei um jornal) e punham-se a ler, numa “obliviousness” que até hoje me causa calafrios, quando embarco de passageiro num avião de linha regular. Nessas horas, melhor pensar em outras coisas…

  9. Beto Arcaro
    4 anos ago

    E você que é instrutor, tem que ensinar “Certo”!!! Hahaha!!!
    Ficou muito pior pro instrutor!!
    Imagina…. Receber a autorização e cotejar “Ciente”!? Isso é básico!!
    O cara era “aluno de PC”, como eles dizem que existe?

  10. Júlio Petruchio
    4 anos ago

    É isso aí! TEM QUE APRENDER CERTO!
    Não está no sofá de casa assistindo algum canal da Sky comendo pipoquinha não!

    • H.V
      4 anos ago

      Kkkkkk…isso tudo faz parte do aprendizado. Não adianta instrutor durão, ensinar leva tempo.

      • Raul Marinho
        4 anos ago

        Olh, vc me desculpe, mas se o instrutor corrigisse o aluno num cotejamento errado (ou não cotejamento, quando requerido), a chance de ele repetir o erro seria bastante reduzida. Além do quê, faz parte da obrigação do INVA corrigir o aluno, quando este comete um erro. Depois, se o aluno continuar errando, é outro problema, mas pelo menos o INVA fez a parte dele.

        • H.V
          4 anos ago

          Concordo RAUL, mas contiunuo dizendo faz parte do aprendizado e leva tempo. Apos o voo ele tera um debriefing para isso serve voo de INSTRUÇÃO.

Deixe uma resposta