ANAC é impedida de vistoriar aeronaves em Maricá

By: Author Raul MarinhoPosted on
352Views8

Dando sequência aos absurdos que vem ocorrendo no aeródromo de Maricá, vejam o que informa o site Itaipuaçu, sobre um secretário municipal de Maricá ter impedido a própria ANAC de efetuar vistorias de aeronaves localizadas no aeródromo do município.

8 comments

  1. fredfvm
    4 anos ago

    É um absurdo acreditar nisso tudo, um órgão da esfera Municipal ter direitos acima de um órgão da esfera Federal, só no Brasil uma coisa dessas… Ao Sr. prefeito de Maricá, se eu estivesse aí, já teria ido na Câmara de Vereadores pedir explicações sobre esta ação arbitrária desse prefeito – ou todos estão a favor dele ?… Há de se saber que tudo o que um prefeito faz deve antes vir acompanhado de projetos e previamente aprovado pelos vereadores (os verdadeiros representantes do povo). Após tudo isso, um simples pedido de impugnação desse fato junto à procuradoria Estadual e Federal, colocaria o prefeito no seu devido lugar.
    Sei que as coisas para o lado de Maricá está feia para todos, mas deixar isso como está é incompreensível, justamente nesse Brasil que está à beira de uma revolução cubana.. — e ninguém faz nada ???… onde estão os “caras pintadas” que saiam às ruas para protestar, como fizeram durante os jogos da copa das confederações ???
    Enfim, acho que a comunidade aeronáutica é muito lerda quando o assunto é protestar… por muito menos do que isso, vi pilotos protestando nos aeroportos do estado de MG, outros pilotos em Goiânia, etc… mas no RJ, onde estão os que protestam contra os desmandos do Governador ???
    Vou ser direto e sincero: muitos pilotos voam para políticos e empresários e outros ainda vão voar e a máxima dessa profissão é: vou ficar na minha para não me queimar… se alguém quiser protestar, que vá… eu não vou. Mas se o protesto der retorno, eu saio ganhando”. Esse é o pensamento de muitos.
    Sou um revoltado com uma profissão que muitos nunca dão à cara à tapas, vivem escondidos…. (meu desabafo, desculpe Raul Marinho e leitores desse maravilhoso Blog).

  2. Marcius
    4 anos ago

    Só falta a prefeitura se utilizar da Lei do Abate para as aeronaves que voam no circuito do aeródromo de Marica.

  3. Caio Pompêo
    4 anos ago

    Olá Raul! Infelizmente sei que hoje esse “impedimento” para vistoria não é exclusividade de Maricá. Trabalho em uma escola que está totalmente pronta para iniciar as operações práticas e teóricas e após vistoria agendada para Setembro e cancelada um dia antes, recebeu informação da ANAC que por falta de verba para viagem dos inspacs, somente poderá realizar a inspeção no ano que vem. Acredita? Mas se uma escola passa por isso imagine todos os demais empreendimentos que não estão parados pelo mesmo motivo. Sei de uma empresa com 10 jatos 373 parados no chão pelo mesmo motivo. Imagino o prejuízo…
    Vale a pena explorar este assunto. Abç Pompêo

  4. Felipp Frassetto
    4 anos ago

    Nossa…
    Coronelismo total, sem vergonha nenhuma.
    Diz-se que o bom dos governos nos últimos 10 anos é que pelo menos a corrupção e a incompetência deixaram de ser acobertados. Ou seja: são mais honestos, rsrs.

    Este é um belo caso de estudo para quem defende que as Guardas Municipais substituam as polícias, alegando que haveria mais proximidade com o cidadão, fiscalização e transparência mais facilitados, etc.

    Até se poderia dizer que a desta cidade atuou como uma guarda pretoriana, mas seria elogiar demais esse ato de cangaço.

  5. Giuliano Del llano
    4 anos ago

    Em meio a tantos comentários só restam poucas palavras:
    “Isto é Brasil”.

  6. David Benner
    4 anos ago

    Anúncio para fomentar o turismo na cidade: “Maricá: Um pedacinho de CUBA no Brasil. Venha conhecer!”

    • Julio Petruchio
      4 anos ago

      É, então… Só vistoriar aer

  7. Daniel Andrade
    4 anos ago

    Isso está virando uma novela, e muito emocionante, diga-se de passagem.

    A chamada para o próximo capítulo:

    “O material pode revelar, além da suposta movimentação constante de veículos da Guarda Municipal na pista, a possível aproximação e arremetida do avião que caiu e matou o piloto Adelmo Louzada e o juiz Carlos Alfredo Flores da Cunha, no dia 21 de outubro.”

Deixe uma resposta