Problemas com as cartas de chegada e aproximação em SBSP

By: Author Raul MarinhoPosted on
378Views6

Segue abaixo a reprodução da Recomendação de Segurança Operacional produzida pelo amigo Rodrigo Silva, ‘safety’ da Global, referente à chegada e aproximação em Congonhas, cuja carta está com algumas discrepâncias:

Fomos alertados por Tripulante da empresa sobre conflito contido em cartas de navegação, referente à aproximação perdida prevista para as cabeceiras 35L e 17R do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Análise

a.1) Perigo Genérico: Posição ISISI (7.000 FT), do segmento de aproximação perdida da IAC ILS X or LOC X RWY 35L, com a posição ISISI (7.000 FT), da STAR CPN 1A RNAV ARRIVAL RWY 35L;

b.1) Componente específico do Perigo: Altitude conflitante prevista para a posição ISISI (7.000ft); e

c.1) Possíveis Consequências: Acionamento do TCAS, Conflito de Tráfego e Colisão.

 Descrição: ILS 35

Descrição: Chegada Setor N

a.2) Perigo Genérico: Posição MOTBA (7.000 FT), do segmento de aproximação perdida da IAC ILS X or LOC X RWY 17R, com a posição MOTBA (7.000 FT), da STAR ISISI 1B;

b.2) Componente específico do Perigo: Altitude conflitante prevista para a posição  MOTBA (7.000ft);

c.2) Possíveis Consequências: Acionamento do TCAS, Conflito de Tráfego e Colisão.

Descrição: ILS 17

Descrição: ARR Setor S

 Recomendações

a)                   Diretoria de Operações: Comunicar aos tripulantes sobre os riscos existentes, oriundos do conflito de altitudes, contidas nas cartas de navegação IAC ILS X or LOC X RWY 17R/35L e as STAR CPN 1A RNAV ARRIVAL RWY 35L e STAR ISISI 1B;

b)                  Pilotos: Enquanto iniciando a arremetida, solicitem o quanto antes a prestação do serviço de Vetoração para que sejam proporcionadas as devidas separações entre as aeronaves; e

c)                   Safety: Comunicar ao DECEA para a necessária adequação das cartas.

6 comments

  1. Enderson Rafael
    4 anos ago

    E não mto tempo atrás, qdo se discutiu tornar o Decea civil aqui no blog, mta gente disse que eles faziam um “excelente trabalho”… enfim. Estamos num mato sem cachorro.

  2. Paulo
    4 anos ago

    Cartas feitas por quem nao entende de tráfego aéreo.

  3. Não sei pq mudam o que já funcionava há trocentos anos. Se eu me lembro bem (me corrijam se eu estiver errado, pls) arremetida da 17 sempre foi em frente até 6,000′ e depois proa de RDE p/ espera. E quem tava chegando, bloqueava RDE a 7,000′ ou acima.

  4. Marcato
    4 anos ago

    EEE beleza, ta “Serto” tudo ótimo!

  5. fredfvm
    4 anos ago

    Será que não houve um avião laboratório para o teste desses procedimentos ?…… kkkk, é lamentável que tudo o que se vê na aviação é feita de forma casuística e sem critério algum.

Deixe uma resposta