As dez piores e as dez melhores coisas em um aeroclube

By: Author Raul MarinhoPosted on
213Views4

4 comments

  1. Eduardo Carvalho
    3 anos ago

    Gostei muito desse post, pois me lembrou do Aeroclube que passei! Alguns pontos negativos e positivos encaixam-se nesse Aeroclube! Mas foi como nosso amigo disse, não existe Aeroclube perfeito! E concordo quando foi falado que hoje em dia o Aeroclube é mais um lugar de curso do que de lazer!

  2. fredfvm
    3 anos ago

    Sobre o Ego pessoal, o pano preto e a panelinha, concordo em todos os aspectos. Esses são males que devem ser combatido por todos na aviação. Mau exageradamente praticado por aqueles que não confiam em sua própria capacidade e tem um medo exagerado de concorrência. Vejo com bons olhos a alta capacidade dos novos praticantes da aviação, exatamente aqueles que dispõem de mais recursos nos estudos e mesmo pela capacidade de raciocínio e desapego às mazelas dos costumes do passado. Eu adicionaria o egocentrismo e a vontade de reconhecimento próprio, típico da da vaidade, da soberba e do orgulho- um mau cada vez menor nos dias de hoje.

  3. Renato G.
    3 anos ago

    Gostei bastante do artigo. Consigo encaixar pontos positivos E negativos por onde já passei. Afinal, não existe aeroclube perfeito, mas existem aqueles que acumulam mais pontos positivos que negativos. Agora aqueles que empatam ou acumulam saldo negativo, deveriam ser objetos de uma análise mais criteriosa por parte da sociedade.

  4. Antonio Magnani
    3 anos ago

    Concordo com muita coisa deste artigo, mas é preciso ponderar algumas. Existem aeroclubes como o de Londrina, que fica no aeroporto da cidade que é controlado e muito movimentado, restringindo muito certas atividades. É uma escola sim voa média de 7500 horas/ano e forma uma centena de pilotos todos os anos. É administrada por um presidente que não é piloto, mas é aficionado pela aviação e tem curso de mecânico de aviação, nem por isso tem restrições, pois se apoia numa diretoria cercada por pilotos experientes, já estamos na segunda gestão e salvo mau juízo, o aeroclube vai muito bem. A ANAC realmente está separando escolas de aeroclubes, que a meu entender as escolas precisam se profissionalizar mais em função de um mercado cada vez mais difícil, e que os contratantes olham onde o piloto foi formado. Claro que os aeroclubes devem existir para que seus sócios possam usufruir da aviação como hobby, mas mais do que nunca precisamos separar o joio do trigo. Esta é apenas minha opinião respeito qualquer outra que possa ser diferente da minha.

    Antonio Magnani
    Presidente do aeroclube de Londrina

Deixe uma resposta