O que representarão os quase 2mil novos voos na Copa do Mundo para o mercado de trabalho de pilotos?

By: Author Raul MarinhoPosted on
481Views10

Há alguns dias, a ANAC autorizou a operação de quase 2mil novos voos pelas companhias aéreas durante a Copa do Mundo – vide esta reportagem da Reuters: “Anac autoriza 1.973 novos voos durante a Copa do Mundo“. É uma boa notícia para o mercado de trabalho de pilotos? Certamente, ruim não é, mas vamos explorar essa questão um pouco mais a fundo neste post para avaliarmos até que ponto essa notícia é positiva em termos de empregabilidade.

Ontem, estive conversando com um amigo do SNA que me disse que as companhias aéreas estão retomando as contratações – muito a conta-gotas, mas estão. A expectativa é de que a Gol recontrate todos os demitidos recentemente (e, inclusive, mais alguns pilotos do mercado), e que a TAM faça o mesmo com pelo menos uma parte dos recém-demitidos em breve; além das contratações em pequena escala já previstas para a Avianca e Azul – e isto, em grande medida, motivado pelos referidos novos voos da Copa. Para os recém-demitidos da Gol e da TAM que ainda não conseguiram se recolocar, trata-se de uma excelente notícia, sem dúvida. Já para os que estão tentando ingressar na aviação comercial, nem tanto, pois sobrarão muito poucas oportunidades para os não demitidos recentemente. Além do quê, há dúvidas sobre o que acontecerá depois da Copa: será que não haverá novas demissões, especialmente se a Economia degringolar de vez (e há chances razoáveis de que isso ocorra)? Isso só saberemos no segundo semestre.

O ponto é que, por conta desses quase 2mil novos voos aprovados, as companhias aéreas brasileiras não deverão efetuar contratações de “novos pilotos” (aqui entendidos como “não demitidos recentemente pela Gol e TAM”)  em grande volume.  Portanto, para quem quer ingressar na aviação comercial, ainda não dá para soltar rojão. Mas dá para pelo menos soltar um traque, pois depois de um 2013 só com más notícias, 2014 começa com boas novas (não ótimas, mas boas).

10 comments

  1. Daniel
    4 anos ago

    Temos que lembrar que houve uma grande evasão de comandos para o exterior, os aeroclubes já não estão mais mega-lotados como em 2011/12/13, a ANAC esta para dificultar o acesso ao mercado aumentando as horas PIC para chegar ao INVA, já não é fácil mais enganar os aspirantes a piloto-aluno com a lenda de falta de pilotos pois a GOL e a TAM estamparam em todos os jornais suas demissões.

    Não estou argumentando para provar que vai faltar piloto(pelo menos não tão cedo), existe fila para conseguir emprego de INVA nos dias atuais! Mas do jeito que estamos tocando o barco…

  2. fredfvm
    4 anos ago

    Hoje há um gargalo muito grande dentro das atuais empresas aéreas, onde há dezenas (ou centenas) de copilotos prontos para irem a treinamento de comandante, mas que não o fazem por estrem com suas CHTs válidas como PC e pela regra atual (RBAC-61), checar o PLA dentro ou fora da Cia é algo notoriamente impossível (já muito discutido aqui).

    Sei de vários copilotos de Cias que estão super abalados por causa da impossibilidade de continuar na empresa como comandante, perdendo a vez para assumir o comando do avião, o qual passam muito tempo voando como copiloto, muitos desses já começam a querer migrar de volta par a aviação executiva, onde as chances de melhores salários são maiores.

    Se novas vagas na comercial já são escassas, imagina para quem está se preparando par tentar um vaga, já sabendo que como PC podem ficar mofando anos e anos por não poderem checar o PLA ???

    Se houvesse uma mudança drástica nas atual regra de cheque de PLA, vejo que a fila de novos empregos voltaria a andar. Antigos copilotos da comercial assumiriam postos de comandantes e novos copilotos seriam contratados; mais aviões entrariam na atual frota, etc, etc… sem contar que a atual infraestrutura aeroportuária sequer comporta o movimento dos brasileiros, quiçá dos que vem de fora para assistir a Copa do Mundo.

  3. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Dois mil voos a mais em um mês e meio não é muita coisa. São menos de 40 novos voos por dia (e só a Gol e a TAM deixaram de operar quase duas centenas de voos por dia nos últimos dois anos). O problema mesmo é que esses voos estarão concetrados, como o Fábio Otero bem lembrou, em poucos e já saturados aeroportos. Mas faz parte do vexame que está se anunciando há tanto tempo. Para o mercado de pilotos, as perspectivas são melhores mesmo que 2013 (o que com um ano anterior tão ruim, também não é um mérito lá muito grande). Avianca e Azul estão caminhando, uma a passos menos largos que a outra, e a impressão é que teremos um ritmo sólido pelo menos no primeiro semestre. Quanto ao segundo e à derrocada da economia brasileira, é bem difícil dizer (e a aviação está intimamente ligada à economia). As previsões do FMI dão conta de um crescimento de 2,3% no PIB do Brasil (um aumento de 70 bilhões de dólares, portanto), bem abaixo do PIB americano, que se esperar que cresça 2,8% nesse meio tempo (um aumento de quase meio trilhão de dólares – não custa lembrar que a economia deles é 5 vezes maior que a nossa) e abaixo da média mundial e da América Latina, de novo. É rezar pelo shortage dos EUA, torcer pra um aumento real da frota por aqui (há muito aeronave nova chegando, mas a grande maioria tem sido renovação de frota) e batalhr um lugar ao sol. Nem que seja do deserto.

  4. Luciano
    4 anos ago

    Eu quero saber é dos 800 novos aeroportos!!! Isso sim!! Cadê dilma? Tem 8 pelo mesnos? 1% dessa tua promessa já seria um começo! Mas nem isso!!!!

  5. Só quero ver onde eles vão colocar mais 2.000 novos vôos. Em que pistas? Em que pátios? Em que espaço aéreo? A menos que a notícia esteja pela metade. Se atualmente todo o mundo está tendo que orbitar e “cozinhar o galo” no táxi para poder estacionar (mesmo numa remota) ao chegar ao pátio, onde é que vão colocar 2.000 vôos extras, concentrados nas poucas cidades-sedes??? Esse “número cheio”, tanto ao gosto dos speeches PTralhas, me lembra dos “800 aeroportos regionais”…

    • David Banner
      4 anos ago

      Ouvi que esses 2000 mil voos representam apenas 1% de aumento no número total de voos. Será que isso procede?

    • Rodrigo Edson
      4 anos ago

      Curioso é que a “estória” sobre os 800 aeroportos não foi mais ventilada na imprensa.

      Mas esperar o que de um governo que inaugura uma ferrovia em Anapolis sem trem e trilhos?

      Ah e sobre os 2000 voos…é esperar pra ver.

  6. David Banner
    4 anos ago

    P: “O que representarão os quase 2mil novos voos na Copa do Mundo para o mercado de trabalho de pilotos?”

    R: http://www.youtube.com/watch?v=W8WjbDQNico

    hehehehe

  7. Júlio Petruchio
    4 anos ago

    É… Não vai faltar piloto, por enquanto…

  8. Tiago Melo
    4 anos ago

    Bom ponto de vista. Concordo.

Deixe uma resposta