Sobre berimbelas e outras regras não escritas da aviação

By: Author Raul MarinhoPosted on
754Views11

Fiquei surpreso com a quantidade de comentários ao post “Alunos berimbelados e INVAs com 4 faixas!? Pfff…“, publicado ontem – quase 50, em menos de 24h. E o mais curioso: grande parte deles era para dizer que o assunto seria irrelevante (ora, se não tem importância, por que perder tempo em comentar?). Bem… Isso aqui é um blog voltado ao coaching de formação aeronáutica, especialmente aos novatos ou em formação, então acho que é preciso escrever mais sobre o assunto – que, de irrelevante, nada tem.

Qualquer profissão possui sua “liturgia”, suas regras (nem sempre escritas – geralmente, nunca) sobre como se comportar, e com a aviação não é diferente. Quem escreveu o texto reproduzido no post de ontem foi a mesma pessoa que escreveu este artigo – “AS QUATRO FAIXAS” -, um profissional da aviação que está no mercado há várias décadas, e que possui um extenso trabalho de orientação profissional (quem aqui já leu ou viu o vídeo “Comandante na íntegra da palavra?” – é dele também… ). O Marcelo Quaranta (o autor do texto sobre as berimbelas) não trabalha na ANAC, e portanto não regulamenta o uso das faixas. Se você quiser usar 20 listras douradas sobre o ombro no seu primeiro voo de instrução de PP, o problema é seu, você não vai ser autuado por isso pela agência reguladora da aviação. Mas o Marcelo sabe como funcionam as normas sociais da aviação, e ele escreveu aquele texto para ajudar a moçada que, por desconhecer tais normas, pudesse estar se equivocando no respeito às mesmas. E não foi por outro motivo que eu reproduzi o texto dele aqui.

O negócio é o seguinte pessoal: vocês podem ser prejudicados na carreira por uma “bobagem” como essa das faixas, e nem saberem porque estão se dando mal. Imagina o sujeito que, aluno de PP, fica circulando pelos hangares com três faixas nos ombros: que tipo de imagem vocês acham que ele estará construindo? Ou o INVA com 4 berimbelas, o que vocês acham que os pilotos mais antigos irão achar? Na aviação, uma indicação é tudo, e desrespeitar as normas sociais é uma das maneiras de “se queimar”  no mercado. Daí a importância desse negócio de berimbelas, entenderam?

Honestamente: eu, por mim, bania o uso de berimbelas da aviação civil – a gente não é milico para usar esse tipo de coisa! Faixa no ombro não dá camisa para ninguém, e como dizem, ” se listra servisse para alguma coisa, a zebra seria a rainha da floresta”. Mas elas (as berimbelas) fazem parte do universo da aviação, e não é bom para quem está começando a carreira ou até antes disso (os INVAS e os alunos de aviação, para quem o texto do Marcelo foi escrito), que saiam por aí berimbelados de maneira errada. Por isso, acho mais produtivo que, ao invés de questionar o uso das faixas, que se entenda como é a maneira “correta” de se usar o adereço (e “correta” está entre aspas porque há variações, como o caso dos copilas de Linha Aérea, que usam 2 faixas em algumas companhias e 3 em outras). E bom senso, pessoal, nada mais que isso.

E para encerrar o texto, queri citar algo que um amigo, que trabalha numa companhia aérea asiática, me contou esses dias. A companhia em questão está selecionando comandantes para trabalharem lá, e vários brasileiros estão se submetendo ao processo seletivo na companhia neste momento. Um destes se encontrou com esse meu amigo, que notou como ele estava vestido: calça jeans, tênis e camiseta. Numa companhia ultra-formal, que estava ofertando um salário de US$230mil/ano, vocês acham que esse sujeito não estava ferindo as normas sociais do lugar? E que isso não pode prejudicá-lo no processo de seleção, mesmo que ele seja um piloto exemplar?

Captaram?

11 comments

  1. provocador
    4 anos ago

    Esse blog aqui tá chato! Só fala de seguranca de voo se for para criticar alguem, de ego de pilotos, berimbelas, notans, relatorio de acidentes aeronauticos, leis, medos de processos, relatorios de perigo! blablalba O Raul, que tinha um blog interessante, virou um blog de direito aeronautico! Deveriam prestar OAB.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Pois é, amigo, o problema é que este blog trata desses assuntos chatos: RBACs, acidentes aeronáuticos, dificuldades para obter emprego na aviação, aparelhamento da ANAC, etc. Se estes são assuntos que não lhe interessam… Fazer o quê? Não vou publicar “posts motivacionais” aqui só para agradar, pode ter certeza disso.

      • provocador
        4 anos ago

        Raul, seu discurso é bonito e a sua intenção é boa.

        • David Banner
          4 anos ago

          E o seu vazio. Com no mínimo segundas intenções. Pra não falar outra coisa.

  2. Gilmar Da Luz
    4 anos ago

    Tirei o chapéu, tá faltando muito bom senso nas escolas, não é assim que funciona. O que mais vejo é PP se pagando com berimbelas. Acho também uma tremenda falta de consideração inclusive para quem tem muito mais chão dentro da aviação.

  3. Will Romualdo
    4 anos ago

    como dizem: MUITA FAIXA, MUITO BRIEFING e POUCO VOO. Já vi piloto dando simulador level D de berimbela…

  4. “Se faixa voasse avião, a Zebra seria Master de Jumbo”. Tanto problema trabalhista e regulatório nesta Indústria, e nego vai se pegar justamente em perfumarias da nossa “indumentária de baleiro de cinema”??? Francamente…numa das maiores empresas aéreas que já existiram – a Flying Tigers – nego só usava uma jaqueta de couro tipo 1a. Guerra Mundial (por sinal linda). Tenho dito.

  5. cleverborges
    4 anos ago

    Falou tudo Raul. O bom censo é a chave para evitar vergonha alheia. Oque acontece infelizmente é que existe o espírito de ” Rei do Camarote ” na aviação, ou seja, ” Berinbelas agrega valor ou meu statis”…rsrsrs..

  6. Beto Arcaro
    4 anos ago

    Só uso uniforme e berimbelas quando a Empresa e o Patrão gostam!
    Quando eu tenho que me identificar como Cmte daquela empresa, ou Avião, etc.
    Semana passada transportei passageiros de Bermuda, Tênis, Camisa Polo e Boné!
    Acho muito importante a discussão sobre instrutores e alunos de Berimbelas.
    Demonstra “Atitude”, mas só que “Atitude Errada”!
    Berimbelas não comandam nada!
    Realmente, nesse ponto da carreira (Aluno PP/PC) só queimam o filme.

  7. Rodrigo Edson
    4 anos ago

    Raul

    Se você pegar todos os tópicos, verá que os mais comentados no site são aqueles menos “uteis”.

    Infelizmente isso acontece, pois há ótimos assuntos que você publica, mas que recebem poucos comentários ou muitas vezes nenhum.

    Só pra destacar, não será a porcaria de uma berimbela que garantirá o emprego de um “aluno sonhador”, o que garantirá o emprego será as boas relações ( o velho QI) e depois a proficiência em voo, pois não adianta ter padrinho se o piloto for uma galinha voando.

    Abs

  8. Renato G.
    4 anos ago

    O fato é que não existe regra escrita, mas existe a regra do bom senso. Da maioria das pessoas que conversei, desfilar de berimbela é uma tremenda queimação de filme, e como falado no seu pensamento, ninguém gostaria de queimar seu filme, muito menos em início de carreira.

    Aos profissionais, resta o bom senso. No caso dessas escolas fanfarronas que impõe esse tipo de uniforme, cabe aos instrutores a responsabilidade de mostrar aos diretores que isso não é legal.

    Sempre achei que o melhor uniforme em aeroclube / escola fosse uma camisa com gola personalizada, calça jeans (ou bermuda jeans no calor), e um crachá identificando o sujeito.

Deixe uma resposta