O “apagão de pilotos” nos EUA está chegando mais rápido e mais forte do que se esperava

By: Author Raul MarinhoPosted on
371Views7

Conforme já comentado aqui – “Companhias aéreas enfrentam escassez aguda de pilotos” – e aqui – “Escassez de pilotos ameaça empresas aéreas dos EUA”, além de ter sido um dos tópicos comentados pelo Enderson Rafael neste artigo “O futuro dos nossos pilotos está nos EUA”, o mercado já estava prevendo um “apagão de pilotos” nos EUA há algum tempo. Ocorre que, de acordo com essa reportagem do Wall Street Journal Live – “U.S. Pilot Shortfall Hits Earlier, Worse Than Expected” -, o problema chegou mais rápido e mais grave do que se previa: já há companhias cortando voos por falta de pilotos, e outras estão oferecendo bônus para atrair funcionários.

É claro que isso não nos afeta diretamente num primeiro momento, mas na medida em que um mercado gigantesco como o americano apresenta tal desequilíbrio de ofertaXdemanda, deverá haver consequências mundiais no médio e longo prazos. Vai ficar cada vez mais complicado para os asiáticos e árabes contratarem mão-de-obra, e na medida em que isso ocorrer, os pilotos brasileiros deverão ser mais e mais assediados. E com um fluxo emigratório mais acentuado, é de se esperar que o mercado de trabalho interno fique mais favorável para o lado dos pilotos – pelo menos, é o que se pode esperar. Também não é de se descartar a possibilidade de as companhias americanas contratarem pilotos brasileiros, concedendo vistos de trabalho com mais facilidade – embora essa hipótese seja mais difícil de ocorrer, se o “apagão” americano se aprofundar demais, ela deixa de ser uma impossibilidade, como é hoje.

Veremos…

7 comments

  1. Rafael
    4 anos ago

    Não sei se repararam, mas lá pelas tantas o consultor fala do salario anual de um co-piloto da regional: $16mil a $20mil. E outra, lá pelas tantas fala do investimento para ter as 1.500hs: $100mil. Acho que esse são dois tópicos para o nosso amigo Enderson Rafael dar uma palhinha…. Abraços

    • Enderson Rafael
      4 anos ago

      Verdade, se tudo der certo e vc for contratado numa regional são 5 anos pra recuperar o investimento. Aqui não é muito diferente.

  2. Löhrs
    4 anos ago

    Sim, sem falar nos pilotos experientes e desempregados ou emigrados para outras aviações como é meu caso na agrícola

  3. fredfvm
    4 anos ago

    No Brasil, se houvesse uma política séria por parte do Governo Federal, se houvesse uma boa infraestrutura aeroportuária, se houvesse um melhor serviço por parte da ANAC, enfim se tudo estivesse funcionando muito bem em todos os aspectos, nossa aviação já estaria empregando muitos pilotos recém formados.

    Nosso principal problema está numa aviação que está querendo crescer mas que não encontra espaço para isso. Estamos na aviação do século 21, sendo regulada por um serviço típico do século 19. Tudo é amarrado por demais. Tudo é complicado ao extremo. O excesso de burocracia emperra qualquer máquina que deseja crescer.

  4. Enderson Rafael
    4 anos ago

    A regra do ATP pra copila de regional antecipou o shortfall. Bom pra nós;-) Se a libélula batendo asas no outro lado do mundo já faz estrago, imagina a águia logo ali…

  5. cleverborges
    4 anos ago

    Resumindo então Raul,
    No que tange a possibilidade de escassez global, seria até então uma boa notícia!

Deixe uma resposta