“Anac: 60 subornaram funcionários por habilitação”

By: Author Raul MarinhoPosted on
570Views33

Acabou de passar no Jornal da Band. Isso vai dar um rolo…

Anac: 60 subornaram funcionários por habilitação

O esquema de corrupção colocou em risco milhares de vidas ao deixar aeronaves sob o comando de profissionais sem qualificação
Mais de 60 pilotos de avião e helicóptero subornaram funcionários da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em troca de habilitações para voar. Um esquema de corrupção que colocou em risco milhares de vidas, ao deixar aeronaves sob o comando de profissionais sem qualificação.
Foram mais de quinhentos e cinquenta acidentes aéreos registrados nos últimos quatro anos no país. As informações de quem investiga as causas das tragédias são ainda mais preocupantes.
Alguns casos se referem a pilotos envolvidos em uma fraude descoberta desde 2010, mas que até agora não sofreram qualquer punição. A investigação a que Band teve acesso foi aberta pela própria agência que regula as operações da aviação brasileira, que identificou pelos menos 64 comandantes trabalhando em categorias nas quais não estão capacitados.
Os profissionais passam por diversos cursos até ganhar autorizações específicas para pilotar modelos de aeronaves, além da habilitação para operar voos comerciais.
A mesma regra vale para quem está na cabine dos aviões. Mas o relatório, com mais de 1.800 páginas, mostra em detalhes como funcionários do setor de habilitação da Anac em São Paulo, despachantes e comandantes burlavam o sistema.
Doze dos pilotos investigados fraudaram as provas de inglês. No sistema eles tiveram uma nota alta em fluência na língua estrangeira. Só que ao ver os exames, erros grotescos apareceram. Para os especialistas, a fraude no exame de conhecimento da língua inglesa coloca em risco não só a aviação brasileira, mas sim todo o sistema aéreo internacional.
Mas a maioria dos casos envolve comandantes que pagaram propina para operar todo tipo de aeronave. É como transformar um motoqueiro em motorista de carreta sem a devida preparação. Um dos flagrados no esquema morreu em um acidente aéreo em Paraty, no Rio de Janeiro, no ano passado.

-x-

Atualização de 28/02: Vejam aqui o vídeo com a matéria integral que foi ao ar, com novas informações sobre o caso.

33 comments

  1. Eduardo Lopes
    4 anos ago

    Vejo que alguns aqui têm uma falsa ideia de justiça. Ora meu amigos, justiça é um conceito, apenas isso. Pergunte pro cara que comprou a licença se ele acha justo perdê-la, ele vai dizer que não, óbvio, pergunte-me se eu acho justo que ele perca, eu vou dizer que sim, óbvio. Então, justiça é um conceito abstrato que se molda ao ponto de vista do interessado nela.

    Sim, existe uma justiça aplicada pelo poder judiciário, mas esta justiça não é automática, não é aplicada antes dos fatos ocorrerem e sim depois, e ainda depende de um procedimento judicial, ou seja, o processo, no qual haverá alegações, defesa, provas, sentença, recursos, acórdão e isso se arrasta por anos até que a lei seja efetivamente aplicada… e mesmo assim, para os ‘prejudicados/culpados’ isso será uma baita injustiça…

    Em todas as carreiras de destaque social existe este tipo de falcatrua: quando eu trabalhava na indústria, vi estas falcatruas; quando eu trabalhava no comércio, também vi; quando era funcionário público, também; hoje, na advocacia, idem… Ah, mas você foi fraco, porque não denunciou, alguns podem indagar. Simples, digo eu, o ‘sistema’ possui mecanismos de auto defesa, olha lá o caso do aeroporto de Maricá… Uma pessoa sozinha, denunciando instituições, é presa fácil e a vida dela torna-se muito mais difícil, de uma forma ou de outra você acaba sendo marginalizado ou até mesmo eliminado – ainda mais aqui no Brasil… Isso sempre ocorreu, ocorre e irá continuar a ocorrer, em toda parte do globo. Mas como coibir? Penso eu que num curto prazo não há como, mas em longo prazo sim, com educação. Ah, mas a escola não ensina valores, alguns podem afirmar. Não me refiro a educação formal, mas educação não formal, ou seja, dentro de casa, pois só em casa é que sem aprende os valores.

    Mas, surge o problema maior de todos, as pessoas que ensinam as crianças de hoje são as mesmas que dão os maus exemplos… Ah, mas eu não faço isso, eu não sou assim, eu sou um exemplo a ser seguido – muitos afirmam isso, e eu não sou ninguém para julgá-los. Então, onde estão estes falsos cidadãos? Estão por aí, sempre por aí… A sociedade clama por justiça, porém ela própria é injusta e perniciosa…

    Conclusão: Estamos andando em círculo.

    • Eduardo Lopes
      4 anos ago

      Onde se lê: ‘sem aprende os valores.’ leia-se: se aprende os valores.

  2. Rodolfo
    4 anos ago

    e pro jovem lá do interior de família humilde que sempre fez tudo certinho pagando do bolso do pai e da mãe, as vezes da família, que pagou bem caro e demorou anos em sua formação?
    O que seria justiça hoje, pesquisar e caçar essas licenças?
    Já tem muito tubarão voando jatos e até em linha aérea com anos no aparelho.. e pra tirar esses caras de lá..

    Justiça, será? só que não.. aqui no brasil não…

    • Rodolfo
      4 anos ago

      corrigindo: CASSAR as licenças..

    • fredfvm
      4 anos ago

      Negativo Rodolfo. Para os casos de quem sempre fez tudo certinho, a justiça não caçará essa licença, simplesmente o honesto fica sem voar porque a concorrência com os errados é muito desleal… No Brasil só tem vez na aviação quem tem $$$$$$ Infelizmente é assim. Estou errado ? Estudar para quê ?

      • Enderson Rafael
        4 anos ago

        Infelizmente é essa a realidade. No Brasil 500h de caneta valem mais que 499 de verdade. Quem faz tudo certinho tem que contar com um mercado tao bom que sobrem vagas pros mortais após todo mundo que pode escolher o que quer.

  3. Erico Chaves
    4 anos ago

    poderiam voltar com s miltares no governo e o dac tb…

    • provocador
      4 anos ago

      Nossa senhora do céu! Ele pediu golpe militar ou é impressão minha?

    • Oreia Seca
      4 anos ago

      O que não se fala até agora é que o tal de Junior era estagiário do DAC, e não da ANAC.

      • Raul Marinho
        4 anos ago

        Estagiário do DAC? Acho difícil… Ele era muito novo para isso. Se não me engano, ele tem 25-26 anos, e o DAC foi extinto há 8; logo, ele precisaria ter estagiado lá com 17-18 anos.

        • Rodrigo Edson
          4 anos ago

          Ele foi estagiário na ANAC. Trabalhei com ele nesse período, mas ele apenas atendia quando saí, em 2007, ainda não analisava processo.

          • Rodrigo Edson
            4 anos ago

            *Atendia no balcão da habilitação

            • Oreia Seca
              4 anos ago

              Errado. Ele era estagiário sim no SERAC-4 (DAC). Quando a ANAC foi criada em 2006, ele começou a atuar como TERCEIRIZADO no atendimento ao público e posteriormente como despachante (vulgo MAÇANETA), quando o esquema foi desbaratado pela própria ANAC.

    • Wilbur W.
      4 anos ago

      Militares no governo é uma idéia. Mas no DAC tudo isso acontecia e ninguém ficava sabendo.

  4. Enderson Rafael
    4 anos ago

    E quem compra tá aí voando. País justo. Bem justo. Afinal, não era quadrilha, né gente. Eles roubaram juntos por coincidência.

    • Eduardo Lopes
      4 anos ago

      Pois é parceiro, num país em que a corrupção é endêmica isso não é novidade.

  5. Marcius
    4 anos ago

    Acorda pessoal, o Brasil acabou faz tempo!!!
    Só uma guerra civil para TENTAR consertar essa desgraça de país que aí está.

  6. Eduardo Lopes
    4 anos ago

    Mais do mesmo, somos um país de corruptores e corrompidos cuja única ‘lei’ que respeitam é a de ‘gerson’, com gê minúsculo mesmo…

    Certa vez assisti a uma palestra sobre direção segura e cidadania em que o palestrante – um filósofo e teólogo – disse que a nossa geração cresceu consumindo desenhos animados e programas pautados na violência, trapassa e intolerância (Pica-Pau, Tom e Jerry, Popeye, Perna Longa, Corrida Maluca, Chaves entre outros) e que este seria um dos motivos de haver tanta torpeza atualmente. No dia em que ouvi este argumento julguei que não fazia muito sentido, porém, passados cerca de cinco anos, já começo a mudar de opinião.

    Qual seria o motivo de tanta torpeza atualmente? Já passamos pelo odioso ciclo colonial/extrativista/escravagista, somos independentes, temos uma constituição, um sistema legal, somos um país laico, livre e soberano. Talvez o problema não seja falta de educação formal mas uma má formação moral e isso fatalmente irá contaminar as próximas gerações, já contamina.

    Eu vi a reportagem pelo site da emissora de TV e não fiquei impressionado, fiquei feliz em ver que só mais uma máscara caiu, porém o baile continua e várias outras máscaras giram ao sabor da valsa.

  7. jefferson queiroz
    4 anos ago

    Mais isso sempre aconteceu pessoal… desde o Dac… e Nao é só com os civis… tem muitos coronéis quando saía da FAb e tinha seus amigos dentro do Dac e de la saiam com icao 5 ou 6 com carteira de vários jatos executivos de alta performance e por ae vai… agora q é a Anac está prestando um serviço ruim a aviação e acabam querendo dar um jeitinho…e tudo acaba assim.

    • Rodrigo Edson
      4 anos ago

      O DAC foi extinto em 2005 e a exigência em proficiência no inglês iniciou em 2010, conforme Resolução 100, da ANAC, publicada em maio de 2009.

      Essa sua informação sobre esses “coronéis” está errada.

      • provocador
        4 anos ago

        Está errada apenas em relação ao ICAO. Dá uma pesquisadinha sobre o incendio no aeroporto santos dummont, no Rio. O porque do incendio e vai entender esse lance.

        • Rodrigo Edson
          4 anos ago

          A exigência do inglês no Brasil teve inicio em 2010. Sobre o incêndio no RJ, não sei responder, pois quando entrei no DAC/ANAC, a história já não era comentada internamente.

        • fredfvm
          4 anos ago

          O incêndio naquela época não atingiu nada relativo aos documentos e horas de voo dos pilotos. Posso dizer isso com a mais absoluta certeza porque tenho um tio, Brigadeiro aposentado pela FAB, que na época era sob-comandante do DAC e ele mesmo deu uma entrevista na TV (na época) dizendo que o incêndio foi parcial e muita coisa não fora danificada.

          Ora pois, mas onde estão esses documentos? é a pergunta que muitos fazem hoje em dia… A resposta é, não houve uma transição pacífica entre DAC e ANAC… se resolveram ou não, usar a desculpa do incêndio para dar fim aos documentos, isso não dá mais tempo de apurar. Ficamos então com a “desculpa do incêndio”.

  8. Zildo
    4 anos ago

    Um dos citados na reportagem, Locatelli, esteve envolvido em acidente em Paraty ano passado, conforme citado tb neste blog:
    http://paraserpiloto.com/2013/11/12/bimotores-leves-ilusao-fatal/

  9. fredfvm
    4 anos ago

    Excesso de burocracia só dá nisso. Vende-se facilidades em troca de agilidade.

    • Beto Arcaro
      4 anos ago

      Uma ova Fred!! Ninguém está vendendo “Facilidade”!
      Estão vendendo “Habilitações” mesmo!!
      Isso é criminoso!! O lado “Ativo” é tão nojento
      quanto o lado “Passivo”!
      É claro que existem as “Remoras do Sistema”.
      Pra esses caras, quanto mais ineficiente a ANAC for, melhor.
      Isso não chega a ser crime, mas acaba criando um ciclo. Daí pra corrupção é um pulinho!

      • Mario
        4 anos ago

        Acredito que nada justifique essas atitudes.
        Piloto de avião ta virando uma raça de Oportunista. Ao invés de darmos as mãos e nos unirmos estamos cada vez mais deixando cair por terra toda Hombridade da classe. Logo seremos Simples Motoristas de avião ( Nada contra a classe de motoristas). Conheço uma criatura que tinha canetado tanta hora de voo que tava preocupado com a regulamentação do aeronauta. Ele tinha colocado mais de 90 hras no mês e faria a solicitação do check de PC. Pode um negocio desse ? Dois anos depois o cara me aparece com PC/Mult/IFR/INVA e CAVAG checado agradecendo o pai, a Mãe e DEUS…Desde quando me conheço por Piloto ouço essa história de nego comprar carteira. Aeroclubes, Escolas de avição, fácil pra QUALQUER um encontrar…

        • provocador
          4 anos ago

          COnheço gente que entrou na linha aérea e nunca fez um voo solo.

  10. Beto Arcaro
    4 anos ago

    60?? É pouco!!!
    Lembram quando eu falava sobre olheiros em Aeroclubes??
    Isso vem desde a época do DAC…
    Descaradamente !!
    Achei engraçado o tom de tragédia que a Imprensa coloca:
    Milhares de vidas foram colocadas em risco!!
    Essas vidas ainda estão sendo colocadas em risco, não só pela “Venda de Habilitações”, mas pela má formação, má “Educação”, enfim, pela má “regulação” da própria ANAC.
    Como bom Serviço Público Brasileiro, não poderia deixar de ser “Imcompetente e Corrupto”!
    Para tudo, que eu quero descer…

    • Beto Arcaro
      4 anos ago

      “Incompetente”!! Desculpem….
      Digitando do IPhone !!

  11. Essa conta está soando “barata”, hein? Pelo que falam as “más línguas”, o número de fraudes na prova de inglês era bem maior, na casa dos cento e pedrada (número de “AFA”, mas comentado repetidas vezes, ao longo de anos). Inclusive teria motivado uma denúncia feita (por pilotos brasileiros) diretamente à ICAO, razão pela qual a diretora-presidente da ANAC teria, à época, em represália, mandado aumentar o nível de dificuldade da prova. Não sei se isso procede, pois fiz a minha – primeira e única – em março de 2008 (quando os protocolos iam para Montreal para correção e voltavam com a nota já pronta; não dava margem a certos abusos e desmandos dos quais muita gente ora se queixa) na SEP-RJ e achei-a razoavelmente honesta…

    • Beto Arcaro
      4 anos ago

      Tive “6”, bem no começo da exigência… Tenho até hoje, “For ever and ever, AMEM!!
      Não subornei ninguém…. Minha conta bancária não nega!! Kkkkk

Deixe uma resposta